Quem está estudando para o vestibular eventualmente se depara com uma grande pergunta: qual curso superior seguir? Afinal, é preciso tomar uma decisão quando as inscrições começam a ser abertas, não é mesmo? Para quem está pensando em continuar na área das Ciências Humanas, um dos cursos que vem ganhando destaque é a Psicologia.

Pensando em ajudá-lo a tomar essa — difícil — decisão, nós desenvolvemos este artigo com as principais informações sobre o curso de Psicologia suas diversas abordagens, o mercado de trabalho e muito mais. Preparado?

O que é Psicologia?

Uma das maiores perguntas quando alguém está considerando entrar no curso superior é: afinal, o que é Psicologia? A resposta a essa pergunta não é tão simples, visto que Psicologia é bastante ampla e relativamente nova.

De forma geral, ela é uma ciência que estuda a psique humana, isto é, sentimentos, emoções, pensamentos, comportamentos, atitudes, cognição e tudo o que envolve os fenômenos psicológicos do ser humano.

Com diversas abordagens teóricas que guiam a prática profissional, a história da Psicologia conta que ela foi se consolidando como ciência por meio de estudos iniciais do campo da Medicina. Teve de encontrar uma forma diferenciada de abordar as questões mentais — sejam elas distúrbios ou não —, e procurar entender o sujeito não só no seu contexto biológico, mas também psicológico e social.

Assim, durante o curso de Psicologia, os alunos estudam diversos autores que contribuíram para essa mudança de pensamento, bem como as abordagens e teorias que sustentam a prática profissional e as diversas formas de atuação que o mercado de trabalho tem hoje em dia.

Resumo do curso

O curso de Psicologia é, assim como a profissão, amplo. É possível realizar tanto a licenciatura, para estar habilitado a dar aulas na área, quanto o bacharelado, curso voltado para pesquisa e atuação no campo.

Atualmente, ele só pode ser realizado de forma presencial, sendo que a modalidade a distância ou semipresencial só é feita nos casos de especializações. Durante toda a graduação, você terá contato com a história da Psicologia, abordagens psicológicas, técnicas psicoterapêuticas, áreas de atuação e outras disciplinas.

Psicologia: salário

Não existe nenhuma resolução no Conselho Federal de Psicologia sobre teto e piso salarial para os profissionais da área. Isso quer dizer que a remuneração pode ser bastante diversa, principalmente em instituições privadas.

Se você optar por trabalhar em empresas, a remuneração pode aumentar de acordo com seu nível de especialização. Assim, profissionais que têm pós-graduação, MBA e especializações diversas no ramo de atuação da empresa, poderá ter um salário maior do que psicólogos que ainda não se especializaram.

Já no serviço público, o que conta é o edital publicado, variando o nível salarial de acordo com a especificidade do trabalho, carga horária, tipo de serviço — organizacional, hospitalar, educacional, jurídico, saúde etc. — e a cidade em que ele é realizado.

Via de regra, vagas que exigem maior carga horária e trabalhos mais minuciosos apresentam uma remuneração acima da média. No Brasil, ela fica entre R$ 2.000 e R$ 4.000.

Agora, se o seu intuito é atender em clínica privada, seja de forma individual ou grupal, você é quem define o valor da sua hora, cobrando de acordo com seu conhecimento, especialização e técnica de trabalho.

Vale lembrar que existem serviços psicológicos que demandam um desgaste maior, com uso de ferramentas específicas e, por isso, são mais caros, como os casos de avaliação psicológica e laudos jurídicos.

Estágio: Psicologia

Uma das grandes preocupações dos estudantes universitários é a entrada no mercado de trabalho. Afinal, quando se inicia uma graduação, espera-se ter competências e habilidades suficientes para conseguir um emprego de qualidade, que permite uma boa vida.

Você sabia que uma das melhores formas de garantir uma boa entrada no mundo profissional é por meio de estágios? Muito procurado pelos estudantes, essas atividades extracurriculares podem ser remuneradas, possibilitando a primeira experiência na área.

