Exercícios de Iluminismo

Voltar para exercícios de História

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Iluminismo dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 1. Espcex (Aman) 2014
    O século XVIII registrou profundas transformações na maneira de governar de diversos dirigentes: - Frederico ll, da Prússia, "aboliu as torturas aplicadas aos presos em seu pais [...] incentivou as letras, as artes e as ciências [...] e dirigiu pessoalmente a reforma de Berlim, capital da Prússia na época". (BOULOS JR, 2011) - O Marquês de Pombal, "principal ministro do rei D. José ll [...] valendo-se de seu enorme poder, decretou a emancipação dos indígenas na América portuguesa, a abolição da escravidão africana e a fundação da imprensa Régia, em Portugal" (BOULOS JR, 2011). - José ll, da Áustria, adotou a tolerância religiosa, mas manteve intocados o militarismo e a servidão. (BOULOS JR, 2011) - Catarina ll, da Rússia, "mandou construir escolas, fundou hospitais, dirigiu a reforma da capital (São Petersburgo) e combateu a corrupção nos meios civis e religiosos". (BOULOS JR, 2011) Sobre os dirigentes acima mencionados e seus governos, pode-se afirmar que
  2. 2. UFU 2006
    O fim maior e principal para os homens unirem-se em sociedades politicas e submeterem-se a um governo é a conservação de suas propriedades, ou seja, de suas vidas, liberdades e bens. Adaptado de LOCKE, John. 'Dois Tratados sobre o Governo'. São Paulo: Martins Fontes, 1998, p.495. A autoproteção constitui a única finalidade pela qual se garante à humanidade, individual ou coletivamente, interferir na liberdade de ação de qualquer um. O único propósito de se exercer legitimamente o poder sobre qualquer membro de uma comunidade civilizada, contra sua vontade, é evitar dano aos demais. Adaptado de MILL, J.Stuart. 'A Liberdade'. São Paulo: Martins Fontes, 2000, p.17. Os trechos anteriores referem-se aos fundamentos do pensamento liberal. Sobre esse tema, assinale a alternativa que apresenta a explicação INCORRETA.
  3. 3. UPE 2013
    Qual das alternativas a seguir apresenta apenas características associadas ao Liberalismo?
  4. 4. UPF 2013
    O movimento iluminista teve maior desenvolvimento na França. Entre os intelectuais que se destacaram naquele contexto estão Voltaire, Rousseau e o nobre Charles de Montesquieu, cuja obra de maior repercussão foi Do espirito das leis, publicação na qual defendia um fracionamento dos poderes, como se lê na seguinte passagem: "Não há liberdade se o poder Judiciário não está separado do Legislativo e do Executivo... Se o Judiciário se unisse com o Executivo, o juiz poderia ter a força de um opressor" (Charles de Montesquieu, Do espirito das leis, 1748). Sobre o pensamento e o constante nas obras de Montesquieu é correto afirmar que:
  5. 5. UPF 2014
    "A revolução francesa consigna-se desta maneira um lugar excepcional da história do mundo contemporâneo. Revolução burguesa clássica, ela constitui, para a abolição do regime senhorial e da feudalidade, o ponto de partida da sociedade capitalista e da democracia liberal na história da França". SOBOUL, Albert. A revolução francesa. São Paulo: DIFEL, 1985, p. 122. A grande Revolução Francesa, como outras revoluções burguesas do século XVIII, refletiu as Ideias dos filósofos iluministas. Dentre as caracteristicas a seguir reIacionadas, asinale a alternativa que apresenta a base do Iluminismo.
  6. 6. PUC-MG 2010
    O pensamento fisiocrático na França pretendia:
  7. 7. ENEM 2017
    Uma sociedade é uma associação mais ou menos autossuficiente de pessoas que em suas relações mútuas reconhecem certas regras de conduta como obrigatórias e que, na maioria das vezes, agem de acordo com elas. Uma sociedade é bem ordenada não apenas quando está planejada para promover o bem de seus membros, mas quando é também efetivamente regulada por uma concepção pública de justiça. Isto é, trata-se de uma sociedade na qual todos aceitam, e sabem que os outros aceitam, o mesmo princípio de justiça.   RAWLS, J. Uma teoria da justiça. São Paulo: Martins Fontes, 1997 (adaptado).     A visão expressa nesse texto do século XX remete a qual aspecto do pensamento moderno?
