Exercícios de Movimentos Emancipacionistas

Voltar para exercícios de História

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Movimentos Emancipacionistas dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 1. UFPI 2007
    Acerca da Inconfidência Mineira (1789), é correto afirmar que:
  2. 2. UEPB 2014
    Tanto na Conjuração Mineira, quanto na Baiana, com graus e níveis diferenciados de envolvimento dos grupos mais pobres da população, estão presentes os seguintes aspectos do pensamento iluminista. (João A. de Freitas Neto e Célio Ricardo Tasinafo. História Geral e do Brasil. SP. Editora Habra). Assinale a alternativa que aponta aspectos desta influência iluminista:
  3. 3. Espcex (Aman) 2013
    No Brasil colônia, particularmente no séc. XVIII, ocorreram dois movimentos revolucionários que ficaram conhecidos como Inconfidência Mineira (1789) e Conjuração Baiana (1798). Quais características são comuns entre eles?
  4. 4. ENEM 2010
    (2ª aplicação ENEM - 2010) O alfaiate pardo João de Deus, que, na altura em que foi preso, não tinha mais do que 80 réis e oito filhos, declarava que "Todos os brasileiros se fizesse franceses, para viverem em igualdade e abundância". MAXWELL, K. Condicionalismos da independência do Brasil. SILVA, M. N. (Org.). O império luso-brasileiro, 1750-1822. Lisboa: Estampa, 1986. O texto faz referência à Conjuração Baiana. No contexto da crise do sistema colonial, esse movimento se diferenciou dos demais movimentos libertários ocorridos no Brasil por
  5. 5. UFMG 2008
    Leia este trecho, que contém uma fala atribuída a Joaquim José da Silva Xavier "... se por acaso estes países chegassem a ser independentes, fazendo as suas negociações sobre a pedraria pelos seus legítimos valores, e não sendo obrigados a vender escondido pelo preço que lhe dessem, como presentemente sucedia pelo caminho dos contrabandos, em que cada um vai vendendo por qualquer lucro que acha, e só os estrangeiros lhe tiram a verdadeira utilidade, por fazerem a sua negociação livre, e levado o ouro ao seu legítimo valor, ainda ficava muito na Capitania, e escusavam os povos de viver em tanta miséria."  (Autos de Devassa da Inconfidência Mineira. 2. ed. Brasília: Câmara dos Deputados; Belo Horizonte: Imprensa Oficial de Minas Gerais, 1980. v. 5, p. 117.) A partir dessa leitura e considerando-se outros conhecimentos sobre o assunto, é CORRETO afirmar que os Inconfidentes Mineiros de 1789
  6. 6. UECE 2008
    Sobre a Inconfidência Mineira (1789), são feitas as seguintes afirmações: I. Estava entre os objetivos de boa parte dos conspiradores de Vila Rica, a constituição de um regime republicano no Brasil. II. Havia, também, por parte dos inconfidentes, a preocupação com o desenvolvimento de produtos manufaturados ou, em outras palavras, objetivavam a diminuição da dependência de artigos importados. III. A nova capital seria transferida para Belo Horizonte, por encontrar-se localizada numa área mais favorável para a expansão da lavoura e da pecuária. Assinale o correto.
