USP: O guia completo!

Tudo o que você precisa saber sobre o tema!

INTRODUÇÃO

Sempre presente nos rankings de melhores universidades, a Universidade de São Paulo, ou USP, é o sonho de muitos brasileiros, mas não é fácil ingressar em um dos cursos de graduação dessa prestigiada instituição de ensino. Seja pelo Sisu ou pela Fuvest, a disputa pelas vagas é acirrada e as notas de corte são bem altas.

A USP é mantida pelo governo do Estado de São Paulo. Foi fundada em janeiro de 1934 como universidade, mas a faculdade de Direito da USP já existia desde agosto de 1827. É a maior universidade pública do país, com 42 unidades, espalhadas por dez campi, em sete cidades: São Paulo, Bauru, Lorena, Piracicaba, Pirassununga, Ribeirão Preto, Santos e São Carlos.

A USP formou 13 dos 43 presidentes brasileiros, além de 53 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Ou seja, a instituição tem um histórico de formar figuras atuantes na esfera pública do Brasil.

E para quem almeja uma vaga nessa concorrida universidade, é importante saber como entrar na USP. Neste artigo, vamos explicar a você como funciona o processo seletivo da instituição!

Como funciona o vestibular da USP?

Existem três formas principais de ingressar nessa universidade: pelo vestibular, que é promovido pela Fundação Universitária para o Vestibular, a Fuvest; pelo Sistema de Seleção Unificada, o Sisu, que utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); pela transferência externa para USP, um processo que também é coordenado pela Fuvest.

Entrando pelo vestibular

vestibular da USP é a forma mais tradicional de ingressar na universidade. Ele é promovido pela Fuvest, uma instituição autônoma fundada em 1976.

O exame é dividido em dois momentos, com uma prova de múltipla escolha na primeira fase. Para os aprovados, a segunda parte é composta de dois dias de provas dissertativas. Mais adiante, neste artigo, vamos especificar os conteúdos dessas etapas. Alguns cursos também contam com uma prova de habilidades específicas na segunda fase.

Para ingressar em 2019 na USP, pela Fuvest, é preciso fazer a inscrição USP 2018 até 18 de setembro deste ano. No dia 25 de novembro, será realizada a prova da primeira fase. Os aprovados para a segunda etapa serão revelados no dia 10 de dezembro, e as provas de habilidades específicas para os cursos de Música e Artes Visuais estão agendadas para ocorrer entre 14 e 21 de dezembro.

Em 6 de janeiro de 2019, acontecerá a primeira prova da segunda fase e, no dia seguinte, 7, será aplicada a última prova. Para quem estiver tentando o vestibular de Artes Cênicas, será preciso, ainda, realizar a prova de habilidades específicas, entre 9 e 11 de janeiro.

A relação dos aprovados na Fuvest para 2019, em primeira chamada, serão divulgados no dia 24 de janeiro. A partir desse primeiro momento, serão realizadas até cinco novas chamadas.

Para o próximo ano, a Fuvest está abrindo um total de 8.362 vagas, em 183 cursos. Destas, 6.132 são para ampla concorrência, 1.471 ficam para candidatos que cursaram integralmente o ensino médio em escolas públicas e 759 são destinadas para sujeitos autodeclarados pretos, pardos e indígenas que fizeram o ensino médio em escolas da rede pública.

O vestibular da USP é o segundo maior do Brasil, ficando atrás apenas do processo seletivo do Enem.

Entrando pelo Sisu

A outra alternativa mais comum de ingresso na USP é pelo Sisu, o Sistema de Seleção Unificada, promovido pelo Ministério da Educação (MEC). O Sisu, que utiliza as notas do candidato no Enem, passou a ser adotado na USP apenas em 2015.

Para ingressar pelo Sisu, basta que o candidato realize a prova do Enem e, depois, acesse o portal do Sisu nas datas divulgadas pelo governo federal para disputar uma das vagas disponibilizadas no sistema.

Do total de 11.147 vagas abertas para ingressar na USP em 2019, 2.785 serão disponibilizadas no Sisu, sendo 552 para ampla concorrência, 1.152 para vestibulandos que cursaram o ensino médio integralmente em escolas públicas e 1.081 para os candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que tenham completado o ensino médio somente em escolas da rede pública.

A quantidade menor de vagas do Sisu somada ao fato de que todos que tentarem o Enem podem disputá-las faz com que elas sejam extremamente concorridas. Alguns cursos, como Licenciatura em Música, não disponibilizam vagas no Sisu, apenas o ingresso pela Fuvest. Em diversos outros, não existem vagas para ampla concorrência no Sisu, apenas para quem concluiu o ensino médio em escolas públicas.

