Vestibulares

Tudo o que você precisa saber sobre o tema!

INTRODUÇÃO

Todo estudante sonha em cursar uma faculdade quando termina o Ensino Médio. Para que isso se torne realidade, ele terá que tentar uma vaga no Ensino Superior. E hoje, no Brasil, o ingresso nas Instituições de Ensino Superior (IES) acontece basicamente por dois meios: Enem ou vestibular.

Mas você sabe qual a diferença entre eles? O que é e como funciona um vestibular? No post de hoje, vamos contar isso e muito mais para você. Confira o nosso guia completo sobre o vestibular!

O que é vestibular?

Vestibular é o processo utilizado pelas IES para selecionar, entre vários candidatos às vagas dos cursos de graduação, aqueles que estarão aptos para iniciar essa etapa. Assim como no vestibular de outros países, aqui a oferta de vagas para universidades é muito menor que a demanda de candidatos. Faz-se necessário, portanto, adotar um sistema de seleção, no qual os concorrentes com as melhores notas nas provas do vestibular são aprovados.

No Brasil, tanto instituições de ensino públicas quanto particulares adotam o vestibular como forma de ingresso em seus cursos de graduação. Entretanto, desde 2010 o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passou a ser utilizado como uma forma importante de seleção.

Ao longo dos últimos 9 anos, várias universidades passaram a aderir ao Enem, o que diminuiu consideravelmente a quantidade de vestibulares aplicados no país, principalmente entre as universidades públicas. Hoje, mais de 130 instituições já utilizam as notas do exame do MEC integralmente ou como parte de seu processo seletivo.

Como funciona um vestibular?

escrevendo vestibular

Além do Enem, não existe nenhum outro tipo de exame unificado que funcione para várias IES. Por isso, a estrutura de cada um dos vestibulares será diferente de universidade para universidade.

Entretanto, alguns pontos são comuns. Geralmente, aplicam-se várias provas que podem ser eliminatórias ou classificatórias. Podem ser realizados em um ou mais dias e em diferentes fases. O conteúdo programático cobrado nas questões de prova gira, normalmente, em torno das disciplinas e assuntos abordados no Ensino Médio, uma vez que é dele que vem a maior quantidade de candidatos.

Se você não concorrerá a uma vaga na universidade por meio da prova do Enem, o melhor caminho é conferir o Edital dos concursos e o Manual do Candidato. Esses documentos explicam passo a passo como funciona o vestibular da instituição, evitando confusão entre as provas. Assim, você vai entender exatamente de que modo os conteúdos serão cobrados em cada uma delas.

Principais vestibulares com inscrições abertas

São vários os vestibulares espalhados pelo Brasil. Entre aqueles que não aderiram ao processo de seleção via Enem até esse ano, podemos citar aqui os 10 maiores em números de inscrições. São eles:

  1. Fuvest / Universidade de São Paulo (USP) – 137.581 candidatos
  2. Universidade Federal do Pará (UFPA) – 109.907 candidatos
  3. Universidade Estadual Paulista (Unesp) – 107.818 candidatos
  4. Universidade Estadual do Pará (UEPA) – 94.189 candidatos
  5. Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – 125.000 candidatos
  6. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – 76.312 candidatos
  7. Universidade Federal do Paraná (UFPR) – 36.978 candidatos
  8. Universidade Estadual do Amazonas (UEA) – 76.000 candidatos
  9. Universidade do Estado da Bahia (UNEB) – 38.852 candidatos
  10. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – 33.806 candidatos

Esses são os números de 2018, de candidatos que ingressaram nas Universidades em 2019. Para 2020, listamos abaixo as informações de cada um desses vestibulares.

FUVEST/Universidade de São Paulo (USP)

  • Inscrições: até 20 de setembro de 2019
  • 1ª fase de provas: 24 de novembro de 2019
  • 2ª fase de provas: 05 e 06 de janeiro de 2020
  • Resultados: 24 de janeiro de 2020

Universidade Federal do Pará (UFPA)

  • Passou a aderir ao Enem para o ano de 2019.

