Exercícios de Descolonização Afro-Asiática

Voltar para exercícios de História

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Descolonização Afro-Asiática dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 1. ENEM 2015
    Voz do sangue Palpitam-me os sons do batuque e os ritmos melancólicos do blue. Ó negro esfarrapado do Harlem ó dançarino de Chicago ó negro servidor do South Ó negro da África negros de todo o mundo Eu junto ao vosso magnifico canto a minha pobre voz os meus humildes ritmos. Eu vos acompanho pelas emaranhadas Áfricas do nosso Rumo. Eu vos sinto negros de todo o mundo eu vivo a nossa história meus irmãos. Disponível em: www.agostinhoneto.org. Acesso em: 30 jun. 2015. Nesse poema, o líder angolano Agostinho Neto, na década de 40, evoca o pan-africanismo com o objetivo de
  2. 2. FUVEST 2014
    Entre os fatores que permitem associar o contexto histórico de Portugal, na década de 1970, as independências de suas colônias na África, encontram-se
  3. 3. UFSM 2011
    "A primeira coisa, portanto, é dizer-vos a vós mesmos: Não aceitarei mais o papel de escravo. Não obedecerei às ordens como tais, mas desobedecerei quando estiverem em conflito com a minha consciência. O assim chamado patrão poderá surrar-vos e tentar forçar-vos a servi-Io. Direis: Não, não vos servirei por vosso dinheiro ou sob ameaça. Isso poderá implicar sofrimentos. Vossa prontidão em sofrer acenderá a tocha da liberdade que não pode jamais ser apagada." (Mahatma Gandhi) In: MOTA, Myriam; BRAICK, Patrícia. História das cavernas ao Terceiro Milênio. São Paulo: Moderna, 2005. p.'I 19. "Acenderá a tocha da liberdade que não pode jamais ser apagada" são palavras de Mahatma Gandhi (1869-1948) que, no contexto da Guerra Fria, inspiraram movimentos como
  4. 4. ENEM 2012
    O cartum, publicado em 1932, ironiza as consequências sociais das constantes prisões de Mahatma Gandhi peIas autoridades britânicas, na India, demonstrando
  5. 5. ESPM 2005
    O mapa mostra a região do Sudeste Asiático e apresenta:
  6. 6. UFPEL 2007
    Em 1887 o Vietnã passou a ser, oficialmente, uma colônia, situada na Peninsula da lndochina e era fornecedora de arroz, borracha e madeira para o mercado europeu, nos moldes do modelo imperialista implantado pelas grandes nações capitalistas. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi fundada a Liga para a lndependência do Vietnã (Vietminh), de orientação socialista e liderada por Ho Chi Minh. Depoimento do advogado portugués Jorge Santos, In: RODRIGUES, Urbano Tavares (org.). 'A Guerra do Vietname'. Lisboa: Estampa, 1968. A colonização referida foi efetivada no século XIX, pelo seguinte país:
  7. 7. UEL 2005
    Analise a figura a seguir. Esta foto de Huynh Ut, chamada de The Terror of War (O Terror da Guerra), ganhou o Prêmio Pulitzer em 1973 e tornou-se uma das célebres imagens do século XX, ao mostrar a menina Kim Phuc fugindo durante um ataque americano na Guerra do Vietnã. Com base na fotografia e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a seguir. I. A Guerra do Vietnã foi a primeira a ter cobertura televisiva em tempo real, transmitida diretamente das frentes de batalha. II. A imprensa contribuiu para a revolta da opinião pública americana, ao divulgar imagens da guerra e oferecer espaço aos movimentos pacifistas. III. The Terror of War documenta a dor e o desespero dos sul-vietnamitas após o uso, pelos americanos, de armas químicas como o napalm. IV. A superioridade tecnológica norte-americana e o apoio dos camponeses, enriquecidos sob o domínio colonial francês, foram decisivos para a vitória dos EUA na Guerra. Estão corretas apenas as afirmativas:
  8. 8. UEPB 2013
    Foi a partir de 1945, com o fim da 2a Guerra Mundial, que o processo de descolonização na Ásia e na África ganhou força. Até o início da década de 70 do século XX, cerca de 40 países reafirmaram suas independências, se opondo a dominação efetivada pelas potências capitalistas do mundo ocidental. Assinale a alternativa que possui três fatores que influenciaram na descolonização afro-asiática.