  8. 8. UFPA 2011
    O texto abaixo recupera uma obra iluminista dirigida por Denis Diderot e Jean Le Rond d' Alembert em 1772 na França intitulada de Enciclopédia ou Dicionário racional das ciências, das artes e dos ofícios. No texto afirma-se que: na Enciclopédia não havia área do engenho humano que não tivesse sido coberta. Ali se observava a confiança de que os homens eram, ou poderiam ser em breve, senhores de seu próprio destino, que poderiam moldar o mundo e a sociedade de acordo com as suas conveniências e vantagens. Era o poder da razão. Por isso mesmo a Enciclopédia não foi universalmente aceita. Poderes absolutistas civis e religiosos foram seus combatentes. (DENT, N. J. H.. Dicionário de Rousseau. Rio de Janeiro: Zahar, 1996, p. 125. Texto adaptado). A Enciclopédia proposta por homens iluministas como Diderot e D'Alembert foi criticada no contexto francês do final do século XVIII, porque nesse momento o absolutismo e razão significavam
  9. 9. UFPR 2013
    Considere o excerto abaixo, escrito pelo filósofo John Locke em 1689: Ninguém pode impor-se a si mesmo ou aos outros, quer como obediente súdito de seu principe, quer como sincero venerador de Deus: considero isso necessário sobretudo para distinguir entre as funções do governo civil e da religião, e para demarcar as verdadeiras fronteiras entre a igreja e a comunidade. Se isso não for feito, não se pode pôr um fim as controvérsias entre os que realmente têm, ou pretendem ter, um profundo interesse pela salvação das almas, de um lado, e, de outro, pela segurança da comunidade. (LOCKE, John. Carta acerca da tolerância. São Paulo: Abril Cultural, 1973, col. Os Pensadores, voI. XVIII. p. II.) Sobre a relação desse pensamento de Locke com o contexto político e religioso da Europa do século XVII, identifique as afirmativas a seguir como verdadeiras (V) ou falsas (F): (   ) John Locke defende a separação entre poder politico e poder espiritual como base para o estabelecimento de novas comunidades religiosas na Europa ocidental. em referência às novas ações da Inquisição nos reinos católicos. (   ) John Locke defende a tolerância religiosa e a separação entre a religião e o poder politico civil como bases para a convivência pacífica entre os povos de religiões diferentes. em referência às guerras entre católicos e protestantes nos reinos europeus. (   ) John Locke defende a separação entre Igreja e Estado no contexto das perseguições empreendidas pelos puritanos na Inglaterra, após sairem vitoriosos da Revolução Gloriosa. (   ) John Locke defende a tolerância religiosa como condição primordial para a convivência entre diferentes religiões que nasciam na Europa no século XVII e que eram perseguidas pela Igreja Católica, como o espiritismo kardecista. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.
  10. 10. UPE 2013
    O pensamento de Jean-Jacques Rousseau, fruto do Iluminismo do século XVIII, serve de base, até hoje, para a estrutura política de vários países democráticos ocidentais. Sobre essa realidade, assinale a alternativa CORRETA.
