Você tem vontade de cursar Enfermagem? Sabia que esse curso é um dos que mais oferece empregabilidade no Brasil? Além disso, ainda é uma das opções mais concorridas dos vestibulares e do Sisu via Enem!

Está na dúvida sobre o curso e quer saber mais sobre a profissão? Neste guia, trouxemos tudo o que você precisa saber sobre Enfermagem! Duração do curso, disciplinas, melhores universidades, mercado de trabalho e atuação de um enfermeiro.

Continue lendo para descobrir tudo isso e muito mais!

O que é Enfermagem?

A Enfermagem é uma ciência que tem como objetivo a implantação e a execução de tratamentos de doenças e enfermidades, tendo sempre em vista o cuidado humanizado ao paciente. Esse cuidado pode ser realizado individualmente, na família ou em comunidades, de modo integral e holístico.

No Brasil, a Enfermagem é uma profissão exercida por enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliares de enfermagem, que, apesar de atuarem na mesma área, têm cargos, funções e formações distintas.

De maneira geral, o conhecimento que rege a atuação de um enfermeiro é construído por meio da interseção entre Filosofia, Ciência e Tecnologia, além de ser guiado pelas noções de ética e responsabilidade nos cuidados de saúde.

Curso de Enfermagem

O curso de Enfermagem, seja ele na modalidade de ensino superior ou técnico, tem como objetivo formar profissionais capacitados para a atuação na prevenção, promoção, proteção e restabelecimento da saúde das pessoas, trabalhando sempre em parceria com outros profissionais da área.

Durante todo o curso, o aluno é qualificado para compreender o estado de saúde do paciente, tendo em vista a tomada de decisões que visem ao seu bem-estar, baseando-se em noções éticas e no compromisso de manutenção dos conhecimentos por meio de atualizações e da educação continuada.

Diferentemente de muitos outros cursos da área de saúde, a Enfermagem tem como principal abordagem o cuidado humanizado com os pacientes. Dessa forma, boa parte do curso tem como foco a discussão de questões éticas e voltadas para a saúde pública.

Como atuam diretamente com os pacientes, os enfermeiros trazem em sua formação uma influência grande de aspectos psicológicos e antropológicos no que diz respeito ao relacionamento com aqueles a quem prestam cuidados de saúde.

Enfermagem: salário

Segundo uma pesquisa realizada pelo Salario.com.br junto ao Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) a média salarial para um profissional de enfermagem é de R$ 3.385,74. Contudo, os valores dos salários variam de acordo com acordos e convenções coletivas, negociados separadamente em cada Estado. Por isso, uma mesma cidade pode apresentar pisos salariais diferentes, caso exista a atuação de mais de um sindicato.

Apesar disso, como é comum acontecer em várias profissões que não têm o piso unificado, COFEN estabelece uma tabela de valores, buscando normatizar a prestação de serviços dessa área. Assim, os procedimentos de Enfermagem são tabelados da seguinte maneira:

  • atividades administrativas: R$ 271 a hora;
  • atividades didáticas: R$ 274 a hora;
  • parto simples: R$ 327 por procedimento por hora;
  • realização de curativo de alta complexidade: R$ 135;
  • nebulização simples: R$ 57;
  • punção arterial: R$ 135;
  • preparo de material para esterilização: R$ 75 a hora.

Obviamente, essa tabela serve apenas como um guia padronizado, de modo que a média salarial varia de acordo com o cargo que o profissional ocupa e, principalmente, o Estado onde atua.

Entretanto, a maior variação salarial acontece de acordo com o cargo ocupado. A seguir, apresentamos algumas médias salariais para os diferentes cargos ocupados por um profissional enfermeiro:

  • Coordenador de Enfermagem: R$ 4.082;
  • Enfermeiro Chefe: R$ 3.140;
  • Enfermeiro de UTI: R$ 3.381;
  • Enfermeiro do Trabalho: R$ 3.207;
  • Enfermeiro Nefrologista: R$ 4.144;
  • Enfermeiro Obstetra: R$ 3.718;
  • Gerente de Enfermagem: R$ 7.662;
  • Professor de Enfermagem: R$ 2.293.