Entrando pela transferência externa

A última forma de ingresso e mais incomum é pela transferência externa da USP, um processo que também é promovido e gerenciado pela Fuvest. Alunos que já cursam o ensino superior em outra instituição podem pedir a transferência voluntária para a USP, mas dependem de vagas e da aprovação em uma seleção específica.

No processo de transferência para o 2º semestre de 2018 e o 1º de 2019, foram disponibilizadas 750 vagas. Em alguns cursos, elas eram direcionadas somente para um dos semestres da graduação, enquanto que, em outros, universitários de qualquer período poderiam ser aprovados.

A transferência também é realizada em duas etapas: a primeira envolve uma prova de 80 questões de múltipla escolha e a segunda segue regras e datas especiais de cada unidade.

Para se inscrever no processo de transferência externa, basta que o candidato acesse o site da Fuvest, preencha o formulário e pague a taxa de inscrição, que, na última edição, foi de R$ 170.

O que levar e o que não levar no dia da prova?

Para a realização das provas da Fuvest, sejam do vestibular ou de transferência externa, é fundamental se dirigir ao local do exame munido de documento original de identidade com foto e caneta esferográfica de tinta azul. Além disso, é permitido levar também lápis, borracha, apontador e régua transparente, mas esses itens são utilizados apenas no rascunho.

Se o candidato tentar o Enem, no dia da prova, deverá ter em mãos, obrigatoriamente, um documento original de identidade com foto, caneta de tinta preta feita com material transparente e o Cartão de Confirmação da Inscrição impresso.

Em ambos os exames, água e alimentos leves podem ser levados pelo candidato e consumidos durante a prova. A recomendação é não exagerar na comida. Outra dica valiosa é evitar levar garrafa de água gelada, para não ter chance de molhar a prova ou o gabarito por causa da condensação na base do recipiente.

É proibido manipular aparelhos celulares e eletrônicos de qualquer tipo nos locais em que as provas serão realizadas. Relógios também não podem ser utilizados: a organização informa os candidatos sobre o tempo restante em cada um dos processos seletivos.

Além disso, é importante frisar que referências externas, como livros, anotações e colas, não são admitidos nos espaços de realização dos exames.

Como se programar para fazer as provas?

Assim como no Enem, nas provas da Fuvest, não são admitidos candidatos atrasados. Quem chegar depois do fechamento dos portões dos locais de realização dos exames ficará de fora e só poderá tentar de novo no ano seguinte.

Para evitar isso, a recomendação é se programar muito bem e chegar com larga antecedência nos endereços onde acontecerão as provas. As organizações recomendam que, se possível, os candidatos visitem e conheçam o ambiente onde a sua prova será feita e entenda os acessos, de modo a não cometer erros típicos, como aparecer na entrada ou até mesmo unidade errada.

Para quem não mora nas cidades onde os exames serão realizados, a programação precisa ser ainda mais cautelosa. A dica é viajar com antecedência e ficar hospedado, no dia anterior, em um lugar próximo de onde será aplicado o exame.

Resultado USP: onde encontrar?

Para quem está tentando ingressar pelo Sisu, a divulgação dos resultados é feita na própria plataforma do MEC. Já os aprovados pela Fuvest devem consultar os resultados no site da instituição, no período de datas divulgadas.

Também é comum que veículos de imprensa republiquem listas de aprovados na USP na mesma data em que a Fuvest.

Para quem estiver interessado em encontrar resultados de provas anteriores, como o resultado USP 2017 ou o resultado USP 2018, é possível ter acesso a essas informações também na página da Fuvest.

Como fazer sua inscrição USP

Para se inscrever na USP pelo Sisu, basta utilizar a nota do último exame do Enem e acessar a página do Sistema nas datas divulgadas pelo governo federal. O processo é simples e bem rápido.

Já a inscrição para as vagas disponibilizadas para o vestibular tradicional precisa ser realizada na página da Fuvest, onde os candidatos devem preencher um formulário com dados pessoais.

Após essa etapa, o vestibulando recebe um e-mail com instruções para criação de uma senha e login no sistema e deve inserir uma foto pessoal, que será comparada com a foto coletada nos dias das provas. Além disso, candidatos com algum tipo de deficiência ou necessidade de cuidados especiais devem informar esse detalhe na inscrição e precisam anexar, no formulário, documentos atualizados, emitidos por médicos ou outros profissionais que comprovem sua condição.

Uma vez que o acesso ao sistema for criado, chegará a hora de informar a modalidade em que o candidato vai concorrer: ampla concorrência, escola pública ou pretos, pardos e indígenas. Na sequência, a pessoa precisa escolher o curso e a carreira que deseja. São 106 carreiras e 183 cursos: em algumas opções de área, existe mais de uma graduação disponível, e o candidato pode escolher até 4 delas, ordenando-as por preferência, no momento da inscrição.

