Já parou para imaginar como medicamentos, vacinas e tratamentos médicos em geral foram criados? Você pode não ter conhecimento sobre quem inventou cada um no passado, mas saiba que, com certeza, quem estuda essa área hoje em dia faz um curso de Biomedicina.

Tem vontade de trabalhar nessa área, mas não sabe exatamente como é o curso de Biomedicina e o mercado de trabalho? Preparamos este guia completo para que você descobrir tudo o que um biomédico faz, além de entender como funciona o curso e quais são as médias de salário no Brasil, entre várias outras informações.

O que é Biomedicina?

A Biomedicina é uma área científica de atuação na interface entre a Biologia e a Medicina, voltada para as pesquisas de doenças humanas, seus elementos ambientais e epidemiológicos. Tem como objetivo compreender as causas, consequências, sintomas e mecanismos para desenvolver diagnósticos e aprimorar tratamentos.

Trabalhando em conjunto com médicos, farmacêuticos e biólogos, o profissional da Biomedicina é essencial para a área da saúde, ajudando no avanço tecnológico e científico dos conhecimentos acerca das doenças que afetam a humanidade. A versatilidade da profissão permite, ainda, que o biomédico atue em diversas áreas, desde análises clínicas a pesquisas e indústrias.

Resumo do curso de Biomedicina

Com grande foco nas atividades de pesquisa, o curso de Biomedicina é do tipo bacharelado e, hoje em dia, é ofertado tanto na modalidade presencial quanto na modalidade a distância.

Durante o curso, o aluno entrará em contato com as mais diversas áreas do conhecimento. As Ciências Exatas, por exemplo, são essenciais para proporcionar uma base de conhecimento sobre as abordagens e os métodos de Física, Química e Matemática, cruciais no apoio à prática da Biomedicina.

Já o cerne do curso é composto por várias disciplinas das Ciências Biológicas e da Saúde, que são a base da formação do aluno por meio de teoria e prática. Funcionamento de estruturas moleculares, citologia, tecidos e órgãos, imunologia e genética são apenas alguns dos assuntos abordados por essa área do conhecimento.

Por sua vez, as Ciências Humanas e Sociais também marcam presença no curso de Biomedicina, principalmente por meio das discussões sobre ética, legislação, biossegurança, saúde pública, direitos humanos, entre outros.

Duração do curso

O Ministério da Educação (MEC) é o órgão responsável por regulamentar tudo o que diz respeito aos cursos de ensino superior. E, com a Biomedicina, isso não é diferente. Para o MEC, o curso de Biomedicina deve ser feito em, no mínimo, quatro anos, durante cerca de 3.200 horas.

Desse total de horas, 20% são obrigatoriamente destinados às atividades práticas de estágio. Nenhuma faculdade ou universidade está autorizada a oferecer um curso de Biomedicina com carga horária abaixo do estipulado pelo MEC.

Como as opções estão crescendo ao redor do Brasil, caso você se depare com um curso de Biomedicina com menos de 3.200 horas, muito provavelmente ele não é reconhecido pelo Ministério da Educação, o que faz com que seu diploma seja inválido para o exercício da profissão.

Essa carga horária é, inclusive, a mesma para os cursos de Biomedicina a distância. Entretanto, como as atividades práticas são parte fundamental do currículo do curso, é muito provável que você encontre apenas opções na modalidade semipresencial, em que é necessário ir ao polo da instituição ao menos uma vez por semana.

Biomedicina: salário

Não existe, a nível nacional, uma determinação oficial que regulamente um piso salarial para os profissionais da Biomedicina. Dessa forma, o salário de um biomédico varia de Estado para Estado, segundo os acordos coletivos firmados entre os sindicatos.

O Sindicato dos Profissionais de Biomedicina do Estado de São Paulo e o SINDHOSP, por exemplo, definem o piso salarial do biomédico em R$ 2.000, em São Paulo. Já o Estado de Goiás apresenta um cálculo feito de maneira diferente, baseando-se na carga horária de trabalho por semana. Assim, o piso salarial em Goiás pode variar de R$ 1.215,52 (para 24 horas por semana) a R$ 2.225,60 (para 44 horas por semana).

Segundo o site de vagas de emprego Catho, o salário médio para um biomédico no Brasil é de R$ 2.300, variando entre R$ 1.600 e R$ 3.300, dependendo da localidade. Um estagiário de Biomedicina, por exemplo, encontra uma média salarial de R$ 657.