  9. 9. FUVEST 2015
    Examine a seguinte imagem, que foi inspirada pela situação da Índia de 1946. A leitura correta da imagem permite concluir que eIa constitui uma crítica
  10. 10. UFSM 2000
    Analise as afirmações a respeito da descolonização da África e da Ásia e indique se são verdadeiras (V) ou falsas (F). (   ) A descolonização da Ásia e da África só ocorreu após o término da Segunda Guerra Mundial; o declínio dos países europeus depois da guerra e o avanço do nacionalismo estimularam os movimentos de libertação. (   ) No processo de independência da Índia, o destaque coube ao líder Mahatma Gandhi. responsavel pela unidade política da ex-colónia inglesa. (   ) A independência da Argélia se consolidou em 1954, quando se formou a Frente de Libertação Nacional (FLN), que usava a tática de guerrilha contra os franceses. (   ) No processo de descolonização da África, a primeira colônia inglesa a conquistar a independência foi Costa do Ouro, que passou a se chamar Gana, em 1957. A sequência correta é
  11. 11. PUC-RS 2015
    Considere as afirmativas abaixo, sobre o processo de desco­lonização na África, tal como este se apresentava nos anos 1950-1960.   I. A divisão política determinada pelo reconhecimento formal de novas soberanias, que correspondiam às unidades territoriais da África colonial, promovia a separação de etnias idênticas em diferentes Estados, dificultando o processo de cooperação continental preconizado pela Conferência dos Povos da África, de 1958. II. As independências formais outorgadas por algumas das principais potências metropolitanas no período não impediram estas de preservar muitos de seus interesses culturais, militares e econômicos nos novos países, reproduzindo laços de dependência por vezes expressos em programas de ajuda ao desenvolvimento. III. A fundação da Organização para a Unidade Africana, em 1963, foi uma iniciativa da África do Sul e buscava defender a soberania de seus membros, bem como contribuir para a completa erradicação do colonialismo no continente.   Está/Estão correta(s) a(s) afirmativa(s)
  12. 12. ESPM 2015
    “Em 21 de dezembro de 1961, a Bélgica concedeu autonomia interna a Ruanda e, em 28 de junho de 1962, a Assembleia Geral da ONU fixou para 1º de junho a supressão da tutela e a concessão da independência à Re­pública Democrática de Ruanda, ressaltan­do que o governo independente não seria monoétnico. Tal cuidado não foi suficiente, pois os acontecimentos posteriores acaba­ram culminando em um dos mais violentos genocídios do século XX, estimando-se o número de mortos em 1.074.017, ou seja, um sétimo da população de Ruanda.” (Leila Hernandez. A África na sala de aula)   Em abril de 2014, completaram-se 20 anos do que ficou conhecido como genocídio de Ruanda. Diferenças, desigualdades, discri­minações raciais, econômicas, sociais e po­líticas alimentaram o ódio. O assassinato do presidente Juvenal Habyarimana, em atenta­do ao avião em que viajava, foi o estopim do genocídio.   Sobre o genocídio em Ruanda assinale a al­ternativa correta:
  13. 13. ACAFE 2014
    Durante o período da Guerra Fria as ideias do pan-africanismo e o pan-arabismo foram relevantes na afirmação de diversos movimentos de libertação e de independência na África e Oriente Médio.   Acerca desses movimentos e de suas proposições e correlações é correto afirmar, exceto:
  14. 14. UFRGS 2012
    O processo de descolonização das possessões portuguesas, ocorrido no último quartel do século XX, teve início com a chamada Revolução dos Cravos, que marcou a retirada lusitana da África. A esse respeito, considere as seguintes afirmações.   I. Na Guiné-Bissau, em Angola e em Moçambique, os movimentos nacionalistas que chegaram ao poder tiveram apoio soviético e cubano. II. Na maioria dos novos países, houve guerras civis pela disputa do poder, com exceção de Angola, onde os diferentes movimentos nacionalistas implantaram um governo de coalizão, marcado pela conciliação política. III. A descolonização provocou o retorno a Portugal de cerca de meio milhão de pessoas, agravando a situação de crise no país. Quais estão corretas?
  15. 15. UECE 2010
    Vários fatores contribuíram para o processo de descolonização afro-asiática que culminou, de fato, na quebra dos elos coloniais há muito tempo presentes no continente africano e no continente asiático. Assinale a alternativa que melhor sinaliza os principais fatores desse processo.
