Exercícios de Comércio

Voltar para Comércio

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Comércio dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude Geografia com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 1. UEPB 2013
    Empresa Global e o fim do made in "Apesar de ter sua sede empresarial em Portland, nos Estados Unidos, a Nike não produz tênis no país. l...) A Nike vende tênis no mundo todo, mas não tem uma só fábrica nem emprega um só operário. Ela compra os calçados de indústrias instaladas principalmente no leste asiático. Essa é uma caracteristica essencial de uma empresa global: a facilidade de identificar locais onde existam as condições mais atraentes para suas operações. [...I a tendência atual das empresas transnacionais é produzir seguindo um padrão comum nos diversos países. Essa prática tende a colocar um fim à identidade nacional dos produtos, o chamado made in". Fonte: Folha de São Paulo (2 Fev. 1997) apud COELHO, Marcos Amorim e TERRA, Lígia. "Geografia o espaço natural e socioeconômico'. 5a Ed. Reform e atual - São Paulo Moderna, 2005. Assinale com V ou com F as proposições conforme estejam respectivamente Verdadeiras ou Falsas em relação as ideias apresentadas pelo texto. ( ) Uma das características da globalização é a universalização das técnicas. ( ) A tendência do capitalismo é a desconcentração espacial da produção e do consumo, mas a concentração do comando. ( ) Com o advento do modelo flexível de produção, desaparece a divisão internacional do trabalho. ( ) A terceirização na produção surge como uma alternativa de flexibilização das empresas que aumentam a extração da mais-valia, desobrigando-se dos custos sociais com operários. Assinale a sequência correta das assertivas:
  2. 2. ENEM 2014
    TEXTO I TEXTO II A Índia deu um passo alto no setor de teleatendimento para países mais desenvolvidos, como os Estados Unidos e as nações europeias. Atualmente mais de 245 mil indianos realizam ligações para todas as partes do mundo a fim de oferecer cartões de crédito ou telefones celulares ou cobrar contas em atraso. Ao relacionar os textos, a explicação para o processo de territorialização descrito está no(a)
  3. 3. PUC-SP 2011
    Veja o mapa com atenção: Tendo em vista o representado, a relação correta do Brasil com respeito ao comércio exterior é
  4. 4. UEMG 2014
    Analise a seguinte ilustração. De acordo com o gráfico da oscilação da balança comercial brasileira, é CORRETO concluir que
  5. 5. ENEM 2014
    Na imagem, é ressaltado, em tom mais escuro, um grupo de países que na atualidade possuem características político-econômicas comuns, no sentido de
  6. 6. ENEM 2015
    Um carro esportivo é financiado pelo Japão, projetado na Itália e montado em Indiana, México e França, usando os mais avançados componentes eletrônicos, que foram inventados em Nova Jérsei e fabricados na Coreia. A campanha publicitária é desenvolvida na Inglaterra, filmada no Canadá, a edição e as cópias, feitas em Nova York para serem veiculadas no mundo todo. Teias globais disfarçam-se com o uniforme nacional que lhes for mais conveniente. REICH, R. O trabalho das nações: preparando-nos para o capitalismo no século XXI. São Paulo: Educator, 1994 (adaptado). A viabilidade do processo de produção ilustrado pelo texto pressupõe o uso de
  7. 7. ENEM 2016
    A mundialização introduz o aumento da produtividade do trabalho sem acumulação de capital, justamente pelo caráter divisível da forma técnica molecular digital do que resulta a permanência da má distribuição da renda: exemplificando mais uma vez, os vendedores de refrigerantes às portas dos estádios viram sua produtividade aumentada graças ao just in time dos fabricantes e distribuidores de bebidas, mas para realizar o valor de tais mercadorias, a forma do trabalho dos vendedores é a mais primitiva. Combinam-se, pois, acumulação molecular-digital com o puro uso da força de trabalho. OLIVEIRA, F. Crítica à razão dualista e o ornitorrinco. Campinas Boitempo, 2003. Os aspectos destacados no texto afetam diretamente questões como emprego e renda, sendo possível explicar essas transformações pelo(a)
  8. 8. UNESP 2012
    Observe a tabela e compare a evolução das exportações brasileiras para blocos econômicos, em valores totais (USS), e quantidade em toneladas (ton), nos períodos de 12 meses, jun/mai 2000/01 e 2010/11. *Percentual sobre o total da exportação brasileira para os blocos indicados. (Carta Capital. Exportações brasileiras para os principais blocos económicos, ano XVI, n° 651, junho de 2011. Adaptado.) A respeito da evolução das exportações brasileiras, pode-se afirmar que
