Cinemática Escalar - Conceitos Básicos / Velocidade Média

Prof. Terra timer 29:37

Nesta primeira videoaula de física sobre cinemática escalar, vamos aprender conceitos básicos sobre o tema. De que forma podemos descrever os movimentos, a necessidade de referenciais e como calcular a velocidade média.

Bom dia, boa tarde, boa noite, qualquer horário que você esteja estudando, porque é legal você ter certa liberdade aqui no Stoodi você não precisa se preocupar com horário, pode ser de madrugada, pode ser a hora que você quiser. E eu professor Terra, vou acompanhar vocês nessa jornada, na melhor matéria do mundo, na matéria de física, a gente vai juntinhos nessa estudar bastante. Beleza? Vamos lá! A gente vai começar então com a parte da Cinemática, primeira aula, aula mais tranquilinha, aula de conceito são vários conceitos importantes que a gente vai discutir aqui na aula, e aí vocês vão perceber que nem todos os vestibulares, já comentando um pouquinho sobre o vestibular, cobram esses conceitos diretamente. Vai aparecer às vezes no enunciado, vai aparecer na sua resolução você vai ter que escrever e vai ter que usar esses conceitos. Então se você tiver alguma dúvida, dá uma olhadinha no vídeo de novo e aí você vai aprender com certeza esse conteúdo. Beleza? Vamos lá então! Dá uma olhadinha aqui. A ideia da Cinemática é logo no comecinho uma matéria mais descritiva, ela não quer explicar para você o que está acontecendo, ela só quer descrever. Se a gente pegar um carro, por exemplo, ela só vai falar para a gente que o carro andou não sei quantos metros, andou durante não sei quantas horas, é isso. Porque que ele fez esse movimento é outra parte, lá na frente a gente vai discutir melhor isso. Mas por enquanto só descrever o movimento e é isso que interessa pra gente. Só que pra descrever o movimento tem aqueles conceitos que eu comentei antes que são importantes, por exemplo, se eu perguntasse pra você agora, você está aí na frente do seu computador na sua casa, tranquilinho, eu ia perguntar assim para você: Você está parado em repouso ou você está se movimentando? E aí pode pensar não tem problema, pense aí. Acho que a maioria pode falar assim: repouso porque eu estou sentado numa cadeira. Tá certo. só que se eu dissesse para você que você está em movimento também, não é absurda a ideia é? S e a gente pegar, por exemplo, está aqui a terra, planeta terra, está aqui você sentado aqui no planeta Terra, cara, essa terra aqui tá em movimento em torno do sol, concorda? Então você está em movimento também. Agora a pergunta é quem é que tá certo? Você que tá em repouso ou você que está em movimento. Problema né. As duas são certas. Então pra acabar com essa confusão toda, o primeiro conceito importante pra gente aqui é o referencial, tudo depende do ponto de vista. Você está em movimento, a sua resposta está certa. Você está em repouso, a sua resposta também está certa. Então depende do quê? Do referencial. De uma forma bem geral, esse referencial, a gente pode trocar e chamar de ponto de vista, dependendo do ponto de vista você tem movimento, dependendo o ponto de vista você está em repouso. Tudo na física, tudo na física, tem um referencial, se não tiver referencial a gente nem começa a conversa, fica difícil de conversar exatamente por essa confusão. Não sei se você está em movimento, não sei se está em repouso, então vai dar confusão. Então para a gente o que é referencial? É um ponto de referência. Não ajudou muito não né? Vamos fazer assim, imagina que você está andando numa praça aí você pergunta informação para um uma pessoa qualquer que está lá: Aonde fica a tal rua? Aí o cara fala para você: tem um orelhão ali aquele orelhão sei lá amarelo, vermelho, qualquer cor, depois daquele orelhão você vira à direita. Olha a cena toda, de todos os pontos