Correção de Redação Enem

Efeitos da disseminação das "Fake News" nas mídias sociais Stoodi

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema "Efeitos da disseminação das "Fake News" nas mídias sociais", apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO I
Fake news é um tema que tem sido cada vez mais debatido, especialmente no mundo do jornalismo. De acordo com o jornal britânico The Telegraph, fake news são notícias falsas que podem existir por cinco motivos: com o intuito de enganar o leitor; como uma tomada acidental de partido que leva a uma mentira; com algum objetivo escondido do público, motivado por interesses; com a propagação acidental de fatos enganosos; ou com a intenção de fazer piada e gerar humor. Embora alguns especialistas, como o jornalista Sérgio Dávila, afirmem que notícias falsas sempre tenham existido, é certo que sua disseminação nunca foi tão intensa quanto é hoje, com as redes sociais.
De acordo com Diego Iraheta, redator-chefe do Huffington Post no Brasil, as redes sociais e o universo informacional do século XXI facilitam o escoamento das notícias enganosas de uma maneira extremamente rápida e eficiente. Assim, com a propagação de reportagens tendenciosas e mentirosas crescendo cada vez mais, a democracia é ameaçada, uma vez que o acesso à informação é um direito do cidadão.
Fábio Zanini, editor da seção “Poder” da Folha de S.Paulo comenta o porquê de as fake news terem ganhado importância nos últimos tempos. “Isso foi exacerbado, na minha avaliação, por dois motivos que, na verdade, caminham juntos: primeiro, as redes sociais, que democratizaram muito a geração de informação, o que é uma coisa positiva até certo ponto; e o segundo motivo é uma crescente polarização política em todo o mundo”, disse.

(Disponível em: http://observatoriodaimprensa.com.br/pos-verdade/o-impacto-das-fake-news-no-dia-dia-do-jornalismo/ - Acesso em: 22 ago. 2018).

TEXTO II
A proliferação de perfis e páginas falsas gera controvérsias sobre como lidar com a difusão de desinformações em plataformas sociais, as quais carecem de resposta coordenada ao fenômeno. O Facebook recentemente lançou uma campanha de conscientização sobre o compartilhamento de informações falsas na plataforma e implementou mudanças em seus algoritmos para reduzir o alcance de manchetes caça-cliques, priorizando conteúdo produzido por usuários no lugar de conteúdo patrocinado. 
Em reação, a Folha de São Paulo acusou a empresa de encorajar a proliferação de fake news em prejuízo do jornalismo profissional. A difusão de notícias falsas no WhatsApp torna a situação ainda mais complexa. O aplicativo é o segundo mais popular na América Latina, com mais de 100 milhões de usuários apenas no Brasil. Sua ubiquidade, a facilidade com a qual a informação viaja entre pequenas e médias redes de usuários, além do uso de criptografia ponta-a-ponta, tornam praticamente impossível rastrear as fontes das informações falsas.

(Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/ensaio/2018/Os-desafios-das-fake-news-na-Am%C3%A9rica-Latina - Acesso em: 22 ago. 2018).

TEXTO III
As redes sociais foram o meio de informação cuja credibilidade mais foi afetada pelas "fake news"(notícias fabricadas e muitas vezes divulgadas sob falsas fachadas de veículos reais), mostra pesquisa da consultoria Kantar com 8.000 pessoas de quatro países: Brasil, Estados Unidos, Reino Unido e França.
De cada 100 consumidores de notícias, 58 disseram ter menos confiança no noticiário político e eleitoral visto em redes sociais, por causa das "fake news". Para outras 32%, não houve alteração, e 10% disseram que sua confiança subiu.
Os quatro países foram escolhidos por causa do momento político e econômico pelo qual passam, segundo a presidente da Kantar para o Brasil, Sonia Bueno. Para a maioria dos americanos e brasileiros, as "fake news" influenciaram o resultado das últimas eleições em seus países. (...)


(Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2017/10/1931635-fake-news-alteram-habitos-do-publico-indica-pesquisa.shtml - Acesso em: 22 ago. 2018).

+ Compre créditos para enviar a sua redação.