Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

Exercícios de Independência da América Espanhola

Voltar para exercícios de História

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Independência da América Espanhola dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 31. PUC-RS 1999
    Ao longo do século XIX, após o processo das independências políticas, os países latino-americanos assumem novas funções na economia mundial, as quais se articulam, externa e internamente, a partir de um novo "Pacto Colonial" com os países centrais. A estruturação interna desse novo "Pacto Colonial", de modo geral NÃO apresentava como característica:
  2. 32. UFMG 2001
    Considerando-se a formação dos Estados nacionais na América Latina, é possível observar que
  3. 33. UFMG 1998
    Sobre o processo de independência da América Espanhola, é possível observar que:
  4. 34. ENEM 2009
    A formação dos Estados foi certamente distinta na Europa, na América Latina, na África e na Ásia. Os Estados atuais, em especial na América Latina — onde as instituições das populações locais existentes à época da conquista ou foram eliminadas, como no caso do México e do Peru, ou eram frágeis, como no caso do Brasil —, são o resultado, em geral, da evolução do transplante de instituições europeias feito pelas metrópoles para suas colônias. Na África, as colônias tiveram fronteiras arbitrariamente traçadas, separando etnias, idiomas e tradições, que, mais tarde, sobreviveram ao processo de descolonização, dando razão para conflitos que, muitas vezes, têm sua verdadeira origem em disputas pela exploração de recursos naturais. Na Ásia, a colonização europeia se fez de forma mais indireta e encontrou sistemas políticos e administrativos mais sofisticados, aos quais se superpôs. Hoje, aquelas formas anteriores de organização, ou pelo menos seu espírito, sobrevivem nas organizações políticas do Estado asiático. GUIMARÃES, S. P. Nação, nacionalismo, Estado. Estudos Avançados. São Paulo: EdUSP, v. 22, n.º 62, jan.- abr. 2008 (adaptado). Relacionando as informações ao contexto histórico e geográfico por elas evocado, assinale a opção correta acerca do processo de formação socioeconômica dos continentes mencionados no texto.
  5. 35. UNEMAT 2009
    Nas primeiras três décadas do século XIX, a independência da maior parte das ex-colônias espanholas estava consolidada.   Sobre este processo é correto afirmar .
  6. 36. UNCISAL 2016
    Muitos são os fatores que tornam a Revolução do Haiti um acontecimento único; a ex-colônia francesa foi uma das primeiras a realizar a independência diante da metrópole, utilizando-se, inclusive, das ideias de libertação da própria França, sua colonizadora, além disso, a Revolução foi levada a cabo por escravos, quando que na maior parte das colônias europeias na América Latina o processo de independência fora encabeçado por membros de uma elite crioula e, embora tenha havido participação popular, esta foi muito diminuta.  SOARES, Ana Loryn; SILVA, Elton Batista da. A revolução do Haiti: um estudo de caso (1791-1804). Ameríndia, v.1, 2006, p.4. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2015.    A luta pela conquista da independência política do Haiti se tornou singular, pois Liberdade, para eles, implicava
  7. 37. FAMERP 2016
    O fato das colônias inglesas, espanholas e portuguesas conquistarem sua independência depois de mais de três séculos de dominação colonial em movimentos sucessivos, a partir da segunda metade do século XVIII e durante a primeira metade do século XIX, sugere a existência de determinações gerais que transcendem os quadros nacionais. (Emília Viotti da Costa. Da Monarquia à República, 1985.) As correspondências temporais entre os movimentos de independência das colônias americanas podem ser explicadas
  8. 38. UFLA 2013
    Do final do século XVIII ao final do século XIX, o continente americano passou por grandes transformações, dentre as quais se destacam as independências dos Estados Unidos, dos países da América Espanhola e do Brasil. Enumere a Coluna II de acordo com a Coluna I e, a seguir, marque a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.   COLUNA I ( 1 ) Independência dos Estados Unidos ( 2 ) Independência da América Espanhola ( 3 ) Independência do Brasil   COLUNA II ( ) Revolução do Porto ( ) Caudilhismo ( ) Leis Intoleráveis ( ) Congresso do Panamá ( ) Dia do Fico ( ) Massacre de Boston
  9. 39. FCMS-JF 2015
    A partir da comparação entre a independência na América portuguesa e a independência na América espanhola, no século XIX, e suas consequências, é correto afirmar que:
  10. 40. UFPR 2009
    Vários movimentos contrários à opressão colonial ocorreram nas Américas, sobretudo no século XIX, visando à independência em relação às metrópoles. Sobre esses movimentos, é correto afirmar:
  11. 41. UPE 2016
    O XIX foi o século de efervescência nacionalista na Europa, marcado pela implantação das instituições da Revolução Francesa e pelo desenvolvimento das forças produtivas via Revolução Industrial inglesa. A ruptura com o processo colonial no Novo Mundo se deriva dessas revoluções europeias. Surge uma coleção de nações com variados processos genéticos e padrões de construção diferenciados. LESSA, Carlos. Nação e Nacionalismo a partir da experiência brasileira. São Paulo: Estudos Avançados. 22 (62), 2008. (Adaptado)   Os primeiros processos de emancipação política, no contexto descrito, que causaram grande impacto na América Latina e influenciaram fortemente os demais territórios ocorreram, respectivamente,
  12. 42. UNIMONTES 2014
    Marque C para as afirmativas corretas ou I para as incorretas, em relação ao tema abaixo. Ao longo da primeira metade do século XIX, a conjuntura política, econômica e social das ex-colônias espanholas permite afirmar: ( ) O vigor dos mercados internos e o avançado processo de industrialização, nos quais os países recémindependentes se encontravam, garantiu a autonomia deles, tornando desnecessários os empréstimos estrangeiros. ( ) Os caudilhos eram chefes locais capazes de mobilizar e manter sob seu comando verdadeiros exércitos, quando as elites disputavam o poder. ( ) Os povos indígenas, de modo geral, e seus descendentes, compuseram maciçamente os exércitos locais de libertação e participaram dos governos nacionais constituídos. ( ) Os processos de independência na América Latina enfrentaram, além da oposição metropolitana, a oposição inglesa, temerosa de perder os mercados locais. A sequência CORRETA é:
  13. 43. UNIMONTES 2010
    “Cruel despotismo, hórridos séculos, tenebrosa noite, vão embora. Saibam, [...] sábios desprezados, o mundo inteiro, que o mal não existe mais, e demos o primeiro passo rumo ao vosso almejado fim [...] (MELGAR, Mariano. 1790-1815.) O poeta e escritor Mariano Melgar, membro da rebelião emancipadora de Pumacahua, foi preso pelos realistas, julgado, condenado e executado, aos 24 anos de idade, em 1815. Nove anos depois, seus versos ganhariam concretude com a independência do Peru, conduzida por San Martin, em lutas intensas, combatendo, principalmente: 
  14. 44. UNICENTRO 2016
    Se a economia do mundo do século XIX foi constituída principalmente sob a influência da Revolução Industrial britânica, sua política e sua ideologia foram constituídas fundamentalmente pela Revolução Francesa. A Grã-Bretanha forneceu o modelo para ferrovias e fábricas, o explosivo econômico que rompeu com as estruturas socioeconômicas tradicionais do mundo não europeu. No entanto, foi a França que fez suas revoluções e a elas deu suas ideias, a ponto de bandeiras tricolores terem se tornado o emblema de praticamente todas as nações emergentes, e as políticas europeias (ou mesmo mundiais), entre 1789 e 1917, foram em grande parte lutas a favor e contra os princípios de 1789, ou os ainda mais incendiários de 1793. A França forneceu o vocabulário e os temas da política liberal e radical-democrática para a maior parte do mundo. A França deu o primeiro grande exemplo, o conceito e o vocabulário do nacionalismo. (Adaptado de: HOBSBAWM, E. J. A Revolução Francesa. Trad. de Maria Tereza Lopes Teixeira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996. p.9 (Coleção Leitura).)   Sobre as influências da Revolução Francesa na América Latina, atribua V (verdadeiro) ou F (falso) às afirmativas a seguir.   ( ) Na Bahia, em 1798, um movimento social denominado “Revolta dos Alfaiates”, que tinha como objetivo o rompimento dos laços coloniais com Portugal, foi inspirado nos ideais de liberdade vindos da Europa, decorrentes da Revolução Francesa. ( ) A França forneceu o vocabulário e os temas da política socialista para a maior parte da América Latina; deu o primeiro grande exemplo, o conceito e o vocabulário que influenciaram os movimentos reivindicatórios indígenas do século XIX. ( ) A grande repercussão dos ideais da Revolução Francesa na América Latina contribuiu significativamente para o desencadeamento dos movimentos emancipatórios após 1808. ( ) As ideias produzidas no movimento francês permanecem, até hoje, nos textos das constituições dos países democráticos latino-americanos, inclusive no texto da Constituição brasileira. ( ) Sob a influência da Revolução Francesa, deflagrou-se, no século XIX, a Guerra de Canudos, um confronto entre o exército brasileiro e o movimento popular de fundo sociorreligioso, que se armara para depor o governo republicano e reinstalar a monarquia no Brasil.   Assinale a alternativa que contém, de cima para baixo, a sequência correta.