  16. 16. UFF 2011
    Ao se referir à sociedade da então colônia portuguesa Guiné Bissau, o historiador Armando Castro afirmou:   “As autoridades coloniais utilizam, para os castigos corporais, a palmatória, o chicote e a vergasta. Nas transações, os brancos praticam correntemente o roubo: roubo nos preços, nas quantidades, nas qualidades. Vai-se, nesta sociedade colonialista, até o desprezo total pela vida dos africanos. Morrem no trabalho de abate das árvores, na recolha do coconote e nos trabalhos públicos ou afogam-se nos pântanos, quando se fazem as secagens, etc. Há alguns anos, dezenas de trabalhadores africanos encontraram a morte nos trabalhos dos pântanos de Bissau. A mulher africana é vítima de numerosos crimes: violações, prostituição, etc.” CASTRO, A. O Sistema Colonial Português em África (meados do século XX). 2ª ed. Lisboa: Caminho, 1980, p. 366.   O texto acima mostra as consequências do processo de colonização. Ao se juntarem as duas pontas, colonização e descolonização, pode-se afirmar sobre a descolonização que
  17. 17. UFU 2011
    O imperialismo não acabou, não virou de repente “passado” ao se iniciar, com a descolonização, a desmontagem dos impérios clássicos. Toda uma herança de vínculos ainda liga países como Argélia e Índia à França e Inglaterra, respectivamente. Um novo e imenso continente de mulçumanos, africanos e centro-americanos dos antigos territórios coloniais agora reside na Europa metropolitana; mesmo a Itália, Alemanha e Escandinávia têm, hoje, de enfrentar esses movimentos populacionais, que em larga medida resultam do imperialismo e da descolonização, bem como da expansão da população europeia. Ademais, o fim da Guerra Fria e da União Soviética alterou definitivamente o mapa mundial. SAID, Edward W. Cultura e Imperialismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 349.   Sobre o processo de descolonização, marque a alternativa correta.
  18. 18. FUVEST 2011
    África vive (...) prisioneira de um passado inventado por outros. Mia Couto, Um retrato sem moldura, In: HERNANDEZ, Leila, A África na sala de aula. São Paulo: Selo Negro, p.11, 2005. A frase se justifica porque
  19. 19. UERJ 2010
    Veja bem, este país, em seus dias de glória, parecia até um zoológico. Um zoológico limpinho e bem arrumado. Todos tinham o seu lugar e viviam felizes. Quem era chamado de halwai fazia doces. Quem era chamado de criador de gado criava gado. Os intocáveis limpavam latrina. Até que, em 1947, quando os britânicos foram embora, todas as jaulas foram abertas. Aí a lei da selva substituiu a lei do zoológico. Os mais ferozes devoraram os demais e ficaram barrigudos. Resumindo: antigamente havia mil castas e destinos na Índia. Hoje só há duas castas: a dos homens barrigudos e a dos homens sem barriga. ARAVIND ADIGA. Adaptado de O tigre branco. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.   O fragmento de texto acima faz referência a uma das transformações ocorridas na Índia, a partir de 1947. Essa transformação explicita a relação entre as seguintes características na sociedade indiana:
  20. 20. CEFET-MG 2015
    Entre o final da Segunda Guerra Mundial e o final da década de 1960, o número de Estados internacionalmente reconhecidos na Ásia quintuplicou. Na África, onde havia um país independente em 1939, agora eram cerca de cinquenta. O mapa do globo transformou- se de modo impressionante nesse período.   O fenômeno descrito pode ser explicado pela(o)
  21. 21. PUC-SP 2008
    O século XX já foi definido como um século de guerras e revoluções. Sobre elas, pode-se afirmar que a
  22. 22. UFPEL 2007
    Durante a Guerra Fria, a estratégia da Casa Branca tinha como horizonte mudar a aparência da dominação colonial para na verdade não mudar nada: as novas nações manteriam o vínculo de dependência econômica e sofreriam um certo grau de ingerência política por parte das antigas metrópoles. Eventualmente, as metrópoles apoiariam a formação de ditaduras que lhes fossem "fiéis". Assim, nos anos 50 e 60, a África conheceu intensamente um processo hoje chamado "descolonização". Apenas no ano de 1960, dezessete colônias da França e da Inglaterra conquistaram o status de nações autônomas.             ARBEX JR., José. "Guerra Fria: terror de Estado, política e cultura". São Paulo: Moderna, 1997 [adapt.].   Contrariando essa estratégia dos Estados Unidos da América, através da qual os processos colonizatórios haviam sido reforçados, ocorreram na segunda metade do século XX, na África, movimentos com características revolucionárias e emancipações políticas com o apoio da União Soviética. Entre os países que vivenciaram este último processo transformador no período referido, estão
  23. 23. PUC-RS 2008
    Em 1963, fundou-se, em Adis-Abeba, a Organização para a Unidade Africana (OUA), com o objetivo de defender a soberania de seus membros e de auxiliar na completa erradicação do colonialismo na África, logo após o reconhecimento da independência de 17 ex-colônias da França e da Inglaterra. Ficou de fora da OUA, devido a seu regime político, então racista,
