Tenha acesso completo aos conteúdos do Stoodi

Plano de estudos, exercícios, videoaulas, correção de redação e mais!

Exercícios de Descolonização Afro-Asiática

Voltar para Descolonização Afro-Asiática

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Descolonização Afro-Asiática dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 31. UNEMAT 2008
    Após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), as ex-colônias europeias do continente africano sucessivamente conquistaram sua independência.   A este respeito é CORRETO afirmar.
  2. 32. UNEMAT 2009
    No ano de 1947, a Índia conquistou oficialmente sua independência política, separando-se da Inglaterra. No entanto, ainda hoje, o país e alguns dos seus vizinhos protagonizam inúmeros conflitos de origem religiosa e política.   Sobre essas informações, assinale a alternativa incorreta.
  3. 33. UECE 2015
    Há muito tempo o continente africano tem sido palco de conflitos violentos. Em Angola, o confronto envolveu organizações armadas que disputavam o poder desde a independência daquele país. Na República Democrática do Congo, as disputas envolveram o Estado e grupos armados; na Serra Leoa, a guerra civil durou de 1991 a 2002. Intermediários interessados na guerra, em alguns casos, a estimulam fornecendo armas e soldados; em outros casos, apoiam governos ou a guerrilha de oposição. Os produtos disputados pelo Estado e por grupos armados nesses três países Africanos são 
  4. 34. UNICENTRO 2009
    No processo de independência da Índia, destacou-se a figura de Mahatma Gandhi, que defendia a
  5. 35. UNICENTRO 2012
    “Faça amor, não faça guerra”.   A expressão, popularizada nos anos 1960, revela
  6. 36. UFSM 2002
    ATA DA INDEPENDÊNCIA DA ÍNDIA 18 de julho de 1947 1. A partir do dia 15 de agosto de 1947, dois Domínios independentes serão estabelecidos na Índia, conhecidos sob os respectivos nomes de Índia e de Paquistão. No presente ato, os ditos domínios serão chamados "novos domínios" e o mencionado quinze de agosto será chamado "dia designado". [...] (CARVALHO, Delgado de. "História Documental Moderna e Contemporânea". Rio de Janeiro: Record Cultural, 1976. p. 323.)   Observa-se, através do texto, que a Índia foi dividida. Essa divisão ocorreu, principalmente, por motivos
  7. 37. UFF 2003
    O imperialismo foi marcado por variadas formas de opressão, com o objetivo de facilitar a introdução de valores europeus, entendidos como superiores. Os diversos processos de independência tornaram-se herdeiros de uma história de desconfiança e menosprezo entre os povos submetidos, revelando - ao menos em parte - as estratégias bem sucedidas dos dominadores. Nesse sentido, os recentes conflitos envolvendo a Índia e o Paquistão são, hoje, a face mais visível de uma luta intensificada quando da Independência dos dois países, em 1947. Identifique a opção que se refere, incorretamente, à problemática mencionada acima.