Apesar de o salário de um biomédico variar de acordo com a sua experiência e o cargo ocupado, não há tanta discrepância nos valores praticados no mercado, ao contrário do que acontece com várias profissões. Dessa forma, um supervisor de laboratório ganha, em média, R$ 3.000, enquanto um analista de farmacovigilância recebe cerca de R$ 3.300.

laboratório biomedicina

Curso de Biomedicina

O curso de Biomedicina se baseia em um tripé focado em pesquisa, diagnóstico de excelência e ensino para desenvolver seu currículo. Afinal de contas, é nessas três áreas principais que se dará boa parte da atividade de um biomédico.

Envolvendo várias áreas do conhecimento, o curso de Biomedicina prepara o aluno para atuar no mercado com o desafio de identificar as causas de doenças e desenvolver, por meio de pesquisas, curas e tratamentos para elas.

Enquanto o profissional da Medicina tem como principal atuação o contato direto com o paciente, o biomédico, por sua vez, atua na identificação e no estudo dos microrganismos que causam as doenças, buscando encontrar meios de tratá-las ou preveni-las.

Biomedicina: grade curricular

Como as opções de cursos de Biomedicina no país são cada vez mais vastas, listamos abaixo apenas as disciplinas abordadas no Curso de Ciências Biomédicas da USP (Universidade de São Paulo), uma das instituições de ensino superior mais respeitadas e de maior conceito no Brasil, segundo o Ranking Universitário Folha (RUF), no qual ocupa a primeira posição.

1º Período

2º Período

  • Genética e Evolução;
  • Biologia Tecidual;
  • Bacteriologia;
  • Bioquímica: Estrutura de Biomoléculas e Metabolismo;
  • Biologia Molecular 1.

3º Período

  • Sistemas Nervoso e Endócrino;
  • Biofísica;
  • Biologia Tecidual;
  • Bioquímica: Estrutura de Biomoléculas e Metabolismo;
  • Seminários Gerais;
  • Farmacologia Básica;
  • Imunologia Básica;
  • Bioquímica: Estrutura de Biomoléculas e Metabolismo;
  • Micologia;
  • Virologia.

4º Período

  • Elaboração do Projeto Científico;
  • Sistemas Cardiovascular e Respiratório;
  • Biologia Molecular 2;
  • Introdução à Análise de Dados;
  • Patologia Geral.

5º Período

  • Biologia Molecular da Célula;
  • Prática Laboratorial I;
  • Elaboração do Projeto Científico;
  • Sistemas Renal e Digestório;
  • Imunidade e Imunopatologia;
  • Imunologia Básica;
  • Parasitologia;
  • Imunologia Básica;
  • Epidemiologia.

6º Período

  • Bioética;
  • Prática Laboratorial II;
  • Elaboração do Projeto Científico;
  • Biologia do Desenvolvimento;
  • Biotecnologia e Engenharia Genética;
  • Bacteriologia;
  • Bioinformática e Genômica.

7º Período

  • Estágio Laboratorial I;
  • Elaboração do Projeto Científico;
  • Seminários Avançados I.

8º Período

  • Estágio Laboratorial II;
  • Elaboração do Projeto Científico;
  • Seminários Avançados II.

