Exercícios de República das Oligarquias

Voltar para exercícios de História

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de República das Oligarquias dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 12000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 1. PUC-RS 2008
    Em 1894, no Brasil, a transferência do poder dos militares para os civis marcou o nascimento da República Oligárquica. As principais características políticas dessa República (1894-1930) são: - a política __________, com alternância de mineiros e paulistas no poder federal; - o voto __________, característico do poder dos oligarcas; - o grande poder exercido pelas oligarquias rurais, conhecido como __________.
  2. 2. FATEC 2012
    Entre as principais características do modelo político adotado no Brasil durante a República Velha (1889-1930), destacaram-se
  3. 3. ENEM 2011
    Completamente analfabeto, ou quase, sem assistência médica, não lendo jornais, nem revistas, nas quais se limita a ver figuras, o trabalhador rural, a não ser em casos esporádicos, tem o patrão na conta de benfeitor. No plano político, ele luta com o "coronel" e pelo "coronel". Aí estão os votos de cabresto, que resultam, em grande parte, da nossa organização econômica rural. LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa-Ômega, 1978 (adaptado). O coronelismo, fenômeno político da Primeira República (1889-1930), tinha como uma de suas principais características o controle do voto, o que limitava, portanto, o exercício da cidadania. Nesse período, esta pratica estava vinculada a uma estrutura social
  4. 4. UNICAMP 2011
    A denominação de república oligárquica é frequentemente atribuída aos primeiros 40 anos da República no Brasil. Coronelismo, oligarquia e politica dos governadores fazem parte do vocabulário politico necessário ao entendimento desse período. (Adaptado de Maria Efigênia Lage de Resende, “O processo político na Primeira República e o liberalismo oligárquico", em Jorge Ferreira e Lucilia de Almeida Neves Delgado (orgs.), O tempo do liberalismo excludente - da Proclamação da República a Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006, p. 91.) Relacionando os termos do enunciado, a chamada "república oligárquica" pode ser explicada da seguinte maneira:
  5. 5. PUC-RJ 2014
    "É de lá [dos estados] que se governa a República, por cima das multidões que tumultuam, agitadas, nas ruas da capital da União. A politica dos estados [...] é a politica nacional." SALES, Manoel Ferraz Campos. Da propaganda a presidência, 1908). A partir do diagnóstico acima, o presidente Campos Sales (1898-1902) criou a "Política dos Governadores", esquema político que deu ao país uma estabilidade de configuração oligárquica. Assinale a opção que resume o funcionamento daquela política.
  6. 6. ENEM 2013
    Nos estados, entretanto, se instalavam as oligarquias, de cujo perigo já nos advertia Saint-Hilaire, e sob o disfarce do que se chamou “a política dos governadores”. Em círculos concêntricos esse sistema vem cumular no próprio poder central que é o sol do nosso sistema. PRADO, P. Retrato do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1972. A crítica presente no texto remete ao acordo que fundamentou o regime republicano brasileiro durante as três primeiras décadas do século XX e fortaleceu o(a)
  7. 7. ENEM 2010
    Para os amigos pão, para os inimigos pau; aos amigos se faz justiça, aos inimigos aplica-se a lei. LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa Omega. Esse discurso, típico do contexto histórico da República Velha e usado por chefes políticos, expressa uma realidade caracterizada
  8. 8. ENEM 2013
    Nos estados, entretanto, se instalavam as oligarquias, de cujo perigo já nos advertia Saint-Hilaire, e sob o disfarce do que se chamou "a politica dos governadores". Em círculos concêntricos esse sistema vem cumular no próprio poder central que é o sol do nosso sistema. PRADO, P. Retrato do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1972. A crítica presente no texto remete ao acordo que fundamentou o regime republicano brasileiro durante as três primeiras décadas do seculo XX e fortaleceu o(a) 
  9. 9. ENEM 2011
    Até que ponto, a partir de posturas e interesses diversos, as oligarquias paulista e mineira dominaram a cena politica nacional na Primeira República? A união de ambas foi um traço fundamental, mas que não conta toda a história do período. A união foi feita com a preponderância de uma ou de outra das duas frações. Com o tempo, surgiram as discussões e um grande desacerto final. FAUSTO, B. História do Brasil. São Paulo: EdUSP, 2004 (adaptado). A imagem de um bem-sucedido acordo café com leite entre São Paulo e Minas, um acordo de alternância de presidência entre os dois estados, não passa de uma idealização de um processo muito mais caótico e cheio de conflitos. Profundas divergências politicas colocavam-nos em confronto por causa de diferentes graus de envolvimento no comércio exterior. TOPIK, S. A presença do estado na economia política do Brasil de 1889 a 1930. Rio de Janeiro: Record, 1989 (adaptado). Para a caracterização do processo político durante a Primeira República, utiliza-se com frequência a expressão Política do Café com Leite. No entanto, os textos apresentam a seguinte ressalva a sua utilização:
  10. 10. UPF 2012
    A República Velha (1889-1930) no Brasil teve na chamada "Política dos Governadores" um dos seus elementos mais caracterizadores. O objetivo desta política era:
  11. 11. Espcex (Aman) 2015
    Durante o período conhecido por "República Velha", para assegurar a manutenção do controle das oligarquias sobre a vida política do país foi criada pelo(a)(s)
  12. 12. PUC-RS 2016
    Leia o trecho abaixo do discurso de Getúlio Vargas, proferido em sua posse como chefe do Governo Provisório, em 3 de novembro de 1930, depois da Revolução de 1930. “O movimento revolucionário, iniciado vitoriosamente a 3 de outubro no sul, centro e norte do país, e triunfante a 24 nesta capital, foi a afirmação mais positiva que até hoje tivemos da nossa existência como nacionalidade. Em toda a nossa história política, não há, sob esse aspecto, acontecimento semelhante. Ele é, efetivamente, a expressão viva e palpitante da vontade do povo brasileiro, afinal senhor de seus destinos e supremo árbitro de suas finalidades coletivas.” Sobre o discurso de Vargas e a Revolução de 1930 referida no texto, afirma-se: I. O “movimento revolucionário” mencionado é a Aliança Nacional Libertadora, que defendia o combate ao imperialismo, a reforma agrária e a instalação do socialismo no Brasil. II. Por definir o “povo” como “senhor de seus destinos e supremo árbitro de suas finalidades coletivas”, Vargas pautou seu governo pela defesa das camadas populares e pelo respeito às liberdades democráticas. III. Na campanha eleitoral à Presidência, em 1930, Vargas defendeu o voto secreto e a autonomia da justiça eleitoral, o que lhe possibilita associar o movimento revolucionário à “expressão viva e palpitante da vontade do povo brasileiro”.   Está/Estão correta(s) apenas a(s) afimativa(s)
  13. 13. PUC-RS 2014
    A Aliança Liberal, que em 1930 apresentou a candidatura de Getúlio Vargas à Presidência da República, em oposição ao candidato situacionista Júlio Prestes, NÃO defendeu a proposta de
  14. 14. UNIMONTES 2010
    Entre as características da indústria brasileira durante a República Velha, é INCORRETO elencar:
  15. 15. UFU 1999
    A respeito das história das lutas sociais no campo no Brasil, podemos afirmar que I- o movimento rural mais importante nas décadas de 1950/60, documentado no filme Cabra Marcado para Morrer, foi o das Ligas Camponesas, liderado por Francisco Julião, que procurou defender os camponeses contra a expulsão da terra e a elevação dos preços dos arrendamentos. II- a Lei de Terras de 1850 regularizou o regime da propriedade de terras, dividindo-as em particulares e públicas, proibiu sua aquisição pela compra e regulamentou as posses e as doações da Coroa, favorecendo a multiplicação de pequenas propriedades e limitando a expansão do poder dos latifundiários. III- na década de 1980, surgiu e se desenvolveu o MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais SemTerra, que promoveu passeatas, caminhadas, ocupações de fazendas improdutivas e áreas do governo, na tentativa de agilizar as desapropriações e os assentamentos para suas famílias. IV- entre as vítimas da violência no campo, que se tornaram símbolo da luta pela terra e pela defesa da natureza, figuram os 19 mortos na chacina de Eldorado dos Carajás e Chico Mendes, líder seringueiro, que lutou contra a devastação da floresta Amazônica. Assinale a opção que contém as afirmativas corretas.
  16. 16. UFU 1999
    A década de 1920 no Brasil foi marcada por um período de grande agitação política e cultural. Com o crescimento das cidades, ganhavam mais espaço novos atores sociais, preocupados com a modernização do país e a construção de uma identidade nacional. A esse respeito, é correto afirmar que I- o movimento modernista, inaugurado com a Semana de Arte Moderna de 1922, teve influências européias do futurismo, do expressionismo e do surrealismo, embora ressaltasse também nossas raízes históricas, tal como apresentada no Manifesto Antropofágico de Oswald de Andrade. II- o ímpeto inicial que unia os modernistas era a renovação, a mudança, o rompimento com as regras acadêmicas, mas alguns seguiram caminhos politicamente conservadores, como Plínio Salgado, ligado ao verde-amarelismo e líder do movimento integralista, na década de 30. III- Monteiro Lobato, um dos mais destacados participantes da Semana de Arte Moderna, criou a figura do Jeca Tatu, caipira que se transformou em exemplo para o trabalhador nacional, através do qual o autor criticava a modernização proporcionada pelas novas técnicas de trabalho importadas dos Estados Unidos. Assinale a opção que contém as afirmativas corretas.