Para quem faz Psicologia, existem diversos estágios no campo organizacional, para trabalhar no Recursos Humanos em empresas privadas. Ainda, existe o programa do governo Novos Valores, que possibilita a entrada de estudantes universitários em serviços públicos, como o Ministério Público e as Secretarias de Saúde.

Esse programa envolve atividades diversas, podendo atuar tanto no campo organizacional como no comunitário, administrativo e de saúde mental. Nesse caso, a remuneração varia de acordo com cada serviço, sendo que a carga horária máxima é quatro horas por dia.

Isso não quer dizer que não existem outros estágios para quem quer atuar em empresas privadas. Além do organizacional, é comum encontrar atividades em escolas e em organizações não governamentais.

Vale lembrar, ainda, que o curso de Psicologia exige um período de estágio obrigatório para todos os estudantes. Assim, caso você escolha essa graduação, não será possível entrar no mercado de trabalho sem antes ter passado por uma experiência de atuação plena.

Duração do curso

A duração do curso de Psicologia é considerada longa. No total, são 10 semestres que o estudante deve realizar para conquistar o seu diploma, caso não seja reprovado em nenhuma matéria. Nesse sentido, é preciso dedicar pelo menos cinco anos de estudo para ser psicólogo reconhecido pelo Conselho Federal de Psicologia.

Curso de Psicologia

Até agora, você pôde conhecer as mais variadas informações sobre Psicologia, desde o que é essa ciência até os pontos mais importantes do curso. Mas, afinal, como ele acontece?

A resposta a essa pergunta depende de cada instituição e da modalidade escolhida. Por exemplo, se você optar pela Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina, com certeza terá uma experiência diferente do que se optar pela graduação na Universidade de Brasília.

Isso porque cada instituição de ensino divide a sua grade curricular de forma diferenciada, sendo que algumas optam por trabalhar o conteúdo clínico antes do social, assim como o social antes do clínico ou até mesmo os dois em conjunto durante todos os semestres.

Vale lembrar, também, que, independentemente da sua escolha, é necessário realizar um período de estágio obrigatório ao final do curso, montando um relatório de estágio como trabalho final ou até mesmo um trabalho de conclusão de curso (TCC), apresentando-o para uma banca de profissionais.

Faculdade de Psicologia

No início deste artigo, comentamos que a procura pela Psicologia aumentou bastante nos últimos anos. Ao perceber essa demanda dos estudantes, diversas universidades começaram a investir nos seus cursos de Psicologia, aprimorando os currículos.

Sendo assim, é possível encontrar boas graduações em todos os cantos do país. A seguir, você pode conferir uma lista com as 5 melhores instituições públicas no Brasil que têm nota máxima no ENADE (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes), o sistema nacional de avaliação das graduações.

  • Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);
  • Universidade do Estado da Bahia (UNEB);
  • Universidade de Brasília (UnB);
  • Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF).

Nota de corte para Psicologia

Quem está estudando para o vestibular sabe que um dos principais dados que precisa ser analisado para entrar no ensino superior é a nota de corte, não é mesmo? Embora seja um número assustador para muitos, ter conhecimento sobre ele é fundamental para montar um plano de estudo eficiente e garantir a tão sonhava vaga no ensino superior.

Para Psicologia, as notas de corte são altas, já que é um curso que tem grande concorrência nacional. A seguir, você pode conferir as dez maiores notas de corte no Brasil, de acordo com os dados do Sisu.

  • Universidade Federal do Pará, campus Cidade Universitária José Da Silveira Netto, turno matutino — 835.0;
  • Universidade Federal do Pará, campus Cidade Universitária José Da Silveira Netto, turno vespertino — 813.0;
  • Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, campus de Marabá — Unidade I, turno integral — 811.0;
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Campus de Santa Cruz, turno integral — 774.0;
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro, campus Praia Vermelha, turno integral — 764.0
  • Universidade Federal de Santa Catarina, campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima, turno integral — 751.0;
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul, campus Instituto de Psicologia, turno integral — 750.0;
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul, campus Instituto de Psicologia, turno noturno — 748.0;
  • Universidade de Brasília, campus Universitário Darcy Ribeiro, turno integral — 748.0;
  • Universidade Federal de São Paulo, campus Baixada Santista — Unidade Silva Jardim, turno integral — 743.0.