que o cara podia pegar lá na praça ele pegou aquele orelhão colorido e falou, aquele orelhão você vai fazer tal coisa. Esse orelhão virou a nossa referência. Beleza? Vamos mudar o assunto, vamos voltar lá para o movimento, o movimento do sol que eu perguntei pra vocês ou seu repouso na sua cadeira. Quando eu falei pra você que você estava em repouso é como se eu pegasse uma câmera, essa que a gente está usando agora para gravar a aula, e colocasse aqui assim ô, e essa câmera agora está filmando você, ela está vendo você paradinho, sentadinho. Então nosso ponto de vista aqui está direto pra você. Como é que essa câmera vai enxergar você, em repouso ou movimento? Você já sabe né? Repouso, parado, tranquilinho. Vou colocar essa câmera agora, se fosse possível lá no sol, ia derreter, mas se fosse possível. Colocou a câmera lá no sol como ela ia filmar você? Ela ia filmar você lá na terra e a terra passando e você junto lá na Terra, concordam? Então desse ponto de vista lá do sol você está em movimento. Então está aqui o nosso referencial é essa ideia, a gente pode trocar o nome e chamar de Marco Zero. Já ouviu falar de Marco Zero? Marco Zero é um nome mais comum, né? Não sei em qual o Estado que você está assistindo essa aula, mas aqui em São Paulo a gente tem um referencial, aqui em São Paulo a gente tem a Praça da Sé. A partir da Praça da Sé a gente marca todas as distâncias nas estradas. Então se uma estrada, por exemplo, tem uma plaquinha lá, quilômetro sessenta, ela está a sessenta quilômetros do nosso Marco Zero, da nossa Praça da Sé. Não sei como se chama a Praça da Sé da sua cidade, mas cada cidade tem com certeza um Marco Zero. Na física, vamos traduzir aqui o "fisiquês", a gente vai começar a escrever uma língua nova, então você vai se acostumando com essas ideias. A gente chama isso daqui de espaço "s", porque não "e", porque nossa física usa muita coisa do inglês, então "s" de "space". E aí como é Marco Zero, como é começo, eu vou escrever aqui "s" igual a zero é onde nosso espaço começa é onde eu começo a contar todas as distâncias. Beleza? Legal! Agora que você sabe o que é referencial, eu volto na mesma pergunta lá do começo. Você, exatamente agora está em repouso ou está em movimento? Depende do referencial, de novo eu não adotei nenhum referencial, né? Então tá bom, segundo essa lousa, está em repouso, está aqui filmando você paradinho, se essa câmera tivesse lá no sol, aí você está em movimento. Então você já sabe o que é movimento já sabe o que é repouso, não? Sabe sim. Só um pouco difícil de explicar, mas vamos voltar aqui. Primeiro, a gente tem que definir um referencial. Definiu o referencial, a gente começa a conversar. Segundo, se você estiver em movimento pensa a câmera lá no sol. Você não está vendo a terra andando? Lá de longe passando pelo céu assim, então tem que ter um deslocamento. Deixa eu só arrumar isto daqui ficou parecendo um 'e", tem que ter um deslocamento. Tem que deslocar você tem que sair de um lugar e chegar em outro. Esse ponto é importante e é claro que esse deslocamento ele não é instantâneo, ele demora um certo tempo, esse intervalo de tempo também é outro ponto que a gente precisa. Então tem que ter deslocamento é claro que isso leva um certo tempo. Combinados? Beleza? Legal! Então já que você sabe o que é movimento, eu fiz uma retinha, um desenho, pra gente brincar. Eu comecei assim, eu coloquei o número seis aqui e vou marcar todos os espaços todas as posições em metros. Beleza? A gente vai conversando sobre essas unidades. Quero saber de vocês o seguinte, essa próxima plaquinha que vai medir pra gente a distância, ela vai medir a posição sete ou vai medir a posição cinco? Dá uma olhada, o que você acha? Dica é isso aqui, o que é isso aqui? É uma orientação, esse negócio está apontando para a direita, não