Disciplinas Optativas e Eletivas

  • Modelos Animais para a Pesquisa Biomédica;
  • Ensaios Pré-Clínicos e Clínicos;
  • Curso Prático de Biologia Molecular Básica no Modelo do Parasita Humano Plasmodium falciparum;
  • Proteômica;
  • Processo Saúde-Doença na Amazônia Brasileira;
  • Gestão de Projetos em Inovação;
  • Neurociência Básica;
  • Métodos de Estudo da Célula e de Tecidos;
  • Microbiologia de Alimentos;
  • Bacteriologia;
  • Micologia;
  • Virologia;
  • Bioquímica: Estrutura de Biomoléculas e Metabolismo;
  • Biologia Celular e Molecular de Parasitas;
  • Bioquímica: Estrutura de Biomoléculas e Metabolismo;
  • Introdução à Análise Computacional de Macromoléculas;
  • Bioquímica: Estrutura de Biomoléculas e Metabolismo;
  • Bioquímica Experimental Avançada;
  • Enzimologia;
  • Biologia Estrutural;
  • Hematologia e Banco de Sangue;
  • Empreendedorismo, Inovação e Propriedade Intelectual;
  • Órgão Adiposo como Centro Regulador do Metabolismo;
  • Biologia do Câncer;
  • Genética e Evolução;
  • Imunologia Básica;
  • Bioquímica: Estrutura de Biomoléculas e Metabolismo;
  • Métodos Laboratoriais de Imunologia;
  • Imunologia Básica;
  • Ecologia Microbiana;
  • Bacteriologia;
  • Micologia;
  • Virologia;
  • Microbiologia Aplicada ao Saneamento Ambiental;
  • Bacteriologia;
  • Virologia;
  • Bioquímica: Estrutura de Biomoléculas e Metabolismo;
  • Química Geral;
  • Química Orgânica;
  • Tecnologia do DNA Recombinante;
  • Bioquímica Experimental;
  • Expressão Gênica;
  • Divulgação Científica;
  • Equilíbrio Ácido-Base do Meio Interno;
  • Fisiologia Renal Básica;
  • Micro-organismos em Biotecnologia;
  • LaTex para Biocientistas;
  • Biologia Molecular na Prática: da clonagem à analise funcional da proteína recombinante;
  • Fisiopatologia das Doenças Infecciosas;
  • Imunologia Básica;
  • Micologia;
  • Virologia;
  • Parasitologia;
  • Patologia Geral;
  • Grandes Endemias;
  • Imunologia Básica;
  • Parasitologia;
  • Patologia Geral;
  • Bioquímica: Estrutura de Biomoléculas e Metabolismo;
  • Regulação Central do Balanço Energético e da Homeostase Glicêmica;
  • Aplicação de camundongos geneticamente modificados como ferramentas metodológicas nas ciências biomédicas;
  • Biofísica de Membranas Básica;
  • Introduction to scientific computing for biological data analysis;
  • Biologia Molecular Computacional;
  • Transporte e Sinalização Celular;
  • Bioquímica Redox.

Faculdade de Biomedicina

Atualmente, o curso de Biomedicina é ofertado em grau de bacharelado em mais de 250 instituições de ensino superior em todo o Brasil. De todas essas universidades e faculdades, mais de 90% são particulares. Entretanto, os nove melhores cursos de Biomedicina do Brasil são encontrados em universidades federais e estaduais. Apesar disso, também há bons cursos de Biomedicina nas faculdades privadas.

A graduação em Biomedicina apresenta ainda caráter extremamente prático, focando nas atividades em laboratório e nas iniciações científicas, principalmente na área de pesquisa. Por isso, boa parte do curso tem como foco a prática dos conhecimentos adquiridos nos períodos iniciais, de característica mais teórica.

Biomedicina EAD

A maioria dos cursos de ensino superior a distância costuma ser ofertada em duas modalidades: totalmente a distância ou semipresencial. Mas, no caso do curso de Biomedicina, isso funciona de maneira diferente. Como uma boa parte da graduação do biomédico se dá em um laboratório, não é possível cursar Biomedicina totalmente online.

Isso significa que o aluno de Biomedicina a distância precisa estar ciente de que precisará frequentar a faculdade ou polo de apoio durante vários dias (muitas vezes mais do que um dia na semana) para assistir às aulas práticas e realizar as atividades em laboratório.

Dessa forma, apenas as disciplinas teóricas são ministradas no modelo a distância e virtual. Ou seja, é possível considerar que o curso de Biomedicina EAD funciona, apenas, na modalidade semipresencial.

Como o curso de Biomedicina no formato a distância ainda é muito recente para as instituições do Brasil, não são todas que conseguiram o reconhecimento do Ministério da Educação (MEC). Por isso, é fundamental que você pesquise a fundo tudo sobre a faculdade em que pretende se matricular. Afinal de contas, um diploma sem reconhecimento do MEC não permite a atuação profissional do biomédico, conforme mencionamos antes.

Nota de corte: Biomedicina

O principal caminho para adentrar no ensino superior no Brasil é, hoje, o Sisu por meio da nota do Enem. Por isso, listamos abaixo as dez maiores e dez menores notas de corte para o curso de Biomedicina em faculdades de todo o país.

