Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UFAM 2010

“Causa excelente impressão, e ao mesmo tempo acentua as expectativas quanto às primeiras medidas do novo governo, o discurso do presidente Fernando Collor no Congresso Nacional. Longe das exaltações de campanha, mas com impressionante firmeza, o presidente assumiu compromissos com uma linha pragmática que dificilmente mereceria algum reparo (...) Trata-se de um pronunciamento não só adequado aos imperativos da atual circunstância, como também hábil no que aponta para uma abrangência real de visões políticas. (...) O encadeamento do discurso, as ênfases bem dosadas em cada ponto que se abordava – da ecologia ao cenário internacional, da profissão de fé democrática ao diagnóstico da crise econômica -, suscitam a impressão de um pronunciamento planejado cuidadosamente, e vêm aguçar a esperança de que as idéias ali inscritas se traduzem na prática. (...) Mas se o futuro governo corresponderá de fato ao que se propõe, eis uma pergunta que se torna mais candente à medida mesma que seu programa, de forma nítida e inteligente, aponta para soluções corretas e imprescindíveis na conjuntura brasileira”.

Folha de São Paulo, 16 de março de 1990, Caderno A, p.2.

Nesta passagem do Editorial do periódico Folha de São Paulo, é perceptível a crença de que o governo recém-empossado do presidente Fernando Collor de Mello – conhecido outrora como “o caçador de marajás” – promovesse a redenção política, econômica e social do Brasil, que vinha sendo castigado pela hiper-inflação e por graves desequilíbrios sociais. Todavia, ao longo do período entre 1990 e 1992, as esperanças dessa redenção foram frustradas por uma série de desajustes políticos e econômicos, que culminariam com o impeachment de Fernando Collor em dezembro de 1992. Das alternativas a seguir, assinale aquela que não está relacionada ao governo Collor.

 

Escolha uma das alternativas.