Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UNESP 2017

Para responder à(s) questão(ões) a seguir, leia o excerto de Auto da Barca do Inferno do escritor português Gil Vicente (1465?-1536?). A peça prefigura o destino das almas que chegam a um braço de mar onde se encontram duas barcas (embarcações): uma destinada ao Paraíso, comandada pelo anjo, e outra destinada ao Inferno, comandada pelo diabo.

Vem um Frade com uma Moça pela mão […]; e ele mesmo fazendo a baixa¹ começou a dançar, dizendo

Frade:Tai-rai-rai-ra-rã ta-ri-ri-rã;
Tai-rai-rai-ra-rã ta-ri-ri-rã;
Tã-tã-ta-ri-rim-rim-rã, huha!

Diabo:Que é isso, padre? Quem vai lá?

Frade:Deo gratias²!Sou cortesão.

Diabo:Danças também o tordião³?

Frade:Por que não? Vê como sei.

Diabo: Pois entrai, eu tangerei⁴
e faremos um serão.
E essa dama, porventura?

Frade:Por minha a tenho eu,
e sempre a tive de meu.

Diabo: Fizeste bem, que é lindura!
Não vos punham lá censura
no vosso convento santo?

Frade: E eles fazem outro tanto!

Diabo: Que preciosa clausura⁵!
Entrai, padre reverendo!

Frade:Para onde levais gente?

Diabo:Para aquele fogo ardente
que não temestes vivendo.

Frade: Juro a Deus que não te entendo!
E este hábito⁶ não me val⁷?

Diabo: Gentil padre mundanal⁸,
a Belzebu vos encomendo!

Frade: Corpo de Deus consagrado!
Pela fé de Jesus Cristo,
que eu não posso entender isto!
Eu hei de ser condenado?
Um padre tão namorado
e tanto dado à virtude?
Assim Deus me dê saúde,
que eu estou maravilhado!

Diabo: Não façamos mais detença⁹
embarcai e partiremos;
tomareis um par de remos.

Frade:Não ficou isso na avença¹⁰.

Diabo:Pois dada está já a sentença!

Frade: Por Deus! Essa seria ela?
Não vai em tal caravela
minha senhora Florença?
Como? Por ser namorado
e folgar c’uma mulher?
Se há um frade de perder,
com tanto salmo rezado?!

Diabo:Ora estás bem arranjado!

Frade: Mas estás tu bem servido.

Diabo:Devoto padre e marido,
haveis de ser cá pingado¹¹…

(Auto da Barca do Inferno, 2007.)

 

¹ - baixa: dança popular no século XVI.
² - Deo gratias: graças a Deus.
³ - tordião: outra dança popular no século XVI.
⁴ - tanger: fazer soar um instrumento.
⁵ - clausura: convento.
⁶ - hábito: traje religioso.
⁷ - val: vale.
⁸ - mundanal: mundano.
⁹ - detença: demora.
¹⁰ - avença: acordo.
¹¹ - ser pingado: ser pingado com gotas de gordura fervendo (segundo o imaginário popular, processo de tortura que ocorreria no inferno).

 

 No excerto, o escritor satiriza, sobretudo,

Escolha uma das alternativas.