Exercícios de Revoltas Nativistas

Voltar para exercícios de História

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Revoltas Nativistas dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 12000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 1. UFPE 2002
    O termo Nativismo é utilizado pelos historiadores para designar revoltas ou movimentos de resistência contra a dominação portuguesa. São movimentos nativistas ocorridos no Brasil:
  2. 2. UFPEL 2008
    "No decorrer do período colonial no Brasil os interesses entre metropolitanas e colonos foram se ampliando. O descontentamento se agravou quando, a 10 de abril de 1680, a Coroa estabeleceu a liberdade incondicional dos indígenas, proibindo taxativamente que fossem escravizados. Além disso confiou-os aos jesuítas, que passaram a ter a jurisdição espiritual e temporal das aldeias indígenas. Visando solucionar o problema da mão de obra para as atividades agrícolas do Maranhão, o governo criou a Companhia do Comércio do Estado do Maranhão (1682). Durante vinte anos, a Companhia teria o monopólio do comércio importador e exportador do Estado do Maranhão e do Grão-Para. Cabia-lhe fornecer dez mil escravos africanos negros, à razão de quinhentos por ano, durante o período da concessão outorgada." (AQUINO, Rubim Santos Leão de [et aI.]. 'Sociedade Brasileira: uma história através dos movimentos sociais'. 3a ed., Rio de Janeiro: Record, 2000.) Pelos elementos mercantilistas, geográficos e cronológicos, o conflito inferido do texto foi a Revolta
  3. 3. ESPM 2014
    À medida que o século chegava ao fim, agravava-se a tensão entre os comerciantes portugueses residentes em Recife e os produtores luso-brasileiros. Esse atrito assumiu a forma de uma contenda municipal entre Recife e Olinda, ou seja, entre o credor urbano e o devedor rural. Olinda era a principal cidade de Pernambuco e sediava as principais instituições locais. Lá os senhores de engenho tinham suas casas. Por outro lado, o porto de Recife, a poucos quilômetros de distância era o principal local do embarque das exportações de açúcar da capitania. (Adriana Lopez, Carlos Guilherme Mota. História do Brasil: uma interpretação) A tensão mencionada no texto contribuiu para desencadear qual das rebeliões coloniais citadas abaixo:
  4. 4. FGV 2013
    Dom Pedro Miguel de Almeida Portugal - conde de Assumar - se casou em 1715 com D. Maria José de Lencastre. Dai a dois anos partiria para o Brasil como governador da capitania de São Paulo e Minas Gerais. Nas Minas, não teria sossego, dividido entre o cuidado ante virtuais Ievantes escra- vos e efetivos Ievantes de poderosos; o mais sério destes o celebrizaria como algoz: foi o conde de Assumar que, em 1720, mandou executar Felipe dos Santos sem julgamento, sendo a seguir chamado a Lisboa e amargurado um longo ostracismo. (Laura de Mello e Souza, Norma e conflito: aspectos da história de Minas no secqu XVIII) A morte de Felipe dos Santos esteve vinculada a
  5. 5. PUC-RS 2015
    Associe as revoltas coloniais (coluna A) às suas características essenciais (coluna B). Coluna A 1. Revolta dos Beckman 2. Guerra dos Emboabas 3. Guerra dos Mascates 4. Revolta de Vila Rica 5. Inconfidência Mineira Coluna B (  ) Transcorrido em Pernambuco, entre 1709 e 1710, o movimento caracterizou-se pela oposição entre os comerciantes de Recife contra os senhores de engenho de Olinda, tendo como base a tentativa dos mercadores recifenses em conseguir maior autonomia política e cobrar as dívidas dos produtores de açúcar olindenses. (  ) Deflagrada no Maranhão, em 1684, a revolta teve como base o descontentamento com a proibição da escravidão indígena, decretada pela Coroa Portuguesa, a pedido da Companhia de Jesus, medida que prejudicou a extração das “drogas do sertão" pelos colonos europeus. (  ) Ocorrido em Minas Gerais, em 1720, sob a liderança de Filipe dos Santos, o levante teve como causa a oposição ao sistema de taxação da Coroa Portuguesa, que resolveu estabelecer 4 Casas de Fundição na região mineradora, como forma de cobrar o quinto (imposto de vinte por cento) sobre o ouro. (  ) Sucedido em Minas Gerais, no ano de 1708, o conflito opôs os paulistas (bandeirantes), primeiros aventureiros a descobrir e ocupar a zona da mineração, contra os "forasteiros", os seja, os grupos que chegaram depois na região, originários do reino ou de outras capitanias. A numeração correta na coluna B, de cima para baixo, é
  6. 6. ESPM 2012
    Em 1720, a Coroa portuguesa decidiu proibir definitivamente a circulação de ouro em pó, instalando a Casa de Fundição em Vila Rica, onde todo o metal extraído das minas deveria ser transformado em barras para depois ser transportado ao litoral. A medida pretendia acabar com o contrabando e incrementar a arrecadação de impostos, prejudicando os interesses dos proprietários de lavras auriferas, comerciantes e profissionais liberais que recebiam ouro em pó pelos seus serviços, além dos tropeiros que escoavam a produção. As novas diretrizes foram intensamente discutidas nos bares, nas tavernas, e criticas ferozes eram lançadas, nas rodas de conversa, contra a administração local. Uma revolta se levantaria contra as medidas de controle da Coroa. (Fábio Pestana Ramos e Marcus Vinicius de Morais. Eles formaram o Brasil) A revolta ocorrida contra as medidas de controle da Coroa portuguesa foi:
  7. 7. FGV 2006
    Antunes voltou ao capão e transmitiu a seus companheiros as promessas de Bento. Os paulistas sairam dos matos aos poucos, depondo as armas. Muitos não passavam de meninos; outros eram bastante velhos. Sujos, magros, cambaleavam, apoiavam-se em seus companheiros. Estendiam a mao, ajoelhados, suplicando por água e comida. Bento fez com que os paulistas se reunissem numa clareira para receber agua e comida. Os emboabas sairam da circunvalação, formando-se em torno dos prisioneiros. Bento deu ordem de fogo. Os paulistas que não morreram pelos tiros foram sacrificados a golpes de espada. (Ana Miranda, O retrato do rei) O texto trata do chamado Capão da Traição, episódio que faz parte da Guerra dos Emboabas, que se constituiu
  8. 8. UNIFESP 2002
    "Não resta outra coisa senão cada um defender-se por si mesmo; duas coisas são necessárias... a fim de se recuperar a mão livre no que diz respeito ao comércio e aos índios". (Manuel Beckman, 1684.) As duas principais reivindicações do líder da Revolta que Ieva seu nome são
  9. 9. UPE 2009
    Olinda e Recife viveram momentos históricos diferentes desde os tempos da colonização portuguesa. Chegaram, inclusive, a ter conflitos que assinalavam divergências de interesse. Um deles, a Guerra dos Mascates, que
  10. 10. UFRGS 2012
    No bloco superior, abaixo, são citadas quatro razões que justificaram a articulação de movimentos sociais no período de 1708 a 1789, na região das Minas Gerais; no inferior, são listados três desses movimentos sociais. Associe adequadamente o bloco inferior ao superior. 1. A mobilização partiu dos setores subaIternos da sociedade colonial, particularmente de escravos e libertos, que reivindicavam melhores condições de vida. 2. A supremacia paulista na região mineradora foi ameaçada pela chegada de forasteiros. 3. A criação das Casas de Fundição para a devida cobrança dos quintos e a proibição da circulação de ouro em pó levaram a insurreição da população local. 4. A decadência da produção aurífera e a ameaça da "derrama" sobre os habitantes da capitania acentuavam a crise do sistema colonial. (   ) Guerra dos Emboabas (   ) Revolta de Vila Rica (   ) Inconfidência Mineira A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login