Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

PUC-GO 2015

I
Corre em mim
(devastado)
um rio de revolta

e
cicio.
Por nada deste mundo
há de saber-se afogado,
senão por sua sede
e seu desvio!

 

II
Tudo que edifico
na origem milenar da espera
é poder
do que não pode
e se revela
 

ad mensuram.
(VIEIRA, Delermando. Os tambores da tempestade. Goiânia: Poligráfica, 2010. p. 23-24.)

 

 

A fala da lírica de Delermando Vieira, na sua maneira enigmática e obscura, exprime as perspectivas da lírica contemporânea, que não pode ser colocada em dúvida quanto à sua significação. Nesse sentido, sua obra poética tem como prioridade a polissemia da linguagem com seus mistérios e matizes, mesmo que esse poeta seja acusado muitas vezes de enigmático. No entanto, a poesia é mesmo um enigma e um ouriço não muito acessível. Considerando a poesia de Delermando Vieira e tendo como exemplo o texto selecionado, marque a alternativa verdadeira:

Escolha uma das alternativas.