  11. 11. PUC-RJ 2015
    Em meados do século XVIII, diversas monarquias europeias se modernizaram com base nos ideais iluministas para um programa de reformas que assegurasse uma administração mais racional e eficiente do Estado. Embora afirmassem agir em nome da "maior felicidade dos povos", estes permaneciam excluídos da tomada de decisões políticas. Considerando as relações entre a cultura iluminista e as reformas promovidas pelos "soberanos esclarecidos", analise as afirmativas a seguir. I. Os soberanos reformadores concentraram seus esforços no desmantelamento de privilégios fiscais e no redimensionamento dos poderes eclesiásticos, como no caso de Frederico II na Prússia e de D. José I e de seu ministro Pombal em Portugal. II. Os filósofos iluministas forneceram o tema da razão, da boa administração e da pública felicidade aos projetos absolutistas dos monarcas e o da liberdade à oposição antiabsolutista. III. Os opositores do reformismo monárquico eram juristas e magistrados tradicionalistas, a nobreza fundiária e o alto clero, ameaçados pela dissolução da sociedade de ordens promovida pelos soberanos esclarecidos. Assinale:
  12. 12. UNESP 2015
    O pensamento iluminista, baseado no racionalismo, individualismo e liberdade absoluta do homem, ao criticar todos os fundamentos em que se assentava o Antigo Regime, revelava as suas contradições e as tornava transparentes aos olhos de um número cada vez maior de pessoas. (Modesto Florenzano. As revoluções burguesas, 1982. Adaptado.) Entre as críticas ao Antigo Regime, mencionadas no texto, podemos citar a rejeição iluminista do
  13. 13. UFPB 2007
    O Iluminismo, corrente de pensamento nascida na Europa ocidental do século XVIII, fundamentou uma nova organização política, social e econômica, que inaugurou a chamada Idade Contemporânea. Sobre essa corrente de pensamento, é correto afirmar que
  14. 14. PUC-RS 2007
    Responder à questão com base nas afirmativas sobre o Iluminismo, uma revolução intelectual que se efetivou na Europa, no século XVIII. I. As ideias iluministas surgiram como resposta a problemas concretos enfrentados pela burguesia, como, por exemplo, a intervenção do Estado na economia, que impunha limites à expansão dos negócios empreendidos por essa camada social. II. As bases do pensamento iluminista - o racionalismo, o liberalismo e o desenvolvimento do pensamento científico - foram estabelecidas a partir das ideias de pensadores do século XVII, como René Descartes, John Locke e Isaac Newton. III. Os iluministas, em suas obras, criticavam os resquícios feudais, como a servidão, assim como o regime absolutista e o mercantilismo, que limitavam o direito à propriedade. IV. A filosofia iluminista incentivava a influência da Igreja Católica sobre a sociedade, principalmente no âmbito da educação e da cultura, o que resultou no aumento do poder político da Igreja, pela emergência da teoria do direito divino. Estão corretas apenas
  15. 15. UESPI 2012
    As teorias dos economistas clássicos foram importantes para consolidar o capitalismo e reorganizar a produção da época, quebrando tradições nos negócios e rompendo preconceitos com relação ao uso do trabalho assalariado. Os economistas clássicos:
  16. 16. Espcex (Aman) 2016
    O movimento intelectual conhecido como Iluminismo ocorreu no século XVIII. Leia as informações abaixo. I. O pensamento político e econômico dos iluministas correspondia aos anseios da burguesia e ambos se opunham ao Positivismo. II. O período ficou conhecido como o Século das Luzes. III. O Iluminismo combateu o absolutismo monárquico, o mercantilismo e o poder da Igreja. IV. O Iluminismo encontrou forte resistência entre os adeptos do liberalismo. Estão corretas
  17. 17. FATEC 2006
    Adam Smith, teórico do liberalismo econômico, cuja obra, "Riqueza das Nações", constitui o baluarte, a cartilha do capitalismo liberal, considerava
  18. 18. PUC-PR 2006
    "Todavia, o recurso ao STF é um procedimento legítimo que não vem a interferir, mas a reforçar o equilíbrio entre os poderes. Ao contrário do que afirmam os deputados, independência não é sinônimo de autonomia plena, mas de inter-relação e controle mútuo." ("Folha de S. Paulo", Editorial, 02.Nov.2005) O texto nos lembra, mais especificamente:
  19. 19. UPE 2010
    As ideias liberais refizeram reflexões e anunciaram novas perspectivas sociais. Um dos seus pensadores mais famosos, Locke, defendia o(a)
  20. 20. PUC-PR 2007