  8. 38. UFES 2000
    Mahatma Gandhi, por meio da desobediência civil, organizou os cidadãos para que não obedecessem a leis que considerassem ofensivas ou agressivas. Seus seguidores repudiavam a violência e a injustiça e, por isso, desobedeciam pacificamente às leis que humilhavam e discriminavam raça, religião, cultura, sexo, etc. Gandhi utilizou essa forma de contestação à autoridade estabelecida, mantendo uma agitação popular constante, com o objetivo de
  9. 39. UNICENTRO 2008
    O choro durante séculos nos seus olhos traidores pela servidão dos homens no desejo alimentado entre ambições de lufadas românticas nos batuques choro de África nos sorrisos choro de áfrica [...] O choro dos séculos onde a verdade violentada se estiola no círculo de ferro da desonesta força sacrificadora dos corpos cadaverizados inimiga da vida [...] fechada em estreitos cérebros de máquinas de contar na violência. O choro de África é um sintoma (NETO, 2006, p.163)   A partir da análise dos versos de Agostinho Neto, primeiro presidente da República Popular de Angola, e dos conhecimentos sobre a África, identifique as afirmativas verdadeiras. I. A colonização de exploração está entre os fatores responsáveis pela situação descrita nos versos, associada às guerras civis e às disputas étnicas. II. A sub-região que mais se enquadra nos versos é a África Subsaariana, uma região marcada por manifestações religiosas, como o anemismo e o fetichismo. III. A violência explicitada nos versos tem sua raiz na desestruturação da economia, após a Primeira Guerra Mundial, e nos limitados recursos naturais do Continente. IV. Os versos destacam os problemas socioeconômicos enfrentados pela região do Magreb, resultantes da instabilidade política e da disputa pelos poços de petróleo existentes, exclusivamente, nessa sub-região. V. A pobreza do solo e a falta de rios perenes, em todo o continente, obriga a população a êxodos constantes e dificulta enormemente o seu desenvolvimento econômico.
  10. 40. UEMA 2009
    A respeito do processo de descolonização afro-asiático, considere as seguintes afirmações. I - Entre as décadas de 1950 e 1960, vários países africanos e asiáticos conseguiram sua independência, reflexo do enfraquecimento das metrópoles europeias após a 2ª Grande Guerra. II - Estados Unidos e União Soviética, interessados em ampliar suas áreas de influência, assumiram posições favoráveis à descolonização. III - Na Conferência de Bandung, realizada na Indonésia em 1955, os representantes dos 29 países participantes defenderam o direito de cada nação optar pela aliança com os Estados Unidos ou com a União Soviética. IV - As colônias portuguesas da África foram as primeiras a se tornarem independentes, pois a ditadura salazarista foi derrubada pela Revolução dos Cravos logo após a 2ª Grande Guerra. V - As lideranças das nações recém independentes encontraram barreiras para se organizar politicamente porque não levaram em conta a diversidade das sociedades locais.   Estão CORRETAS as afirmações:
  11. 41. UNIMONTES 2009
    O Quênia, país do leste africano que enfrenta uma crise política nos dias atuais, permaneceu como colônia inglesa até 1963. O seu processo de descolonização foi marcado, entre outros elementos, pela
  12. 42. UNICENTRO 2008
    A divisão do continente africano entre as grandes potências ocidentais, no século XIX, gerou conseqüências na organização espacial desse continente, o que pode ser comprovado pela
  13. 43. UNICENTRO 2007
    O processo de descolonização na Ásia e na África resultou I. da resistência anticolonialista nas áreas dominadas e em setores das populações dominantes. II. da ação de sociedades filantrópicas e humanitárias. III. do declínio das velhas nações colonialistas e da emergência da bipolaridade na política mundial. IV. da transformação das antigas áreas dominadas em áreas dominantes. V. da crescente militarização de todas as áreas dominadas.
  14. 44. UNIOESTE 2011
    Sobre o continente africano, assinale a alternativa correta.