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

  • Inscrições: 09 de setembro de 2019 a 07 de outubro de 2019
  • 1ª fase de provas: 15 de novembro de 2019
  • 2ª fase de provas: 15 e 16 de dezembro de 2019

Universidade Estadual do Pará (UEPA)

  • Inscrições: 20 de setembro de 2019 a 24 de outubro de 2019
  • Provas: Será utilizado a nota do Enem

Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)

  • Exame discursivo: 1 de dezembro de 2019

Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

  • Inscrições: Até 9 de setembro de 2019
  • 1ª fase de provas: 17 de novembro de 2019
  • 2ª fase de provas: 12 e 13 de janeiro de 2020

Universidade Federal do Paraná (UFPR)

  • Inscrições: 12 de agosto a 10 de setembro de 2019
  • 1ª fase de provas: 27 de outubro de 2019
  • 2ª fase de provas: 13 de novembro de 2019

Universidade Estadual do Amazonas (UEA)

  • Inscrições: 30 de agosto de 2019
  • Prova de Habilidades Específicas: 15 de setembro de 2019
  • Prova de Conhecimentos Gerais: 27 e 28 de outubro de 2019

Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

  • Inscrições: 15 de outubro a 6 de novembro de 2019
  • Data das provas: 15 e 16 de dezembro de 2019

Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

  • Inscrições: 11 de setembro a 14 de outubro de 2019
  • Data das provas: 7, 8 e 9 de dezembro de 2019

Vale lembrar que existem diferenças entre os vestibulares. Algumas universidades, por contarem com um sistema de ingresso misto, com algumas vagas reservadas ao Enem, podem aplicar o vestibular de maneira diferente.

Outras universidades, por exemplo, utilizam o Enem para o preenchimento das vagas do primeiro semestre e, no início de todo ano, aplicam seu vestibular para as vagas do segundo semestre. Por isso, é fundamental conhecer muito bem como funciona o processo seletivo da universidade em que você quer entrar.

Vestibular ou Enem?

Os vestibulares das várias universidades brasileiras têm muito em comum com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). São testes utilizados para avaliar o aprendizado do candidato nos três anos de Ensino Médio, distribuindo questões em um ou mais dias de prova.

Enem

O Enem é uma prova que, em dois dias de aplicação, avalia os conhecimentos relativos aos anos de Ensino Médio. O candidato se inscreve (exclusivamente) pela internet e faz o exame, que avalia 4 grandes áreas do conhecimento, além da famosa redação:

É difícil definir com exatidão o nível de concorrência do Enem, uma vez que apenas após a realização da prova o candidato poderá concorrer a uma vaga nas universidades por meio do SiSU. Por isso, o mais interessante é já ter em mente algum curso de alguma universidade em específico e estudar considerando a nota de corte desse curso.

Originalmente o Enem era apenas um teste de avaliação do desempenho dos alunos de Ensino Médio. Entretanto, hoje em dia ele é a principal forma de ingresso para a maioria das universidades do Brasil. Com a nota do Enem é possível participar de diversos programas do governo, como o ProUni, o FIES e o SiSU.

Vestibular

Genericamente falando, o vestibular é um processo seletivo que candidatos fazem para concorrer a vagas em universidades públicas (algumas ainda não aderiram integralmente ao Enem) e privadas. Seu processo varia de acordo com a instituição, envolvendo normalmente um ou mais dias de prova.

A grande diferença do vestibular para o Enem é que no primeiro o candidato se inscreve para um curso e instituição específicos. Dessa forma, ele concorrerá apenas com os outros participantes que se inscreveram para a mesma vaga. Já o Enem tem um sistema de concorrência ampla, no qual é possível escolher entre algumas opções de cursos e universidades, principalmente pelo SiSU. Além disso, várias universidades aceitam a nota do exame como forma de ingresso.

Quando o Enem é melhor?

O Enem é hoje o principal meio de concorrência para vagas do ensino superior. Por isso, apenas em casos específicos não vale a pena fazer a prova. Praticamente todos os calendários estão de acordo com a aplicação do Enem, por isso dificilmente você verá algum vestibular acontecendo no mesmo dia do exame (nesse ano de 2019, nos domingos dias 3 e 10 de novembro).

O Enem é obrigatório para os seguintes programas:

  • FIES: o programa de financiamento dos cursos de universidades particulares exige um desempenho no Enem e o enquadramento nos requisitos de renda mensal familiar. É possível utilizar qualquer nota a partir da edição de 2010 do exame;
  • SiSU: o Sistema de Seleção Unificado (SiSU) utiliza a nota do Enem para classificar os candidatos em um sistema único para a concorrência em universidades públicas. Quanto maior a nota, maiores são as chances de o candidato conseguir a tão sonhada vaga na universidade. Sem requisitos de renda, o SiSU exige a participação no Enem do ano imediatamente anterior (ou seja, para entrar na universidade em 2020 é preciso ter feito a prova de 2019) e a conclusão do ensino médio, além de não ter zerado a redação. Algumas faculdades que participam do SiSU estipulam uma nota mínima para seus cursos;
  • ProUni: o programa que destina bolsas de estudo a candidatos para vagas em instituições particulares exige uma nota de pelo menos 450 pontos nas provas objetivas e uma nota diferente de zero na redação. O teto de renda familiar é de três salários mínimos por pessoa por mês.

