Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UEG 2005

Clonagem

Woo-Suk Hwang, cientista que clonou embriões para estudo, alega que técnica não serve para fins reprodutivos.

Folha– O governo da Coréia do Sul tem apoiado muito as pesquisas do seu grupo. As leis coreanas não são flexíveis demais para a condução de pesquisas?

Hwang– Boa pergunta. Na verdade, na Coréia, temos agora a chamada Lei de Bioética e Biossegurança, que começou a vigorar em janeiro de 2005. Nós tivemos de continuar nossa pesquisa sob as regulamentações e instruções estabelecidas pela lei. Só então o governo passou a apoiar totalmente a nossa pesquisa.

Folha– Que tipo de restrição essa nova lei impôs ao seu grupo?

Hwang – A clonagem reprodutiva é proibida. Aliás, eu sou fortemente contra a clonagem reprodutiva humana. Eu acho que ela é anti-ética, arriscada e impossível. Já a clonagem terapêutica é permitida, sob regras estritas. Só pudemos fazer nossos experimentos em condições bem específicas, como ar e temperatura [controlados] e monitoramento de sistemas de congelamento.

NOGUEIRA, S. Copiar humano é impossível, diz coreano. Folha de S. Paulo, São Paulo, 8 jun. 2005, p. A21. Folha Ciência.

 

De acordo com a leitura do texto, julgue as proposições a seguir:

 

I. O pronome “nós”, utilizado pelo cientista sul-coreano, em sua primeira resposta à Folha de S. Paulo, indica que ele está se referindo tanto a si mesmo como também à sua equipe de pesquisa.

II. O pronome “nossos”, na segunda resposta do cientista, indica que os “experimentos” são posse tanto do pesquisador quanto do grupo com o qual ele trabalha.

III. O pronome “eu”, também na segunda resposta do cientista, expressa a opinião pessoal do cientista em relação à clonagem reprodutiva.

 

Da análise das proposições, conclui-se que

Escolha uma das alternativas.