está? Se está apontado para a direita, ele está aumentando para a direita, ele indica para você para onde esse número vai crescer. Então isso aqui é o seis, e eu chutei qualquer número, não precisava ser seis, pode ser qualquer número. O próximo aqui, tem que ser sete, o próximo oito, nove, dez, e assim por diante vai embora. Mas não tinha que começar do zero? Não precisa. Eu só não coloquei no nosso mapa aí se eu prolongar isso aqui vai ter uma hora aqui, sei lá qualquer, que aqui é o 's" igual a zero, aqui é a Praça da Sé, aqui é o nosso Marco Zero. Beleza? Mas você não precisa indicar. Então agora você tem duas possibilidades, você pode andar a favor dessa trajetória, seguindo essa flechinha ou você pode voltar indo contra essa trajetória. Se você estiver andando a favor a gente vai dar um nome pra esse movimento, vou escrever aqui para você, é o Movimento Progressivo. Progressivo, a favor da trajetória. E se você estiver contrário a esse movimento? Dá vontade de falar regressivo, né? Toma cuidado! Não é regressivo, é movimento retrógrado. Tudo bem? Então só tome cuidado com esse termo que ele é um pouco novo pra gente. Movimento Progressivo, a favor da trajetória, Movimento Retrógrado, contra a trajetória. Beleza? Legal! Vou voltar no mesmo conceito importante aqui pra gente, deslocamento. Você sabe me dizer quantos metros você andou na posição seis até a posição dez? Sabe. Fácil, seis, sete, oito, nove, dez. Quatro metros tranquilinho, facinho. Agora, se eu perguntasse pra você: Quantos quilômetros você anda, por exemplo, para ir do Brasil até um país qualquer da Europa? Você ia contar quilômetro por quilômetro? Ia dá muito trabalho, né? Então a gente tem um jeito mais simples. Qual é a conta que você fez? Você pegou duas posições a última e a primeira, imagina que você tenha saído daqui, dessa posição aqui, eu vou chamar isso aqui de posição inicial. Posição inicial, a gente vai começar a dar nomes lá do "físiquês" e o "S0" toma cuidado que não é "s" igual a " 0", "s" igual a "0" é o Marco Zero é Praça da Sé "S0" é a primeira posição que ocupa, posição inicial e a última aqui é a sua posição, adivinha, final, final, beleza? Precisa ser o que, "SF"? Pode ser. Pode ser S1? Pode ser. Pode ser S2? Pode ser o "s" que você quiser de uma forma geral, "s". Agora como é que você faz essa continha aqui para descobrir o quanto que você andou? Final menos inicial, dez menos seis, são os quatro metros que você andou. Legal. Está aqui então, esse é o nosso deslocamento escalar não se preocupa muito, lá na frente a gente tem uma aula para diferenciar escalar e vetorial. A gente conversa melhor sobre isso daqui tá? Por enquanto só o nosso deslocamento já está legal. Velocidade Escalar Média agora, eu posso percorrer essa distância, tanto faz a favor ou contra, mas um pouco mais rápido e um pouco mais devagar. Concorda? E aí faz toda diferença ao invés da gente falar só deslocamento andou quatro metros, quatro metros, quatro metros, eu posso falar andou quatro metros em um único segundo, andou quatro metros em uma única hora, andou quatro metros e um ano. Então você tem essa relação aqui, que é aquela relação que eu tinha falado no começo deslocamento e tempo. Então você determina aqui a velocidade, uma das equações mais simples, mas extremamente importante para a gente. Então o quê, sempre, sempre, sempre o quanto você anda tá aqui, o quanto você anda pelo tempo que você demora, que triângulo que é esse aqui? Esse triângulo aqui é um Delta, uma letrinha grega e todas as vezes que aparecer esse triângulo aqui a gente vai chamar de variação. Variação do espaço, variação do tempo, se eu escrevesse para você aqui, variação do "a ", não sei o que é "a", mas variação de qualquer coisa que seja "a". Combinados? Então sempre quando alguma coisa muda, quando alguma