  9. 9. ENEM 2017
    A diversidade de atividades relacionadas ao setor terciário reforça a tendência mais geral de desindustrialização de muitos dos países desenvolvidos sem que estes, contudo, percam o comando da economia. Essa mudança implica nova divisão internacional do trabalho, que não é mais apoiada na clara segmentação setorial das atividades econômicas. RIO, G. A. P. A espacialidade da economia. In: CASTRO, I. E.: GOMES. P. C. C.; CORRÊA, R. L. (Org. ). Olhares geográficos: modos de ver e viver o espaço. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012 (adaptado).     Nesse contexto, o fenômeno descrito tem como um de seus resultados a
  10. 10. FUVEST 2006
    O aumento da dívida externa na América Latina, evidenciado no gráfico, ocorreu, principalmente, devido
  11. 11. ENEM 2012
    Uma mesma empresa pode ter sua sede administrativa onde os impostos são menores, as unidades de produção onde os salários são os mais baixos, os capitais onde os juros são os mais altos e seus executivos vivendo onde a qualidade de vida é mais elevada. SEVCENKO, N. A corrida para o século XXI: no loop da montanha russa. São Paulo: Companhia das Letras, 2001 (adaptado). No texto estão apresentadas estratégias empresariais no contexto da globalização. Uma consequência social derivada dessas estratégias tem sido
  12. 12. FGV 2014
    A questão está relacionada ao gráfico e ao texto apresentados. Desde 2007, os produtos básicos sinalizam uma estabilização no quantum importado, apresentando pequena variação entre as quantidades máxima e mínima em cada ano. Por sua vez, os produtos semimanufaturados, após período de estabilidade, começam a mostrar tendência de crescimento. Enquanto isso, as quantidades importadas de produtos manufaturados tiveram crescimento contínuo e foram fortemente aceleradas nos dois últimos anos, impulsionadas pela demanda doméstica e pela forte valorização do real. (http://www.aeb.org.br/userfiles/fiIe/AEB%20%20Radiografia%20Com%C3%A9rcio%20Exterior%20BrasiI.pdf. Adaptado) A leitura das características do comércio internacional do Brasil em dois momentos (1995 e 2007) permite concluir que:
  13. 13. UNIFESP 2006
    O processo de industrialização tardia verificado após a Segunda Guerra Mundial promoveu
  14. 14. FGV 2012
    As commodities representaram 71% do valor exportado pelo Brasil de janeiro a maio. Nos cinco primeiros meses do ano passado essa participação era de 67%. As vendas ao exterior desses produtos avançaram 39,1%, muito mais que as dos manufaturados, 15,1%. Os cálculos são da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), obedecendo a critérios diferentes dos seguidos pelo Ministério do Desenvolvimento, já que incluem commodities classificadas como semimanufaturados e mesmo alguns produtos considerados manufaturados pelas estatísticas oficiais. Entre esses itens estão açúcar refinado, combustíveis, café solúvel e alumínio em barras. Disponível em: http://www.iedi.org.br/artigos/imprensa/2011 /iedi_na_imprensa_20110629_commodities_ja_representam_71_das_exportacoes_do_pais.htmI A reportagem revela uma mudança gradual no perfil das exportações brasileiras. Sobre esse tema, é correto afirmar
  15. 15. Espcex (Aman) 2015
    Sobre o comércio exterior brasileiro, podemos afirmar que I. no comércio mundial, o Brasil possui hoje a condição de Global Trader, estando, portanto, comprometido com os princípios do multilateralismo e do liberalismo no comércio mundial. II. a partir da metade da década de 1990, com o aumento da participação de produtos básicos e semimanufaturados na pauta de exportações brasileira, a participação do Brasil nos fluxos comerciais globais deu um salto para mais de 3% do total mundial. III. enquanto na pauta de exportações brasileiras para a União Europeia e Ásia predominam produtos primários e semimanufaturados, os países do NAFTA (Acordo de Livre Comércio da América do Norte) e da América do Sul absorvem, principalmente, produtos manufaturados do Brasil. IV. a redução das metas de crescimento da economia chinesa é fato positivo para a economia brasileira, pois tende a abrir um espaço ainda maior para nossas exportações de produtos básicos. V. o Mercosul responde por cerca de 40% das exportações brasileiras, o que revela a forte dependência comercial do País em relação ao bloco e justiflca o aumento dos investimentos privados brasileiros nos países do Mercosul. Assinale a alternativa em que todas as afirmativas estão corretas.
