Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

Exercícios de Pensamento Cristão

Voltar para exercícios de Filosofia

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Pensamento Cristão dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude Filosofia com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 31. UFU 2000
    "Assim até as coisas materiais emitem um juízo sobre as suas formas, comparando-as àquela Forma da eterna Verdade e que intuímos com o olhar de nossa mente."   (Sto. Agostinho, A Trindade, Livro IX, Capítulo 6. São Paulo, Paulus, 1994. p. 299) Esta frase de Agostinho de Hipona refere-se à
  2. 32. ENEM PPL 2015
    Se os nossos adversários, que admitem a existência de uma natureza não criada por Deus, o Sumo Bem, quisessem admitir que essas considerações estão certas, deixariam de proferir tantas blasfêmias, como a de atribuir a Deus tanto a autoria dos bens quanto dos males. Pois sendo Ele fonte suprema da Bondade, nunca poderia ter criado aquilo que é contrário à sua natureza. AGOSTINHO. A natureza do Bem. Rio de Janeiro: Sétimo Selo, 2005 (adaptado).     Para Agostinho, não se deve atribuir a Deus a origem do mal porque
  3. 33. UFU 2000
    A Patrística (séculos II ao V d.C.) é o movimento intelectual dos primeiros padres da Igreja, destinado a justificar a fé cristã, tendo em vista a conversão dos pagãos. Sobre a Patrística pode-se afirmar, com certeza:   I. assume criticamente elementos da filosofia platônica na tentativa de melhor fundamentar a doutrina cristã. II. considera que as verdades da razão estão sempre em contradição com as verdades reveladas por Deus. III. incorpora as teses da metafísica aristotélica para fundar uma teologia estritamente racionalista. IV. considera a razão como auxiliar da fé e a ela subordinada, tal como expressa a frase de Sto. Agostinho "creio porque entendo".
  4. 34. UEG 2009
    A Idade Média e a Idade Moderna são duas fases da história europeia marcadas, em muitos aspectos, por visões distintas de mundo: a primeira, teocêntrica, procurava conciliar fé e razão; a segunda, antropocêntrica, se destaca pelo racionalismo. Em termos filosóficos, seus principais representantes foram, respectivamente:  
  5. 35. UFU 2007
    De acordo com o texto sobre Tomás de Aquino, assinale a alternativa correta. “Santo Tomás representa o apogeu da escolástica medieval, na medida em que conseguiu estabelecer o equilíbrio perfeito entre a fé e a razão, a teologia e a filosofia, distinguindo-as mas não separando-as necessariamente. Ambas, com efeito, podem tratar do mesmo objeto, por exemplo, Deus. Contudo, a filosofia utiliza tão somente as luzes da razão natural, enquanto a Teologia se vale da razão divina, manifestada na Revelação (a Bíblia)”. COSTA, José Silveira da. A filosofia cristã. Rezende, Antônio (org.) Curso de Filosofia. Rio de Janeiro: Zahar/SEAF, 1986. p. 81.  
  6. 36. UNICENTRO 2010
    Sobre o conceito de ética, analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta a(s) correta(s)   I. Para Aristóteles, as ações humanas não são como as operações naturais. Na natureza cada ser segue necessariamente as exigências impostas por sua matéria e por sua forma, ou seja, o acidente é secundário. Em relação às ações humanas dá-se exatamente o contrário, nelas o acidente predomina, pois embora o homem possua vontade e poder de escolher a ação que deseja realizar, ele também se engana e pode não alcançar aquilo que almejou. II. A ética epicurista é basicamente um hedonismo. O motor e a meta da vida humana são identificados ao prazer. Prazer, mas prazer com medida e senso de limite. O hedonismo epicurista alia prazer e serenidade. III. A primeira e mais importante idéia geral do estoicismo é a exaltação da natureza, daí o primeiro princípio da ética estóica: todos devem viver em conformidade com a natureza. Nisto resume-se a virtude. Pautar a vida segundo as prescrições da natureza significa, para os estóicos, servir ao interesse geral da coletividade, antes que seu próprio. IV. O pensamento ético-teológico de São Tomás de Aquino afasta-se inteiramente do aristotelismo. O primeiro e inabalável postulado do sistema tomista é o de que o homem não foi dotado pelo Criador da capacidade de separar a verdade do erro, por isso o juízo ético está absolutamente ligado aos sentimentos e emoções.
