Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UNAMA 2007

O produto final do seringueiro, o látex defumado, deveria ser encaminhado ao “patrão” que em troca deveria lhe pagar. Como o seringueiro já vinha devendo desde o Nordeste, o saldo dessas dívidas era difícil. Mas se por um lado o “patrão” exercia seu poder sobre o seringueiro, não raro o prendendo por dívidas, o próprio patrão, nessa chamada “cadeia do aviamento” também estava sujeito aos negociantes estrangeiros a quem exportava o látex coletado.
LACERDA, Franciane. A vida e o trabalho nos seringais. In FONTES, Edilza. Contando a História do Pará. V.I. Belém. E-Motion. 2002.

 

Há poucos anos, milhões de brasileiros assistiram, pela TV Globo, à mini-série Amazônia: de Galvez a Chico Mendes, que mostrou, em vários de seus capítulos , cenas em que se evidenciavam as relações sociais de conflito, presentes no espaço dos seringais, entre seringueiros e seringalistas, a dependência dos primeiros à casa exportadora e esta à exportação do látex para o exterior.

 

A partir da leitura dos textos acima e dos estudos históricos sobre essa temática, podemos afirmar que as
relações de trabalho, construídas no espaço dos seringais, se caracterizavam por um (a):

Escolha uma das alternativas.