Tenha acesso completo ao Stoodi

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com nossos conteúdos exclusivos!

UNIMONTES 2015

 

Cidades de pequeno e médio porte já convivem com o crescimento dos aglomerados, onde as famílias enfrentam a violência e o tráfico de drogas e vivem sem água, esgoto e educação.

Elas já foram sinônimo de êxodo rural e de crescimento desordenado das capitais e regiões metropolitanas. Hoje, são uma das preocupações das médias e pequenas cidades de Minas Gerais, que assistem, em muitos casos, ao avanço das favelas e dos dramas vividos por quem mora em situação precária, pendurado nas encostas, em vielas e ruas sem asfalto – muitas vezes sem água tratada ou esgotamento sanitário – e à mercê do tráfico de drogas e da violência.

Oficialmente, em Minas, só há favelas em 33 municípios, a maioria delas concentrada em Belo Horizonte e região metropolitana e em polos como Ipatinga, no Vale do Aço, Juiz de Fora, na Zona da Mata, Governador Valadares, no Rio Doce, e Montes Claros, no Norte do estado. Em cidades pequenas, com menos de 50 mil habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), elas só existem em 11 municípios mineiros. Nos outros, são invisíveis, já que, para o instituto, as favelas, ou melhor, aglomerados urbanos subnormais, para usar a mesma terminologia do IBGE, precisam ter, pelo menos, um conjunto de 51 casas, independentemente do tamanho da cidade, para serem reconhecidas como tal.

Disponível em:. Acesso em: 12 set. 2015.

 

De acordo com o texto, assinale a alternativa CORRETA

Escolha uma das alternativas.