Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

Exercícios de Gramática

Listagem de exercícios

UFRGS 2016

André Devinne procura cultivar a ingenuidade – uma defesa contra tudo o que não entende. Pressente: há alguma coisa irresolvida que está em parte alguma, mas os nervos sentem- ........ . Quem sabe seja uma espécie de vergonha. Quem sabe o medo enigmático dos quarenta anos. Certamente não é a angústia de se ver lavando o carro numa tarde de sábado, um homem de sua posição. É até com delicadeza que se entrega ao sol das três da tarde, agachado, sem camisa, esfregando o pano sujo no pneu, num ritual disfarçado em que evita formular seu tranquilo desespero. Assim: ele está numa guerra, mas por acaso; de onde está, submerso na ingenuidade, à qual se agarra sem saber, não consegue ver o inimigo. Talvez não haja nenhum.

 

– Filha, não fique aí no sol sem camisa.

 

A menina recuou até a sombra. Agachouse, olhos negros no pai.

 

– Você vai pra praia hoje?

 

André Devinne contemplou o pneu lavado: um bom trabalho.

 

– Não sei. Falou com a mãe?

 

– Ela está pintando.

 

A filha tem o mesmo olhar da mãe, quando Laura, da janela do ateliê, observa o mar da Barra, transformando aquela estreita faixa de azul acima da Lagoa, numa outra faixa, de outra cor, mas igualmente suave, na tela em branco. Um olhar que investiga sem ferir – que parece, de fato, ver o que está lá.

 

Devinne espreguiçou-se esticando as pernas. Largou o pano imundo no balde, sentou-se e olhou o céu, o horizonte, as duas faixas de mar, o azul da Lagoa, vivendo momentaneamente o prazer de proprietário. Lembrou-se da lição de inglês – It’s a nice day, isn’t it? – e tentou ........ de imediato, mas era tarde: o corpo inteiro se povoou de lembrança e ansiedade, exigindo explicações. Estava indo bem, a professora era uma mulher competente, agradável, independente. Talvez justo por isso, ele tenha cometido aquela estupidez. Sem pensar, voltou a cabeça e acenou para Laura, que do janelão do ateliê respondeu-........ com um gesto. A filha insistiu:

 

– Pai, você vai pra praia?

 

Mudar todos os assuntos.

 

– Julinha, o que é, o que é? Vive casando e está sempre solteiro?

 

Ela riu.

 

– Ah, pai. Essa é fácil. O padre!

TEZZA, C. O fantasma da infância. Rio de Janeiro: Ed. Record, 2007. p. 9-10.

 

Considere as seguintes afirmações sobre propostas de alteração de frases do texto.

 

I - Se não entende fosse substituído por desconfia, seria necessário substituir o que por que.

II - Se está fosse substituído por ele não localiza, nenhuma outra alteração seria necessária à frase.

III- Se se agarra fosse substituído por ele se protege, seria necessário substituir à qual por com a qual.

 

Sem considerar alterações de sentido, quais afirmações mantêm a correção da frase?

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login