Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UNAMA 2008

O Bonde

 

O bonde, cuspindo e engolindo gente, mergulhava nas saborosas entranhas de Belém, macias de mangueiras, quintais com bananeiras espiando por cima do muro, uma normalista, feixes de lenha à porta da taberna, a carrocinha dos cachorros, que os levava para o fogo da Cremação, o moleque saltando no estribo e logo descendo como se fosse pago para aquilo, tabuleiros de pupunha que transpiravam ao sol, a bandeirinha mais roxa que vermelha de açaí, um menino de calça encarnada, o portão arriando ao peso de um jasmineiro em flor. E onde era esse Teatro da Paz [...].

 

A leitura atenta desse parágrafo revela que Dalcídio Jurandir valeu-se de diversos recursos lingüísticos na construção dele. Avalie as afirmações sobre o emprego desses recursos.

 

I. Constata-se que a narração é interrompida para a representação de uma cena em que, apesar do emprego de verbos de ação, não há progressão temporal em razão de as ações e os movimentos serem simultâneos.

II. A linguagem é bastante informativa, típica de texto jornalístico, que utiliza mais o denotativo, por isso não privilegia o emprego de figuras de linguagem.

III. Nesse parágrafo, Dalcídio pratica, com mestria, a literariedade por meio de figuras tais como a prosopopéia, a metáfora e a sinestesia, respectivamente, (“O bonde, cuspindo e engolindo gente, mergulhava nas saborosas entranhas de Belém...”).

 

São corretas as seguintes afirmações:

 

 

 

 

Escolha uma das alternativas.