A responsabilidade de escolher uma profissão, de entender qual é a sua aptidão e de identificar em qual área profissional se encaixa não é uma tarefa fácil. Mas, se você perceber que é atraído por carreiras da área da saúde e que gosta de temas relacionados com alimentação, a Nutrição pode ser a carreira certa!

O texto a seguir responderá todas as dúvidas que um vestibulando possa ter sobre o curso de nutrição e o profissional nutricionista. Entenda como é a faculdade, os estágios, a grade curricular, quais são as áreas de atuação, o mercado de trabalho e tudo que é importante saber para fazer uma boa escolha e mergulhar no magnífico universo da Nutrição.

O que é Nutrição?

A Nutrição é uma ciência que estuda a relação entre a alimentação e um organismo. É um curso da área da saúde que engloba estudos da interação entre os nutrientes e o corpo humano, das necessidades nutricionais em todos os estados clínicos (seja na saúde, seja na doença) e em todos ciclos da vida (do bebê ao idoso).

A importância da Nutrição

A profissão do futuro é, segundo muitos estudiosos, nutricionista. Isso porque vários problemas de saúde pública, no Brasil e no mundo, estão relacionados com a má alimentação. Obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e hipertensão arterial são alguns exemplos de enfermidades que podem ser tratadas a partir de uma adequada alimentação.

Veja outras situações em que é necessária a abordagem nutricional:

  • prevenir doenças e promover a saúde;
  • praticar esportes e saber o que comer antes e depois dos treinos;
  • fazer a transição alimentar do bebê entre o aleitamento materno e a alimentação complementar;
  • manter com o corpo em forma e dentro do peso adequado;
  • melhorar a qualidade de vida, vigor e ânimo.

Curso de Nutrição

O curso tem aulas teóricas e práticas em laboratórios (como o de anatomia humana, técnica dietética e avaliação nutricional), onde os alunos têm a oportunidade de aprender experimentalmente: como é o corpo humano; técnicas de cozimento; preparo dos alimentos e avaliação corporal.

Faculdade de Nutrição

A faculdade fornece ao graduando formado o título de bacharel em Nutrição. O tempo do curso pode variar de 8 a 10 semestres (dependendo da faculdade e do turno de estudo) e, ainda, é necessária a realização tanto de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) quanto a de um estágio supervisionado para o recebimento do diploma.

Estágio: Nutrição

Normalmente, os últimos períodos da faculdade têm os estágios obrigatórios supervisionados. Algumas instituições fazem 3 estágios obrigatórios: nutrição clínica, nutrição social (saúde pública) e alimentação coletiva. Geralmente, as universidades já firmam convênios com hospitais, centros de saúde e restaurantes para encaminharem seus alunos.

Vale destacar ainda que todos os estágios são acompanhados pelos preceptores (nutricionista responsável técnico do setor) e pelos professores da universidade, isto é, o aluno sempre é orientado, até porque ainda está em processo de aprendizagem.

O estudante também pode e deve fazer estágios extracurriculares, escolhendo assim as áreas em que gostaria de trabalhar e pleitear vagas de emprego. Isto fará com que ele tenha a oportunidade de conhecer a realidade do setor e avaliar se é aquilo mesmo que ele imaginava. Esse é um período em que o graduando deve se preocupar primeiramente em aprender e adquirir experiência.

Em relação à remuneração, os salários podem variar bastante, assim como a carga horária, ficando na média de R$ 2.300 por mês, segundo a Catho.

Fazer vários estágios durante a graduação é uma excelente opção, porque proporciona ao estudante aumentar o seu leque de contatos, o que pode refletir em um bom emprego depois de formado.

Nota de corte: Nutrição

Para concorrer a uma vaga de nutrição em uma universidade pública, primeiramente o estudante precisará realizar a prova do Enem, e, posteriormente, realizar a sua inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

A nota de corte no Enem em algumas das principais universidades do país foi:

  • USP (Ribeirão Preto) – 691,96;
  • UnB (Brasília) – 567,61;
  • UFSC (Florianópolis) – 660,96;
  • UFRJ (Rio de Janeiro) – 554,98;
  • UFBA (Vitória da Conquista) – 554,77;
  • UFBA (Salvador) 557,03;
  • UFCSPA (Porto Alegre) – 548,32;
  • UFES (Vitória) – 578,23;
  • UFG (Goiânia) – 566,08;
  • UFJF (Juiz de Fora) – 564,03;
  • UFMG (Belo Horizonte) – 569,7.