Além dos programas do governo, é importante ressaltar que cada vez mais instituições estão aderindo ao Enem como forma de ingresso. Se não integralmente, ao menos como um complemento da nota do vestibular. Isso sem contar as universidades particulares, que estão até mesmo substituindo totalmente seus vestibulares tradicionais pela nota do Exame nacional. Nesse caso, apenas a apresentação da nota, cumprindo os pré-requisitos da faculdade, já permite a matrícula do aluno.

Quando o Vestibular é melhor?

Vestibulares são processos seletivos bastante específicos para muitas universidades e faculdades, tanto públicas quanto privadas. Apesar do predomínio do Enem, ainda existem várias instituições de ensino que focam sua seleção em vestibulares tradicionais.

Por isso, o vestibular é a melhor opção para quem escolher uma universidade pública que não disponibiliza vagas do curso desejado via SiSU. Ou então para instituições privadas que não aderiram aos programas ProUni e FIES.

Mesmo com a adesão aos programas, alguns candidatos não se encaixam nos critérios exigidos, principalmente de renda. Nesse caso, em vez de concorrer pelo Enem, é mais interessante prestar o vestibular, caso haja essa opção na universidade.

O que estudar para o vestibular?

estudos vestibular

Cada vestibular tem suas particularidades. Por isso, é fundamental estudar com muita atenção o Edital do concurso e o Manual do Candidato de cada uma das instituições pretendidas. Entretanto, alguns assuntos são bem batidos e, muito provavelmente, serão cobrados. Selecionamos os conteúdos que mais caem nas provas.

Línguas Estrangeiras (Inglês, Francês, Espanhol, Alemão, Italiano)

História

História do Brasil;

  • Colonização mercantilista (1530- 1580);
  • Cultura da colônia: indígenas, jesuítas, africanos;
  • Processo de Independência (1789-1820);
  • Segundo Reinado (1840-1889);
  • República Velha (1889-1930);
  • Era Vargas e Populismo Liberal (1930-1964);
  • Movimentos sociais no Brasil;
  • Ditadura Militar (1964-1985).

 História Geral

  • América Latina: civilizações pré-colombianas, colonização, independência e consolidação dos estados nacionais;
  • As formas políticas do Ocidente e suas especificidades (Democracia e República na Antiguidade e Antigo Regime e Liberalismo a partir da Modernidade);
  • Formas de organização do trabalho no Ocidente: exploração e resistência;
  • Cultura e civilização medieval;
  • Cultura e pensamento ocidental, do Renascimento ao século XX;
  • Confronto entre as nações no século XX: guerras mundiais e Guerra Fria;
  • Aspectos da história africana: tráfico negreiro e imperialismo;
  • Filosofia e Sociologia;
  • Leitura e entendimento de textos clássicos;
  • Vínculos com a atualidade;
  • Conhecimento de alguns aspectos dos autores mais tradicionais (Platão, Sócrates etc;).

Língua Portuguesa

  • Apreensão de temas implícitos em textos verbais e visuais, para o desenvolvimento de propostas de dissertação;
  • Domínio de recursos argumentativos;
  • Domínio da língua padrão;
  • Relações entre textos (verbais e visuais, temáticos e figurativos);
  • Paráfrase ou tradução de sentido;
  • Descrição de fatos linguísticos em contexto, sua função para construir sentidos e efeitos de sentido;
  • Emprego e valor semântico de elementos coesivos (sobretudo pronomes e conjunções);
  • Conjugação e uso dos tempos e modos verbais;
  • As classes de palavras e sua contribuição para a construção do texto;
  • Mecanismos de seleção de combinação de palavras;
  • Semântica: o significado das palavras em contexto;
  • Figuras de linguagem;
  • Romantismo;
  • Realismo;
  • Modernismo.

Matemática

Química

  • Substância pura e mistura;
  • Ligações entre átomos e entre moléculas (ligações intermoleculares);
  • Chuva ácida e efeito estufa;
  • Cálculos estequiométricos;
  • Soluções;
  • Propriedades coligativas;
  • Termoquímica;
  • Cinética Química (fatores que alteram a rapidez de uma reação);
  • Equilíbrios Químicos (cálculo da constante de equilíbrio);
  • Deslocamento de equilíbrio;
  • pH e Ks (produto de solubilidade);
  • Radioatividade;
  • Pilha e Eletrólise;
  • Química orgânica: reconhecimento de funções, nomenclatura, isomeria plana e espacial;
  • Reações envolvendo álcoois, ácidos carboxílicos, éteres e polímeros.

