0.5x 1x 1.5x 2x
Gramática

Termos Associados ao Nome - Adjunto, Complemento e Predicativo

Prof.ª Priscila timer 12:56

Nesta primeira videoaula sobre termos associados ao nome você irá estudar o adjunto adnominal e o predicativo. Você verá a definição, semelhanças e diferenças e exemplos práticos do que é um adjunto adnominal e o que é um predicativo. Esta aula online é apresentada de forma bastante didática para ajudar você a entender melhor este tema.

Nessa aula nós aprenderemos a diferenciar a classificação dos termos que são associados ao nome numa oração. E quais são esses termos? São o adjunto adnominal o complemento nominal e os predicativos do sujeito e do objeto. Todos esses termos são associados ao nome, ou seja, a substantivos, pronomes, adjetivos, dentro de uma oração. Entretanto eles recebem classificações diferentes dependendo de algumas regrinhas e são essas regrinhas e essas classificações que a gente vai estudar agora. Começando então pelo complemento nominal e pelo adjunto adnominal, são dois termos que causam bastante confusão na hora que a gente vai classifica-los. Então como fazer? O complemento nominal ele só vai se ligar a substantivos abstratos, então se eu estiver fazendo a análise de uma oração em que eu tenho um substantivo concreto, eu automaticamente sei que se trata de um adjunto adnominal, visto que o complemento só se liga a substantivos abstratos. Além disso, o complemento se liga também a adjetivos e advérbios enquanto que o adjunto só se liga a substantivos, tá? Sejam eles concretos ou abstratos. Então como exemplo, para facilitar, vejam: "Evitaram a derrubada da árvore. "Aqui eu tenho derrubada como substantivo e é um substantivo abstrato, não é algo que eu veja, que eu possa desenhar, que eu possa fotografar, o que eu consigo ver é o ato de derrubar uma árvore, a queda daquela árvore. Agora a derrubada, derrubada não é um substantivo que tenha uma forma, ele depende desse ato de derrubar para existir, portanto ele é abstrato. Então se ele é abstrato eu já olho aqui e falo bom, esse daqui pode ser concreto ou abstrato, esse só pode ser abstrato. E agora? Continuo na dúvida. Como eu vou tirar essa dúvida? O complemento nominal, ele sempre será ligado por preposição, sempre, enquanto que o adjunto às vezes, mas na maioria das vezes isso não vai acontecer. Na maioria das vezes ele será sem preposição, enquanto que o complemento aparece com. Então aqui: "Evitaram a derrubada da árvore". Esse daqui a preposição me mostra que aqui se trata de um complemento nominal. Só que, se o adjunto também pode ter preposição às vezes, qual seria uma outra maneira deu identificar essa diferença? O adjunto ele aparece, muitas vezes, indicando posse. Então quando ele tiver preposição, essa preposição estará indicando posse de alguma coisa como por exemplo, cadeira do professor, mesa do diretor, aqui essa preposição não indica posse de algo, a derrubada não pertence a árvore, não é uma indicação de posse. Então eu usaria esse terceiro critério pra eliminar as dúvidas, então apesar de ter preposição e o adjunto às vezes poder ter também, ela não está indicando posse. Outro exemplo aqui de complemento nominal é: "Minha rua é paralela à avenida" esse fica um pouco mais fácil, porque paralela não é substantivo é adjetivo e o adjunto ele só se liga a substantivos. Se é adjetivo, só pode ser complemento nominal. Então, a avenida é complemento nominal de paralela. Aqui nos adjuntos, como o próprio nome diz, junto. Por quê que a gente diz que geralmente ele não tem preposição? Pelo próprio nome dele, ele dá essa ideia de estar junto do nome, grudado no nome, sem auxílio de preposição. Salvo algumas exceções como esses indicativos de posse que eu citei: "A sala do diretor é ali." Então aqui sala é substantivo concreto, eu já eliminaria a possibilidade de ser complemento, porque complemento só se liga substantivo abstrato. E além de ser um substantivo concreto eu tenho essa indicação de posse, a sala é do diretor, então aqui já me mostra que é um caso de adjunto adnominal, apesar de haver a preposição. E aqui um exemplo sem preposição, que é o mais recorrente: "O professor irritado deu aula hoje." Então irritado está completando aqui o sentido de professor, professor substantivo concreto, irritado está unido aqui a esse substantivo sem auxílio de preposição, portanto adjunto adnominal. E daí nós temos também os predicativos, do sujeito e do objeto, o predicativo do sujeito é uma informação que se