Grade Curricular: Nutrição

A grade curricular de Nutrição é bem abrangente com a maior parte das matérias da área biológica, mas com algumas pinceladas de humanas e exatas. Isso se dá porque é um curso da saúde, mas que também precisa entender de comportamento humano e sobre cálculos das dietas. A seguir, algumas disciplinas a serem contempladas durante a graduação:

  • Anatomia Humana;
  • Fisiologia Humana;
  • Bioquímica;
  • Nutrição e Dietética;
  • Composição dos Alimentos;
  • Saúde Pública;
  • Psicologia da Nutrição;
  • Técnica Dietética;
  • Gastronomia;
  • Bromatologia;
  • Análise Sensorial dos Alimentos;
  • Farmacologia;
  • Imunologia;
  • Nutrição nos Ciclos da Vida;
  • Nutrição Esportiva;
  • Nutrição Funcional;
  • Alimentação Coletiva;
  • Planejamento de Cardápio;
  • Nutrição e Meio Ambiente;
  • Patologias;
  • Dietoterapia;
  • Ética e Nutrição;
  • Alimentação e Cultura;
  • Química;
  • Microbiologia;
  • Genética;
  • Gestão de unidades de refeição.

 

frutas nutrição

Nutrição EAD

A opção de ensino a distância surge como uma alternativa para sair da grande concorrência de candidatos por vaga das universidades públicas e dos altos valores das mensalidades das faculdades privadas. A nutrição EAD tem uma distribuição de aulas online e presenciais.

É uma exigência do MEC que exista um percentual significativo de carga horária presencial, devido ao curso de ter um caráter tão prático. Sendo assim, 40 % das aulas são online e 60% presenciais em sala de aula e laboratórios.

Áreas da Nutrição

Nutrição clínica

É o ramo que atua em prevenção e tratamento de enfermidades. O nutricionista clínico trabalha em hospitais, clinicas, consultórios particulares, unidades de pronto atendimento, unidades de referência secundária. Algumas das mais comuns patologias a serem tratadas são: doença renal crônica, diabetes, câncer, doenças cardiovasculares, hipertensão, pós-cirúrgicos, entre outras.

Nutrição enteral

A nutrição enteral é uma via de alimentação alternativa na impossibilidade de o paciente comer pela boca, que é a via oral.

Como funciona: é passada uma sonda do nariz até o estômago, que é chamada sonda nasogástrica, ou do nariz até o intestino, que é chamada sonda nasoentérica. Esse será o acesso de alimentação. Uma dieta artesanal enteral (comida batida no liquidificador) ou uma dieta industrializada (já pronta) é prescrita pelo nutricionista, levando em consideração as calorias e os nutrientes de que esse indivíduo necessita diariamente.

Quando o paciente não tem prognóstico de voltar a se alimentar pela boca, é realizada a transição da sonda naso para a gastrostomia. Por meio de uma pequena cirurgia, é feito um acesso, uma abertura, direto no estômago.

A dieta é passada por essa sonda pelo modo gravitacional: um frasco de 300 ml é acoplado no início da sonda e a dieta corre sozinha por ação da gravidade, ou em bólus, que é com o auxílio de seringas de 60 ml direto no acesso da gastrostomia.

Nutrição parenteral

A nutrição parenteral é usada na impossibilidade de utilizar a via oral e enteral e acontece em casos mais graves e a nível hospitalar. O acesso é feito direto na veia do paciente e são passados somente nutrientes.

Saúde coletiva

Também conhecida como nutrição social ou saúde pública. Esse profissional vai atuar nos setores públicos do país, ou seja, no SUS, podendo estar lotado em hospitais, Unidades de Pronto Atendimentos – UPA, centros de saúde, integrando a equipe do Núcleo de Apoio a Saúde da Família – NASF, em Unidades de Referência Secundária – URS. Aqui também se estudam as políticas públicas de saúde e os programas de nutrição do governo que visam cuidar da saúde e atender à população.

Nutrição esportiva

É o ramo que trabalha com atletas (amadores e profissionais) e com praticantes de atividade física. Os locais são os mais diversos: academias, centro esportivos, clubes de esporte ou, como contrato para acompanhar um atleta em específico. A alimentação adequada em quantidades, qualidade e horários fazem total diferença para o rendimento desses atletas, podendo culminar na vitória ou na derrota da competição.

Atletas de elite são as pessoas que mais levam o nutricionista a sério. Eles seguem à risca toda a prescrição nutricional porque sabem, e muito bem, que isso pode ajudá-los a trazer a tão almejada medalha para a casa. É um trabalho bonito, minucioso e de cálculos perfeitos do nutricionista para que a alta performance do atleta seja alcançada. Em recompensa, fazer parte da equipe de um campeão olímpico é de encher os olhos.

