Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

Exercícios de Revolução Industrial

Voltar para exercícios de História

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Revolução Industrial dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 91. UNICENTRO 2013
    Diversas transformações contribuíram para que ocorresse a Revolução Industrial na Inglaterra, entre elas, considera-se a mais importante a “Lei dos Cercamentos”, pois esta lei determinava que as “terras comunais”, utilizadas pelos senhores e servos, fossem transformadas em pastos para ovelhas e carneiros de modo a atender as demandas da indústria têxtil. Também denominados enclausures, essa lei obrigou a população pobre que sobrevivia das terras comunais a abandonar o campo e deslocar-se para as cidades, criando as condições necessárias para a concentração de mão-de-obra e consumo dos produtos manufaturados nas cidades inglesas do século XVIII. Assinale a alternativa que apresenta outro fator que propiciou a eclosão e sucesso da Revolução Industrial na Inglaterra.
  2. 92. UCS 2016
    A Revolução Industrial foi um processo histórico que gerou importantes mudanças sociais, econômicas e técnicas que se projetam até os dias atuais. Considere as seguintes afirmativas sobre a Revolução Industrial e as mudanças trazidas por ela.   I. Foi responsável pela diminuição do trabalho artesanal e aumento da produção de mercadorias manufaturadas por máquinas. II. Provocou o aumento do êxodo rural motivado pela criação de empregos nas indústrias e, consequentemente, o aumento das cidades e da vida urbana. III. Estimulou, desde o início, pesquisadores, engenheiros e inventores a aperfeiçoar a indústria, fazendo com que surgissem novas tecnologias, tais como o telégrafo, a fotografia, as locomotivas e barcos a vapor.   Das proposições acima,
  3. 93. UNEMAT 2007
    Sobre a expansão da Revolução Industrial pelo Mundo, é CORRETO afirmar que:
  4. 94. UNICENTRO 2013
    A “Lei dos Cercamentos” causou grandes mudanças na sociedade rural e citadina da Inglaterra no século XVIII. Sobre o assunto, assinale a alternativa INCORRETA.
  5. 95. ENEM - 3 APLICACAO 2016
    A Segunda Revolução Industrial, no final do século XIX e início do século XX, nos EUA, período em que a eletricidade passou gradativamente a fazer parte do cotidiano das cidades e a alimentar os motores das fábricas, caracterizou-se pela administração científica do trabalho e pela produção em série. MERLO, A. R. C.; LAPIS, N. L. Asaúde e os processos de trabalho no capitalismo: reflexões na interface da psicodinâmica do trabalho e da sociologia do trabalho. Psicologia e Sociedade, n. 1, abr. 2007. De acordo com o texto, na primeira metade do século XX, o capitalismo produziu um novo espaço geoeconômico e uma revolução que está relacionada com a
  6. 96. UESC 2011
    Os ingredientes básicos para fazer um pãozinho são o trigo, a água, o sal e o fermento. Para que haja trigo, é necessário que alguém o plante e o colha; é preciso que haja moinhos para moê-lo e comercialização para que chegue até a padaria. Esse mesmo processo serve para o sal, que deve ser retirado do mar, processado e embalado. O fermento é produzido em outras empresas por outros trabalhadores, com outras matérias-primas. A água precisa ser captada, tratada e distribuída, o que exige uma complexa infraestrutura com grande número de trabalhadores. São necessários equipamentos, [...] para preparar a massa e o forno para assar o pão, [...] que, por sua vez, empregam outras matérias-primas e trabalhadores.   É necessário algum tipo de energia proporcionada pelo fogo (e isso exige madeira ou carvão) ou energia elétrica (que é gerada em hidroelétricas ou termoelétricas). As usinas de energia, por sua vez, precisam de equipamentos, linhas de transmissão e trabalhadores para fazer tudo isso acontecer.   Na ponta de todo esse trabalho, estão as padarias, mercadinhos e supermercados, onde o pãozinho finalmente chega às mãos do consumidor. (TOMAZI, 2007, p. 36).     O processo produtivo descrito no texto é uma característica
  7. 97. UTFPR 2009