Psicologia online

Você já deve ter percebido que não é possível realizar a graduação de Psicologia EAD, não é mesmo? Isso acontece porque o curso é muito vivencial, assim como sua prática, sendo necessário o contato com o campo e outros profissionais da área para ter uma experiência completa do que é ser psicólogo.

No entanto, depois de formado, você pode optar por realizar diversos cursos de especializações online que permitem um contato profundo com a área mesmo sendo a distância, ampliando o seu currículo e forma de atuação.

Grade curricular: Psicologia

Vestibulando, com certeza já pesquisou sobre as grades curriculares dos seus cursos preferidos, não é mesmo? Essa informação é imprescindível para fazer uma escolha consciente e dar início à profissão dos sonhos.

Por isso, listamos abaixo algumas das principais disciplinas que são estudadas ao longo dos 10 semestres de Psicologia. Aqui, aproveite para analisá-las e imaginar-se em uma sala estudando sobre os assuntos.

  • História da Psicologia;
  • Psicologia: ciência e profissão;
  • Neuroanatomia aplicada à Psicologia;
  • Neurociência aplicada à Psicologia;
  • Bases genéticas do comportamento;
  • Psicologia do desenvolvimento;
  • Psicofarmacologia;
  • Análise experimental e funcional do comportamento;
  • Psicanálise;
  • Psicologia fenomenológica, existencial e humanista;
  • Fundamentos de medidas em Psicologia;
  • Avaliação psicológica;
  • Sociologia e Filosofia;
  • Fundamentos de Psicoterapia;
  • Psicologia comunitária;
  • Psicologia e serviços públicos;
  • Psicologia e gênero;
  • Psicologia e arte;
  • Diagnóstico e intervenção em Psicologia;
  • Psicopatologias;
  • Estatística aplicada à Psicologia;
  • Psicologia Cognitiva Comportamental;
  • Psicologia organizacional.

Profissional de Psicologia

Até agora, nosso artigo trouxe diversas informações sobre o curso e estilo de graduação. Mas, afinal, como é a prática do profissional de Psicologia? Qual é a sua atuação e dia a dia de trabalho? Quais são as áreas em que ele pode intervir? Como é o mercado de trabalho da Psicologia?

Se você ainda não sabe, nós explicamos cada uma dessas questões abaixo. Confira!

A atuação do psicólogo é bastante ampla. Existe uma série de possibilidades de trabalho para ele desenvolver. A mais conhecida delas é a psicoterapia clínica, atendendo no consultório e lidando com uma pessoa de cada vez. No entanto, existem outras possibilidades que fogem do campo individual.

Para facilitar a compreensão, podemos dividir a atuação do psicólogo em duas frentes: clínica e social. Na primeira, ele pode trabalhar com psicoterapia individual ou grupal, realizando atendimentos no consultório ou em salas especializadas para trabalhar questões singulares que envolvem algum grau de desconforto nos sujeitos.

A atuação social difere um pouco da clínica, embora carregue muitos conceitos que são utilizados nela. Quem opta por trabalhar no âmbito social atua em serviços de saúde especializados, sobretudo os que estão inseridos na rede, como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), postos de saúde etc.

E mais, é possível trabalhar dentro de hospitais, ONGs, instituições que atendem à comunidade e trabalham com projetos de inclusão e promoção dos Direitos Humanos, sempre voltando o foco para as relações que os sujeitos estabelecem consigo mesmo, com seus familiares, vizinhos e território ocupado.

