Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

Exercícios de Gramática

Listagem de exercícios

UFSC 2013

Texto 1 

Old Greenwich, 3 de agosto de 1946.

Clarice,

Uma praia com areia preta. Um jardim todo torto, a grama cheia de folhas secas. Na frente o mar, com um homem barbado dando braçadas. A mulher de touca branca olha para trás dentro d’água, ri do barbado que deve ser seu marido, apesar da barba. A barba fica molhada, colada ao peito, escorrendo água. Na cabeça ele tem uma touca de meia de mulher. Estamos em 1912. No jardim tem uma árvore, debaixo da árvore tem uma mesa de vime, em cima da mesa uma máquina, em frente à mesa uma cadeira de vime e em cima da cadeira eu. Me sinto feito de vime também.[...]

Abraço com muita amizade.

Fernando

 

Texto 2

Berna, 14 de agosto de 1946.

Fernando,

A descrição de Old Greenwich começou muito bem, eu lendo apenas; depois fui entrando em 1912, e entrei em transe – fiquei passeando pela praia com um maillot até os tornozelos e com meu lanche numa cestinha; e depois, na hora do pôr do sol, botei meu chapéu de abas largas até os olhos, meu vestido comprido de linho bordado e me sentei num banco junto de um homem de bigode e chapéu de palha. Que maravilha se a gente pudesse mesmo usar o pó do pirlimpimpim. “Nandinho”, que carta boa a sua. [...]

Um abraço,

Clarice

SABINO, Fernando. Cartas perto do coração – Fernando Sabino, Clarice Lispector. 3. ed. Rio de Janeiro: Record, 2001, p. 42; 52. [Adaptado]

 

Considere as afirmativas abaixo, em relação aos textos 1 e 2.

I. Na construção “ri do barbado que deve ser seu marido” (texto 1), o pronome “que” introduz uma oração relativa que modifica o termo “barbado”.

II. A referência ao ano de 1912, em ambos os textos, é feita pelo uso do verbo no tempo presente, o que produz uma incoerência em relação ao ano de 1946, época em que viviam os autores no momento em que escreveram as cartas.

III. As diferentes temporalidades, expressas em datas diferentes, sinalizam para dois contextos distintos: o contexto real em que viviam os autores das cartas e o contexto ficcional projetado pela imaginação.

IV. Com a frase “Que maravilha se a gente pudesse mesmo usar o pó do pirlimpimpim.” (texto 2), a autora expressa sua opinião acerca da possibilidade de se transportar no espaço e no tempo.

 

Assinale a alternativa CORRETA

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login