    A Revolução Industrial aconteceu na Inglaterra na segunda metade do século XVIII e encerrou a transição entre feudalismo e capitalismo e a preponderância do capital mercantil sobre a produção. A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do modo de produção doméstico pelo sistema fabril constituiu um processo de transformação acompanhado pelo desenvolvimento tecnológico. Com base nesse entendimento, analise as afirmações abaixo: I) Até a primeira metade do século XVIII, a grande indústria inglesa era a de tecelagem de lã. Mas a primeira a mecanizar-se foi a do algodão, feito com matéria-prima colonial. II) A Grã-Bretanha possuía grandes reservas de ferro e de carvão mineral em seu subsolo, principais matérias-primas utilizadas neste período. Dispunham de mão-de-obra em abundância desde a Lei dos Cercamentos de Terras, que provocou o êxodo rural. Os trabalhadores dirigiram-se para os centros urbanos em busca de trabalho nas manufaturas. III) A Grã-Bretanha firmou vários acordos comerciais vantajosos com outros países. Um desses acordos foi o Tratado de Methuen, celebrado com a decadência da monarquia absoluta portuguesa, em 1703, por meio do qual conseguiu taxas preferenciais para os seus produtos no mercado português. IV) Desde seus primórdios, a Revolução Industrial despertou a preocupação das autoridades inglesas para que as fábricas constituíssem bons ambientes de trabalho, além da proibição do emprego do trabalho infantil e feminino e estabelecimento de política salarial, férias, auxílio doença e descanso semanal remunerado. Estão corretas apenas as afirmações:
  8. 98. UNICENTRO 2010
    A partir da segunda metade do século XVIII, na Inglaterra iniciam-se uma série de inovações tecnológicas aplicadas às fábricas e ao trabalho produtivo, levando a grandes transformações econômicas conhecidas como Revolução Industrial. Assinale a alternativa INCORRETA.
  9. 99. UNICENTRO 2014
    Leia o texto a seguir. É bem verdade que muitos dos sem-terra tornaram-se – muitas das vezes sem ter outra opção – membros da classe trabalhadora das novas cidades industriais, dando prosseguimento ao fluxo de trabalhadores assalariados para as cidades, já evidente havia muito tempo. Mas o crescimento da classe de trabalhadores industriais deve também ser relacionado – e talvez atribuído fundamentalmente – ao crescimento da população, por si só extraordinário, ao qual, embora basicamente decorrente das mudan- ças ocorridas nas taxas de natalidade e mortalidade como parte do processo geral de modernização da sociedade, também está ligado o aumento da produção agrícola, tão acentuado no século XVIII: particularmente na produção de cereais, mas também de carne; tais mudanças, por sua vez, estão associadas aos cercamentos e à adoção de métodos de produção mais eficientes. (WILLIAMS, R. A Cidade e o Campo. São Paulo: Editora Schwarcz Ltda., 1998. p.140.) O texto refere-se à Inglaterra do século XVIII. Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, o processo nele abordado.
  10. 100. UEL 2010
    Sobre a a revolução industrial, cultura e trabalho na Europa, nas colônias anglo-hispânicas e no Brasil, é correto afirmar: I. A Revolução Industrial, fenômeno que marcou a passagem do sistema de produção agrário e artesanal para o industrial, transformou as formas de sobrevivência da sociedade inglesa. Grande parte dos trabalhadores foi destituída dos meios de produção, obrigada a vender sua força de trabalho e a receber salários que comumente eram insuficientes para a sobrevivência das famílias. II. A era moderna teve início com a Revolução industrial na Inglaterra. Reflexo de tal modernidade está no fato de que no século XVIII, as mulheres, até então vinculadas ao lar e responsáveis pela criação dos filhos e cuidados com o marido, com a grande oferta de empregos, puderam sair daquele espaço que era privado para lançarem-se no espaço público, especializando-se e concorrendo com homens no setor têxtil e metalúrgico. III. No século XIX, trezentos anos após o início da industrialização, viveu-se a chamada Segunda Era da Revolução Industrial, de caráter digital. Este período ficou marcado pela inclusão e tratamento igualitário entre homens e mulheres nas frentes de trabalho e o fim da utilização da mão de obra infantil nas indústrias. IV. O empobrecimento e penúria causados pela dinâmica do capitalismo pós Revolução Industrial, levou mulheres e crianças para o trabalho nas fábricas. Esta categoria de trabalhadores cumpria as mesmas tarefas e quantidade de horas que os homens, mas, por sua condição marginal, recebiam salários inferiores a eles. Assinale a alternativa correta.
  11. 101. UEL 2009
    Sobre a Revolução Industrial nos séculos XVIII e XIX, é correto afirmar.