    As revoluções liberais burguesas inspiraram-se em ideias de intelectuais iluministas que muito valorizavam a razão, procurando explicações racionais para todas as coisas. Dentre estas ideias, as que mais estavam diretamente relacionadas àqueles movimentos revolucionários eram: I - A liberdade individual era um entrave ao funcionamento do Estado e deveria ser abolida. II - O estado nada mais era do que o poder conjunto de todos os membros da sociedade, poder este limitado. III - O poder político deve ser indivisível e uno, pois somente assim pode atender suas finalidades. I V- Em oposição ao Antigo Regime, a centralização administrativa devia concentrar os poderes políticos. V - O Mercantilismo deveria ser substituído pelo Liberalismo, em oposição a qualquer tipo de regulamentação. São corretas as afirmações:
  21. 21. UNICAMP 2012
    TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: “O homem nasce livre, e por toda a parte encontra-se a ferros. O que se crê senhor dos demais não deixa de ser mais escravo do que eles. (...) A ordem social, porém, é um direito sagrado que serve de base a todos os outros. (...) Haverá sempre uma grande diferença entre subjugar uma multidão e reger uma sociedade. Sejam homens isolados, quantos possam ser submetidos sucessivamente a um só, e não verei nisso senão um senhor e escravos, de modo algum considerando-os um povo e seu chefe. Trata-se, caso se queira, de uma agregação, mas não de uma associação; nela não existe bem público, nem corpo político.” (Jean-Jacques Rousseau, Do Contrato Social. [1762]. São Paulo: Ed. Abril, 1973, p. 28,36.) Sobre Do Contrato Social, publicado em 1762, e seu autor, é correto afirmar que: 
  22. 22. UEPB 2014
    O século XVIII europeu foi marcado pela crise do Antigo Regime” e pelo advento do Iluminismo - um movimento intelectual e político favorável ao uso da razão como forma de se alcançar a liberdade, a felicidade e o bem-estar social. Analise as assertivas abaixo: I. Enquanto movimento intelectual, o Iluminismo pretendia divulgar o conhecimento até então produzido pela humanidade. Foi por isso que se produziu, entre 1751 e 1780, uma Enciclopédia (composta de 35 volumes). A ideia dos enciclopedistas era travar uma batalha permanente contra a ignorância e a favor da educação popular. lI. A base ideológica do Antigo Regime, assim chamado por se inspirar na elaboração aristotélica, era a crítica ao poder absolutista e a defesa da soberania popular. Filosoficamente, se filiava à elaboração de enciclopedistas como Voltaire, d’Alembert, Montesquieu e Rousseau. III. As sociedades europeias do Antigo Regime eram estamentais e o poder político e econômico estava nas mãos da nobreza e da Igreja. Mas a educação ficava a cargo dos enciclopedistas, que fundaram universidades para lecionar aos filhos da elite um tipo de conhecimento laico, científico e comprometido com a reestruturação social. IV. Enquanto movimento político, o Iluminismo criticava as sociedades estamentais baseadas no Antigo Regime. Os “homens da ilustração” questionavam a influência política e cultural da Igreja, os privilégios da nobreza, a servidão no campo e a censura às chamadas ideias perigosas”. Assinale a alternativa correta:
  23. 23. UERJ 2012
    O Iluminismo é a saída do homem do estado de tutela, pelo qual ele próprio é responsável. O estado de tutela é a incapacidade de utilizar o próprio entendimento sem a condução de outrem. Cada um é responsável por esse estado de tutela quando a causa se refere não a uma insuficiência do entendimento, mas à insuficiência da resolução e da coragem para usá-lo sem ser conduzido por outrem. Sapere aude!* Tenha a coragem de usar seu próprio entendimento. Essa é a divisa do Iluminismo. IMMANUEL KANT (1784) *Expressão latina que significa “tenha a coragem de saber, de aprender”. In: BOMENY, Helena e FREIRE-MEDEIROS, Bianca. Tempos modernos, tempos de sociologia. São Paulo: Ed. do Brasil, 2010. No contexto da expansão capitalista no século XIX, uma das ideias centrais do Iluminismo, de acordo com o texto, está associada diretamente à valorização da:
  24. 24. UFRN 2012
    Em 1789, no contexto da Revolução Francesa, na Assembleia Nacional, os representantes do povo elaboraram a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, que, entre outras proposições, enunciou: Os homens nascem livres e iguais em direitos. As distinções sociais só podem ter fundamento na utilidade comum. O fim de toda associação política é a conservação dos direitos naturais e imprescritíveis do homem. Estes direitos são: a liberdade, a propriedade, a segurança e a resistência à opressão. A lei é a expressão da vontade geral. Deve ser igual para todos, protegendo ou punindo. Sendo todos os cidadãos iguais perante a lei, são, igualmente, admitidos a todas as dignidades, cargos e empregos públicos, segundo a capacidade de cada um e sem outra distinção que não seja a das suas virtudes ou talentos. In: PAINE, T. Os direitos do homem. Petrópolis: Vozes, 1989. [Adaptado]. As proposições citadas, de ampla repercussão no Mundo Contemporâneo, estão fundamentadas