coisa vai variar. Beleza? Então está aqui a nossa velocidade, só um detalhe, tem um negócio que chama sistema internacional, deslocamento você sempre vai medir em metro. Tempo você sempre vai medir em, segundo. Então se você está dividindo Delta "s" por Delta "t", metro por segundo. Essa é a nossa unidade no sistema internacional. A gente vai fazer um exercício daqui a pouquinho eu comento melhor sobre isso daí. Tudo bem até aqui? Beleza? Qualquer dúvida dá uma olhadinha de novo na aula para ver se você entende tranquilo, dá uma olhadinha de novo, dá uma olhadinha de novo. dá uma olhadinha de novo, até você ficar sossegado. Beleza? Vamos fazer um exercício agora da Fuvest só para a gente ter uma ideia como isso é cobrado no vestibular: Um avião vai de São Paulo a Recife em uma hora e quarenta minutos. A distância entre essas cidades é de aproximadamente três mil quilômetros. Então vamos lá! Antes da gente continuar com o enunciado, deixa o enunciado lá, dá uma olhadinha no seu enunciado de física, bem tranquilo, jeito pra você resolver exercício é esse aqui: anota todas as suas informações aqui no seu cantinho, não tem problema que você não vai usar essa informação, anota aqui seu Delta " S", o deslocamento, o quanto você vai andar é esse tamanho aqui, são três mil quilômetros. Quanto tempo você demora para fazer isso daqui? Uma hora e quarenta minutos. Mas não estava assim no anunciado, anota do seu jeito aqui, isso aqui é o seu rascunho para ficar mais fácil para você entender. Depois que você entendeu o enunciado, aí sim você pode resolver. Vamos voltar lá no enunciado, dá uma olhadinha na tela de vocês, item "A": "Qual a velocidade média do avião?" Item "B": "Prove que o avião é supersônico." "Dado: velocidade do som no ar = 3quatro0 m/s. Volta aqui, volta aqui, letra "A" ele pediu para a gente calcular a velocidade média. Só pra lembrar um rascunho rápido aqui. Como é que a gente calcula a velocidade média? É o quanto você anda pelo tempo que você demora, não sendo formal, formalismo: deslocamento pelo tempo. É isso? Legal. Deslocamento está fácil, três mil quilômetros. E tempo? Cara, tempo esse é um problema um ponto onde pode errar. Esse tempo aqui, vê pra mim. Está certo escrever isto aqui? Uma hora e quarenta minutos? Não, é problema. Toma cuidado com esse detalhe tá? Toma cuidado com esse detalhe, mais uma vez, toma cuidado com esse detalhe. Esse detalhe aqui dos quarenta minutos é que pode fazer você errar o exercício. Vamos fazer uma regra de três, só para você ver como é que é isso daqui. Uma hora, uma hora. Tem quantos minutos? Fala para mim. Boa sessenta, sessenta minutos. Legal. Quarenta minutos aqui unidade embaixo da unidade, lembra da regrinha de três, vocês já deram uma olhadinha nisso lá na parte de matemática, eu sei disso. "x" horas, "x" horas. Beleza? Multiplique essa coisa toda aqui em X. Uma hora quarenta, "x" sessenta, então você tem aqui, sessenta vezes "x" um vezes quarenta, já coloquei direto aqui, não precisa lembrar da tabuada do um de novo, né? Fechou, passa dividindo então você tem aqui quarenta por sessenta. Só para simplificar, sei também que vocês já viram isso na parte de matemática, já estão treinados nisso daí. Dividir por dez em cima e embaixo, só não anotei aqui para ficar mais tranquilo, quatro e seis dá para dividir por dois, divide lá em cima por dois, dividir lá embaixo por dois, isso aqui vai ficar lá em cima, dividiu por dois, dois. Lá embaixo dividiu por dois, três. Não dá mais pra simplificar, se você tentar dividir vai dar um número feio, deixa assim, dois terços de horas. Toma cuidado, isso aqui não é resposta, isso aqui é o começo do nosso exercício, a gente está transformando esse tanto aqui. Agora quanto que vai ser o seu Delta "t"? Vai ser uma hora inteira mais dois terços de horas. Vamos