  12. 102. UFAC 2008
    O historiador inglês Eric Hobsbawm denomina o período que vai de 1789 a 1848 como a revolução dupla. Como justificar tal caracterização?
  13. 103. UEG 2005
    O movimento operário europeu conheceu, durante o século XIX, períodos de ascensão e refluxo, vinculados, em certa medida, ao emprego progressivo de máquinas no processo produtivo, que levou à substituição gradual da mão-de-obra operária. Com base no exposto, julgue as proposições que se seguem:   I. O ludismo, no início do século XIX, propunha-se a resolver o problema da miséria social através da destruição do maquinário. Essa iniciativa possibilitou a resolução parcial da crise, visto que os trabalhadores foram beneficiados com leis mais flexíveis no que se refere à redução de sua carga de trabalho. II. O cartismo, movimento popular que reivindicava reformas nas condições de trabalho e direitos políticos para os trabalhadores, representou uma das primeiras manifestações organizadas do operariado inglês. III. As revoluções de 1848 representaram uma novidade para o panorama político europeu, resultando na emergência de ideologias políticas heterogêneas, tais como nacionalismo, liberalismo e socialismo.   Marque a alternativa CORRETA:
  14. 104. ENEM PPL 2010
    Os cercamentos do século XVIII podem ser considerados como sínteses das transformações que levaram à consolidação do capitalismo na Inglaterra. Em primeiro lugar, porque sua especialização exigiu uma articulação fundamental com o mercado. Como se concentravam na atividade de produção de lã, a realização da renda dependeu dos mercados, de novas tecnologias de beneficiamento do produto e do emprego de novos tipos ovelhas. Em segundo lugar, concentrou-se na inter-relação do campo com a cidade e, num primeiro momento, também se vinculou à liberação de mão de obra. RODRIGUES, A. E. M. Revoluções burguesas. In v. I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000 (adaptado). Outra consequência dos cercamentos que teria contribuído para a Revolução Industrial na Inglaterra foi o
  15. 105. UNIPAM 2013
    Entende-se por Revoluções Burguesas os processos históricos que consolidam o poder econômico da burguesia, bem como sua ascensão ao poder político. Ao longo dos séculos XVII e XVIII, a burguesia se mostrava como uma classe social revolucionária, destruindo a ordem feudal, consolidando o capitalismo e transformando o Estado para atender seus interesses. As revoluções burguesas foram as Revoluções Inglesas do século XVII (Puritana e Gloriosa), a Independência dos EUA, a Revolução Industrial e a Revolução Francesa. Sobre as revoluções burguesas, julgue as considerações a seguir. I. A Revolução Gloriosa selou um compromisso entre a burguesia e a nobreza proprietária de terras, fortaleceu o Parlamento e criou condições favoráveis ao desenvolvimento econômico inglês. II. O processo de independência das 13 colônias da América do Norte, o qual culminou com a Declaração de Independência em 1776, relaciona-se à adoção de uma política liberal pelo Parlamento Inglês, que favoreceu o desenvolvimento colonial ao encerrar o monopólio comercial da Companhia das Índias Orientais sobre a venda do chá, em 1773. III. Uma das consequências da Revolução Industrial foi a formação, nos grandes centros de produção, das associações de operários denominadas “trade unions”, as quais promoveram a conciliação entre patrões e empregados. IV. A burguesia liberal definiu seu modelo de Estado com a promulgação da Primeira Constituição da França em 1791, durante a Assembleia Constituinte, que instituiu uma monarquia constitucional baseada no sufrágio censitário e na consagração da divisão dos poderes do Estado em executivo, legislativo e judiciário. São CORRETAS
  16. 106. FUVEST 2017
    Um elemento essencial para a evolução da dieta humana foi a transição para a agricultura como o modo primordial de subsistência. A Revolução Neolítica estreitou dramaticamente o nicho alimentar ao diminuir a variedade de mantimentos disponíveis; com a virada para a agricultura intensiva, houve um claro declínio na nutrição humana. Por sua vez, a industrialização recente do sistema alimentar mundial resultou em uma outra transição nutricional, na qual as nações em desenvolvimento estão experimentando, simultaneamente, subnutrição e obesidade. George J. Armelagos, “Brain Evolution, the Determinates of Food Choice, and the Omnivore’s Dilemma”, Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 2014. Adaptado. A respeito dos resultados das transformações nos sistemas alimentares descritas pelo autor, é correto afirmar:
  17. 107. UNIMONTES 2014
    A Revolução Industrial foi precedida por uma grande transformação na área rural da Inglaterra. Acerca desse contexto, assinale a alternativa INCORRETA.