Estágio em Enfermagem

O estágio supervisionado em Enfermagem tem como finalidade desenvolver nos alunos não apenas a compreensão do que foi estudado em sala de aula, mas, principalmente, as diferentes maneiras de aplicação desse conhecimento, realizando uma reflexão sobre a própria prática.

Dessa forma, o estágio é essencial para o estudante de Enfermagem, uma vez que é durante essa atividade que o aluno desenvolverá as habilidades necessárias para realizar as intervenções que fazem parte da profissão, possibilitando a transformação do profissional na vivência da sua prática.

O estágio é, portanto, parte obrigatória dos cursos de Enfermagem, garantindo que o aluno se insira no mercado de maneira natural e experimentando as diversas áreas de atuação de um profissional enfermeiro.

As vagas de estágio podem ser encontradas tanto por meio de parcerias das instituições de ensino com hospitais (como os hospitais universitários das grandes universidades), bem como por conta própria, ofertadas no mercado. Devido à grande demanda por profissionais da área de saúde, conseguir um estágio em Enfermagem não chega a ser uma tarefa muito difícil.

Duração do curso de Enfermagem

É de responsabilidade do Ministério da Educação (MEC) a regulamentação da carga horária de todos os cursos de ensino superior no Brasil. Dessa forma, segundo o órgão, uma graduação em Enfermagem deve apresentar carga horária mínima de quatro mil horas.

Algumas universidades chegam a distribuir essas 4.000 horas em cursos de duração de quatro anos, mas é muito comum encontrar cursos de Enfermagem que durem cinco anos, como acontece com outras graduações da área de saúde. Desse total de horas, 20% deve ser dedicado ao estágio obrigatório, que acontece, geralmente, nos últimos períodos do curso.

Há, ainda, vários profissionais com formação de nível médio atuando no mercado de Enfermagem. Esses optaram pelos cursos técnicos, que duram cerca de dois anos. 

Grade curricular de Enfermagem

Como são várias as opções de cursos de Enfermagem Brasil afora, listamos abaixo apenas as disciplinas abordadas no Curso de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), uma das instituições de ensino superior mais respeitadas e de maior conceito no Brasil, segundo o Ranking Universitário Folha (RUF):