  15. 45. UFJF 2010
    Abaixo se encontram descritas diferentes características dos processos de independência da América Latina e da América do Norte. Sobre esse contexto, leia as alternativas abaixo. I- Nos Estados Unidos, como ideias, ciência imediata de seu processo de independência, ocorreu a abolição da escravatura. II - Em toda a América Espanhola ocorreu uma aliança entre as elites locais e os setores populares contra os interesses metropolitanos sem, contudo, produzir mudanças nas formas de governo. III - Na América Portuguesa, a transferência da Corte para Rio de Janeiro, bem como a abertura dos portos às nações amigas constituiu-se em importante fator para a crise do sistema colonial. IV - O processo de independência no Haiti caracterizou-se por uma rebelião escrava, constituindo-se em um singular modelo de luta anticolonial. Marque a opção CORRETA.
  16. 46. UFMG
    Leia este trecho: ... não somos índios nem europeus, mas uma espécie intermediária entre os legítimos proprietários do continente e os usurpadores espanhóis: em suma, sendo americanos por nascimento e nossos direitos os da Europa, temos de disputar estes aos do país e mantermo-nos nele contra a invasão dos invasores – encontramo-nos, assim, na situação mais extraordinária e complicada. BOLÍVAR, Simón. Carta de Jamaica, 1815. Ao escrever esse texto, o autor refere-se à situação ambígua dos  
  17. 47. UEG 2005
    Fosse pela superioridade da tecnologia militar, a imposição do catolicismo como religião oficial aos povos indígenas americanos ou a desarticulação de sua base alimentar, a conquista da América pela Coroa espanhola tinha como objetivo, primordialmente, a exploração das minas de metais preciosos através da submissão das populações locais. Essa dominação durou até o início do século XIX, quando o processo de independência da América Latina fez brotar uma série de repúblicas dominadas pelo caudilhismo e pela dependência econômica europeia. A partir das questões acima levantadas é CORRETO afirmar:   I. O processo de colonização da América está inserido no quadro da economia mercantilista que tinha como primado a balança comercial favorável, o metalismo e o protecionismo econômico. II. A procura de novas rotas comerciais para o Oriente, o avanço tecnológico, a concorrência comercial entre os reinos ibéricos, a qual resultou nas grandes descobertas marítimas, estão na origem do processo de colonização da América. III. No processo de independência da América Latina, foi decisiva a ação, contra a metrópole, da elite criolla, representada pelas figuras de Simon Bolívar e San Martín. IV. No decorrer do seu processo de independência, a América Latina formou uma confederação entre os vice reinados, ensejando a criação de um sentimento de unidade política que conduziu o movimento emancipador sob os auspícios da Inglaterra.   Marque a alternativa CORRETA:
  18. 48. UNICENTRO 2005
    Sobre a crise do Antigo Sistema Colonial Espanhol e o processo de emancipação da América do Sul, é correto afirmar:
  19. 49. PUC-SP 2016
    “Em 1822, a América espanhola, de independência conquistada em oposição a uma metrópole e suas Cortes em muitos aspectos tidas por opressoras, agora plenamente reconhecida por uma potência de primeira grandeza como eram os Estados Unidos, ofereceria um modelo para a independência do Brasil.” João Paulo Pimenta. A independência do Brasil e a experiência hispano-americana (1808-1822). São Paulo: Hucitec, 2015, p. 448.     O caráter exemplar que a independência da América espanhola representou, segundo o texto, para aqueles que lutavam pela independência do Brasil pode ser identificado, por exemplo, na
  20. 50. UNEMAT 2014
    A Revolução Francesa foi, de fato, um conjunto de acontecimentos suficientemente poderoso e universal em seu impacto para ter transformado o mundo permanentemente [...] Metade dos sistemas legais do mundo está baseado na codificação legal que a Revolução implantou [...] A Revolução Francesa deu aos povos a noção de que a história pode ser mudada por sua ação. Deu-lhes também o que até hoje permanece como a mais poderosa divisa jamais formulada para política da democracia e das pessoas comuns que ela inaugurou: “liberdade, igualdade, fraternidade” (HOBSBAWM, Eric. Ecos da Marselhesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 124-125).   Qual país latino-americano teve sua independência influenciada pela Revolução Francesa?
  21. 51. MACKENZIE 2015
    “A especificidade do Brasil, que se manteve como única monarquia em meio às repúblicas criadas pela independência nas Américas, indica as trajetórias diversas seguidas pelas colônias em sua transição para Estados independentes. Elas indubitavelmente compartilham de algumas características comuns importantes que as vinculam em um processo que varreu o mundo atlântico (...)”   Assinale a alternativa que NÃO contém uma das “características comuns” citadas no texto.
