Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UNIFESP 2009

Trecho 1

No dia seguinte, encontrei Madalena escrevendo. Avizinheime nas pontas dos pés e li o endereço de Azevedo Gondim.
– Faz favor de mostrar isso?
Madalena agarrou uma folha que ainda não havia sido dobrada.
(...)
– Vá para o inferno, trate da sua vida.
Aquela resistência enfureceu-me:
– Deixa ver a carta, galinha.
Madalena desprendeu-se e entrou a correr pelo quarto, gritando:
– Canalha!
D. Glória chegou à porta, assustada:
– Pelo amor de Deus! Estão ouvindo lá fora.
Perdi a cabeça:
– Vá amolar a p.q.p. Está mouca, aí com a sua carinha de santa? É isto: p.q.p. E se achar ruim, rua. A senhora e a boa de sua sobrinha, compreende? P.q.p. as duas.


Trecho 2
Penso em Madalena com insistência. Se fosse possível recomeçarmos... Para que enganar-me? Se fosse possível recomeçarmos, aconteceria exatamente o que aconteceu. Não consigo modificar-me, é o que mais me aflige.

 

Trecho 3

Paulo Honório cresceu e afirmou-se no clima da posse, mas a sua união com a professorinha idealista da cidade vem a ser o único e decisivo malogro daquela posição de propriedade estendida a um ser humano. (...) romance do desencontro fatal entre o universo do ter e o universo do ser, [a obra] ficará, na economia extrema de seus meios expressivos, como paradigma do romance psicológico e social da nossa literatura. Também aqui vira escritor o herói decaído a anti-herói depois do suicídio da mulher que a sua violência destruíra.
(Alfredo Bosi, História concisa da Literatura Brasileira.)


Os trechos 1 e 2 e as informações de Alfredo Bosi remetem a

Escolha uma das alternativas.