refere ao sujeito, mas está no predicado da oração. Como aqui: "O professor deu aula irritado." Quem deu aula irritado? O professor, então eu sei que o professor aqui é o sujeito da oração. Só que irritado faz referência a esse sujeito, a esse professor, mas está no predicado da oração, não está dentro do sujeito, não faz parte do sujeito. Então por ser alguma característica do sujeito pertencente ao predicado, nós chamamos de predicativo do sujeito e diferente seria se eu dissesse assim: ”Os alunos deixaram o professor irritado." Daí aqui, quem deixaram o professor irritado? Foram os alunos, então os alunos é o sujeito, irritado aqui não está ligado aos alunos e sim ao professor, professor exerce que função aqui, n é? Ele é objeto, objeto direto aqui no caso. Quem deixa, deixa alguma coisa, eles deixaram o professor, professor então objeto direto. "O que eles fizeram com esse professor?" Deixaram irritado, então o irritado está completando o sentido do objeto direto, portanto aqui ele é predicativo do objeto, mas aí vocês vão me falar: ”Nossa, parece muito com o adjunto aqui, né? Qual seria a diferença? Aqui eu tenho adjunto, porque faz parte do sujeito e aqui é predicativo do objeto, porque está no predicado? Qual é a diferença? Na verdade, pra gente tirar a dúvida se se trata de um predicativo do objeto ou adjunto adnominal também tem uma regrinha. Lembrando que, claro, para ser predicativo tem que estar no predicado, então nesse caso aqui não seria predicativo em hipótese alguma, porque ele está no sujeito: ”O professor irritado deu aula hoje." Quem deu aula hoje? O professor irritado. Então esses termos aqui pertencem ao sujeito da oração, não teria como irritado aqui ser predicativo do objeto. Aqui, como estão no predicado, abre essa margem para dúvida. E agora? É predicativo ou é adjunto? A gente sempre vai substituir por um pronome, então esse professor eu vou substituir por um pronome. Se for possível fazer a substituição por um pronome e o complemento aqui continuar existindo, aí eu terei um predicativo do objeto. Agora, se esse complemento sumir, quando eu fizer essa transformação, essa modificação do objeto aqui para um pronome, aí ele será um adjunto. Então exemplificando pra facilitar: ”Os alunos deixaram o professor irritado." Os alunos deixaram-no irritado. Eu substituo o professor por um pronome. Então os alunos deixaram o professor irritado, os alunos deixaram-no irritado. O irritado se manteve aqui, mesmo eu tirando o professor, irritado continua aparecendo dessa vez ligado aí a um "no", a esse pronome que eu substitui. Então se ele se manteve é realmente um predicativo do objeto. Diferente deu falar assim: "Quebrei o portão velho." Aqui, por tão velho, poxa está no predicado. Será que é adjunto ou será que é predicativo do objeto? Afinal quem quebra, quebra alguma coisa, eu quebrei o portão, o portão é o objeto direto. Esse velho é um predicativo desse objeto ou é um adjunto adnominal? A gente vai substituir portão por um pronome. Quebrei-o velho. Faz sentido? Lembrando que não é quebrei o velho, de idoso, é quebrei-o, tem o hífenzinho aí, eu estou substituindo portão por "o", pelo pronome "o", quebrei- o velho, não faz sentido eu colocar esse velho aí no final, eu diria apenas quebrei-o. Então esse velho aqui ele sumiria, quando isso acontecer eu tenho um adjunto adnominal. Então substituir por pronome o complemento se manteve, aparente na oração, predicativo do objeto. Substituir por pronome o complemento sumiu ou fica completamente sem sentido eu mantê-lo ali, vai ser adjunto adnominal. Bem pessoal, essas então foram as diferenças aí entre adjunto, complemento e os predicativos. Lembrando que todos esses termos estarão ligados ao nome, a nomes aí da oração. E quais são os nomes da oração? Podem ser sujeitos, perdão, podem ser substantivos, adjetivos, pronomes, todos esses termos são considerados nomes, lembrando que os predicativos, esses termos que pertencem ao predicativo, sempre estarão no predicado da oração, como o próprio nome diz. Se um termo pertence ao sujeito ele não vai ser predicativo, para ser predicativo do sujeito do objeto ele tem que estar no predicado, enquanto que o complemento e o adjunto, eles podem estar ou no sujeito ou no predicado. Como a gente viu aqui o adjunto aparecendo aqui no predicado o complemento também pode aparecer no predicado. Agora esses dois aqui sempre no predicado, nunca no sujeito.

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.