  22. 52. MILTON CAMPOS 2012
    Observe a afirmação abaixo, proferida por Simón Bolívar quando da vitória sobre as forças metropolitanas.   “Moral e luzes são nossas primeiras necessidades.”   Considerando-se a afirmação acima e o contexto das guerras de independência da América espanhola, pode-se afirmar:
  23. 53. UNB 2013
    Com relação à economia brasileira entre 1822 e 1889 e aos processos de independência nas Américas portuguesa e hispânica, assinale a opção correta.
  24. 54. ENEM PPL 2009
    A liderança política do processo de independência das colônias foi decisiva para os rumos que as novas nações tomaram, pois as elites evitaram que as reivindicações mais radicais fossem atendidas, marginalizando, assim, política e socialmente, a maioria. A ruptura dos laços coloniais não significou o surgimento de uma sociedade democrática e autônoma.   A respeito da formação do Estado Nacional na América Latina, é correto associar ao texto acima
  25. 55. UEL 2010
    Sobre a América Latina Colonial, considere as afirmativas: I. A organização do trabalho colonial na América Espanhola baseou-se na exploração da mão de obra indígena, em formas variadas de servidão (como a encomienda e a mita), e no uso, em algumas regiões, do trabalho escravo africano. II. Na organização social das colônias espanholas na América, os brancos nascidos na América constituíram os criollos, grupo que concentrou a propriedade de terra e que tinha acesso restrito às mais altas funções dirigentes nos sistemas administrativo, judiciário e militar, privativos dos brancos nascidos na Espanha. III. No processo de independência das colônias espanholas na América, prevaleceu a proposta de Simon Bolívar (Bolivarismo), na qual os interesses particulares das novas nações eram mais importantes que uma unificação artificial baseada no passado comum da colonização ibérica. IV. Na colônia francesa do Haiti, a aliança entre os escravos e a elite branca local, a favor da independência, foi vitoriosa contra o Estado francês, o que permitiu a dominação da minoria branca na ilha, depois da emancipação política. Assinale a alternativa correta.
  26. 56. UNICENTRO 2007
    Haveis lido as notícias de Boston? Parece soar o toque de alarma na América. Imagino o futuro desse país e creio que uma vintena de impérios e repúblicas se formam naquele continente, que se torna demasiado poderoso para permanecer sujeito às nações semi-esgotadas da Europa. (Aquino, 1990, p. 116).   A análise do texto e os conhecimentos sobre o assunto permitem afirmar: I. O texto se refere à crise do sistema colonial na América de colonização ibérica, anglo-saxônica e francesa. II. O autor incentiva as nações colonialistas europeias a resistirem contra as rebeliões anticoloniais da América. III. O clima de inquietação denunciado pelo autor resulta, entre outros fatores, da penetração do pensamento iluminista nas áreas coloniais. IV. O autor se equivocou na previsão sobre o fracionamento político e territorial do continente americano, após os movimentos de independência. V. O arrocho colonial de Portugal sobre o Brasil impedia a penetração de ideias de rebeldia contra a Metrópole.
  27. 57. PUC-CAMPINAS 2016
    República ou monarquia? Esse dilema esteve presente em todo o processo de Independência do Brasil. Mas a monarquia acabou sendo o sistema adotado em terras brasileiras, ao contrário do que ocorreu em outras nações americanas, pois, para essas novas nações surgidas na América espanhola, a república
  28. 58. PUC-SP 2015
    O caudilhismo foi um fenômeno político presente em parte da América Hispânica, no decorrer do século XIX. É possível relacioná-lo com
  29. 59. UNESP 2012
    O caudilhismo é um fenômeno político hispano-americano do século XIX, que se associa
  30. 60. UEFS 2015
    O programa de Morelos (México, 1813) Que a América seja independente da Espanha e de toda outra Nação, Governo ou Monarquia. Que a Religião Católica seja a única, sem tolerância de outra. Que a soberania emane imediatamente do Povo, que só admite depositá-la em seus representantes, dividindo-se os poderes em Legislativo, Executivo e Judiciário [...] Que as leis gerais compreendam a todos, sem exceção de corpos privilegiados. Que a escravidão seja proscrita para sempre, e o mesmo para a distinção de castas, ficando todos iguais. VAINFAS, 2010, p. 63.   A análise do texto e os conhecimentos sobre a independência das colônias espanholas da América permitem estabelecer como uma das diferenças entre a proposta do México e o que foi firmado no Brasil
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login