  15. 45. UNCISAL 2010
    Situado no continente africano, sua história se fundiu à europeia na época das grandes navegações, quando o temido “Cabo das Tormentas” foi vencido pelas caravelas portuguesas. Séculos depois, foi colonizado por britânicos e holandeses e sua população enfrentou 46 anos de um sistema legalizado de discriminação racial que manteve o domínio da minoria branca na política, economia e sociedade. Em 1994, ocorreram no país as primeiras eleições multirraciais. O país em questão é
  16. 46. UNIMONTES 2010
    Prevendo a impossibilidade de manter indefinidamente seu império colonial, o governo britânico, após a Segunda Guerra Mundial, optou por ceder às pressões por autonomia de suas colônias. Nesse contexto, foi uma medida importante, adotada pela Inglaterra:
  17. 47. UFU 1999
    Após a Segunda Guerra Mundial, na Ásia e na África, a luta contra a dominação imperialista se intensificou e "[...] a descolonização passou a ser vista como expressão do ódio e da humilhação pacientemente acumulados, do desejo de recuperar a dignidade..." CANÊDO, Letícia B., A Descolonização da Ásia e da África. São Paulo, Ed. Atual, 1994, p.7 Sobre o processo de descolonização na Índia, podemos afirmar que
  18. 48. UTFPR 2009
    O processo de descolonização da Ásia e da África ganhou um grande impulso após a Segunda Guerra Mundial, em parte devido ao declínio internacional de potências coloniais como a França e a Grã- Bretanha, e em parte devido ao crescimento de movimentos de libertação nacional dentro das próprias colônias. Sobre esse assunto, estabeleça correspondência entre a primeira coluna e a segunda. 1ª coluna ( 1 ) Desobediência civil ( 2 ) Dien Bien Phu ( 3 ) Al-Fatah ( 4 ) Yom Kippur ( 5 ) Frente de Libertação Nacional   2ª coluna ( ) Israel ( ) Argélia ( ) Vietnã ( ) Palestina ( ) Índia A seqüência correta é:
  19. 49. UFU 2002
    Os itens, a seguir, abordam os processos de descolonização no século XX, destacando as resistências dos povos africanos, asiáticos e árabes ao imperialismo europeu. I - O que os imperialistas europeus identificaram como defeitos inatos destes povos como, por exemplo, a preguiça, as faltas constantes ao trabalho e ainda uma ausência de ambição podem ser vistos como formas de resistência à exploração de que eram vítimas . II - As lutas e resistências dos povos colonizados foram importantes para os processos de descolonização. Estas resistências assumiram a forma de greves, marchas de protesto, ataques violentos, mas também expressaram-se nas lutas pela preservação e revalorização de tradições locais, da língua e da história destes povos. III - Com o imperialismo, os povos colonizados adotaram os chamados “valores ocidentais”, abandonando suas tradições. Isto explica porque a descolonização assumiu a forma de luta armada, conduzida por grupos minoritários com discursos em defesa do capitalismo ou do socialismo. IV - A tomada de consciência dos povos submetidos ao imperialismo deve-se à polarização provocada pela Guerra Fria, que criou condições propícias para a organização de movimentos de independência. Estes movimentos passaram a lutar contra as decadentes metrópoles européias, contando com o apoio dos Estados Unidos. Assinale a alternativa correta.
  20. 50. UNIMONTES 2013
    O processo de independência das colônias portuguesas de Moçambique e Angola, na década de 1970, após a Revolução dos Cravos, apontou para a
  21. 51. ACAFE 2014
    Durante o período da Guerra Fria, as ideias do pan-africanismo e o pan-arabismo foram relevantes na afirmação de diversos movimentos de libertação e de independência na África e Oriente Médio. Acerca desses movimentos e de suas proposições e correlações é correto afirmar, exceto:
  22. 52. UNIR 2011
    No ano de 2010, a África do Sul organizou a Copa do Mundo de Futebol, oportunidade para o país demonstrar ao mundo que o processo de superação do Apartheid encontra-se bastante avançado. Sobre o regime de segregação racial que marcou a sociedade sul-africana entre os anos de 1948 e 1994, assinale a afirmativa correta.
