Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UFLA 2014

LIRA 77

 

Eu, Marília, não fui nenhum vaqueiro,
fui honrado pastor da tua aldeia;
vestia finas lãs e tinha sempre
a minha choça do preciso cheia.
Tiraram-me o casal, e o manso gado,
nem tenho, a que me encoste, um só cajado.

 

Para ter que te dar, é que eu queria
de mor rebanho ainda ser o dono;
prezava o teu semblante, os teus cabelos
ainda muito mais que um grande Trono.
Agora que te oferte já não vejo
além de um puro amor, de um são desejo.

 

Se o rio levantado me causava,
levando a sementeira, prejuízo,
eu alegre ficava, apenas via
na tua breve boca um ar de riso.
Tudo agora perdi; nem tenho o gosto
de ver-te aos menos compassivo o rosto.

 

Propunha-me dormir no teu regaço
as quentes horas da comprida sesta,
escrever teus louvores nos olmeiros,
toucar-te de papoulas na floresta.
Julgou o justo Céu, que não convinha
que a tanto grau subisse a glória minha.
[...]

GONZAGA, Tomás Antônio. Marília de Dirceu. São Paulo: Ática, 1999.

 

O fragmento pertence à segunda parte de Marília de Dirceu, de Tomás Antônio Gonzaga. Sobre esse fragmento, é CORRETOafirmar que um pastor se dirige à Marília:

Escolha uma das alternativas.