Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UEG 2003

TEXTO 1

A MINHA ESTEIRA

 

Aqui mais bela junto a mim se deita
Cantando a minha amante feiticeira;
Sou feliz como as ternas andorinhas
E meu leito de amor é minha esteira!

 

Nem o árabe Califa, adormecendo
Nos braços voluptuosos da estrangeira
Foi no amor da sultana mais ditoso
Que o poeta que sonha em sua esteira!

 

Aqui no vale respirando à sombra
Passo cantando a mocidade inteira;
Vivo de amores; morrerei sonhando
Estendido ao luar na minha esteira.

AZEVEDO, Álvares de. Melhores poemas. Seleção de Antônio Cândido. 4 ed. São Paulo: Global, 2001. p. 93.
 

TEXTO 2

O POETA MORIBUNDO

 

Poetas! amanhã ao meu cadáver
Minha tripa cortai mais sonorosa!...
Façam dela uma corda e cantem nela
Os amores da vida esperançosa!

...

Coração, por que tremes? Se esta lira
Nas minhas mãos sem força desafina,
Enquanto ao cemitério não te levam,
Casa no marimbau a alma divina!

 

Eu morro qual nas mãos da cozinheira
O marreco piando na agonia...
Como o cisne de outrora... que gemendo
Entre os hinos de amor se enternecia.

AZEVEDO, Álvares de. Melhores poemas. Seleção de Antônio Cândido. 4 ed. São Paulo: Global, 2001. p. 76.

 

TEXTO 3

NECROLÓGIO DOS DESILUDIDOS DO AMOR

 

Os desiludidos do amor
Estão desfechando tiros no peito.
Do meu quarto ouço a fuzilaria.
As amadas torcem-se de gozo.
Oh quanta matéria para os jornais.

 

Desiludidos mas fotografados,
escreveram cartas explicativas,
tomaram todas as providências
para o remorso das amadas.
Pum pum pum, adeus, enjoada.
Eu vou, tu ficas, mas nos veremos
seja no claro céu ou turvo inferno.

 

Os médicos estão fazendo a autópsia
dos desiludidos que se mataram.
Que grandes corações eles possuíam
vísceras imensas, tripas sentimentais
E um estômago cheio de poesia...

ANDRADE, Carlos Drummond. de. Antologia poética. Rio de Janeiro: Record, 2001. p.194.​

 

Analise as afirmações a seguir.

 

I. Álvares de Azevedo, no fragmento 1, apresenta o ideal romântico de amor: mulher inatingível; clima de sonho; intimismo confessional e excesso de sentimento, como se pode perceber no verso “vivo de amores, morrerei sonhando”.

II. O humor sarcástico e a autoironia de Álvares de Azevedo, no fragmento 2, assemelham-se à maneira irônica com que Carlos Drummond de Andrade, poeta modernista, dirige-se aos desiludidos do amor, no fragmento 3. Isso revela o caráter dual da poesia desse poeta romântico, que ora apresenta, como ele próprio afirma, um “mundo visionário e platônico”, ora demonstra uma subversão às convenções românticas.

III. O uso de palavras consideradas antipoéticas como “enjoada”, “vísceras”, “tripas”, “estômago”, “autópsia”, no texto de Drummond, revela uma tendência modernista que já era praticada pela maioria dos poetas românticos brasileiros, como é o caso de Álvares de Azevedo, no texto 2.

IV. Os três textos confirmam uma forma passiva de ver a realidade, ao apresentar a morte como a principal saída para a redenção dos sofrimentos amorosos.

 

Assinale a alternativa CORRETA:

Escolha uma das alternativas.