  16. 16. FGV-RJ 2015
    Observe atentamente o gráfico: Escolha a alternativa que interpreta corretamente a lógica geográfica das exportações brasileiras.
  17. 17. UERJ 2013
    O comércio externo constitui um dos aspectos mais importantes da economia nacional em tempos de globalização. Observe, por exemplo, o mapa abaixo, que apresenta as importações dos EUA provenientes do continente americano em 2005. A principal explicação para o elevado valor do intercâmbio de mercadorias dos Estados Unidos com os seus dois principais parceiros no continente americano é a existência de:
  18. 18. ENEM 2014
    Nas últimas décadas, tem se observado um incremento no comércio entre o Brasil e a China. A comparação entre os gráficos demonstra a
  19. 19. UEA 2014
    Um informe publicado ontem pela Organização Mundial do Comércio (OMC) com avaliações de especialistas de todo o mundo alerta que as barreiras comerciais chinesas e a falta de uma política exportadora no Brasil colocaram o País em poucos anos “no degrau mais baixo” na cadeia de fornecimento de bens para a economia chinesa. De um lado, o Brasil se transformou em fornecedor de produtos sem qualquer valor agregado, enquanto passou a importar um volume cada vez maior de bens tecnológicos da China. O caso da soja é um exemplo. 95% das vendas brasileiras do produto para a China embarcaram sem qualquer tipo de processamento. As exportações de óleo de soja e de farinha não ocorreram. Isso por conta da estratégia da China de desenvolver sua própria indústria da soja, impondo tarifas de importação aos produtos de maior valor agregado na cadeia da soja. (O Estado de S. Paulo, 10.07.2013. Adaptado.) O cenário do comércio bilateral apontado pelo texto reforça
  20. 20. PUC-RS 2014
    Chama-se “pauta de exportações” a relação de produtos que um país exporta. Sobre esse processo, é correto afirmar que I. é importante que essa pauta tenha produtos de menor valor agregado possível. II. os países desenvolvidos agregam alta tecnologia às mercadorias exportadas. III. os países industrializados centrais fabricam e exportam produtos da indústria de ponta. IV. México, Brasil e Argentina são países latino-americanos que fabricam e exportam matérias-primas minerais e vegetais. Estão corretas apenas as afirmativas
  21. 21. UFRRJ 2005
    No texto a seguir, são feitas algumas considerações sobre o capitalismo e o seu processo de desenvolvimento ao longo da história. O capitalismo, como sistema econômico e social, passou a ser dominante no mundo ocidental a partir do século XVI. Seus principais mecanismos foram sendo alterados para se adaptar às novas formas de relações políticas e econômicas estabelecidas entre as nações ao longo do tempo. O capitalismo evoluiu gradativamente e foi-se transformando à medida que novas dificuldades surgiam, apresentando, assim, um grande dinamismo ao longo do seu processo de desenvolvimento. Para melhor entender a sua evolução e a construção do espaço geográfico, costuma-se dividir o capitalismo em 3 (três) fases distintas. Adap. SENE, E. de e MOREIRA, J. C. "Geografia Geral e do Brasil: Espaço Geográfico e Globalização". São Paulo: Scipione, 1998. p. 14 Considerando o capitalismo e o seu processo de desenvolvimento através da história, marque a opção que corresponde respectivamente a essas fases é
  22. 22. FUVEST 2010
    A charge chama a atenção, principalmente, para a
  23. 23. UFC 2003
    A economia básica do Brasil, durante os períodos Colonial e Imperial, esteve voltada para o comércio de exportação. Assinale a alternativa que caracteriza o espaço geográfico brasileiro, nessa época.