  • Fundamentos de Genética e Evolução;
  • Bioquímica Aplicada à Enfermagem;
  • Saúde Coletiva;
  • Metodologia Científica;
  • Seminário de Integração I;
  • Enfermagem no Contexto Histórico Social;
  • Biofísica;
  • Imunologia;
  • Estatística;
  • Microbiologia Aplicada à Enfermagem;
  • Embriologia Geral;
  • Citologia e Histologia Aplicada à Enfermagem;
  • Anatomia Aplicada à Enfermagem;
  • Seminário de Integração II;
  • Epidemiologia;
  • Saúde Mental;
  • Gestão do Sistema de Saúde;
  • Fisiologia Aplicada à Enfermagem;
  • Neuroanatomia Aplicada à Enfermagem;
  • Capacitação Pedagógica Aplicada à Enfermagem;
  • Farmacologia Aplicada à Enfermagem;
  • Patologia Geral para a Enfermagem;
  • Parasitologia Humana;
  • Gerencia em Saúde e em Enfermagem;
  • Fundamentos do Cuidado de Enfermagem;
  • Sistematização da Assistência de Enfermagem;
  • Elaboração de Projeto de Pesquisa;
  • Enfermagem Clínica e Cirúrgica;
  • Saúde da Mulher;
  • Enfermagem da Criança e do Adolescente;
  • Seminário de Integração III;
  • Enfermagem na Atenção Básica;
  • Gerencia do Cuidado em Saúde e em Enfermagem;
  • Enfermagem Psiquiátrica;
  • Estágio Curricular: Atenção Primária à Saúde;
  • TCC;
  • Estágio Curricular em Unidades de Saúde de Média e Alta Complexidade;
  • Política Educacional;
  • Sociologia da Educação;
  • Psicologia da Educação – Aprendizagem e Ensino;
  • Planejamento Estratégico;
  • Tópicos em Enfermagem I;
  • Tópicos em Enfermagem II;
  • Tópicos em Enfermagem III;
  • Tópicos em Enfermagem IV;
  • Tópicos em Enfermagem V;
  • Tópicos em Enfermagem VI;
  • Tópicos em Enfermagem VII;
  • Tópicos em Enfermagem VIII;
  • Seminários;
  • Discussões Temáticas;
  • Programa de Iniciação à Pesquisa I;
  • Programa de Iniciação à Pesquisa II;
  • Programa de Iniciação à Pesquisa III;
  • Programa de Iniciação à Pesquisa IV;
  • Programa de Iniciação à Docência I;
  • Programa de Iniciação à Docência II;
  • Programa de Iniciação à Docência III;
  • Programa de Iniciação à Docência IV;
  • Programa de Iniciação à Extensão I;
  • Programa de Iniciação à Extensão II;
  • Programa de Iniciação à Extensão III;
  • Programa de Iniciação à Extensão IV;
  • Vivência Profissional Complementar;
  • Práticas Educativas em Saúde;
  • Saúde e Gênero;
  • Epidemiologia nos Serviços de Saúde;
  • Homem, Sociedade e Processo – Saúde e Doenças;
  • Tópico em Enfermagem Infantil e Saúde Pública;
  • Violência e Saúde;
  • Avaliação em Saúde Coletiva;
  • Nutrição e Saúde;
  • Enfermagem do Neonato;
  • Saúde Reprodutiva;
  • Doenças Sexualmente Transmissíveis/AIDS;
  • Tópicos – Enfermagem Materna e Saúde Pública;
  • Tecnologias e Gestão de Serviços de Saúde;
  • Políticas de Saúde no Brasil;
  • Bioética;
  • Saúde Mental e Sociedade;
  • Dependências Químicas na Adolescência;
  • Enfermagem em Terapia Intensiva;
  • Envelhecimento e a Política do Idoso;
  • Comunicação em Enfermagem;
  • Tópicos em Saúde Mental;
  • Processo Gerencial e Gestão de Pessoas;
  • Gerencia de Recursos Materiais;
  • Sistema de Comunicação e Informação;
  • Conflito no Contexto das Organizações de Saúde;
  • Liderança e Trabalho em Equipe;
  • Tópicos em Enfermagem Aplicada I;
  • Tópicos em Enfermagem Aplicada II;
  • Educação e Saúde;
  • Análise de Situações de Conflito no Contexto da Organização de Saúde;
  • Alimentação e Cultura;
  • Ética e Cultura;
  • Primeiros Socorros;
  • Comunicação Base Qualidade Assistência em Enfermagem;
  • Nutrição nos Ciclos da Vida;
  • Epidemiologia das Infecções Hospitalares;
  • Avaliação Nutricional;
  • Teorias de Enfermagem;
  • Tanatologia;
  • Tópico em Enfermagem Básica I;
  • Tópicos em Enfermagem Básica II;
  • Processamento de Artigos Médico Hospitalares;
  • Gerenciamento de Resíduos Hospitalares;
  • Teoria e Técnicas de Trabalho com Grupos;
  • Assistência ao Paciente Crítico;
  • Telessaúde/Telenfermagem;
  • Saúde do Idoso;
  • Biofísica das Radiações;
  • Tópicos em Imunologia: Introdução à Leitura;
  • Antropologia Filosófica;
  • Bases Ecológicas de Desenvolvimento Sustentável;
  • Fundamentos de Libras;
  • Neuroanatomia;
  • Patologia Especial para a Enfermagem;
  • Seminários em Fitoterapia;
  • Introdução à Sociologia.

