Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

PUC-RJ 1998

Os movimentos emancipacionistas ocorridos nas Américas, em fins do século XVIII e início do XIX, expressaram a busca de autonomia por parte de poderes locais consolidados nas colônias, que não mais aceitavam as imposições metropolitanas. Dentre algumas circunstâncias que serviram para aprofundar os conflitos entre as metrópoles europeias e suas colônias, podemos citar:

 

1. a rápida expansão das ideias liberais, após a Revolução Francesa, o que contribuiu para legitimar sentimentos contrários à manutenção dos laços de dominação identificados ao Estado Absoluto e à continuidade de segmentos privilegiados da administração nas Américas.

 

2. a restrição à experiência de autogoverno vivenciada pelas colônias inglesas, em função do ônus financeiro imposto aos seus habitantes a partir da Guerra dos Sete Anos (1756-63) e do maior controle metropolitano identificado à implementação das Leis Intoleráveis (1774).

 

3. o avanço dos interesses e relações comerciais britânicos, fazendo com que, desde a época das reformas administrativas dos Bourbons na América Espanhola e de Pombal na América Portuguesa, a monarquia inglesa se mostrasse mais favorável à independência dessas colônias.

 

4. o envio de tropas metropolitanas para auxiliar a Espanha na resolução de sua questão colonial, no combate aos colonos e colonizados insurrectos que, em um movimento comum e ampliado, propunham o fim da ordem monárquica e a soberania política para suas regiões.

 

Assinale:

Escolha uma das alternativas.