Geografia

Física

  • Cinemática dos movimentos retilíneos: ênfase em interpretações dos gráficos usuais da cinemática;
  • Dinâmica do movimento retilíneo: aplicações das três leis de Newton;
  • Cinemática circular: ênfase no movimento circular e uniforme;
  • Dinâmica do movimento curvilíneo: ênfase na dinâmica do movimento circular e uniforme;
  • Trabalho e energia: ênfase em sistemas conservativos;
  • Calorimetria: trocas de calor (acarretando alteração de temperatura ou mudança de estado);
  • Dilatação e contração térmica: ênfase no caso dos sólidos;
  • Transformações gasosas e primeiro princípio da Termodinâmica: ênfase nas transformações cíclicas;
  • Hidrostática: ênfase no teorema de Stevin e no teorema de Arquimedes;
  • Reflexão da luz: ênfase no estudo do espelho plano;
  • Refração da luz: ênfase na lei de Snell, fenômeno da reflexão total, dioptro plano e formação de imagens em lentes;
  • Estudo das ondas: ênfase na equação fundamental da ondulatória;
  • Acústica: ênfase nas características que diferenciam os sons (intensidade, altura e timbre);
  • Análise de circuitos elétricos: ênfase em potência consumida;
  • Movimentos de cargas em campos elétricos e/ou campos magnéticos.

Biologia

Como estudar para o vestibular

O estudo para os vestibulares espalhados pelo Brasil deve ser feito de acordo, principalmente, com o edital de cada concurso. Assim, caso você queira estudar por conta própria, conseguirá se balizar com os assuntos específicos que serão cobrados em cada vestibular.

Além do estudo sozinho, há algumas outras opções. Cursinhos pré-vestibular são preparatórios voltados para certas provas, além do próprio Enem. São uma boa opção para quem não tem a disciplina necessária para estudar por conta própria e possui disponibilidade de tempo e dinheiro, já que os bons cursinhos costumam ser mais caros.

Hoje em dia existem muitas alternativas, principalmente online. Plataformas como o Stoodi, por exemplo, são ideais para quem quer ter acesso a conteúdos de qualidade e focados nos melhores vestibulares do Brasil.

Além dos estudos, é fundamental realizar sempre simulados, avaliando o seu desempenho atual e descobrindo quais áreas precisam de maios atenção na sua rotina.

Livros para vestibular

Diferentemente do Enem, muitos vestibulares ainda cobram a leitura de obras literárias para as provas de Língua Portuguesa e Literatura. Abaixo, listamos as principais obras dos maiores vestibulares do Brasil:

Universidade de São Paulo (USP)

Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

  • Sonetos – Luís de Camões
  • Poemas negros – Jorge de Lima
  • A teus pés – Ana Cristina Cesar
  • Amor, do livro Laços de Família – Clarice Lispector
  • A hora e a vez de Augusto Matraga, do livro Sagarana – Guimarães Rosa
  • O espelho – Machado de Assis
  • O bem-amado – Dias Gomes
  • Coração, cabeça e estômago – Camilo Castelo Branco
  • Caminhos cruzados – Érico Verissimo
  • História do cerco de Lisboa – José Saramago
  • Quarto de despejo – Carolina Maria de Jesus
  • Sermões de Antônio Vieira – Sermão de Quarta-feira de Cinza – Ano de 1672; Sermão de Quarta-feira de Cinza – Ano de 1673, aos 15 de fevereiro, dia da trasladação do mesmo Santo; Sermão de Quarta-feira de Cinza – Para a Capela Real, que se não pregou por enfermidade do autor.

Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

  • O livro dos sonetos – Vinícius de Moraes: 1º Exame de Qualificação
  • O alienista – Machado de Assis: 2º Exame de Qualificação
  • O seminarista – Rubem Fonseca: Prova de Redação
  • O crime do Padre Amaro – Eça de Queiroz: Prova de Língua Portuguesa e Literaturas

Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA)

  • Senhora – José de Alencar,
  • Quincas Borba – Machado de Assis
  • São Bernardo – Graciliano Ramos

Aulas online para vestibular

Como citamos anteriormente, é possível encontrar muitos materiais exclusivos para os vários vestibulares existentes hoje em dia no Brasil. A plataforma do Stoodi conta com centenas de horas de videoaulas para as matérias:

São mais de 5.000 videoaulas no total! Isso sem contar as dezenas de milhares de exercícios presentes no banco de exercícios do Stoodi! Com esse apoio, você estará completamente preparado para qualquer vestibular no Brasil! Aproveite logo, cadastre-se e monte o seu plano de estudos!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!