  23. 53. UNICAMP 2011
    Para muitos norte-americanos, Vietnã é o nome de uma guerra, não de um país. Os vietnamitas parecem figuras sombrias, sem nome nem rosto, vítimas desamparadas ou agressores cruéis. A história começa apenas quando os Estados Unidos entram em cena. (Adaptado de Marvin E. Gettleman et. alli (Ed.), Vietnam and America: a documented history. New York: Grove Press, 1995, p. xiii.)   Esse desconhecimento dos norte-americanos quanto a seus adversários na Guerra do Vietnã pode ser relacionado ao fato de os norte-americanos
  24. 54. UP 2015
    O Império Colonial Português foi um dos mais duradouros do mundo, perdurando do século XV ao XX. Portugal resistiu o quanto pode para não ceder a independência a suas colônias, as quais, em sua maioria, só conquistaram a emancipação mediante luta armada. Foi esse o caso de Angola, que só se tornou independente depois de uma guerra contra Portugal.   Do lado angolano, um dos principais grupos envolvidos foi
  25. 55. MILTON CAMPOS 2012
    Leia o texto.   “As diferentes formas de imperialismo e de colonização se sobrepõem e se interpenetram. O mesmo ocorre com os chamados fenômenos de descolonização e de independência dos povos que se libertaram. Em sua maioria, eles se emanciparam entre 1945 e 1965.” (FERRO, Marc. História das Colonizações: das conquistas às independências - séculos XIII a XX. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p.38.)   As formas de emancipação no período citado se “sobrepõem e se interpenetram”, pois
  26. 56. UFJF 2014
    Leia o texto a seguir.   Em 25 de abril de 1974, desabrochava, em Portugal, a Revolução dos Cravos, ação liderada pelo Movimento das Forças Armadas (MFA) e que depôs o regime do Estado Novo, criado por Antônio Salazar, em 1933. Com a adesão em massa da população, a resistência do regime, enfraquecido militarmente, foi praticamente nula. A população distribuiu cravos vermelhos aos soldados, que os colocaram nos canos de seus fuzis, transformando a flor no símbolo da Revolução de 25 de abril, como também é chamada. Disponível em:  . Acesso em: 6 set. 2014.   Esse movimento marcou o fim da ditadura e
  27. 57. Espcex (Aman) 2016
    Acreditando que somente através da renúncia aos desejos e às necessidades mundiais ele iria ao encontro da verdade espiritual, limitou suas posses ao essencial. Dentre os seus poucos pertences pessoais, conservava um exemplar do Bhagavad Gita, texto sagrado para os hindus. Violência e excessos eram igualmente repugnantes para ele. (Adaptado de A Sombra dos Ditadores. São Paulo, Abril Livros, 1992. p. 113. Coleção Time-Life, In COTRIM, 2007)   O texto acima descreve parte do temperamento de
  28. 58. PUC-CAMPINAS 2015
    (...) a insistência em descrever a natureza, arrolar os seus bens e historiar a vida ainda breve da Colônia indica um primeiro passo da consciência do colono, enquanto homem que já não vive na Metrópole e, por isso, deve enfrentar coordenadas naturais diferentes, que o obrigam a aceitar e, nos casos melhores, repensar diferentes estilos de vida. Se por um lado sua atitude em face do índio, por exemplo, prende-se aos comuns padrões culturais de português e católico-medieval, seu contato com os nativos leva-o a uma observação curiosa, da qual pode nascer uma nova avaliação. (Adaptado de: BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1982. 3. ed., 3a tiragem, p. 20)     A contestação à condição de colônia motivou, no século XX, diversos movimentos independentistas na África. Movimentos dessa natureza
  29. 59. UNAMA 2015
    “Após o final da Segunda Guerra Mundial, diversas revoltas ocorreram na Ásia e na África contra a dominação ocidental. Essa reação dos povos até então subjugados pelas potências capitalistas ocidentais, é conhecida pela expressão descolonização afro-asiática. Entre 1945 e 1960, cerca de 40 novas nações confirmaram suas respectivas independências”. (FARIA, Ricardo de Moura et al. História. Belo Horizonte.MG.E.L3,1993,p.372)     Dentre os fatores que contribuíram para esse processo de descolonização temos 
  30. 60. UPE 2013
    O processo de descolonização afro-asiática tinha o objetivo de desvencilhar as colônias da esfera de influência dos países que as dominavam. Contudo, algumas influências das metrópoles permaneceram, como o cristianismo e os idiomas adotados pelos estados independentes. Pensando na língua falada em países afroasiáticos, assinale a alternativa CORRETA. 
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login