Dez maiores notas de corte de Biomedicina

  1. Universidade Federal do Pará – Integral: 827 pontos;
  2. Universidade Federal do Paraná – Integral: 765 pontos;
  3. Universidade Federal Fluminense – Integral: 755 pontos;
  4. Universidade Federal de Minas Gerais – Noturno: 747 pontos;
  5. Universidade Federal do Triângulo Mineiro – Integral: 746 pontos;
  6. Universidade Estadual de Londrina – Integral: 742 pontos;
  7. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – Integral: 732 pontos;
  8. Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – Integral: 731 pontos;
  9. Universidade Federal de Alfenas – Integral: 727 pontos;
  10. Universidade Federal de Uberlândia – Integral: 727 pontos.

Dez menores notas de corte de Biomedicina

  1. Universidade Federal do Piauí (Campus de Parnaíba) – Integral: 686 pontos;
  2. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Campus de Natal) – Noturno: 688 pontos;
  3. Universidade Federal de Pernambuco – Integral: 695 pontos;
  4. Universidade Federal de Goiás (Regional Jataí) – Integral: 697 pontos;
  5. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Campus de Natal) – Integral: 700 pontos;
  6. Universidade Federal de Mato Grosso (Campus Universitário do Araguaia/Barra do Garças) – Integral: 701 pontos;
  7. Universidade Federal da Paraíba – Integral: 704 pontos;
  8. Universidade Federal de Goiás (Regional Goiânia – Campus Samambaia) – Integral: 709 pontos;
  9. Universidade Federal Fluminense – Integral: 718 pontos;
  10. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Integral: 718 pontos.

microscópio biomedicina

Profissional de Biomedicina

O biomédico é o profissional formado em Biomedicina, capaz de atuar em diversos nichos da área de saúde, principalmente em conjunto com outros profissionais, como farmacêuticos, médicos e enfermeiros.

Especialista em doenças, o biomédico é capaz de reconhecer sintomas, efeitos e causas das mais diversas enfermidades, auxiliando na elaboração de tratamentos e diagnósticos cada vez mais precisos.

O que faz?

Apesar de não poder prescrever tratamentos e remédios de maneira direta aos pacientes, o biomédico é um dos principais responsáveis pelo processo de cura. É sua função investigar as mais diversas doenças que afligem humanos, animais ou mesmo plantas.

Essa investigação acontece por meio de estudos, pesquisas e experimentos laboratoriais, sempre em busca de soros e vacinas que, partindo da análise de células, tecidos e resíduos coletados em exames, auxiliem nas descobertas de curas e tratamentos para as doenças.

Perfil de um biomédico

Antes de tudo, o profissional de Biomedicina precisa ser extremamente curioso. É essa curiosidade que estimulará o biomédico a pesquisar e encontrar meios de investigação de doenças e suas atuações nos seres vivos.

Como o biomédico trabalha diretamente com os meios de pesquisa em laboratório, é fundamental que seja organizado e metódico, agindo de acordo com o método científico e, assim, sem assumir verdades absolutas. O raciocínio lógico é uma das principais virtudes de um bom profissional de Biomedicina.

Além disso, como é comum para praticamente qualquer graduação nos dias de hoje, é fundamental que o biomédico tenha um bom nível de inglês, pois praticamente todas as melhores publicações da área de saúde são feitas nessa língua. Assim, não apenas para consulta, mas, também, para escrever os próprios artigos internacionais, dominar o inglês é fundamental para o biomédico.

Para o Ministério do Trabalho, um bom profissional de Biomedicina deve possuir as seguintes habilidades:

  • trabalho em equipe;
  • concentração e dedicação;
  • observação e criatividade;
  • organização e meticulosidade;
  • paciência;
  • habilidade motora fina;
  • acuidade visual;
  • educação continuada;
  • flexibilidade.

Estágio: Biomedicina

O estágio supervisionado é obrigatório para todo e qualquer curso de Biomedicina. Isso inclui, também, os cursos oferecidos na modalidade a distância, fazendo como que se tornem semipresenciais, como explicamos anteriormente.

É no estágio que o aluno de Biomedicina entrará em contato direto com a atuação no mercado de trabalho. Dessa forma, mais do que apenas aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos na escola, o estudante conhecerá, também, o dia a dia de um biomédico, podendo abrir caminho para a conquista de uma vaga profissional.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para o egresso do curso de Biomedicina é, hoje em dia, um dos mais aquecidos do Brasil. Encontra-se em franca expansão, com quase 40 especializações já reconhecidas pelo Conselho Federal de Biomedicina (CFBM). Os profissionais podem optar por investir em uma carreira nas áreas de pesquisa, saúde, alimentos, docência, farmácia, meio ambiente e outras.