  24. 24. FGV-RJ 2012
    Até que a filosofia que sustenta uma raça Superior e outra inferior Seja finalmente e permanentemente desacreditada e abandonada, Haverá guerra, eu digo, guerra. (...) Até que os regimes ignóbeis e infelizes, Que aprisionam nossos irmãos em Angola, em Moçambique, África do Sul, em condições subumanas, Sejam derrubados e inteiramente destruídos, haverá Guerra, eu disse, guerra. (...) Até esse dia, o continente africano Não conhecerá a paz, nós, africanos, lutaremos, Se necessário, e sabemos que vamos vencer, Porque estamos confiantes na vitória Do bem sobre o mal, Do bem sobre o mal... War. Bob Marley, 1976. A canção War foi composta por Bob Marley, a partir do discurso pronunciado pelo imperador da Etiópia, Hailé Selassié (1892-1975) em 1936, na Liga das Nações. As ideias do discurso, presentes na letra da canção acima, estão associadas:  
  25. 25. UFU 2015
    A partir de 1948, o Partido Nacional, no poder na África do Sul, entregou-se à tarefa de transformar a separação em bases raciais – já existente na sociedade sul-africana – num complexo sistema legal e no fundamento real do Estado. Essencialmente preocupado em frear e impedir a vinda dos negros para as cidades, o governo branco iniciou a montagem do apartheid (apart-heid, ―"desenvolvimento separado"). LOPES, Marta Maria. O apartheid. São Paulo: Atual, 1990, p. 41. (Adaptado).   O apartheid, cujo desmantelamento contou com a histórica liderança de Nelson Mandela, estava originalmente relacionado
  26. 26. PUC-RJ 2016
    Em outubro de 1956, teve início a crise do Canal de Suez em torno dos interesses de ingleses, franceses e israelenses na região. Sobre esse evento é INCORRETO afirmar que:
  27. 27. PUC-SP 2016
    “No primeiro quartel do século XX, o intercâmbio entre africanos e negros da diáspora ocorreu de diversas formas. De um lado, por meio do retorno de afrodescendentes, principalmente da América do Norte, para a Libéria, mas também das Antilhas e Brasil para diversas regiões da África. De outro, através da saída de jovens pertencentes à elite africana para ingressar nas universidades dos Estados Unidos e da Europa.” Regina Claro. Olhar a África. Fontes visuais para a sala de aula. São Paulo: Hedra, 2012, p. 151.     O impacto do fenômeno apresentado no texto manifestou-se, entre outros fatores, no
  28. 28. UNICAMP 2016
    País da África Austral que se tornou independente em 1975 após séculos de colonialismo europeu. No período posterior à independência, a terra passou a ser propriedade do Estado, com predomínio de uso pela população camponesa e com forte participação das mulheres na produção agrícola familiar. De 1976-1992 vivenciou intensos conflitos produzidos pela guerra civil envolvendo dois dos principais grupos armados do país.     O texto acima faz referência ao seguinte país:  
  29. 29. UESC 2011
    Vários grupos étnicos compõem a população de 1 bilhão de habitantes da África. Mesmo dentro das duas grandes regiões, a diversidade de povos é grande. Na África Setentrional, predominam os grupos — mediterrâneos brancos — caucasoide e semita, principalmente. Ao sul do Saara, a população negra compreende vários povos — os pigmeus nas selvas equatoriais, os coisans nos desertos e planaltos meridionais, os sudaneses das savanas e os bantos da África Central são os mais numerosos.   Do ponto de vista religioso, o islamismo (predominante no norte) tem o maior número de seguidores no continente, representando 45% da população. O cristianismo (majoritário no Sul) é praticado por cerca de 35% dos africanos. Uma das nações cristãs mais antigas do mundo, a Etiópia, é um destacado representante da religião do continente. A África ainda conta com muitos adeptos entre as inúmeras religiões nativas da população.   A variedade linguística também espelha a heterogeneidade africana. Entre as mais de 2 mil línguas faladas na África, estão os dialetos locais, de raiz africana, que convivem com os idiomas introduzidos pelos colonizadores europeus: inglês, francês e português são os mais comuns. VIDAS Secas. Atualidades e Vestibular+ENEM. São Paulo: Abril, 1. sem. 2010. África.     A África, nos dias atuais, é uma das regiões mais pobres do planeta e enfrenta desafios que se formaram ao longo de séculos de dominação e exploração, a exemplo
  30. 30. UFES 2009
    “Morre um homem por minuto em Ruanda. Um homem morre por minuto numa nação do continente onde o Homo Sapiens surgiu há um milhão de anos [...] Para o ano 2000 só faltam seis, mas a Humanidade não ingressará no terceiro milênio, enquanto a África for o túmulo da paz.” (NUNES, Augusto. O Globo. 6 ago. 1994.)     A persistente situação de instabilidade no Continente Africano é resultado de diversos fatores históricos. Um desses fatores é:
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login