Exercícios de República das Oligarquias

Voltar para exercícios de História

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de República das Oligarquias dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 12000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 1. PUC-RS 2008
    Em 1894, no Brasil, a transferência do poder dos militares para os civis marcou o nascimento da República Oligárquica. As principais características políticas dessa República (1894-1930) são: - a política __________, com alternância de mineiros e paulistas no poder federal; - o voto __________, característico do poder dos oligarcas; - o grande poder exercido pelas oligarquias rurais, conhecido como __________.
  2. 2. FATEC 2012
    Entre as principais características do modelo político adotado no Brasil durante a República Velha (1889-1930), destacaram-se
  3. 3. ENEM 2011
    Completamente analfabeto, ou quase, sem assistência médica, não lendo jornais, nem revistas, nas quais se limita a ver figuras, o trabalhador rural, a não ser em casos esporádicos, tem o patrão na conta de benfeitor. No plano político, ele luta com o "coronel" e pelo "coronel". Aí estão os votos de cabresto, que resultam, em grande parte, da nossa organização econômica rural. LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa-Ômega, 1978 (adaptado). O coronelismo, fenômeno político da Primeira República (1889-1930), tinha como uma de suas principais características o controle do voto, o que limitava, portanto, o exercício da cidadania. Nesse período, esta pratica estava vinculada a uma estrutura social
  4. 4. UNICAMP 2011
    A denominação de república oligárquica é frequentemente atribuída aos primeiros 40 anos da República no Brasil. Coronelismo, oligarquia e politica dos governadores fazem parte do vocabulário politico necessário ao entendimento desse período. (Adaptado de Maria Efigênia Lage de Resende, “O processo político na Primeira República e o liberalismo oligárquico", em Jorge Ferreira e Lucilia de Almeida Neves Delgado (orgs.), O tempo do liberalismo excludente - da Proclamação da República a Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006, p. 91.) Relacionando os termos do enunciado, a chamada "república oligárquica" pode ser explicada da seguinte maneira:
  5. 5. PUC-RJ 2014
    "É de lá [dos estados] que se governa a República, por cima das multidões que tumultuam, agitadas, nas ruas da capital da União. A politica dos estados [...] é a politica nacional." SALES, Manoel Ferraz Campos. Da propaganda a presidência, 1908). A partir do diagnóstico acima, o presidente Campos Sales (1898-1902) criou a "Política dos Governadores", esquema político que deu ao país uma estabilidade de configuração oligárquica. Assinale a opção que resume o funcionamento daquela política.
  6. 6. ENEM 2013
    Nos estados, entretanto, se instalavam as oligarquias, de cujo perigo já nos advertia Saint-Hilaire, e sob o disfarce do que se chamou “a política dos governadores”. Em círculos concêntricos esse sistema vem cumular no próprio poder central que é o sol do nosso sistema. PRADO, P. Retrato do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1972. A crítica presente no texto remete ao acordo que fundamentou o regime republicano brasileiro durante as três primeiras décadas do século XX e fortaleceu o(a)
  7. 7. ENEM 2010
    (2ª aplicação do ENEM - 2010)  Para os amigos pão, para os inimigos pau; aos amigos se faz justiça, aos inimigos aplica-se a lei. LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa Omega. Esse discurso, típico do contexto histórico da República Velha e usado por chefes políticos, expressa uma realidade caracterizada
  8. 8. ENEM 2011
    Até que ponto, a partir de posturas e interesses diversos, as oligarquias paulista e mineira dominaram a cena politica nacional na Primeira República? A união de ambas foi um traço fundamental, mas que não conta toda a história do período. A união foi feita com a preponderância de uma ou de outra das duas frações. Com o tempo, surgiram as discussões e um grande desacerto final. FAUSTO, B. História do Brasil. São Paulo: EdUSP, 2004 (adaptado). A imagem de um bem-sucedido acordo café com leite entre São Paulo e Minas, um acordo de alternância de presidência entre os dois estados, não passa de uma idealização de um processo muito mais caótico e cheio de conflitos. Profundas divergências politicas colocavam-nos em confronto por causa de diferentes graus de envolvimento no comércio exterior. TOPIK, S. A presença do estado na economia política do Brasil de 1889 a 1930. Rio de Janeiro: Record, 1989 (adaptado). Para a caracterização do processo político durante a Primeira República, utiliza-se com frequência a expressão Política do Café com Leite. No entanto, os textos apresentam a seguinte ressalva a sua utilização:
  9. 9. ENEM 2013
    Nos estados, entretanto, se instalavam as oligarquias, de cujo perigo já nos advertia Saint-Hilaire, e sob o disfarce do que se chamou "a politica dos governadores". Em círculos concêntricos esse sistema vem cumular no próprio poder central que é o sol do nosso sistema. PRADO, P. Retrato do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1972. A crítica presente no texto remete ao acordo que fundamentou o regime republicano brasileiro durante as três primeiras décadas do seculo XX e fortaleceu o(a) 
  10. 10. UPF 2012
    A República Velha (1889-1930) no Brasil teve na chamada "Política dos Governadores" um dos seus elementos mais caracterizadores. O objetivo desta política era:
  11. 11. Espcex (Aman) 2015
    Durante o período conhecido por "República Velha", para assegurar a manutenção do controle das oligarquias sobre a vida política do país foi criada pelo(a)(s)
  12. 12. UECE 2006
    As forças políticas aglutinadas em torno da Aliança Liberal lançaram a candidatura de Getúlio Vargas à Presidência da República em 1929. Sobre essa coligação partidária oposicionista é correto afirmar:
  13. 13. UFRGS 2013
    A Revolução de 30 promoveu uma ruptura da ordem constitucional, levando ao poder o rio-grandense Getúlio Vargas. A esse respeito, considere as afirmações abaixo.   I. A Revolução foi uma reação das oligarquias dos Estados da região sul contra os desmandos e desperdícios do governo da União, controlado pelos Estados da região norte. II. O movimento era em sua maioria composto por militares de alto escalão, desgostosos com os rumos políticos do governo de Washington Luiz. III. A Revolução foi sustentada por uma coalizão de antigas lideranças político-partidárias, militares de baixas patentes e grupos urbanos descontentes.     Quais estão corretas? 
  14. 14. UERJ 2012
    Cheio de apreensões e receios despontou o dia de ontem, 14 de novembro de 1904. Muito cedo tiveram início os tumultos e depredações. Foi grande o tiroteio que se travou. Estavam formadas em toda a rua do Regente, estreita e cheia de casas velhas, grandes e fortes barricadas feitas de montões de pedras, sacos de areia, bondes virados, postes e pedaços de madeira arrancados às casas e às obras da avenida Passos. Jornal do Comércio, 15/11/1904  Adaptado de Nosso Século (1900-1910). São Paulo: Abril Cultural, 1980.     O progresso envaidecera a cidade vestida de novo, principalmente inundada de claridade, com jornais nervosos que a convenciam de ser a mais bela do mundo. Era a transição da cidade doente para a maravilhosa. PEDRO CALMON (historiador / 1902-1985) Adaptado de Nosso Século (1900-1910). São Paulo: Abril Cultural, 1980.     Os textos referem-se aos efeitos da gestão do prefeito Pereira Passos (1902-1906), momento em que a cidade do Rio de Janeiro passou por uma de suas mais importantes reformas urbanas. Uma intervenção de destaque foi a abertura da avenida Central, hoje avenida Rio Branco, provocando não só elogios, como também conflitos sociais.   A principal motivação para esses conflitos esteve relacionada à:
  15. 15. FCMMG 2009
    Nos anos 20 do século passado, os Tenentes pretendiam dotar o Brasil de um poder centralizado, com o objetivo de educar o povo e seguir uma política nacionalista.   Os Tenentes se opunham politicamente
  16. 16. UFU 2014