Faculdade de Enfermagem

É possível encontrar o curso de Enfermagem em diversas faculdades e universidades em todo o Brasil. Atualmente, o curso é oferecido tanto na modalidade presencial quanto no Ensino a Distância (EAD). Para aquelas pessoas que não podem se deslocar para uma sala de aula todos os dias ou mesmo têm algum tipo de dificuldade na disponibilidade de horários, a modalidade a distância é a ideal.

Tanto o currículo do curso a distância quanto o do curso presencial são bastante completos e apresentam duração semelhante, que pode chegar aos 5 anos de formação. Dessa forma, caso a faculdade seja reconhecida pelo MEC, o diploma do curso a distância apresenta a mesma validade do diploma presencial.

Nota de corte Enfermagem

O principal caminho para adentrar no ensino superior no Brasil é, hoje, o Sisu por meio da nota do Enem. Por isso, listamos abaixo as dez maiores e dez menores notas de corte para o curso de Enfermagem em faculdades de todo o país.

Dez maiores notas de corte de Enfermagem

  1. Universidade Federal do Pará – Integral: 809 pontos;
  2. Universidade Federal do Rio Grande do Norte – Integral: 758 pontos;
  3. Universidade Federal do Rio de Janeiro (Cidade Universitária) – Integral: 756 pontos;
  4. Universidade Federal de Alagoas – Integral: 753 pontos;
  5. Universidade Federal do Rio de Janeiro (Campus UFRJ – Macaé) – Integral: 742 pontos;
  6. Universidade Federal de Pernambuco – Integral: 732 pontos;
  7. Universidade Federal de São Paulo – Integral: 728 pontos;
  8. Universidade Federal do Amazonas – Integral: 727 pontos;
  9. Universidade Federal de Santa Catarina – Integral: 725 pontos;
  10. Universidade Federal de Minas Gerais – Matutino: 723 pontos.

Dez menores notas de corte de Enfermagem

  1. Universidade Estadual do Piauí (Campus Dra. Josefina Demes) – Integral: 646 pontos;
  2. Universidade Federal do Acre (Campus Universitário de Cruzeiro do Sul – Campus Floresta) – Integral: 647 pontos;
  3. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE – Campus de Pesqueira) – Integral: 647 pontos;
  4. Universidade Estadual do Piauí (Campus) – Integral: 647 pontos;
  5. Universidade do Estado de Mato Grosso (Campus Universitário de Cáceres) – Integral: 649 pontos;
  6. Universidade do Estado de Mato Grosso (Campus Universitário de Tangará da Serra) – Integral: 650 pontos;
  7. Universidade Federal do Piauí (Campus Senador Helvídio Nunes de Barros) – Integral: 651 pontos;
  8. Universidade Federal do Piauí (Campus Amílcar Ferreira Sobral) – Integral: 652 pontos;
  9. Universidade Estadual de Mato Grosso (Campus Diamantino – Jardim Eldorado) – Integral: 655 pontos;
  10. Universidade do Acre (Campus Universitário) – Integral: 656 pontos.

Enfermagem a distância

O curso de Enfermagem a distância é oferecido, assim como a modalidade presencial, como bacharelado ou licenciatura, apresentando duração de 4 a 5 anos, dependendo da instituição de ensino.

Por ser uma profissão que demanda a ligação dos conhecimentos teóricos às práticas, o curso de Enfermagem EAD apresenta grande parte de sua carga horária alocada em atividades de laboratório, que acontecem nos polos de apoio das instituições de ensino.

Assim como acontece com os cursos presenciais, é fundamental verificar se a faculdade escolhida por você é reconhecida pelo MEC, uma vez que o diploma só terá validade quando for obtido por um curso devidamente reconhecido pelo órgão. Caso contrário, não será possível atuar no mercado de trabalho como enfermeiro.

