Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

Exercícios de Arte

Listagem de exercícios

UEG 2003

TEXTO 1

A MINHA ESTEIRA

 

Aqui mais bela junto a mim se deita
Cantando a minha amante feiticeira;
Sou feliz como as ternas andorinhas
E meu leito de amor é minha esteira!

 

Nem o árabe Califa, adormecendo
Nos braços voluptuosos da estrangeira
Foi no amor da sultana mais ditoso
Que o poeta que sonha em sua esteira!

 

Aqui no vale respirando à sombra
Passo cantando a mocidade inteira;
Vivo de amores; morrerei sonhando
Estendido ao luar na minha esteira.

AZEVEDO, Álvares de. Melhores poemas. Seleção de Antônio Cândido. 4 ed. São Paulo: Global, 2001. p. 93.
 

TEXTO 2

O POETA MORIBUNDO

 

Poetas! amanhã ao meu cadáver
Minha tripa cortai mais sonorosa!...
Façam dela uma corda e cantem nela
Os amores da vida esperançosa!

...

Coração, por que tremes? Se esta lira
Nas minhas mãos sem força desafina,
Enquanto ao cemitério não te levam,
Casa no marimbau a alma divina!

 

Eu morro qual nas mãos da cozinheira
O marreco piando na agonia...
Como o cisne de outrora... que gemendo
Entre os hinos de amor se enternecia.

AZEVEDO, Álvares de. Melhores poemas. Seleção de Antônio Cândido. 4 ed. São Paulo: Global, 2001. p. 76.

 

TEXTO 3

NECROLÓGIO DOS DESILUDIDOS DO AMOR

 

Os desiludidos do amor
Estão desfechando tiros no peito.
Do meu quarto ouço a fuzilaria.
As amadas torcem-se de gozo.
Oh quanta matéria para os jornais.

 

Desiludidos mas fotografados,
escreveram cartas explicativas,
tomaram todas as providências
para o remorso das amadas.
Pum pum pum, adeus, enjoada.
Eu vou, tu ficas, mas nos veremos
seja no claro céu ou turvo inferno.

 

Os médicos estão fazendo a autópsia
dos desiludidos que se mataram.
Que grandes corações eles possuíam
vísceras imensas, tripas sentimentais
E um estômago cheio de poesia...

ANDRADE, Carlos Drummond. de. Antologia poética. Rio de Janeiro: Record, 2001. p.194.​

 

Analise as afirmações a seguir.

 

I. Álvares de Azevedo, no fragmento 1, apresenta o ideal romântico de amor: mulher inatingível; clima de sonho; intimismo confessional e excesso de sentimento, como se pode perceber no verso “vivo de amores, morrerei sonhando”.

II. O humor sarcástico e a autoironia de Álvares de Azevedo, no fragmento 2, assemelham-se à maneira irônica com que Carlos Drummond de Andrade, poeta modernista, dirige-se aos desiludidos do amor, no fragmento 3. Isso revela o caráter dual da poesia desse poeta romântico, que ora apresenta, como ele próprio afirma, um “mundo visionário e platônico”, ora demonstra uma subversão às convenções românticas.

III. O uso de palavras consideradas antipoéticas como “enjoada”, “vísceras”, “tripas”, “estômago”, “autópsia”, no texto de Drummond, revela uma tendência modernista que já era praticada pela maioria dos poetas românticos brasileiros, como é o caso de Álvares de Azevedo, no texto 2.

IV. Os três textos confirmam uma forma passiva de ver a realidade, ao apresentar a morte como a principal saída para a redenção dos sofrimentos amorosos.

 

Assinale a alternativa CORRETA:

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login