fazer esse Delta "t" então, tá aqui. Delta "t" uma hora mais dois terços de horas, sei também que você já viu a aula de fração, tô sabendo, tô sabendo. Isso aqui vai ser o que? Você tem que arrumar aqui embaixo professor de Matemática chama essa coisa de numerador e denominador. Não é isso? Cara não se preocupa com essa parte não, vou chamar de parte baixo. Beleza? Aqui, um, três divide pelo de baixo, multiplica pelo de cima, divide pelo de baixo, coloquei errado aqui, pronto multiplica pelo de cima, pronto. Então seu Delta "T " deu cinco, somei lá em cima, terços de hora. Agora sim você está pronto pra começar o seu exercício. Vamos lá! O que ele pediu mesmo no item "A" volta lá no enunciado, vê pra mim. Velocidade média né? Como é que eu cálculo a velocidade média de qualquer corpo em movimento? Delta " s", por Delta "t". No enunciado o cara pediu alguma unidade? Metros por segundo, quilômetros por hora, milhas por hora, centímetros por dias. Não pediu nada. Então posso já usar as unidades que tenho aqui, normalmente a gente costuma usar o sistema internacional. Também não tem problema pode usar e aí o Delta "s". Quanto que você andou até Recife? Três mil boa. Três mil quilómetros. Fazer uma anotação, vou colocar unidade para você ver como é que fica. E o Delta "t". Quanto tempo demorou? Cinco terços de horas. Beleza, lembra de fração? Só aula de matemática aqui, copia o primeiro, inverta o segundo, três mil quilômetros vezes três quintos. É isso? De horas, tá bom, só que a hora está aqui embaixo. Toma cuidado, hora tá aqui embaixo. Beleza? Então o que que a gente tem ali em cima. Três mil vezes três, nove mil, nove mil tá bom. E aí nove mil dividido por cinco. Não é isso? Nove mil dividido por cinco, então a nossa velocidade média aí é de mil e oitocentos, lá em cima. Quilômetros, lá embaixo, por hora. Tá bom, tá bom. Era isso que ele queria. Então a gente chegou, está aqui a velocidade média desse avião. Tranquilinho? Nada de absurdos? Nada de dúvidas? Volta dá uma olhada nessa resolução de novo, vai treinando aí para ficar craque em física. Vou dá uma apagada na lousa, enquanto isso você dá uma olhada no item "b" e a gente já volta aí. Deu uma olhadinha lá no item "b "? Legal! O que ele está pedindo, fala para mim? Para você provar se o avião é supersônico ou não. Tá o que que é supersônico, né? Dá uma olhada super, super, alguma coisa grande, alguma coisa, sei lá, Super Man forte, e tal. No nosso caso, só não é super forte é supersônico, sônico tem a ver com som, então alguma coisa que passe à velocidade do som. Daí que tem aquela informação que ele passou que a velocidade do som é de. Velocidade média não, velocidade do som é de trezentos e quarenta metros por segundo. Por isso ele passou essa informação pra gente. Agora dá uma olhada, no item " A" a gente chegou em mil e oitocentos quilómetros por hora. No item "b" trezentos e quarenta metros por segundo, está difícil comparar. São unidades diferentes, toma cuidado com esse detalhe, são unidades diferentes, não dá para comparar. Se eu pedisse para você comparar um quilômetro e um metro com certeza você teria facilidade de me dizer qual é o maior ou menor, mas aqui são unidades que a gente não costuma trabalhar muito. A gente tem que transformar isso aí para o mesmo, para uma mesma unidade. Então vamos fazer assim, tem uma dica legal para você. Eu tenho aqui, metros por segundo e eu tenho aqui quilômetros por hora, se você quiser passar de metros por segundo para quilômetros por hora, você vai multiplicar por três vírgula seis. Bom, se você multiplicou por três vírgula seis para chegar em quilômetros por hora, o que você vai fazer, agora é o contrário você vai dividir por três vírgula seis para chegar em metros por segundo. Dá uma olhadinha, onde a gente está aqui. Posso passar de quilômetros