Entre as instituições autorizadas pelo Ministério da Educação a oferecer o curso de Enfermagem EAD, podemos citar:

O profissional de Enfermagem

O profissional de Enfermagem é o enfermeiro que, com seus conhecimentos obtidos em um curso de nível superior, apresenta competências técnicas, científicas e humanas para ser responsável pela promoção, prevenção e recuperação de saúde dos pacientes sob seus cuidados.

Como integrante de uma equipe de saúde, o enfermeiro participa de ações que têm como objetivo satisfazer as necessidades da população, além de atuar pela defesa de princípios das políticas públicas de saúde e meio ambiente, garantindo o acesso universal à saúde por meio de ativa participação na comunidade.

Segundo os Conselhos Regionais de Enfermagem (CORENs), é parte fundamental do trabalho de um profissional da área o respeito à vida, à dignidade e aos direitos humanos em todas as esferas e dimensões. Deve, portanto, exercer as suas atividades com competência para promover a saúde do ser humano, seguindo os preceitos da ética e da bioética.

Perfil do enfermeiro

Por trabalhar diretamente no cuidado de pacientes em situação debilitada de saúde, é papel do enfermeiro apresentar grande conhecimento técnico, além, é claro, de sensibilidade e empatia. Afinal de contas, o profissional de Enfermagem é aquele que mais tem contato direto com os pacientes e é quem realiza os primeiros cuidados com o paciente que chega com algum ferimento ou crises.

Segundo o Ministério do Trabalho, um bom enfermeiro apresenta, entre outras características:

  • flexibilidade;
  • organização;
  • autocontrole;
  • capacidade de adaptar-se às situações;
  • capacidade de atenção;
  • sensibilidade;
  • destreza manual;
  • capacidade de trabalhar em equipe;
  • capacidade de negociação;
  • capacidade de interpretar linguagem verbal e não verbal;
  • capacidade de liderança;
  • capacidade de saber ouvir;
  • capacidade de efetuar atendimento humanizado;
  • rapidez de raciocínio.

cirurgia enfermagem

Mercado de trabalho

Atualmente, o mercado tem cerca de 69 mil enfermeiros exercendo a profissão. Entretanto, apesar de ter um grande leque de opções de atuação, o mercado de trabalho é cada vez mais competitivo, exigindo dos profissionais especializações e atualizações.

Conforme o profissional ganha em experiência, novas opções passam a surgir, como a docência em níveis médio ou superior, além da assistência de saúde e a atuação em clínicas privadas, empresas e oferecendo serviços como consultor.

Além disso, ainda é possível almejar cargos de chefia, alcançando a gerência de Enfermagem ou a gestão de serviços públicos de saúde, que apresentam os maiores salários do mercado.

Pós-graduação de Enfermagem

Além dos cursos de pós-graduação voltados para o aprofundamento do conhecimento obtido na graduação, o profissional em Enfermagem pode se especializar em áreas específicas, como:

  • Enfermagem do Trabalho;
  • Enfermagem Ambulatorial
  • Enfermagem Pediátrica
  • Enfermagem Obstétrica;
  • Enfermagem Estética.

Cursos de pós-graduação em Enfermagem têm duração, em média, de 12 a 18 meses. Hoje em dia, é possível encontrar cursos na modalidade presencial ou a distância.

O curso de Enfermagem é um dos mais procurados do Brasil, presente em várias instituições de ensino. Como citamos neste guia, as notas de corte atingem altos parâmetros na concorrência do Sisu, o que faz com que o curso seja um dos mais disputados por aqueles que prestam o Enem.

O profissional de Enfermagem é, com toda certeza, um dos mais importantes da área de saúde, sendo sua responsabilidade aplicar os tratamentos designados pelos médicos, o que faz com que os enfermeiros e enfermeiras ocupem uma posição essencial para a plena recuperação dos pacientes.

Gostou do nosso guia completo da Enfermagem? Tem vontade de entrar em um curso superior e se tornar um enfermeiro ou enfermeira? Então não perca mais tempo e confira o nosso plano de estudos! Com ele, você organiza o seu tempo para estudar com mais qualidade e aumentar as suas chances de entrar na universidade!