  7. 37. UFU 2014
    Segundo Chauí (2000),   [...] na Idade Média o pensamento estava subordinado ao princípio da autoridade, isto é, uma ideia é considerada verdadeira se for baseada nos argumentos de uma autoridade reconhecida [...] CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 2000, p. 45.   Sobre a filosofia da Idade Média é INCORRETO afirmar que
  8. 38. UFU 2002
    E, certamente, uma grande coisa é o homem, pois feito à imagem e semelhança de Deus! Não é grande coisa enquanto encarnado num corpo mortal, mas sim enquanto é superior aos animais pela excelência da alma racional. AGOSTINHO, Santo, bispo de Hipona. A Doutrina Cristã. São Paulo: Paulus, 2002.   Agostinho de Hipona (354-430 d.C) formula sua teoria do conhecimento a partir da máxima “creio tudo o que entendo, mas nem tudo que creio conheço”. A posição do autor não impede que cada um busque a sabedoria com suas próprias forças; o que ainda não é conhecido pode ser revelado mediante a consulta da verdade interior. Neste sentido, sua concepção do homem está estreitamente ligada a sua noção de conhecimento. Em acordo com Agostinho, pode-se concluir que:
  9. 39. UFU 2006
    “Em sua teoria do conhecimento, Tomás de Aquino substitui a doutrina da iluminação divina pela da abstração, de raízes aristotélicas: a única fonte de conhecimento humano seria a realidade sensível, pois os objetos naturais encerrariam uma forma inteligível em potência, que se revela, porém, não aos sentidos que só podem captá-la individualmente - mas ao intelecto.” INÁCIO, Inês C. e LUCA, Tânia Regina de. O pensamento medieval. São Paulo: Ática, 1988, p. 74.   Considerando o trecho citado, assinale a alternativa verdadeira.
  10. 40. UFU 1999
    O filósofo grego que maior influência exerceu sobre Santo Tomás de Aquino foi
  11. 41. ENEM PPL 2010
    Quando Édipo nasceu, seus pais, Laio e Jocasta, os reis de Tebas, foram informados de uma profecia segundo a qual o filho mataria o pai e se casaria com a mãe. Para evitá-la, ordenaram a um criado que matasse o menino. Porém, penalizado com a sorte de Édipo, ele o entregou a um casal de camponeses que morava longe de Tebas para que o criasse. Édipo soube da profecia quando se tornou adulto. Saiu então da casa de seus pais para evitar a tragédia. Eis que, perambulando pelos caminhos da Grécia, encontrou-se com Laio e seu séquito, que, insolentemente, ordenou que saísse da estrada. Édipo reagiu e matou todos os integrantes do grupo, sem saber que entre eles estava seu verdadeiro pai. Continuou a viagem até chegar a Tebas, dominada por uma Esfinge. Ele decifrou o enigma da Esfinge, tornou-se rei de Tebas e casou-se com a rainha, Jocasta, a mãe que desconhecia. Disponível em: http://www.culturabrasil.org. Acesso em: 28 ago. 2010 (adaptado). No mito Édipo rei, são dignos de destaque os temas do destino e do determinismo. Ambos são características do mito grego e abordam a relação entre liberdade humana e providência divina. A expressão filosófica que toma como pressuposta a tese do determinismo é:
  12. 42. UFU 1998
    Para Santo Agostinho, o homem chega à verdade
  13. 43. UNICENTRO 2016
    Leia o texto a seguir. Todo domínio da filosofia pertence exclusivamente à razão; isso significa que a filosofia deve admitir apenas o que é acessível à luz natural e demonstrável apenas por seus recursos. A teologia baseia-se, ao contrário, na revelação, isto é, afinal de contas, na autoridade de Deus. (GILSON, E. A Filosofia na Idade Média. Trad. de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1998. p.655.)   Sobre essa dicotomia, o pensamento de Tomás de Aquino, no contexto Escolástico do século XIII, orienta-se pela
  14. 44. UNIOESTE 2016
    “Os reis possuem bens temporais em abundância e Deus prepara-lhes um grau sublime de felicidade. Já os tiranos são frequentemente frustrados dos bens temporais que almejam, estão sujeitos a muitos perigos e, acima de tudo, são privados dos bens eternos, sendo-lhes reservadas as mais graves penas. Por isso, aquele que recebe a função de governar deve realmente considerar bem todas essas coisas e se apresentar como rei e não como tirano para os seus súditos” (TOMÁS DE AQUINO. A realeza: dedicado ao rei de Chipre. In: SEED-PR. Antologia de textos filosóficos: 683). Considerando o excerto do texto acima e o pensamento de Santo Tomás de Aquino, NÃO é correto afirmar que
  15. 45. ENEM PPL 2012