Ainda, as duas ênfases podem se alinhar e trabalhar clinicamente as questões sociais. Por exemplo, é possível ir à comunidade e prestar atendimento familiar para quem não tem condições de pagar serviços privados ou não conhece a rede de saúde. Assim como pode ser feito um trabalho de acompanhamento terapêutico com pessoas com transtornos mentais.

menina psicologia

Trabalhar com o sofrimento psíquico e as dores de cada sujeito não é tarefa fácil. Independentemente da área escolhida, o psicólogo lida com os problemas das pessoas e, por isso, precisa de um preparo e especialização para conseguir sustentar a dor do outro.

Nesse sentido, para desenvolver um trabalho de qualidade, é preciso ter gosto pela leitura e estudo, sem medo de se aprofundar em cursos e metodologias que facilitam a sua intervenção e ampliam a sua forma de enxergar o fenômeno psicológico.

Além disso, é necessário ter paciência e empatia pelo outro, colocando-se no lugar de escuta em vez de fala, entendendo o sujeito como alguém que carrega consigo uma história de vida, valores e princípios que diferem dos seus. Assim, você entende quais são os seus julgamentos e pode deixá-los de lado no momento analítico.

Por fim, uma das principais características que o profissional de Psicologia deve ter é conhecer seus limites. Isso porque situações críticas, como crises, surtos psicóticos e outros casos sérios podem aparecer em qualquer ambiente de trabalho. Conhecer até onde você consegue intervir é fundamental para preservar tanto a saúde mental do cliente quanto a sua.

Mercado de trabalho

Como já comentamos, o mercado de trabalho para a Psicologia é amplo. Independentemente da frente que você escolher, é possível trabalhar em diversas áreas para promover saúde e criar estratégias de prevenção contra fenômenos psicológicos desgastantes.

Além dos trabalhos tradicionais que comentamos — psicoterapia e atendimento à comunidade —, é possível trabalhar em empresas privadas como consultores, desenvolvendo treinamentos de líderes, gestores e colaboradores; no marketing, sobretudo o digital, em escolas e outros espaços que precisam de um olhar e escuta especializados.

Áreas da Psicologia

Como você já deve ter percebido, a Psicologia é uma ciência e profissão que contempla várias áreas de atuação. Desde trabalhos psicoterapêuticos até ações jurídicas, o psicólogo está presente e deve intervir de forma ética e coerente.

Para você conhecer mais sobre os campos dessa profissão, separamos abaixo as principais áreas em que o psicólogo pode trabalhar. Lembre-se de que são apenas algumas e é possível abrir outro leque de possibilidades durante a sua atuação.

Psicologia social

Como comentamos, o trabalho social é uma das frentes da Psicologia, englobando intervenções na comunidade e na rede de saúde pública. No entanto, ela não se restringe somente a isso, sendo possível trabalhar com Psicologia social em ambientes diferenciados, até em atendimentos individuais.

Isso acontece porque essa vertente parte do princípio de que o sujeito está em constante relação com os contextos sociais, e o objetivo do psicólogo é identificá-los e entender qual a relação que ele estabelece com eles e a forma que ele os significa.

Psicologia forense

A Psicologia forense é a área que trabalha com o campo criminal e judiciário. O objetivo central dessa especialização é promover os direitos dos cidadãos que estão em situações conflituosas coma justiça, sobretudo aqueles que cometeram algum delito ou que fazem parte do sistema judiciário, assim como os policiais.

Quem opta por trabalhar nesse campo pode atuar tanto nos tribunais quanto no próprio sistema penitenciário, centro de apoio a vítimas e agressores, programas de reeducação e reinserção na sociedade etc.

Psicologia infantil

A Psicologia infantil é outra área que vem crescendo bastante atualmente, justamente por muitas teorias psicológicas afirmarem que a infância é um período decisivo na formação da estrutura psíquica de uma pessoa.

Nessa área da Psicologia, o trabalho pode ser feito tanto de forma individual no consultório, em atendimento psicoterapêutico, quanto nas escolas e outras instituições que lidam com crianças, como as ONGs para jovens com deficiência.

Psicologia jurídica

Não é incomum encontrar pessoas que confundem a Psicologia forense com Psicologia jurídica. Enquanto a primeira trabalha diretamente com o sistema criminal e judiciário, a segunda atua em conjunto com o Direito.