  24. 24. UFPE 2007
    As exportações do Brasil para a China bateram um recorde histórico em julho de 2006. A balança bilateral reverteu os saldos negativos ou de baixo valor registrados até maio desse ano e atingiu o superavit de US$ 413 milhões de julho, com exportações de US$ 1,7 bilhão e importações de US$ 653 milhões. A maior pauta de exportações, feitas pelo Brasil, para aquele país asiático, refere-se aos seguintes produtos:
  25. 25. G1 - CFTMG 2007
    A maior parte da riqueza gerada na economia globalizada tem sido apropriada pelas nações desenvolvidas, que elevam cada vez mais seu nível tecnológico. Em contrapartida, os países subdesenvolvidos tornam-se ainda mais pobres, com uma limitação muito grande de recursos financeiros, o que constitui um sério entrave ao desenvolvimento e à capacidade de gerar novas tecnologias. Assim, podemos dizer que na atual divisão internacional do trabalho existe uma sequência de etapas, ligadas ao nível de desenvolvimento tecnológico, tanto nos países desenvolvidos quanto nos países subdesenvolvidos. BOLIGIAN, Levon... [et.al.]. "Geografia: espaço e vivência". São Paulo, Atual, 2001. Diante do exposto, é correto inferir que a utilização da tecnologia
  26. 26. UERN 2015
    O fluxo econômico e comercial entre as nações crescem de forma notória. Uma das questões fundamentais da atualidade dentro do processo de globalização diz respeito às práticas comerciais nas negociações internacionais. Com base nos dados do gráfico da balança comercial brasileira, é correto afirmar que
  27. 27. UEG 2011
    A diferença entre as exportações e importações, no estado de Goiás, tem apresentado variações ao longo dos últimos anos, sem caracterizar uma tendência. O quadro a seguir exemplifica essa situação.   ANO     EXPORTAÇÕES (EM U$)   IMPORTAÇÕES (EM U$) janeiro de 2004 71.690.496 51.036.030 janeiro de 2005 74.697.050 60.128.736 janeiro de 2006 106.722.084 57.986.290 janeiro de 2007 117.448.962 89.468.711 janeiro de 2008 233.085.285 202.128.400 janeiro de 2009 197.912.662 159.304.255 janeiro de 2010 160.094.999 358.253.770 janeiro de 2011 433.054.934 394.121.488 Fonte: Secretaria de Indústria e Comércio do Estado de Goiás  Com base no quadro acima, os períodos em que a balança comercial apresentou, respectivamente, o maior e o menor saldo foram:
  28. 28. UERJ 2007
    CRESCEM EXPORTAÇÕES INTRAFIRMA Embora crescentes, as exportações industriais brasileiras são fortemente concentradas em operações intrafirmas - entre subsidiárias no Brasil e matrizes no exterior - o que exige uma política industrial específica, voltada para as empresas transnacionais. Essas companhias, com pelo menos 10% de participação estrangeira, respondem por 60,4% das exportações brasileiras. Desse total, 58,8% são vendas intrafirmas. Do lado das importações a situação não é muito diferente. Cerca de 56,6% das compras externas brasileiras são realizadas por empresas transnacionais." Adaptado de FERRARI, Lívia. "Jornal do Brasil", 20/09/2004. Coma base nas informações da reportagem, a organização atual da produção e do comércio planetário apresenta como novas características:
  29. 29. UESPI 2012
    Com relação ao tema “Divisão Internacional do Trabalho”, são feitas as considerações a seguir. Uma delas, no entanto, não corresponde à realidade. Assinale-a.
  30. 30. UERJ 2004
    MORTE NA FESTA DOS RICOS O interesse despertado pela reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC), iniciada na semana passada em Cancún, no México, deveu-se justamente ao assunto central em pauta para os países emergentes, a agricultura. Pela primeira vez, a questão das práticas comerciais prejudiciais ao grupo de nações em desvantagem no cenário da globalização seria o foco das reuniões. O balneário mexicano deveria ser o marco de uma mudança que deixaria para trás a impressão predominante nos países emergentes de que os países ricos fazem a festa no comércio mundial usando a OMC apenas como um jogo de cartas marcadas. (Veja, 17/09/2003) A notícia acima reflete o debate sobre o comércio internacional que tem colocado os países desenvolvidos e subdesenvolvidos em campos opostos. Uma das razões desse antagonismo está indicada na seguinte alternativa:
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login