  7. 7. ENEM 2016
    O que ocorreu na Bahia de 1798, ao contrário das outras situações de contestação política na América portuguesa, é que o projeto que lhe era subjacente não tocou somente na condição, ou no instrumento, da integração subordinada das colônias no império luso. Dessa feita, ao contrário do que se deu nas Minas Gerais (1789), a sedição avançou sobre a sua decorrência. JANCSÓ, I.; PIMENTA, J. P. Peças de um mosaico. In: MOTA, C. G. (Org.) Viagem incompleta: a experiência brasileira (1500-2000). São Paulo: Senac, 2000. A diferença entre as sedições abordadas no texto encontrava-se na pretensão de
  8. 8. UFMG 2007
    Leia este trecho de documento: "Pernambucanos [...] o povo está contente, já não há distinção entre Brasileiros, e europeus, todos se conhecem irmãos, descendentes da mesma origem [...] Um governo provisório iluminado escolhido entre todas as ordens do Estado, preside a vossa felicidade [...] Vós vereis consolidar-se a vossa fortuna, vós sereis livres do peso de enormes tributos, que gravam sobre vós; o vosso, e nosso País [= Pernambuco] subirá ao ponto de grandeza, que há muito o espera, e vós colhereis o fruto dos trabalhos e do zelo dos vossos Cidadãos. Ajudai-os com [...] a vossa aplicação à agricultura, uma nação rica é uma nação poderosa. A Pátria é a nossa mãe comum, vós sois seus filhos, sois descendentes dos valorosos Lusos, sois Portugueses, sois Americanos, sois Brasileiros, sois Pernambucanos."  Proclamação do Governo Provisório Revolucionário de Pernambuco, em 9 de março de 1817. Considerando-se os princípios que fundamentam a Revolução Pernambucana de 1817, e INCORRETO afirmar que seus participantes
  9. 9. ENEM 2017
    O instituto popular, de acordo com o exame da razão, fez da figura do alferes Xavier o principal dos Inconfidentes, e colocou os seus parceiros a meia ração de glória. Merecem, decerto, a nossa estima aqueles outros; eram patriotas. Mas o que se ofereceu a carregar com os pecadores de Israel, o que chorou de alegria quando viu comutada a pena de morte dos seus companheiros, pena que só ia ser executada nele, o enforcado, o esquartejado, o decapitado, esse tem de receber o prêmio na proporção do martírio, e ganhar por todos, visto que pagou por todos. ASSIS, M. Gazeta de Notícias, n. 114, 24 abr. 1892. No processo de transição para a República, a narrativa machadiana sobre a Inconfidência Mineira associa
  10. 10. FUVEST 2010
    "Eis que uma revolução, proclamando um governo absolutamente independente da sujeição a corte do Rio de Janeiro, rebentou em Pernambuco, em março de 1817. É um assunto para o nosso ânimo tão pouco simpático que, se nos fora permitido [colocar] sobre ele um véu, o deixaríamos fora do quadro que nos propusemos tratar." F. A. Varnhagen. História geral do Brasil, 1854. O texto trata da Revolução pernambucana de 1817. Com relação a esse acontecimento é possível afirmar que os insurgentes
  11. 11. ENEM 2011
    No clima das ideias que se seguiram à revolta de São Domingos, o descobrimento de planos para um levante armado dos artífices mulatos na Bahia, no ano de 1798, teve impacto muito especial; esses planos demonstravam aquilo que os brancos conscientes tinham já começado a compreender: as ideias de igualdade social estavam a propagar-se numa sociedade em que só um terço da população era de brancos e iriam inevitavelmente ser interpretados em termos raciais. MAXWELL. K. Condicionalismos da Independência do Brasil. In: SILVA, M.N. (coord.) O Império luso-brasileiro, 1750-1822. Lisboa: Estampa, 1986. O temor do radicalismo da luta negra no Haiti e das propostas das lideranças populares da Conjuração Baiana (1798) levaram setores da elite colonial brasileira a novas posturas diante das reivindicações populares. No período da Independência, parte da elite participou ativamente do processo, no intuito de
  12. 12. UFPR 2008
    "Herói desequilibrado, paladino da liberdade, falastrão, corajoso, imprudente, bode expiatório, patrono da República [...]. Os olhares sobre Tiradentes são tão variados quanto os olhares sobre a Inconfidência Mineira, em particular, e sobre o próprio passado do Brasil." (Dossiê Tiradentes na Berlinda. In: Revista de História da Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, Ano 2, nº. 19, abr. 2007, p. 17.) Com base no texto e nos conhecimentos sobre o episódio da Inconfidência Mineira, considere as afirmativas a seguir 1. A Inconfidência Mineira teve a sua influência teórica limitada ao ideário iluminista preconizado pela Revolução Francesa, apesar da diversidade social verificada entre os conspiradores. 2. A conversão de Tiradentes em herói nacional foi amplamente utilizada pelos setores à esquerda e a direita do quadro político brasileiro, o que aponta para a discussão sobre o papel social da construção e da apropriação dos mitos. 3. Ao examinar o período colonial brasileiro, vale lembrar que, além da Inconfidência Mineira de 1789, Minas Gerais foi palco de vários outros motins e conspirações. 4. O desfecho desfavorável aos inconfidentes pode ser atribuído a dois fatores centrais: a desistência da cobrança da derrama pelo governo português e a delação da conspiração as autoridades da época. Assinale a alternativa correta.