    A Guerra de 1914-18 dará grande impulso à indústria brasileira. No primeiro censo posterior à guerra, realizado em 1920, os estabelecimentos industriais arrolados, somaram 13.336, com 1.818.156 contos de capital e 275.512 operários. Destes estabelecimentos, 5.936 tinham sido fundados no quinquênio 1915-19, o que revela claramente a influência da guerra. Quanto ao caráter desta indústria recenseada em 1920, a modificação mais sensível será a transferência para o primeiro lugar das indústrias de alimentação, que passam de 26,7% da produção em 1907, para 40,2% em 1920. PRADO JÚNIOR, Caio. História econômica do Brasil. 12ª ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1970, p. 261. (adaptado)     Entre a primitiva indústria artesanal da colônia e a moderna maquinofatura, Caio Prado Júnior fala de um grande hiato que se estendeu por boa parte do período Imperial. Foi somente a partir da última década do século XIX que o país viu crescer o número de indústrias, sendo que durante a Primeira Guerra ocorreu a
  17. 17. UNESP 2014
    Durante o período da presidência de Rodrigues Alves (1902- 1906), o Rio de Janeiro passou por um amplo processo de reurbanização. Um dos objetivos desse processo foi
  18. 18. UFRGS 2014
    A greve geral dos trabalhadores porto-alegrenses de 1917 marca uma inflexão nas relações entre estes e o governo de Borges de Medeiros, então governador do Estado pelo PRR. O governador aceitou em parte as demandas dos operários paredistas, como, por exemplo, a generalização das oito horas de trabalho e o controle de exportações de produtos essenciais.     Essa aceitação deveu-se
  19. 19. MACKENZIE 2015
    “O Exército não tem ambições e não quer poder ou postos. Age abnegadamente por altruísmo brasileiro e fundamentalmente patriótico e, nesse sentido, os chefes do movimento revolucionário querem dar o exemplo, que empresta autoridade à sua crítica aos republicanos que, até agora, ocuparam os altos postos da administração do país.”   O trecho acima faz parte do discurso dos Tenentes rebelados em 1924, em São Paulo, que estavam sob a liderança de Miguel Costa, evidenciando
  20. 20. UEMG 2016
    “Do boulevard 28 de setembro, onde diariamente pegava o bonde que me levava à praça XV, indo dali a pé até a Esplanada do Castelo, para a Faculdade Nacional de Filosofia, onde estudava, demorava cerca de uma hora. Mas a distância cultural entre os dois mundos, o do samba boêmio e o daquele templo do alto saber, era menor do que se poderia supor. Graças (...) a poesia de Noel ...” VENTURA, 2012, p.124.     Noel Rosa, o Noel da Vila, nasceu em 1910 e faleceu em 1937, na cidade do Rio de Janeiro, em decorrência de vários problemas de saúde.   Nas primeiras décadas do século XX, a capital do Brasil, cidade em que nasceu Noel Rosa, vivenciou uma série de transformações na(s) qual(is) se destaca(m)
  21. 21. UNESP 2012
    Nunca se viu uma campanha como esta, em que ambas as partes sustentaram ferozmente as suas aspirações opostas. Vencidos os inimigos, vós lhes ordenáveis que levantassem um viva à República e eles o levantavam à Monarquia e, ato contínuo, atiravam-se às fogueiras que incendiavam a cidade, convencidos de que tinham cumprido o seu dever de fiéis defensores da Monarquia. Gazeta de Notícias, 28.10.1897 apud Maria de Lourdes Monaco Janotti. Sociedade e política na Primeira República.  O texto é parte da ordem do dia, 06.10.1897, do general Artur Oscar e trata dos momentos finais de Canudos. Para o militar, o principal motivo da luta dos canudenses era a
  22. 22. UNESP 2012
    A Coluna Prestes, que percorreu cerca de 25 mil quilômetros no interior do Brasil entre 1924 e 1927, associa-se
  23. 23. UFES 2007
    Entre os anos de 1890 e 1920, o café representou mais de 90% do valor total das exportações capixabas, chegando a atingir, em 1903, 95% da receita do Estado. Do ponto de vista econômico, a cafeicultura dependia principalmente da exportação e grande parte do produto capixaba era exportado pelo porto do Rio de Janeiro.   Muitos empreendimentos governamentais foram feitos a fim de garantir a exportação do café capixaba pelo porto de Vitória. Entre eles, destacam-se  
  24. 24. UEFS 2015
    Movimentos sociais ocorridos nas primeiras décadas do século XX, as greves operárias e o fenômeno do Padre Cícero, no Ceará, têm como ponto comum
  25. 25. UFES 2009
    O mandorismo local esteve presente na sociedade brasileira desde o período colonial. Esse movimento adquiriu a forma de “coronelismo” após a proclamação da República e vinculou-se à existência
  26. 26. UFT 2014
    No Brasil, a Revolução de 30 pôs fim a uma política oligárquica fundamentada em elites fundiárias de bases regionais, conhecida por:
  27. 27. UECE 2015