Alimentação coletiva

Conhecida pelos nutricionistas como “produção”, é a parte da nutrição que se aplica produzir e servir refeições. Quem está nesse ramo pode trabalhar para o setor público ou privado, como em:

  • restaurante popular: uma iniciativa do governo em vender refeições a baixo custo. É uma estratégia da política de segurança alimentar e nutricional;
  • Serviço de Nutrição e Dietética – SND: em outras palavras, é a cozinha que produz as refeições dos pacientes em um hospital;
  • Unidade de Alimentação e Nutrição – UAN: empresas e indústrias;
  • restaurantes comerciais;
  • restaurantes de universidades e escolas.

Esse setor de atuação exige habilidades não só de nutrição, mas também de gestão, administração e liderança, visto que o nutricionista é o gestor da unidade. É o responsável por comandar a equipe, contratar e treinar funcionários, fazer as compras, controlar os custos e estoque.

Na alimentação coletiva, é preciso ter o controle higiênico-sanitário para que a refeição servida seja isenta de contaminação, seja ela física (pedaço de plástico, fio de cabelo, vestígios de embalagens etc.), química (insumos químicos, inseticidas, metais pesados, aditivos não autorizados, detergente) ou biológica (bactérias, vírus, fungos, protozoários).

Nutrição funcional

Nessa linha, o nutricionista da área clínica atua com um olhar de rastreamento de sinais e sintomas do paciente e fornecendo um tratamento nutricional individualizado, sendo respeitada a bioquímica de cada um. O tratamento nutricional é feito por orientações nutricionais, prescrição de uma dieta rica em alimentos ditos como funcionais e suplementação de nutrientes, quando necessário.

Nutrição comportamental

Uma linha da nutrição bem atual, em que o paciente é visto como um todo. Assim, como toda a sua rede, como aspectos sociais, culturais, familiares, emocionais e tudo o que envolve o ato de comer. Nessa abordagem, o alimento não é visto apenas como um emaranhado de nutrientes como carboidratos, proteínas, gorduras, mas também que tipo de memórias e sensações aquele alimento traz.

É levada em conta com a relação que esse indivíduo tem com a comida. É uma visão mais holística e mais comportamental.

Símbolo da Nutrição

O símbolo da Nutrição é imerso de detalhes e significados:

  • os dois ramos de trigo simbolizam a alimentação, a comida. O trigo, o ingrediente principal do pão, alimento universal que, desde tempos remotos, foi base da alimentação humana;
  • a balança simboliza o equilíbrio. Uma das premissas da Nutrição é a alimentação equilibrada;
  • a cobra e a cor verde simbolizam os cursos da área da saúde.

Conselho Regional de Nutrição

Terminada a graduação, faz-se necessária a inscrição do novo profissional no Conselho Regional de Nutricionistas atuante no estado. Assim, passa a exercer legalmente a profissão de nutricionista. Torna-se ciente do código de ética e assume a responsabilidade do profissional cumprindo a legislação vigente do que é permitido e do que é proibido o profissional fazer. O jovem nutricionista recebe sua carteira profissional, que o identifica como tal.

O Conselho é um órgão que tem por função normatizar, orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da Nutrição em direito da sociedade. A instituição sem fins lucrativos é mantida com as arrecadações provenientes das anuidades pagas pelos profissionais.

Livros: Nutrição

Por se tratar de uma ciência em constante atualização, a cada ano dezenas de livros são publicados abordando os mais diversos assuntos dentro da temática:

  • gastronomia;
  • estética;
  • nutrição comportamental
  • transtornos alimentares
  • estratégias para performance de atletas;
  • culinária;
  • técnicas dietéticas
  • composição dos alimentos;
  • marketing na nutrição
  • empreendedorismo na nutrição;
  • coaching nutricional.

Seja durante a graduação ou posteriormente ao longo da carreira, a leitura de vários livros faz-se necessária. Mas alguns são como livros de cabeceira, que vão fazer parte da vida do profissional, como Krause: alimentos, nutrição e dietoterapia, de Kathleen Mahan e outros, um livro de mais de 1000 páginas que é a bíblia do estudante de Nutrição. Nutrição clínica, de Cuppari, é outra capa importante: tem um exemplar específico para a infância e a adolescência e outro para o adulto.

Em congressos, é uma boa oportunidade para dar uma olhada sobre os novos livros lançados, sempre há bancas com expositores. Entretanto, se você busca melhores preços, conhecê-los e depois fazer a compra pela internet pode ser uma alternativa. O importante é não parar de ler.

Pós-graduação: Nutrição

A pós-graduação é uma maneira de obter um título de especialista na área em que o nutricionista escolher atuar. Isso ajuda a melhorar o currículo e confere maior grau de conhecimento, já que, na faculdade, ele obtém o conhecimento geral de tudo, mas sem se aprofundar. O profissional se sente mais seguro para atuar com a pós-graduação, além de o ajudar na competitividade do mercado de trabalho. Para aqueles que almejam carreira no serviço público, a pós-graduação ajuda na hora da pontuação de títulos do concurso.