  13. 13. UNICENTRO 2012
    O movimento denominado Conjuração Baiana, ocorrido em 1798, teve como principal característica a
  14. 14. UFJF 2011
    Leia o texto, abaixo, sobre um importante movimento, no século XVIII. Cada soldado é cidadão, sobretudo os homens pardos e pretos, que vivem escorraçados e abandonados. Todos serão iguais, não haverá diferença; só haverá liberdade, igualdade e fraternidade. Manifesto afixado nas paredes das igrejas de Salvador, em agosto de 1798. Esse texto refere-se à
  15. 15. PUC-CAMPINAS 2017
    Os enciclopedistas constituíram uma pequena elite de letrados e de técnicos, ligados à vida material como elementos de ponta do progresso econômico e também estreitamente vinculados ao aparato estatal, o qual se esforçaram por tornar melhor e mais racional. (...) Por toda a parte na Europa das Luzes, encontramos esta pretensão e esta vontade [dos filósofos] de pôr-se à testa e na direção da sociedade. (VENTURI, Franco. Utopia e reforma no Iluminismo. Bauru: Edusc, 2003, p. 44, 239-240) Um grande número de jovens da elite colonial brasileira frequentou a Faculdade de Direito de Coimbra, em Portugal. Essa elite, influenciada pelos ideais da pequena elite a que o texto de Franco Venturini se refere, contribuiu para a
  16. 16. UNESP 2017
    A Inconfidência Mineira (1789) e a Conjuração Baiana (1798) tiveram semelhanças e diferenças significativas. É correto afirmar que
  17. 17. UNIPAM 2011
    “Entre os séculos 17 e 18, podemos observar que algumas revoltas foram fruto da incompatibilidade de interesses existentes entre os colonos e os portugueses. Algumas vezes, a situação de conflito não motivou uma ruptura radical com a ordem vigente, mas apenas a manifestação por simples reformas que se adequassem melhor aos interesses locais.” (FIGUEIREDO, Luciano. Rebeliões no Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005). Todas as rebeliões apresentadas abaixo correspondem a episódios localizados e limitados a contestar aspectos específicos da colonização. Assinale a alternativa que contém o único movimento que colocou em xeque o sistema colonial português.
  18. 18. UNICENTRO 2013
    No Brasil do século XVIII, ocorreram movimentos de insatisfação contra a metrópole portuguesa inspirados por ideais revolucionários franceses. Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, a denominação de um desses movimentos.