    Assentado, portanto, que a Escritura, em muitas passagens, não apenas admite, mas necessita de exposições diferentes do significado aparente das palavras, parece-me que, nas discussões naturais, deveria ser deixada em último lugar. GALILEI, G. Carta a Dom Benedetto Castelli. In: Ciência e fé: cartas de Galileu sobre o acordo do sistema copernicano com a Bíblia. São Paulo: Unesp, 2009 (adaptado).   O texto, extraído da carta escrita por Galileu (1564-1642) cerca de trinta anos antes de sua condenação pelo Tribunal do Santo Ofício, discute a relação entre ciência e fé, problemática cara no século XVII. A declaração de Galileu defende que
  16. 46. UPE 2014
    Atente ao texto a seguir:   Sobre a filosofia e sua história   A história, antes de ser a história dos fatos, é a história do pensamento; antes de ser a história das ações materiais dos homens, é a história das ideias que deram origem àquelas ações materiais. Pela mesma razão, julgamos que a história da filosofia é, principalmente, a história do pensamento humano, aplicado à solução dos problemas básicos do ser e da vida e, em segundo lugar, a história da vida dos filósofos. PADOVANI, Umberto; CASTAGNOLA, Luís. História da Filosofia, 1993, p. 5.   No tocante à filosofia na história, é CORRETO afirmar que
  17. 47. UFU 2001
    A Escolástica é o período da filosofia cristã da Idade Média, que vai do século IX ao século XIV. Sobre a Escolástica é correto afirmar, EXCETO
  18. 48. UFU 2008
    Leia o trecho extraído da obra Confissões.   Quem nos mostrará o Bem? Ouçam a nossa resposta: Está gravada dentro de nós a luz do vosso rosto, Senhor. Nós não somos a luz que ilumina a todo homem, mas somos iluminados por Vós. Para que sejamos luz em Vós os que fomos outrora trevas. SANTO AGOSTINHO. Confissões IX. São Paulo: Nova Cultural,1987. 4, l0. p.154. Coleção Os Pensadores   Sobre a doutrina da iluminação de Santo Agostinho, marque a alternativa correta.  
  19. 49. UFU 2001
    Sobre a doutrina da iluminação divina de Santo Agostinho, considere o conteúdo das assertivas abaixo:   I. A iluminação divina dispensa o homem de ter intelecto próprio. II. A iluminação divina capacita o intelecto humano para entender que há determinada ordem entre o mundo criado e as realidades inteligíveis. III. Agostinho nomeia as realidades inteligíveis de forma pouco precisa como, por exemplo, ideia, forma, espécie, regra ou razão e afirma, platonicamente, que essas realidades já foram contempladas pela alma. IV. A iluminação divina exige que o homem tenha intelecto próprio, a fim de pensar corretamente os conteúdos da fé postos pela revelação.   Assinale a alternativa que contém somente as afirmações corretas:
  20. 50. UNICENTRO 2014
    Uma dificuldade em filosofia é defini-la genericamente, já que isso varia não apenas com relação a cada filósofo ou corrente, mas também com relação aos diferentes períodos históricos.    Com base nessa afirmação, relacione os períodos históricos da filosofia, na coluna superior, com algumas das ideias desenvolvidas no seu desenrolar histórico, na coluna inferior.   (I) Filosofia Antiga (séc. VI a.C. ao VI d.C.). (II) Filosofia Medieval (séc. VIII ao XIV). (III) Filosofia da Renascença (séc. XIV ao XVI). (IV) Filosofia Moderna (séc. XVII a meados do XVIII). (V) Filosofia Iluminista  (meados do séc. XVIII ao começo do XIX).   (A) Nesta filosofia, o ser humano constitui-se o traço predominante, isto é, nela o homem é valorizado, colocado como centro do Universo, entendido como capaz e dotado de poder criador e transformador. (B) Neste período da filosofia, os filósofos procuraram buscar em suas investigações o fundamento último de todas as coisas ou da realidade inteira, e a este tipo de reflexão a filosofia resolveu chamar posteriormente de metafísica. (C) Para este tipo de filosofia, a natureza, as instituições sociais e políticas, como coisas exteriores, são conhecidas quando o sujeito do saber as representa intelectualmente segundo ideias demonstráveis. (D) Segundo este tipo de perspectiva filosófica, o homem, fazendo uso do seu próprio entendimento, pode conquistar a liberdade, bem como a justiça, no âmbito social e político, desde que se esforce para isso. (E) Uma característica marcante desta filosofia foi o método por ela inventado para expor as ideias filosóficas, conhecido como disputa, em que os argumentos deveriam ser baseados no princípio de autoridade.   Assinale a alternativa que contém a associação correta.      
  21. 51. UFU 2009
    Leia o texto a seguir sobre o problema dos universais.   “Ockham adota o nominalismo, posição inaugurada em uma versão mais radical por Roscelino (séc. XII), [que] afirma serem os universais apenas palavras, flatus vocis, sons emitidos, não havendo nenhuma entidade real correspondentes a eles.” MARCONDES, D. Iniciação à história da filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2005. p. 132. Marque a alternativa correta.