  17. 17. UNIFENAS 2017
    Leia o texto. O mineiro Afonso Pena foi um presidente “cafeeiro”. Na verdade, só obteve a vitória nas eleições de 1906 porque deixou claro que seria a favor da “política de valorização do café”. Eleito, Pena bancou um empréstimo de 15 milhōes de libras para custear a intervenção do Estado no mercado do café. (Eduardo Bueno, Brasil uma História, Leya, SP, 2012, p. 291) A intervenção do Estado no mercado para valorizar o café durante a Primeira República brasileira foi um dos efeitos
  18. 18. UTFPR 2009
    A Semana de Arte Moderna também chamada de “Semana de 22”, ocorreu em São Paulo no ano de 1922, no período entre 11 de fevereiro e 18 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo, na mesma cidade. Durante os sete dias de exposição, foram expostos quadros e artes consideradas modernista, em relação a época. Entre as apresentações que ocorreram à noite dos dias 13 de fevereiro, 15 de fevereiro e 17 de fevereiro, foram apresentadas poesias, músicas e palestras sobre a modernidade, que deixou alguns ilustres escritores e artistas de renome indignados. Vale ressaltar que a Semana em si não teve grande importância em sua época, foi com o tempo que ganhou valor histórico ao projetar-se ideologicamente ao longo do século. Devido à falta de um ideário comum a todos os seus participantes, ela desdobrou-se em diversos movimentos diferentes, todos eles declarando levar adiante a sua herança. Sobre esse assunto, estabeleça correspondência entre as colunas. Coluna I ( 1 ) Movimento Pau-Brasil ( 2 ) Movimento Verde-Amarelo ( 3 ) Movimento Antropofágico ( 4 ) Revista Klaxon ( 5 ) Revista de Antropofagia Coluna II ( ) Caracterizava-se por textos patrióticos, ufanistas e a idealização do país. ( ) Pregava a absorção da cultura externa e tem como principal obra a pintura “O Abaporu”, de Tarsila do Amaral. ( ) Corrente do Modernismo de 22, teve duas fases, ou “dentições”, como queriam os seus participantes. ( ) Caracterizava-se pelo culto ao progresso e a concepção de que a arte não deve ser uma cópia da realidade, aproveitamento das lições de uma nova arte em evidência: o cinema. ( ) Cultuava a posição primitivista, buscando uma poesia ingênua, de redescoberta do mundo e do Brasil. A seqüência correta é:
  19. 19. UNIMONTES 2014
    “A ambição que gerou a conquista, a conquista que gerou o extrativismo onde (sic) os caudilhos fixaram suas leis homicidas; o extrativismo que gerou súbitas fortunas de aventureiros de quatro cantos. Era o Eldorado, o esplendor de uma selvagem nobreza dos Trópicos cujos cenários e costumes foram importados de Inglaterra, França e Itália.” (ROCHA, Glauber. Documentário 1966. www.historianet.blogspot.com.br. 2013.) O cineasta Glauber Rocha, nesse trecho, faz alusão à/ao
  20. 20. UNIMONTES 2014
    A “socialização das perdas”, praticada durante a República Velha, consistia, prioritariamente, em
  21. 21. UNIMONTES 2014
    Sobre o Tenentismo, ocorrido no Brasil, na primeira metade do século XX, é INCORRETO afirmar:
  22. 22. UFSJ 2004
    “... o episódio de outubro de 1930 é tão-somente um elemento do processo de mudanças que se iniciou a partir dos anos de 1920 e que culminaria com o advento do Estado Novo. Considerando esse processo, 30 é um momento significativo desse quadro de mudanças políticoinstitucionais, mas não representa uma ruptura”. (PENNA, Lincoln de Abreu. Uma História da República, 1989) A Revolução de 1930 é tida como um marco entre o Brasil oligárquico e o Brasil moderno. As transformações ocorridas na década de 1930
  23. 23. UFSJ 2005
    “Façamos a revolução antes que o povo a faça antes que o povo à praça antes que o povo a massa antes que o povo na raça antes que o povo: A FARSA” (Afonso Ávila, “Frases Feitas”, do Código de Minas) A chamada Revolução de 1930 foi
  24. 24. UNIOESTE 2007
    Alguns compositores populares expressaram, através das letras de suas músicas, posicionamentos sobre a situação vivida pelo Brasil em determinadas épocas. Leia os versos seguintes, da moda de viola Situação encrencada, composta em abril de 1930 por Cornélio Pires: “Tomara que chega logo/ O tempo da inleição/ Pra ver se assim acaba/ Esse grande baruião (...) Acabou o movimento/ Até lá pra Noroeste/ Povo todo tão gritando/ A curpa é do Júlio Preste, ai/ Quase todo fazendeiro/ Andava de Chevrolet/ Já tão andando a cavalo/ Com a baixa do café/ Aqueles grande banqueiro/ Cheio da libra estrelina/ Encostou o carro de lado/ Por farta da gasolina, ai/ Por farta da gasolina/ (...) Valeime