por hora para metros por segundo? Pode. Pode. Aí eu comparo com essa de baixo. Se eu quiser transformar essa para quilômetros por hora. Posso? Posso também, você sabe fazer. A gente compara com esse valor, tanto faz, eu, isso é uma opinião pessoal, eu acho que transformar isso aqui para metros por segundo é mais simples. Se você quiser também pode fazer a continha em casa, não tem problema nenhum, o resultado é o mesmo. Beleza? Então vamos lá! Quilômetros por hora quero passar isso aqui pra metros por segundo, então vamos anotar aqui, a velocidade média que a gente chegou no item "a" mil e oitocentos quilômetros por hora, aqui, quilômetros por hora. Qual setinha seguir, essa ou essa? Essa daqui não dá, divide por três virgula seis, vou anotar aqui, divide por três virgula seis. Legal? Então tá bom. Nossa velocidade então, velocidade do avião é de quinhentos metros por segundo. Tranquilinho. Vamos comparar agora? Dá uma olhada aqui. A velocidade do som? trezentos e quarenta. Velocidade do nosso avião? Quinhentos, agora sim eu sei. Quinhentos, a gente sabe que a velocidade do nosso avião ela é maior, vocês conhecem esse símbolo lá da matemática a gente usa muita coisa de lá hein. É maior que a velocidade do som, se é maior que a velocidade do som o avião é supersônico. Beleza? Precisa tomar cuidado em escrever bonitinho na hora que você vai fazer uma questão dissertativa, com certeza o corretor de seu vestibular ficar bem feliz com a sua resposta, você vai acertar tudo. Legal galera, já acertou um exercício da Fuvest começou muito bem. Vamos lá então pra mais um exercício, dá uma olhadinha na tela de vocês aí que vai aparecer o enunciado. "A metade de um percurso é feito com velocidade constante de quarenta quilômetros por hora e a outra metade com velocidade média de sessenta quilômetros por hora. Calcule a velocidade média em todo o percurso. Então tá bom. O cara falou velocidade média. Será que dá para fazer a média das duas velocidades? Tenho a velocidade na primeira parte, está aqui a sua viagem toda, primeira parte e a segunda parte, tem uma velocidade aqui na segunda parte que é o que ele falou no enunciado. Dá para somar as duas dividido por dois resolve nosso problema? Vamos fazer assim, vamos comparar os dois jeitos. Faz a média aí, quarenta mais sessenta, cem. Dividido por dois, cinquenta. Será que é isso? Guarda esse resultado na sua cabeça e a gente vai fazer aqui bonitinho, devagar para ver se dá esse resultado mesmo. Vamos lá? Então acompanha comigo aí. Ele sabe o Delta "s"? Ele falou para a gente, o enunciado passou isso pra gente? Quanto que é o deslocamento na primeira parte? Mais ou menos. Na segunda? Não. Mas ele falou que ele fez metade do percurso, metade pode ser "x"? Pode? Pode ser "x" por dois? Pode? O tanto que você quiser é um tamanho que eu não sei, só que isso daqui for "x". Quanto que é isso aqui? Boa, "x" também. Legal. Uma parte, uma parte, sua viagem toda tem 2 x de tamanho. Concorda? Andou cem metros aqui, cem metros aqui, duzentos metros. Delta "t" você sabe? Sei não. Você sabe? Também não. Vamos deixar assim. E a velocidade? Você sabe? Sabe. Na primeira parte quanto que foi? Quarenta quilômetros por hora. E na segunda parte? Sessenta quilômetros por hora. Legal. Legal. Então vamos fazer assim, lembra como que calcula a velocidade média? A gente acabou de usá-la né? Velocidade, nosso rascunho aqui, velocidade média, Delta "s", Delta "t", quanto anda, tempo que demora. É isso? Então vamos usar isso daí. Aqui, velocidade um, Delta "s" um, parece um cinco meu um, Delta "t" um. Velocidade um, quarenta, Delta "s" um "x", Delta "t" um, caramba tá ficando meio estranho isso aqui, "t" um, vou passar o Delta "t" pra cima e o quarenta pra baixo, então a gente vai chegar nisso daqui. Que o Delta "t" um vale "x" por quarenta. Será