Tipos de pós-graduação

Lato sensu

É a especialização de no mínimo 360 horas de carga horária, é a mais comum. Várias faculdades e instituições de ensino ofertam esses cursos em diversas áreas dos saberes. Geralmente, as aulas são aos fins de semana, uma vez ao mês, durante 1 ano e meio a 2 anos.

Stricto sensu

Também conhecida como mestrado. Para ingressar nesse tipo de especialização, é necessário fazer uma prova, entrevista e, dependendo, também um projeto de pesquisa. A duração do mestrado é de 2 anos, ao final é feita a defesa da tese da pesquisa para uma banca avaliadora; sendo aprovado, é concedido o título de mestre.

Residência Multiprofissional

A residência é a especialização padrão ouro. Ela confere ao residente conhecimentos teóricos e práticos, ou seja, o profissional vai trabalhar e estudar ao mesmo tempo. Esse método oferece uma overdose de conhecimentos e trabalho que proporcionam aptidão e segurança para atuar no mercado de trabalho. Por isso, é excelente para pessoas recém-formadas que ainda se sentem inseguras ou sem experiência.

Para ingressar na residência, é preciso ser aprovado na prova. O concurso é ofertado todos os anos por hospitais, universidades e secretarias de saúde. É um programa do Ministério da Educação junto com o Ministério da Saúde. O residente recebe uma bolsa mensal no valor de R$ 3.330,43. A duração é de 2 anos e a carga horária total ultrapassa as 5 mil horas. Para os nutricionistas, a área de concentração pode ser escolhida entre Atenção Primária, Saúde do Idoso, Saúde da Criança, Nutrição Clínica, Urgência e Emergência, Oncologia, entre outras.

O profissional de Nutrição

Na formatura, esse estudante torna-se bacharel em Nutrição, um profissional generalista que pode atuar em qualquer área da Nutrição. Entretanto, percebe-se a importância das especializações para aprofundar no conhecimento do setor e mais afinidade, seja a nutrição esportiva, nutrição clínica ou unidades de produção de alimentos.

A atualização é constante, tendo em vista que a Nutrição é uma ciência que muda a cada dia. Muitos cursos de formação complementar, congressos, fóruns e seminários são realizados com frequência, abordando diferentes temas. Esse também é um bom momento para aumentar o networking, a rede de contatos importante para troca de ideias e experiências ou até mesmo boas oportunidades de empregos.

O profissional de Nutrição é a pessoa referência para falar da alimentação, das carências nutricionais, da composição dos alimentos, dos processos saúde e enfermidades que têm o alimento e ou nutrientes como parte do tratamento. É um profissional respeitado na sociedade e, ainda, requisitado nas mídias, televisão, rádio e internet para abordar temas de interesse das pessoas que se preocupam com alimentação, que querem ter uma vida mais saudável, que desejam qualidade de vida e até mesmo para fins de estética.

Cada vez mais, essa categoria profissional vem conquistando seu espaço e respeito. A presença desse profissional tornou-se imprescindível em todos os equipamentos de saúde (hospitais, clínicas, consultórios, centros de saúde, academias) e em locais de produção de alimentos, restaurantes comerciais, restaurantes universitários, restaurantes populares, indústria de produção e distribuição de alimentos e em centros esportivos.

Perfil do nutricionista

Para ser um nutricionista, é preciso ter aptidão para a comunicação, gostar de lidar com o outro, que tenha facilidade para as relações interpessoais, visto que o dia a dia desse profissional se baseia na relação com o outro, seja o paciente, sejam outros colegas da equipe de trabalho.

Conseguir emprego, não só na Nutrição, mas em toda profissão, nem tem sido uma tarefa fácil na atual situação do país. Ainda assim, é totalmente possível trabalhar e ainda se destacar no mercado de trabalho. Para tanto, é necessário ter, além de todo o conhecimento técnico angariado na faculdade, algumas habilidades pessoais para poder garantir seu lugar ao sol e fazer sua carreira deslanchar. Competências como ser proativo, versátil, visionário, empreendedor e dinâmico vão te impulsionar a ser um profissional de sucesso.

Desse modo, após a leitura do post, fica mais claro entender qual é a verdadeira proposta de uma graduação em Nutrição, bem como as possíveis áreas de atuação no mercado de trabalho. Portanto, para o vestibulando que deseja se graduar nesse curso, é essencial ter bons conhecimentos tanto em Biologia quanto em Química, já que serão no mínimo 8 semestres trabalhando com esses conceitos.

Quer aprender mais e ficar por dentro de tudo sobre os vestibulares e o Enem? Experimente nosso plano de estudos. Com ele você tem acesso a videoaulas e ainda pode testar seus conhecimentos a partir de vários exercícios que a plataforma disponibiliza.