Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

MACKENZIE 2011

01. Na cabeceira da mesa, a toalha manchada de coca-cola, o bolo

02. desabado, ela era a mãe. A aniversariante piscou.

03. Eles se mexiam agitados, rindo, a sua família. E ela era a mãe

04. de todos. E se de repente não se ergueu, como um morto se levanta

05. devagar e obriga mudez e terror aos vivos, a aniversariante ficou

06. mais dura na cadeira, e mais alta. Ela era a mãe de todos. E como a

07. presilha a sufocasse, ela era a mãe de todos e, impotente à cadeira,

08. desprezava-os. Todos aqueles seus filhos e netos e bisnetos que

09. não passavam de carne de seu joelho, pensou de repente como se

10. cuspisse. Rodrigo, o neto de sete anos, era o único a ser a carne de

11. seu coração, Rodrigo, com aquela carinha dura, viril e despenteada.

12. Cadê Rodrigo? Rodrigo com olhar sonolento e intumescido naquela

13. cabecinha ardente, confusa. Aquele seria um homem. Mas, piscando,

14. ela olhava os outros, a aniversariante. Oh o desprezo pela vida que

15. falhava.

Clarice Lispector, “Feliz aniversário”. In: Laços de família

 

Considere as seguintes afirmações:

 

I. No excerto transcrito, a descrição inicial (linhas 01 e 02) não só caracteriza o ambiente da narrativa como também aponta, conotativamente, para a ideia de desconstrução de um modelo familiar.

II. A frase "E como a presilha a sufocasse" (linhas 06 e 07), no contexto em que está inserida aponta, denotativamente, para o incômodo provocado pelo traje de festa e, conotativamente, para a angústia existencial da personagem.

III. É índice da contemporaneidade de Clarice Lispector a visão idealizada das relações familiares, inscrita, por exemplo, no sentido do título do conto (“Feliz aniversário”) e da coletânea (Laços de família).

 

Pode-se inferir que

Escolha uma das alternativas.