que a gente está perdido? Estranho, deixa aí, deixa aí, não assusta não, não assusta não. Vamos pra segunda parte, velocidade dois, Delta "s" dois, Delta "t" dois. Velocidade dois sessenta, Delta "s" dois "x" de novo, outra metade e o Delta "t" não tenho ideia, não tenho ideia. Mas eu vou fazer o mesmo raciocínio aqui, passar o Delta "t" lá pra cima e o sessenta pra baixo. Então Delta "t" da segunda parte, o tempo que você demora na segunda parte, vai ser qualquer coisa tipo sessenta por, aliás "s" sobre sessenta. Tá bom. Então tá bom. Vou nem colocar unidade, porque a gente só está tentando fazer alguma coisa... não sei né, resolver um exercício aí e tal. Mas vamos lá, agora você sabe dos dois tempos, não sabe? Se eu te falasse assim: você levou dez minutos na primeira parte e quinze ou sei lá, cinco, cinco é melhor. Dez na primeira parte e cinco minutos na segunda, você sabe o tempo total, quinze minutos. Não é isso? Eu sei o tempo total, apesar desse negócio não está muito bonito, a gente sabe o tempo total, posso somar as duas. Então eu vou calcular a velocidade média desse jeito aqui. A velocidade média do trajeto inteiro é o Delta "s" do trajeto inteiro, total e o Delta "t" do trajeto inteiro, total. Velocidade média então vai ser o quê? Quanto que a gente andou? "x" "x", dois "x". É isso? "x" "x", dois " x", estamos somando as duas não estamos multiplicando. Dois "x". Delta "t", não faz de cabeça essa coisa aqui não! Põe lá, tranquilinho. Primeiro tempo, "x" sobre quarenta, segundo "x" sobre sessenta. Como a gente sai disso? Vamos torcer pra parecer um milagre aí, vamos lá. Então essa velocidade média, em cima não dá pra fazer nada, vai ficar dois " x" mesmo. Em baixo vamos ter que somar fração, né? Então tá bom. Tá aqui, acho um denominador comum, se você não quiser faz assim, junta os dois direto, quarenta vezes sessenta, não deixa o professor de matemática ver que eu falei isso tá, divide pelo de baixo. Olha lá quarenta vezes sessenta, dividido por quarenta, deu sessenta vezes " x", sessenta "x". Quarenta vezes sessenta dividido por sessenta, quarenta né? Vezes "x ". Legal. Eu sei que tá bagunçado, eu sei que está feio isso aí. Vamos arrumar essa coisa toda. Vamos lá. Então a nossa velocidade média vai ser, lá em cima, dois " x", lá embaixo cem e aqui, quatro vezes seis, não lembro, seis vezes quatro você sabe, vinte e quatro, mais fácil. Então isso aqui vai dar dois mil e quatrocentos. Cem sobre dois mil e quatrocentos. Tem "x" em algum lugar aqui, " x". Copio o primeiro e vou inverter o segundo, dois mil e quatrocentos, inverter o segundo, olha que milagre, que é o milagre que a gente tá esperando. O que a gente vai fazer com o "x" agora? Jogar fora. Dá vontade de chorar de tão lindo que é isso daqui. Não dá não? Então isso aqui vai dar. Olha só, facilita nossa vida aqui, joga esses zeros fora, fica vinte e quatro vezes dois. Então, a velocidade média do nosso carrinho aí vai ser de? Quarenta e oito quilômetros por hora. Volta na primeira pergunta que eu fiz pra você. Dá pra somar as duas velocidades e dividir por dois? Não dá, né? Lembra do resultado? Lembra que a gente somou sessenta, quarenta dividiu por dois e deu cinquenta? Cara, dá quarenta e oito quilômetros por hora. Toma cuidado com esse detalhe, não dá para fazer média de velocidade, tá? Que que a gente fez? Achou o tempo da primeira parte, achou o tempo da segunda parte, somei os dois tempos, descobri a velocidade média. Faz um favorzinho para mim, revê essa aula aqui porque esse exercício é típico de vestibular, principalmente da nossa primeira matéria aí de velocidade média. Tudo bem? Valeu, galera. Dá uma olhada na aula de novo, de novo, de novo, de novo, até você ficar tranquilo com isso. Até a próxima, tchau.

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.