Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

MACKENZIE 2014

Distantes geograficamente, é natural que o português do Brasil e o de Portugal presentassem, desde o Período Colonial, traços linguísticos que os particularizassem e diferenciassem. Não é simples, porém, determinar em que momento isso passou a ocorrer mais fortemente.


Os primeiros colonos que para cá vieram (século XVI, principalmente) passaram quase sempre por um processo de “indianização”, dada a precariedade da estrutura colonial do período. A partir, contudo, do final do século XVI ou início do século XVII, nas áreas centrais da Colônia (Bahia e Pernambuco), houvenúcleos de colonização que não se indianizaram, ao menos não  intensamente.


Esses novos colonos sentiam-se como “exilados”, e não como brasileiros. Procuravam manter a cultura europeia, evitando as influências tropicais. Linguisticamente, essa postura parece ter desenvolvido uma norma conservadora, que manteria o falar brasileiro relativamente infensoàs inovações que se processaram em Portugal.
Adaptado de Paulo Bearzoti Filho, em Formação linguística do Brasil.

 

 

Considere as seguintes afirmações:

 

I. indianização refere-se ao processo de escravização e morte de indígenas no período colonial brasileiro.

 

II. O verbo “haver” também pode ser flexionado no plural no trecho em que está empregado.

 

III. infenso pode ser corretamente substituído por “contrário”, sem prejuízo do sentido original do texto.

 

 

Assinale a alternativa correta.

Escolha uma das alternativas.