  25. 25. MACKENZIE 2009
    O liberalismo, como doutrina política atuante no cenário europeu, desde o final do século XVIII, apesar de servir principalmente aos interesses da classe burguesa, contagiou as parcelas populares da sociedade oprimidas pelos nobres e pelos reis absolutistas. A sociedade liberal burguesa, mesmo sendo essencialmente elitista, era mais livre do que a do Antigo Regime, por:
  26. 26. UNESP 2012
    Encontrar uma forma de associação que defenda e proteja a pessoa e os bens de cada associado com toda a força comum, e pela qual cada um, unindo-se a todos, só obedece contudo a si mesmo, permanecendo assim tão livre quanto antes. Esse, o problema fundamental cuja solução o contrato social oferece. [...] Cada um de nós põe em comum sua pessoa e todo o seu poder sob a direção suprema da vontade geral, e recebemos, enquanto corpo, cada membro como parte indivisível do todo. (Jean-Jacques Rousseau. Do contrato social, 1983.) O texto apresenta características
  27. 27. UEL 2001
    "[O indivíduo], orientando sua atividade de tal maneira que sua produção possa ser de maior valor, visa apenas o seu próprio ganho e, neste, como em muitos outros casos, é levado como que por uma mão invisível a promover um objetivo que não fazia parte de suas intenções. (...) Ao perseguir seus próprios interesses, o indivíduo muitas vezes promove o interesse da sociedade muito mais eficazmente do que quando tenciona realmente promovê-lo."             (SMITH, A. "A riqueza das nações". São Paulo: Abril Cultural, 1983, p.379-80.)     Sobre o liberalismo, considere as seguintes afirmativas:     I - O liberalismo econômico, cujos princípios, como o livre comércio, a propriedade privada e a lei de mercado, favoreceram o desenvolvimento do capitalismo, teve em Adam Smith um de seus principais fundadores. II - A sistematização das análises econômicas no livro História da riqueza das nações contribuiu para a definição da economia como ciência. III - No trecho acima, Adam Smith denunciou os males do individualismo e do egoísmo econômico. IV - A "mão invisível" citada por Adam Smith é uma metáfora que pode ser substituída pela definição liberal de mercado.   Assinale a alternativa correta.
  28. 28. FCMMG 2005
    A era do capitalismo liberal (1850/1914) ofereceu à classe operária a possibilidade de melhorar sua capacidade de reivindicação e barganha através da organização coletiva. Porém aqueles que eram identificados simplesmente como “pobres” não podiam esperar muito dos sindicatos e menos ainda das Sociedades de Ajuda Mútua.   A afirmação acima deve ser entendida como:
  29. 29. UFSM 2000
    Na Europa, na primeira metade do século XIX, o triunfo do capitalismo industrial acompanhava os avanços do liberalismo clássico. É(São) característica(s) desse período:   I. A tentativa de Restauração feita por Carlos X, em 1830, na França, une povo e a burguesia num movimento revolucionário que vai culminar com a ascensão de Luís Filipe de Orleans.   II. Os liberais italianos do norte, originários de Parma e Módena, inspirados na revolução liberal francesa, uniram liberalismo e nacionalismo e se empenharam em pôr fim à dominação estrangeira e unificar a Itália.   III. Na Inglaterra, a ação dos liberais se expressou no Movimento Cartista, organizado pela burguesia, que pregava a reforma eleitoral.   IV. O modelo de liberalismo adotado pelos estados alemães foi a Zollverein, que consistia numa unificação econômica e social dos estados, promovida pelo governo e burguesia. Está(ão) correta(s)
  30. 30. UFU 2000
    Leia com atenção o fragmento que se segue, extraído de um dos maiores clássicos do pensamento político moderno: "A diminuição do amor à pátria, a ação do interesse particular, a imensidão dos Estados, as conquistas, os abusos do Governo fizeram com que se imaginasse o recurso dos deputados ou representantes do povo nas assembleias da nação. É o que em certos países ousam chamar de Terceiro Estado. Desse modo, o interesse particular das duas ordens é colocado em primeiro e segundo lugares, ficando o interesse público em terceiro." O autor dessas palavras foi
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login