Após essa etapa, o usuário terá de optar pela cidade em que fará a prova e informar a escolaridade e a instituição em que cursou o ensino médio. A Fuvest aplica provas em 35 cidades no estado de São Paulo. Na capital, existem 12 regiões em que os exames acontecem.

Antes de terminar a inscrição, o candidato precisa, ainda, preencher um questionário de 27 perguntas, que servem para que a instituição trace o perfil socioeconômico e cultural dos vestibulandos.

Para o vestibular Fuvest 2019, as inscrições começaram às 12h do dia 13 de agosto e serão encerradas às 12h do dia 14 de setembro de 2018. É preciso pagar uma taxa de R$ 170, mas candidatos que não puderem arcar com esse custo podem tentar pedir isenção.

Quem errar alguma informação na inscrição pode fazer a retificação até 14 de setembro, pelo próprio site da Fuvest. A única coisa que não pode ser alterada é o número do CPF do candidato.

Nota de Corte USP

alunos no vestibular usp

Foto: Marcos Santos

Por ser a instituição de ensino mais disputada em todo o país, a nota de corte da USP é bem alta para todos os cursos, tanto no ingresso pelo Enem como no pelo vestibular.

Pela Fuvest, a nota de corte, na primeira etapa, apenas confere o acesso à segunda fase. Já pelo Sisu, o aprovado já conquista entrada garantida na universidade.

Para conhecer a nota de corte de todos os cursos da USP em 2018, é possível conferir a tabela divulgada pela Fuvest.

Maiores notas de corte

Como é comum em diversas universidades, o curso de Medicina na USP é aquele com as notas de corte mais elevadas. Na prova da Fuvest, de um total de 90 questões, os candidatos precisaram acertar 76 delas para chegar à segunda etapa de Medicina na capital paulistana, 72 em Ribeirão Preto e 69 em Bauru.

Em seguida, Engenharia Aeronáutica, em São Carlos, apresentou a nota de corte mais alta na primeira etapa, em 2018, com o mínimo de 65 acertos. O curso superior do Audiovisual foi o quinto mais difícil, com nota 62.

No Sisu 2018, a nota de corte mais alta também foi de Medicina, no campus de São Paulo: 819,92 pontos. A segunda maior nota eliminatória foi no curso de Ciências da Computação, com 806,35 pontos.

Menores notas de corte

Mesmo as menores notas de corte da USP são acima da média. Na primeira etapa de 2018 do vestibular da Fuvest, a menor nota de eliminação foi 27, dos aprovados nos cursos de Gestão Ambiental, em Piracicaba, Ciências da Informação e da Documentação, em Ribeirão Preto, Música, em Ribeirão Preto e em São Paulo, Saúde Pública, em São Paulo, e Licenciatura em Ciências Exatas, em São Carlos.

Já pelo Sisu, as notas de corte mais baixas foram em Biblioteconomia, em Ribeirão preto, com 631,69 na nota do Enem, Zootecnia, em Pirassununga, com 683,08 pontos, e Gerontologia, na capital, com 639,32 pontos.

Mesmo essas pontuações já seriam o suficiente para passar em cursos de diversas outras instituições de ensino do país, o que mostra o quão concorrida é a seleção da USP.

Prova da USP

As provas da Fuvest, para quem quer ingressar na universidade, são famosas pelo grau de exigência. Enquanto, no Enem, muitas questões podem ser solucionadas com base no contexto oferecido pelo próprio exame e conceitos básicos das disciplinas, na Fuvest, o modelo dos enunciados é bem “conteudista”.

Ou seja, é preciso estudar muito e vale a pena fazer provas de anos anteriores, para entender melhor o estilo da instituição. Quem ainda está no ensino médio e quer apenas se preparar para o vestibular também pode fazer a prova como treineiro, técnica que ajuda muito na preparação.

Primeira fase

A primeira fase da prova da Fuvest é um exame de múltipla escolha, com 90 questões que precisam ser resolvidas em, no máximo, cinco horas. As disciplinas abordadas são: biologia, física, geografia, história, inglês, matemática, português e química.

Algumas das questões são multidisciplinares, envolvendo mais de uma matéria. Para conhecer melhor o programa exigido, vale a pena se basear no manual do candidato, divulgado pela própria Fuvest, que destaca os temas mais importantes que podem cair nas provas.

São convocados para a segunda fase os candidatos com as melhores notas, em um número correspondente a 4 vezes o número de vagas na carreira. Se houver empate na última colocação, todos os empatados nela são admitidos na segunda fase.

A nota mínima para ser aprovado para a segunda fase é de 27 pontos em 90, ou seja 30% do valor da prova. Quem marcar menos que isso é eliminado, o que faz com que algumas carreiras tenham um número de aprovados menor que 4 vezes a quantidade de vagas.