  22. 52. UFU 2007
    Sobre a questão dos universais na Idade Média, considere o texto a seguir e marque a alternativa correta.   “Resume-se, frequentemente, a contribuição histórica de Guilherme de Ockham ao ‘nominalismo’. Sem ser falsa, esta visão é insuficiente. É incontestável que, para Guilherme de Ockham, existem apenas seres singulares e substâncias individuais ou qualidades particulares. Mas seu impacto repousa mais fundamentalmente num tipo de análise da linguagem da qual ele é ao mesmo tempo o teórico e um de seus praticantes mais finos.” BIARD, Jöel. “Guilherme de Ockham”.In: LABRUNE, Monique & JAFFRO, Laurent (coord.). A construção da filosofia ocidental (Gradus Philosophicus). São Paulo: Mandarim, 1996, p. 166.
  23. 53. UFU 2000
    Na Idade Média, filósofos como Anselmo de Cantuária e Guilherme de Champeaux consideravam que o universal tinha realidade objetiva. Entendiam o universal como res, como coisa comum a outras coisas. Sobre a posição desses filósofos realistas, é correto afirmar que   I. possuíam a influência platônica do Mundo das Ideias. II. sustentaram a fé e a autoridade como critério de verdade. III. consideraram o individual mais real, porque deslocaram o critério de verdade da fé e da autoridade para a razão humana. Assinale a alternativa correta.
  24. 54. UFU 1999
    Para Santo Tomás de Aquino, um dos princípios do conhecimento humano era o princípio da causa eficiente. Esse princípio da causa eficiente exigia que o ser contingente
  25. 55. UFU 1998
    A relação entre as palavras, que designam ideias gerais e as coisas, foi um problema filosófico que marcou a Idade Média. Foi grande a discussão sobre a existência real ou não daquelas palavras, isto é, os chamados “universais”. Nessa discussão, os filósofos nominalistas defenderam a posição que os “universais” são
  26. 56. UFU 2003
    Nos Solilóquios, Agostinho escreveu:   “A luz comum, à medida que pode, nos indica como é aquela luz. Pois há alguns olhos tão sãos e vivos que, ao se abrirem, fixam-se no próprio sol sem nenhuma perturbação. Para esses a própria luz é, de algum modo, saúde, sem necessidade de alguém que lhes ensine, senão talvez apenas de alguma exortação. Para eles é suficiente crer, esperar, amar”. Agostinho, Solilóquio e Vida feliz. São Paulo: Paulus, 1998, p.23.   Em conformidade com a Teoria da Iluminação, analise as assertivas abaixo.   I. A luz comum é o conhecimento humano, obtido por intermédio das demonstrações da lógica e da matemática, porém, ainda resta saber como tal conhecimento é possível. II. A luz, que é superior à luz comum, é o intelecto humano, que, servindo-se unicamente de si mesmo, encontra em si toda a certeza e o fundamento da verdade. III. O intelecto humano, pela sua natureza perecível, não pode se colocar como a certeza do conhecimento, pois a verdade é eterna. Aquela luz, então, acima da luz comum, é Deus. IV. A saúde é alcançada por todos, uma vez que a salvação e a felicidade são unicamente o resultado do esforço do homem nesta vida terrena.   Assinale a única alternativa que contém as assertivas verdadeiras.  
  27. 57. UFU 2001
    Pedro Abelardo foi o filósofo que mais se destacou na discussão da "questão dos universais" durante a Idade Média. De acordo com o pensamento de Abelardo, analise as assertivas que se seguem. I- Os universais, por si mesmos, não existem senão no intelecto, entretanto eles se referem a seres reais. II- Os universais existem, eles constituem uma natureza comum real que engloba indivíduos semelhantes, diferenciados apenas pelos seus acidentes. III- Os universais são apenas palavras (flatus vocis) e, enquanto palavras, nada podem significar para os indivíduos. IV- Os universais são corpóreos enquanto palavras e incorpóreos pela sua função significativa, pois significam algo comum para a multiplicidade dos indivíduos. Assinale a alternativa cujas assertivas estejam corretas:
  28. 58. UNICENTRO 2012
    Para o racionalismo, a razão é a verdadeira fonte do conhecimento.   De acordo com essa afirmativa, os filósofos que podem ser considerados racionalistas são
  29. 59. UFU 2003
    A teoria da iluminação divina, contribuição original de Agostinho à filosofia da cristandade, foi influenciada pela filosofia de Platão, porém, diferencia-se dela em seu aspecto central. Assinale a alternativa abaixo que explicita esta diferença.  
  30. 60. UNIMONTES 2012
    No final da Idade Média, os teóricos cristãos concebem uma teoria política baseada na origem divina do poder. O que fundamenta o poder político não é mais a natureza ou a razão, mas sim a vontade de Deus. Os fundamentos para esse modo de pensar eram buscados em duas fontes. Marque a alternativa CORRETA.
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login