  18. 108. UNICENTRO 2010
    O processo de independência brasileira sofreu influência dos acontecimentos que se processavam, neste período, na Europa, a exemplo da
  19. 109. ENEM PPL 2015
    Se vamos ter mais tempo de lazer no futuro automatizado, o problema não é como as pessoas vão consumir essas unidades adicionais de tempo de lazer, mas que capacidade para a experiência terão as pessoas com esse tempo livre. Mas se a notação útil do emprego do tempo se torna menos compulsiva, as pessoas talvez tenham de reaprender algumas das artes de viver que foram perdidas na Revolução Industrial: como preencher os interstícios de seu dia com relações sociais e pessoais; como derrubar mais uma vez as barreiras entre o trabalho e a vida. THOMPSON, E. P. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Cia. das Letras, 1998 (adaptado).     A partir da reflexão do historiador, um argumento contrário à transformação promovida pela Revolução Industrial na relação dos homens com o uso do tempo livre é o(a)
  20. 110. UEL 2008
    Leia o texto seguinte sobre a Revolução Industrial e algumas de suas conseqüências: Essa revolução industrial, que nasceu na Inglaterra do século XVIII e se propaga, no século XIX, pelo continente, na França, na Bélgica, a Oeste da Alemanha, no Norte da Itália e em alguns pontos da península ibérica, repousa no uso de uma nova fonte de energia, o carvão, e nos desenvolvimentos das máquinas, depois das invenções que modificam as técnicas de fabricação. A conjunção desses dois fatores, a aplicação dessa energia nova à maquinaria, constitui a origem da revolução industrial, cujo símbolo é a máquina a vapor. (RÉMOND, R. O século XIX: 1815-1914. Introdução à história de nosso tempo - 2. São Paulo: Editora Cultrix, 1976. p. 103.) Considere as afirmativas a seguir: I. Com a Revolução Industrial e o crescimento da nova indústria, surgiu uma classe inteiramente nova de trabalhadores que são os operários assalariados. II. O crescimento das unidades industriais a partir da Revolução Industrial propiciou também o surgimento da categoria de empresários possuidores de capitais. III. A Revolução Industrial atingiu mais a população campesina que a urbana, pois esta se constituía em parcela da sociedade excluída das transformações empreendidas nas cidades. IV. A Revolução Industrial não solucionou os problemas dos trabalhadores. O número de empregos era menor que o de mão-de-obra disponível e, assim, surgiu o chamado “exército de reserva de mão-de-obra”. Assinale a alternativa que contém todas as afirmativas corretas.
  21. 111. UNESP 2017
    Nem todos os homens se renderam diante das forças irresistíveis do novo mundo fabril, e a experiência do movimento dos quebradores de máquina demonstra uma inequívoca capacidade dos trabalhadores para desencadear uma luta aberta contra o sistema de fábrica. De um lado, esse movimento de resistência visava investir contra as novas relações hierárquicas e autoritárias introduzidas no interior do processo de trabalho fabril, e nessa medida a destruição das máquinas funcionava como mecanismo de pressão contra a nova direção organizativa das empresas; de outro lado, inúmeras atividades de destruição carregaram implicitamente uma profunda hostilidade contra as novas máquinas e contra o marco organizador da produção que essa tecnologia impunha. (Edgar de Decca. O nascimento das fábricas, 1982. Adaptado.) De acordo com o texto, os movimentos dos quebradores de máquinas, na Inglaterra do final do século XVIII e início do XIX,
  22. 112. UNICENTRO 2007
    Segundo Marx, “era necessário tempo e experiência para o trabalhador aprender a distinguir a maquinaria de sua aplicação capitalista e atacar não os meios materiais de produção, mas a forma social como são explorados.” (MARX, In: Faria, 1989, p. 24). O pensamento expresso no texto faz uma crítica
  23. 113. UNESP 2013
    No final do século XVIII, a Inglaterra mantinha relações comerciais regulares com várias regiões do continente africano. O interesse de ingleses nesse comércio derivava, entre outras coisas, da necessidade de
  24. 114. UNEMAT 2013
    Como resultado da Revolução Industrial, combinada com o domínio dos oceanos e a expansão comercial, a riqueza da Inglaterra dobrou entre 1712 e 1792. Em 1808, a Inglaterra estava começando a estender aos quatro cantos da Terra o maior império que a humanidade tinha conhecido até então. GOMES, Laurentino. 1808. 2.ed. Rio de Janeiro: Planeta Brasil, 2007 (Adaptado).   O fragmento possibilita a seguinte interpretação:
  25. 115. UFU 2000
    São fatores associados à construção da Modernidade e à expansão do capitalismo na Europa entre os séculos XIV e XVII: I- as ideias de Calvino na Reforma Protestante, as quais ajustavam-se aos planos de enriquecimento da burguesia, ao afirmar que a riqueza material era sinal da graça divina e não mais pecado ou usura, favorecendo os que investiam e queriam lucros crescentes nos negócios . II- a formação do Estado nacional, no qual a burocracia e o exército asseguravam a unidade políticoadministrativa , fundamentais para que os reis e a burguesia agilizassem o comércio e as transações financeiras, diminuindo os poderes do clero e da nobreza. III- os cercamentos, política de expansão das áreas produtivas, nas quais os camponeses passariam a usar novas técnicas, e o fortalecimento das corporações de ofício, responsáveis pela exploração dos artesãos e pelo surgimento da mais-valia. IV- a eclosão de movimentos culturais, artísticos, literários e científicos, durante a Renascença, incorporando a grande massa da população à cultura letrada e ao progresso da ciência, em contraposição à ignorância e obscuridade da Idade Média. Assinale a alternativa correta.
  26. 116. UNIOESTE 2008
    Sobre o processo de mudanças a que denominamos Revolução Industrial, é INCORRETO afirmar:
  27. 117. PUC-RJ 2000
    Sobre os cercamentos dos campos (enclosures), na Inglaterra, durante a Idade Moderna, é correto afirmar que:
  28. 118. UFT 2014
    “O próprio nome de revolução industrial reflete seu impacto relativamente tardio sobre a Europa. A coisa existia na Inglaterra antes do termo. Os socialistas ingleses e franceses - eles próprios um grupo sem antecessores - só o inventaram por volta da década de 1820, provavelmente por analogia com a revolução política na França. Ainda assim, seria de bom alvitre considerá-la primeiro, por duas razões. Primeiro, porque de fato ela "explodiu" - usando a expressão como um axioma - antes que a Bastilha fosse assaltada; e, segundo, porque sem ela não podemos entender o vulcão impessoal da história sobre o qual nasceram os homens e acontecimentos mais importantes de nosso período e a complexidade desigual de seu ritmo.” Fonte: HOBSBAWM, Eric. A Era das Revoluções. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007, p. 50.   Podemos destacar como um dos fatores históricos, que favoreceu o desenvolvimento da Revolução Inglesa, no século XVII, e que criou as condições indispensáveis para a Revolução Industrial do século XVIII:
  29. 119. UEFS 2015
    Na escola inglesa The School of Life, que abriu filiais no Brasil, o físico irlandês Stephen Little é professor de mindfulness, uma filosofia moderna cuja orientação é estimular as pessoas a ter atenção em cada atividade que desempenham. Little considera os estímulos tecnológicos rivais desta meta e, neoludita, tomou medidas drásticas contra os gadgets. “Não quero me distanciar do que há de prazeroso na vida, como olhar o mundo sem uma tela na frente”, diz. Ele instalou em sua casa um dispositivo que desliga o wi-fi às 6 da tarde e decidiu checar o e-mail apenas duas vezes ao dia. (VILICIC; BEER, 2015, p. 81).   O termo “neoludita”, aplicado ao físico irlandês, se diferencia do movimento ludita, que eclodiu na Inglaterra na primeira fase da Revolução Industrial, porque o
  30. 120. UNCISAL 2009
    A criação de um proletariado despossuído de qualquer propriedade, (...) cultivadores vítimas de expropriações violentas repetidas, foi necessariamente mais rápida que sua absorção pelas nascentes manufaturas. (...) Forma-se uma massa de mendigos, ladrões e vagabundos. Desde o final do século XV e durante todo o século XVI na Europa Ocidental foi criada uma legislação sanguinária contra o ócio. Os pais da atual classe operária foram castigados por terem sido reduzidos à situação de vagabundos e pobres. A legislação os tratava como criminosos voluntários; ela pressupunha que dependia de seu livre arbítrio continuar a trabalhar como antes. (Karl Marx, O Capital. 1969) A situação apontada por Marx refere-se ao processo histórico
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login