Segunda fase

Na segunda fase da prova da Fuvest, são aplicadas as provas com questões dissertativas, ou seja, perguntas abertas. São dois dias de prova: no primeiro, é preciso responder 10 questões de português e elaborar uma redação. No segundo, são 12 questões sobre 2 a 4 disciplinas, dependendo da carreira escolhida.

A prova de redação vale 50 pontos e as outras 10 questões de português também valem 50 pontos. E as 12 questões específicas valem, no total, 100 pontos.

Além disso, os cursos de música, artes cênicas e artes visuais também contam com a prova de habilidades específicas, que valem 100 pontos. Para ser considerado habilitado, o candidato precisa marcar pelo menos 50 deles.

Na segunda etapa, além de dominar o conteúdo, os candidatos também deve saber como escrever adequadamente. A Fuvest avalia a capacidade de argumentação e desenvolvimento do texto, assim como correção gramatical e adequação vocabular.

Como entrar na USP: o que estudar para o vestibular?

O programa para o vestibular da USP é sempre extenso, afinal, é uma avaliação de tudo o que foi aprendido na escola, nas principais disciplinas dos ensinos fundamental e médio.

Para conhecer melhor cada um dos temas exigidos na prova, a recomendação é sempre recorrer ao manual do candidato, que apresenta todo o currículo necessário para a realização da prova de maneira resumida e instruções sobre os temas exigidos. Além disso, vamos frisar novamente: fazer provas de anos anteriores é excelente para conhecer a exigência da instituição e garantir mais segurança no exame.

Para a redação, a principal dica é ler e escrever bastante. Saber como redigir um bom texto é uma questão de prática, portanto, quanto mais o candidato treinar a habilidade, melhor será seu desempenho. Também é importante conhecer bem o formato padrão das redações da USP. Uma dica é buscar por exemplos de textos com boas notas e se basear nesses modelos.

Lista de Livros do vestibular USP

Além do conteúdo do currículo escolar, a Fuvest exige que os candidatos leiam uma lista de obras literárias que servirão de referência para algumas questões. A cada ano, mudam títulos na lista, e, para 2019, os selecionados são:

  • Claro enigma – Carlos Drummond de Andrade;
  • Minha vida de menina – Helena Morley;
  • A relíquia – Eça de Queirós;
  • Vidas secas – Graciliano Ramos;
  • Iracema – José de Alencar;
  • O Cortiço – Aluísio de Azevedo;
  • Mayombe – Pepetela;
  • Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis;
  • Sagarana – João Guimarães Rosa.

A mudança, em relação à lista de livros de 2018, é a entrada de A relíquia, de Eça de Queirós, que tomou o lugar de A cidade e as serras, do mesmo autor.

Provas anteriores da USP

Uma das melhores formas de estudar para a Fuvest é conhecendo as provas dos anos anteriores. Elas estão disponíveis no acervo online da instituição, sendo possível conferir os exames aplicados desde 1997.

Uma dica, aqui, é estudar com algumas das provas mais antigas fazendo as questões com consulta e deixar as mais recentes para realizar simulados sem ajuda alguma. O modelo de perguntas evoluiu ao longo dos anos, e os vestibulares de 2015 em diante são mais próximos do que se espera atualmente dos candidatos.

Além das questões fechadas, é possível estudar também com as provas da segunda etapa. Pode ser uma boa ideia responder alguma delas e pedir para que, depois, um professor faça a correção para você.

Isenção USP: como solicitar isenção da taxa de inscrição?

Algumas pessoas podem pedir a isenção da taxa cobrada pela Fuvest para a inscrição no vestibular. O prazo do calendário USP para o processo seletivo de 2019 já está encerrado. O benefício foi concedido para quem fez o pedido e tinha renda individual comprovada abaixo de R$ 1.662,57, no caso de candidatos responsáveis pelo próprio sustento e que residiam sozinhos, ou o mesmo valor para cada membro do núcleo familiar.

Nas situações de renda individual ou de cada membro do núcleo familiar inferior a R$ 3.325,14 ou de candidatos que comprovassem desemprego, foi possível pedir isenção de 50% do valor da taxa.

Cursos da USP

USP oferece formação em diversas áreas de conhecimento não só em nível de graduação, mas também de especialização, pós-graduação e mestrado e diversos cursos gratuitos. Várias das opções ofertadas estão entre as formações mais reconhecidas no Brasil, tanto na questão acadêmica como no sucesso dos profissionais formados pela universidade.

Se a instituição é a sua escolhida para o ensino superior, conheça todos os cursos de graduação da USP visitando o site oficial da instituição.

E agora que você já sabe tudo sobre como entrar na USP, que tal aprimorar a sua preparação? Então, assista à videoaula sobre o formato de redação da FUVEST, veja o guia completo da Fuvest que preparamos no blog do Stoodi e teste seus conhecimentos fazendo os exercícios das edições anteriores do Enem!