    Atente ao que é dito sobre os primórdios da Revolução de 30 e seus desdobramentos no Ceará.   I. Este movimento ocorreu no Ceará, a exemplo do que ocorreu em outros estados do Brasil, desalojando do poder velhas oligarquias; nesse período, o espaço político foi ocupado temporariamente pelos Tenentes e por oligarquias dissidentes. II. No período inicial da organização da máquina administrativa no Ceará, o confronto político deu-se em dois níveis: primeiramente, entre o interventor civil e os tenentes; logo em seguida, entre o interventor civil e as forças oligárquicas que perderam suas posições de mando. III. A consequência imediata desse conflito entre o interventor civil e os tenentes foi a substituição do interventor civil, Fernandes Távora, pelo interventor militar, Carneiro de Mendonça, por pressão dos tenentes junto a Getúlio Vargas.   Está correto o que se diz em 
  28. 28. UNEMAT 2013
    O estabelecimento da República, a bem da verdade, o estabelecimento da Federação, permitiu que as diversas oligarquias ascendessem ao poder, no âmbito regional, assumindo o controle da máquina administrativa, em particular, da fiscalidade, construindo mecanismos para sua eternização no poder. MONTEIRO, Hamílton de Mattos. Da República velha ao Estado novo: o aprofundamento do regionalismo e a crise do modelo regional. In: LINHARES, Maria Yedda (Org.).História geral do Brasil: da colonização portuguesa à modernização autoritária. 9.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 1990. p. 302.   O texto refere-se ao sistema de mando denominado:
  29. 29. UEG 2003
    O ano de 1922 é emblemático. O Brasil completava cem anos como nação independente. Em meio aos festejos comemorativos, que ensejaram tanto a realização de uma exposição internacional, como a vinda dos despojos mortais dos ex-imperadores, iniciava-se um movimento de contestação política ao regime republicano e, no plano cultural, a Semana de Arte Moderna anunciava uma ruptura estética que se tornou marco na história da cultura brasileira. Acerca desses dois movimentos, considere as seguintes proposições:   I. Os jovens oficiais do Forte de Copacabana iniciaram um movimento de questionamento da ordem oligárquica, reavivado com as revoltas de 1924 e com a formação da Coluna Prestes, que percorreu o interior do Brasil em uma marcha, não vencida pelas forças governamentais. II. O movimento modernista representou uma renovação estética em dois planos: houve uma renovação na linguagem e na própria concepção da produção artística, que dialogava com as vanguardas europeias. No entanto, iniciou-se uma busca pelas especificidades da cultura brasileira, o que se pode depreender pela enorme valorização dos estudos folclóricos. III. A revolta do Forte de Copacabana, em 1922, foi motivada pelo descontentamento dos jovens militares em razão do atraso no pagamento de seus soldos. A indisciplina das tropas era marcante no período, já que o exército brasileiro não havia se profissionalizado. IV. O movimento modernista foi uma decorrência de uma evolução interna dos padrões estéticos vigentes no panorama artístico brasileiro. Os artistas modernistas tiveram uma recepção imediata. Intelectuais do porte de Monteiro Lobato saudaram os traços primitivos dos modernos pintores, como o quadro de Tarsila do Amaral, o “Abaporu”, que se tornou um símbolo do movimento.   Marque a alternativa CORRETA:
  30. 30. UFU 2012
    No final do governo de Prudente de Moraes (1894-8), ficou evidente que a liberdade do Executivo, do Legislativo e dos poderes estaduais não tendia ao equilíbrio institucional, gerando conflitos de soberania e, por extensão, incerteza. Com relação a esse dilema, já antes da eleição, e através de seu Manifesto eleitoral, redigido em 1897, Campos Sales defendia a seguinte teoria: os estados são autônomos, o Parlamento é digno e fundamental, mas quem manda é o presidente. Para tal, uma vez eleito, é necessário entender-se com os chefes estaduais e controlar o congresso. LESSA, Renato. O pacto dos estados. Revista de História da Biblioteca Nacional. Edição Número 05. Rio de Janeiro, Novembro de 2005, p.39. (adaptado) Para o autor do texto, o pacto político proposto por Campos Sales consolidou as normas de funcionamento da República Velha, vigentes no Brasil até 1930. Por sua particular maneira de organizar a política, esta nova ordem republicana resultava
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.