Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UFMS 2008

Porque existem duas línguas no Brasil: o português e o gramatiquês que os professores insistem que os alunos escrevam. Digo escrevam porque é absolutamente impossível falar o gramatiquês. (...) Mas manejar bem a linguagem de todos os dias, isso ninguém ensina. Atocham a cabeça dos pobrezinhos com Camões e outras ginásticas, como se todos eles só estudassem para professor de literatura. A conseqüência pior é que os alunos perdem o poder de expressão.

 

Tolhidos pelo gramatiquês, amedrontados pelas prateleiras de regras e exceções, ficam no “assim né”. Aí os velhos intransigentes erguem o nariz e dizem: “Que horror, a juventude de hoje não sabe falar!” É, de fato, (...) fora da intimidade (onde usam e usam muito bem o português), eles se sentem totalmente inibidos. (...) Está na hora de acabar com essa chatice e transformar os cursos de português em cursos de comunicação.(...) Ensinar português vivo e não esse cadáver que os estudantes são obrigados a arrastar até a Universidade.

JOCKYMAN, Sérgio. Gramatiquês. In: MANDRYK, D.; FARACO, C. A. Português atual: leitura e redação. Petrópolis: Vozes, 1984. p. 10

 


A relação entre o “português” e o “gramatiquês”, no texto de Sérgio Jockyman, pode ser caracterizada por todas as oposições abaixo, EXCETO

Escolha uma das alternativas.