  19. 19. ENEM PPL 2010
    O alfaiate pardo João de Deus, que, na altura em que foi preso, não tinha mais do que 80 réis e 8 filhos, declarava que "Todos os brasileiros se fizessem franceses, para viverem em igualdade e abundância”.   O texto faz referência à Conjuração Baiana. No contexto da crise do sistema colonial, esse movimento se diferenciou dos demais movimentos libertários ocorridos no Brasil por
  20. 20. UECE 1996
    Sobre as influências filosóficas e ideológicas da Inconfidência Mineira (1789), é correto afirmar que:
  21. 21. UNICENTRO 2007
    Em relação aos pontos comuns nos projetos das Conjurações Mineira, de 1789 e Baiana, de 1798, marque V nas afirmativas verdadeiras e F, nas falsas. ( ) Ambas pretendiam a separação política do domínio português. ( ) Visavam libertar o comércio e a produção do controle da Metrópole. ( ) A abolição da escravatura era uma prioridade. ( ) Um dos pontos mais importantes nos dois projetos era a instalação de universidades em todas as províncias. A alternativa que indica a seqüência correta, de cima para baixo, é a
  22. 22. UNIFENAS 2017
    Em março de 1817, um grupo de revolucionários assumiu o poder na província, declarando-a uma república separada do Brasil. Foi o conflito interno mais grave ocorrido durante a permanência da Família Real portuguesa no Brasil. O movimento tinha forte inspiração republicana e separatista. Três meses depois tropas portuguesas reprimiram o movimento e os principais líderes foram fuzilados. (Eduardo Bueno, Brasil Uma História, Leya, SP, 2012, p. 157). Assinale a alternativa que indica o nome do movimento ao qual o texto faz referência. 
  23. 23. UNICENTRO 2013
    A crise do sistema colonial foi marcada pelo descompasso entre práticas econômicas portuguesas e as mudanças que ocorriam na Europa e na América do Norte. Na colônia portuguesa, essa crise provocou uma série de rebeliões e revoltas, marcadamente influenciadas pelo iluminismo, pela independência dos EUA, e pela Revolução Francesa, como a Inconfidência Mineira (1789) e a Conjuração Baiana (1798). Sobre esses eventos, assinale a alternativa correta.
  24. 24. UNIMONTES 2012
    Marque com C (correta) ou com I (incorreta) cada uma das afirmativas acerca das rebeliões ocorridas no Brasil, no período colonial. ( ) A Revolta de Beckman, no Maranhão, pode ser considerada a primeira rebelião de cunho social, pois, com o apoio dos jesuítas, uniu brancos, índios e escravos negros contra a dominação lusitana. ( ) A Guerra dos Emboabas (1707-1709), em Minas Gerais, foi precursora dos ideais da Inconfidência Mineira, pois sua liderança tentava unir mineradores paulistas e portugueses na luta contra a expoliação aurífera pela metrópole. ( ) A Inconfidência Mineira (1789) teve maior conotação anticolonial do que social; foi um movimento de reação de colonos contra a opressão metropolitana, e seu objetivo era a contenção da cobrança de impostos. ( ) A Guerra dos Mascates (1710-1712), ocorrida em Pernambuco, não pode ser entendida como uma revolta contra o jugo colonial, pois foi motivada pela disputa de poder entre os comerciantes recifenses e os senhores de engenho de Olinda. Assinale a alternativa que contém a sequência CORRETA.
  25. 25. UNIMONTES 2011
    Em 1808, chega ao Rio de Janeiro a família real portuguesa, iniciando-se um processo de mudanças que vai culminar com a separação do Brasil do domínio português. O chamado “período Joanino” (1808-1821) assinala uma série de eventos que contribuíram para a superação da dominação colonial metropolitana. Apesar das mudanças promovidas, D. João VI também enfrentou movimentos de contestação a suas políticas. Pode ser considerada uma reação, ocorrida no Brasil, à política joanina:
  26. 26. Espcex (Aman) 2016
    No fim do Século XVIII, era grande a insatisfação com a carestia e a opressão colonial. A isso se somava a simpatia que muitas pessoas demonstravam em relação às lutas pela emancipação do Haiti (1791-1804) e à Revolução Francesa (1789). Para difundir esta ideia fundou-se a loja maçônica Cavaleiros da Luz.   Em agosto de 1798, alguns conspiradores afixaram em muros e postes da cidade manifestos exortando a população à revolução. Os panfletos pregavam a proclamação da República, a abolição da escravidão, melhores soldos para os militares, promoção de oficiais, liberdade de comércio, etc.   Denunciado por um traidor, o movimento foi esfacelado. Alguns participantes foram presos, outros fugiram e quatro foram condenados à morte: Luís Gonzaga das Virgens, Lucas Dantas de Amorim Torres, João de Deus do Nascimento e Manuel Faustino dos Santos. (adaptado de ARRUDA & PILETTI, p.351)   O texto acima descreve, em parte, a
  27. 27. UFLA 2012
    Para os movimentos que se inserem no contexto da crise do sistema colonial brasileiro, utiliza-se a seguinte classificação: movimentos nativistas e movimentos emancipacionistas. Assinale a alternativa que NÃO apresenta um movimento nativista.