Profissão em alta no mercado, a Biomedicina tem como áreas mais promissoras a reprodução humana e a pesquisa genética, principalmente nos estudos de manipulação de células-tronco, por exemplo. Entretanto, um dos nichos que mais abriga biomédicos ainda é o de análises clínicas.

Áreas da Biomedicina

O biomédico encontra um dos maiores leques de opções de atuação no mercado de trabalho. São várias áreas em que ele pode trabalhar. Abaixo, citamos algumas delas.

Biomedicina Estética

Na Biomedicina Estética, o biomédico trabalha lado a lado com dermatologistas e cirurgiões plásticos, desenvolvendo e aplicando tratamentos para doenças, disfunções da pele ou mesmo procedimentos cirúrgicos puramente estéticos.

Análise Ambiental

Nessa área de atuação, a função do biomédico é realizar análises físico-químicas e microbiológicas, trabalhando principalmente na área de saneamento do meio ambiente.

Análise Clínica

Um dos principais nichos da Biomedicina, a Análise Clínica permite ao biomédico realizar exames clínicos em instituições de saúde, assinando laudos que identifiquem as causas de várias doenças.

Análise Bromatológica

É nessa área da Biomedicina que o profissional estuda todas as propriedades químicas dos alimentos, garantindo que não ocorram adulterações no processo que vai desde a fabricação até a distribuição no mercado.

Biofísica

Voltada para a pesquisa, a área da Biofísica investiga os processos fisiológicos de todos os seres vivos utilizando, principalmente, os conceitos provenientes do conhecimento físico.

Indústria

Atuando na indústria, o biomédico é responsável pela elaboração de soros, vacinas, reagentes e outros insumos utilizados no tratamento de doenças.

Genética

Uma das áreas mais promissoras da Biomedicina, a Genética permite ao profissional biomédico realizar pesquisas de leis e processos de transmissão de características hereditárias dos seres humanos. Dessa forma, o pesquisador aplica esses conhecimentos para descobrir, por exemplo, causas de doenças passadas de geração para geração.

Embriologia

Área de atuação muito próxima da genética, a Embriologia permite ao biomédico estudar e pesquisar sobre os processos envolvidos na formação de tecidos e células dos seres vivos.

Diagnóstico por Imagem

Nessa área, o biomédico atua com exames e tratamentos como tomografia computadorizada (TC), ressonância magnética (RM), medicina nuclear (MN), radioterapia (RT), entre outros.

Docência e Pesquisa

Área muito presente nas universidades públicas do Brasil, a docência e a pesquisa permitem ao biomédico desenvolver projetos de pesquisa paralelos às atividades como professor, tanto em aulas teóricas quanto práticas.

Farmacologia

Na Farmacologia, o biomédico é responsável pelo estudo das propriedades, dos efeitos e dos usos dos mais diversos medicamentos para o tratamento e a cura de doenças.

Símbolo da Biomedicina

O símbolo da Biomedicina é composto por diferentes elementos que, dialogando entre si, representam a união dos conhecimentos científicos da Biologia e da Medicina.

Cercado por ornamentos que simulam uma cadeia de DNA, representando controle sobre os processos, o símbolo da Medicina é composto por uma cruz verde sobreposta por um microscópio. Enquanto a cruz apresenta o mesmo formato da Cruz Vermelha, remetendo à Medicina, o microscópio tem como função representar o conhecimento da Biologia.

Apesar de unir os conhecimentos de Biologia e Medicina, o símbolo da Biomedicina não traz nenhum tipo de símbolo exclusivo das duas áreas. Isso porque o símbolo da Medicina é o Bastão de Asclépio, enquanto o símbolo da Biologia é composto por um círculo folheado e um espiral.

A Biomedicina tem, ainda, a esmeralda, uma pedra verde, representando o renascimento, como símbolo do curso.

O profissional biomédico exerce um papel muito importante nos procedimentos que permitem ao ser humano conhecer mais sobre sua própria saúde e as doenças que o afligem. É papel daquele que exerce a Biomedicina encontrar meios para conhecer de maneira cada vez mais profunda todas as nuances que dizem respeito aos agentes que causam as doenças, seus efeitos e o respectivo processo de cura.

Gostou do nosso guia da Biomedicina? Tem vontade de se tornar um biomédico e ajudar na cura de doenças? Então não deixe de conferir o nosso plano de estudos. Com ele, você organiza o seu tempo e aproveita ainda mais para estudar para os vestibulares e o Enem!