Nesse sentido, é possível trabalhar em casos de adoção, violência doméstica, abandono infantil, abuso contra vulneráveis etc. Todas essas intervenções são feitas, normalmente, em conjunto com o sistema — principalmente com o Ministério Público —, mas também é possível atuar de forma clínica em instituições privadas, promovendo acolhimento para essas pessoas.

Psicologia organizacional

A Psicologia organizacional é um dos campos que mais empregam psicólogos no Brasil, principalmente os recém-formados. Essa área de atuação tem como base promover um espaço saudável para os colaboradores, líderes e gestores de uma empresa ou instituição, seja ela pública ou privada.

Para isso, o profissional pode prestar uma consultoria e fazer sessões de intervenção com a equipe, ou ser contratado para constantemente lidar com os processos desafiadores da instituição.

Além disso, ela engloba os Recursos Humanos, que lida com processos de seleção de pessoas, análise de clima organizacional, identificação de problemas comuns entre os colaboradores e formas de realocação.

Psicologia hospitalar

Para quem gosta de lidar com situações extremas, a Psicologia hospitalar pode ser a alternativa ideal. Nesse campo, é comum ter que trabalhar com pessoas em situação de risco, famílias que sofreram perdas intensas, sujeitos em cuidados paliativos e que passaram por algum estresse pós-traumático.

Esse trabalho só pode ser desenvolvido dentro dos hospitais, lidando diretamente com uma equipe multidisciplinar. Assim, é preciso envolver todos os outros profissionais, criando rodas de debate e supervisões de caso para desenvolver um atendimento de qualidade para o paciente.

Psicologia esportiva

A Psicologia do esporte normalmente é realizada dentro da abordagem clínica, mas não necessariamente no consultório terapêutico. Isso quer dizer que é possível fazer atendimentos a atletas dentro do campo, antes e depois dos treinos.

Ainda, o psicólogo pode atender individualmente, levantando as questões de sofrimento e angústia de cada atleta e trabalhando-as para que o seu desempenho seja cada vez melhor, ajudando-o a manter-se saudável tanto física quanto mentalmente.

Neuropsicologia

Como o próprio nome aponta, o grande objetivo da Neuropsicologia é juntar os conceitos práticos e teóricos da Neurociência com os conhecimentos científicos da Psicologia.

Assim, o neuropsicólogo tenta compreender e analisar a relação entre o cérebro e os fenômenos psicológicos, identificando padrões de comportamentos e habilidades cognitivas, como atenção, concentração, memória, linguagem, raciocínio, lógica, aprendizagem, entre outros.

Psicologia do trânsito

Por fim, a Psicologia do trânsito é um campo que, assim como o organizacional, apresenta bastantes vagas para os recém-formados. Nessa área, o psicólogo deve trabalhar diretamente com as leis de trânsito e os processos de avaliação psicológica, lidando com instrumentos de avaliação como:

  • entrevistas iniciais;
  • observações clínicas;
  • testes padronizados, como teste vocacional da Psicologia;
  • entrevistas devolutivas.

Vale lembrar que o trabalho é voltado tanto para pessoas que ainda não tiraram sua carteira de motorista quanto para aquelas que não passaram no psicotécnico. Assim, essa área da Psicologia estuda os processos psicológicos associados aos comportamentos no trânsito e intervém neles.

E mais, se você optar por seguir essa carreira, lembre-se de que a implementação das suas intervenções deve ser em conjunto com o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte) e suas unidades estaduais.

Você percebe como o curso de Psicologia é amplo e cheio de possibilidades? Desde trabalho com organizações, com marketing, clínica, atletas e trânsito. Existe uma série de oportunidades para se consolidar no mercado de trabalho e ter um grande reconhecimento profissional.

Se você tem interesse em cursar Psicologia, que tal investir em um planejamento eficiente e de qualidade para orientar seu aprendizado? Conheça nosso Plano de Estudos e garanta um bom resultado no vestibular!