  28. 28. PUC-CAMPINAS 2016
    Considere o texto e o manifesto abaixo.   Também no Brasil o século XVIII é momento da maior importância, fase de transição e preparação para a Independência. Demarcada, povoada, defendida, dilatada a terra, o século vai lhe dar prosperidade econômica, organização política e administrativa, ambiente para a vida cultural, terreno fecundo para a semente da liberdade. (...) A literatura produzida nos fins do século XVIII reflete, de modo geral, esse espírito, podendo-se apontar a obra de Tomás Antônio Gonzaga como a sua expressão máxima. (COUTINHO, Afrânio. Introdução à Literatura no Brasil. Rio de Janeiro: EDLE, 1972, 7. Ed. p. 127 e p. 138)   Manifesto dos Baianos, agosto de 1798 (...) considerando os muitos e repetidos latrocínios feitos com os títulos de imposturas, tributos e direitos que são cobrados por ordem da Rainha de Lisboa (...) e no que respeita à inutilidade da escravidão do mesmo Povo tão sagrado e digno de ser livre, com respeito à liberdade e qualidade ordena, manda e quer que para o futuro seja feita nesta cidade e seu termo a sua revolução para que seja exterminado para sempre o péssimo jugo da Europa. (In: KOSHIBA, Luiz e PEREIRA, Denise M. F. História do Brasil, no contexto da história ocidental. São Paulo: Atual, 2003, p.157)   Com base no manifesto pode-se afirmar que, para os conjurados baianos,
  29. 29. UFMG 2008
    “... se por acaso estes países chegassem a ser independentes, fazendo as suas negociações sobre a pedraria pelos seus legítimos valores, e não sendo obrigados a vender escondido pelo preço que lhe dessem, como presentemente sucedia pelo caminho dos contrabandos, em que cada um vai vendendo por qualquer lucro que acha, e só os estrangeiros lhe tiram a verdadeira utilidade, por fazerem a sua negociação livre, e levado o ouro ao seu legítimo valor, ainda ficava muito na Capitania, e escusavam os povos de viver em tanta miséria.”  Autos de Devassa da Inconfidência Mineira. 2. ed. Brasília: Câmara dos Deputados; Belo Horizonte: Imprensa Oficial de Minas Gerais, 1980. v. 5, p. 117.   A partir da leitura do texto, que contém uma fala atribuída a Joaquim José da Silva Xavier, é possível inferir que os Inconfidentes Mineiros de 1789
  30. 30. UNCISAL 2016
    Entre os diversos movimentos políticos e intelectuais que marcaram a crise do sistema colonial no Brasil, esse apresenta algumas características especiais. Diferentemente de outros movimentos – idealizados por advogados, magistrados, militares, padres e ricos contratantes –, teve na liderança representantes das camadas populares do Brasil colonial: brancos, pobres, mulatos, negros livres, escravos. O movimento foi pautado por preocupações sociais e raciais de igualdade de raça e cor, fim da escravidão e abolição de todos os privilégios sociais e econômicos. Foi a nossa mais importante revolta anticolonial. Não lutava apenas para que o Brasil se separasse de Portugal; advogava também a modificação interna da sociedade, que era preconceituosa, baseada nos privilégios dos grandes proprietários e na exploração do trabalho escravo. COSTA, L. C. A.; MELLO, L. I. A. História do Brasil. São Paulo: Scipione, 1999 (adaptado).   O movimento político descrito no texto se refere à
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login