Nossa Senhora/ Tem dó desse pessoar/ Se o café não defender/ O povo vai passar mar (...) Mas depois da inleição/ Nós podemos ser feliz/ Deixar o Getúlio Varga/ No lugar do Washington Luis / Por todo lado que eu ando/ Os voto são todo iguar/ Pelo jeito que se fala/ Todo mundo é liberar, ai”. Sobre as questões e o período abordado, considere as seguintes afirmações: I. O autor faz referência às sucessivas quedas nos preços do café, pela elevada produção e pela forte concorrência no mercado internacional, ocorridas no final da década de 1920. II. A questão social era considerada “caso de polícia”, na medida em que os interesses dos cafeicultores eram equiparados aos interesses da nação. III. A chamada “política do café com leite” vinha revezando na Presidência do país a oligarquia paulista e a mineira, até que o então presidente Washington Luís insistiu na indicação do paulista Júlio Prestes em detrimento do mineiro Antônio Carlos, gerando um problema sucessório que levou à sua derrubada do poder. IV. Nas eleições realizadas, o processo sucessório foi tranqüilo, tendo Júlio Prestes ocupado o poder de 1930 a 1945. Assinale a alternativa que enumera as afirmações corretas:
  25. 25. UNIMONTES 2013
    O Coronelismo é um fenômeno político brasileiro típico da República Velha porque
  26. 26. UNIMONTES 2013
    Está correndo mundo a história da conspiração na marinha. Ao que se sabe, os conspiradores pretendiam depor o governo. O plano era, como se vê, de uma extrema simplicidade e os fins de uma perfeita política. O nosso sistema eleitoral faz a mesma coisa. (...) Os oficiais da marinha não conseguiram seus fins e vão ser punidos. Se há probidade na justiça deste país, eles deveriam pedir que a pena em que incorrerem seja extensiva a todos os cidadãos que fizeram eleições para substituir governos. A conspiração dos marinheiros não derramou sequer uma gota de sangue, ao passo que nas eleições são incontáveis as vítimas que pagam com a vida a honra de substituir homens por homens deixando as coisas piores do que dantes. Revista Careta, n0 731, ano XV, 24-6-1922, p. 16 O texto faz alusão ã/ao
  27. 27. UNIR 2011
    A extração do látex é um importante capítulo na história da ocupação do oeste amazônico brasileiro, no final do século XIX, sempre envolvendo interesses internacionais, movimentando vultosas quantias em dinheiro e provocando disputas por territórios entre diferentes nações sul-americanas. É correto afirmar que, na extração do látex, a mão-de-obra mais utilizada foi
  28. 28. CEFET-MG 2005
    Analise o trecho da música “Café com Leite”, de Milton Nascimento e Fernando Brant. “Na República Velha, o coronel governador de gado e gente pensa ser dono do mundo quer mais, quer ser nosso Deus. Na República de seu coronel tem o tempo que é do café, pois é outra hora é a hora do leite e outra vez teremos café.” O fim do período histórico mencionado apresentou, como conseqüência, o(a)
  29. 29. UFAC 2008
    O Sistema de Aviamento se constituiu no final do século XIX e início do XX, como uma forma complexa, mas funcional, de organização da produção e comercialização de borracha na Amazônia brasileira. Para a eficácia de seu funcionamento contribuíram as articulações realizadas entre as seguintes estruturas e sujeitos sociais: I) As chamadas Casas Aviadoras não tiveram nenhuma vinculação com as Casas Exportadoras. II) O seringueiro, como produtor direto da borracha, vendia sua produção de borracha diretamente às chamadas Casas Aviadoras. III) As chamadas Casas Exportadoras participaram do financiamento e exportação da borracha. IV) Os proprietários dos seringais da região acreana venderam a sua produção de borracha diretamente às Casas Exportadoras. V) Na produção e comercialização da borracha quem menos lucrou foi os seringalistas. Considerando o que está acima evidenciado marque a alternativa correta.
  30. 30. FAMERP 2016
    A Revolução [de 1924 em São Paulo] pretendia a renova- ção dos costumes políticos, a republicanização da República, como diziam, o banimento das oligarquias dos mandões e chefes políticos e do seu clientelismo político, o fim do voto de cabresto e da política dos currais eleitorais de eleitores sem liberdade de decisão e de voto. (José de Souza Martins. “São Paulo, 1924 – A retirada”. In: Eloar Guazzelli. São Paulo em guerra – 1924, 2012.) O movimento a que o texto se refere ficou conhecido na história do Brasil como tenentismo. O movimento tenentista
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login