Tenha acesso completo aos conteúdos do Stoodi

Plano de estudos, exercícios, videoaulas, correção de redação e mais!

Exercícios de Economia na República das Oligarquias

Voltar para Economia na República das Oligarquias

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Economia na República das Oligarquias dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 31. PUC-GO 2015
    Uma experiência importante na colonização da Amazônia, envolvendo sonhos e projetos, foi a exploração do látex extraído do seringal. O chamado “Ciclo da Borracha”, no final do século XIX e início do século XX, atraiu muitos trabalhadores para aquela região, gerando enriquecimento rápido. Marque a alternativa que apresenta corretamente uma consequência dessa atividade econômica:
  2. 32. UFU 1999
    A respeito das história das lutas sociais no campo no Brasil, podemos afirmar que I- o movimento rural mais importante nas décadas de 1950/60, documentado no filme Cabra Marcado para Morrer, foi o das Ligas Camponesas, liderado por Francisco Julião, que procurou defender os camponeses contra a expulsão da terra e a elevação dos preços dos arrendamentos. II- a Lei de Terras de 1850 regularizou o regime da propriedade de terras, dividindo-as em particulares e públicas, proibiu sua aquisição pela compra e regulamentou as posses e as doações da Coroa, favorecendo a multiplicação de pequenas propriedades e limitando a expansão do poder dos latifundiários. III- na década de 1980, surgiu e se desenvolveu o MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais SemTerra, que promoveu passeatas, caminhadas, ocupações de fazendas improdutivas e áreas do governo, na tentativa de agilizar as desapropriações e os assentamentos para suas famílias. IV- entre as vítimas da violência no campo, que se tornaram símbolo da luta pela terra e pela defesa da natureza, figuram os 19 mortos na chacina de Eldorado dos Carajás e Chico Mendes, líder seringueiro, que lutou contra a devastação da floresta Amazônica. Assinale a opção que contém as afirmativas corretas.
  3. 33. UNAMA 2010
    “Peças de fazendas ricas e modernas da última moda de Paris, Londres, Roma, Viena e Berlim para a Loja Petit Paris”.   “Vinho PIPPER MINT” de Rivel França, medalha de ouro na exposição de Paris de 1900-Agente Geral.B.Laurrez – 62-Faub-Poissoniére- Paris”   “– Biscoitos de Wer Jácob &Com.Ltd. – Marca Tucano (finalidade superior – grande variedade) R. Sinqlehurst & Co. Liverpool” (SARGES, Maria de Nazaré.Belém:Riquezas produzindo a Belle Èpoque(1870-1912). Belém: Paka -Tatu,2000,p.113).   Os anúncios acima publicados no jornal Folha do Norte, de 6 de setembro de 1904, são reveladores do (a)
  4. 34. UFMG
    Considerando-se a epopeia da construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré, contada em Mad Maria, de Márcio de Souza, e, adaptada para uma minissérie homônima, é CORRETO afirmar que ela retrata a:
  5. 35. ACAFE 2014
    As culturas da cana-de-açúcar e do café ilustram muito bem alguns aspectos da economia brasileira desde a colônia até o período republicano. Acerca das mesmas e de suas correlações internas e externas é correto afirmar, exceto:
  6. 36. UFAC 2011
    “O pai era bom seringueiro. Trabalhava três estradas da ‘colocação’, alternadamente, na época do fabrico. Iniciava o corte às duas horas da madrugada e o fechava cerca de meio-dia. Na embocadura do varadouro, comia a minguada refeição que trouxera da barraca, uma farofa de banha misturada com uma fita de balata. Já quase noite voltava à barraca e ia direto ao defumador, para não correr o risco de ver, com qualquer demora, o látex transformado em sernambi. A borracha colhida, entretanto, nunca dava para pagar o débito do Barracão, para comprar nada além da banha, do tabaco, do feijão, do arroz, do querosene, do sabão, do açúcar e do sal.” FERRANTE, Miguel J. O seringal. São Paulo: Clube do Livro, 1973, p.24-5 .    Ao ler e examinar o trecho da obra O seringal, de Miguel de Ferrante, pode-se assegurar que:
  7. 37. ENEM 2010
    As secas e o apelo econômico da borracha — produto que no final do século XIX alcançava preços altos nos mercados internacionais — motivaram a movimentação de massas humanas oriundas do Nordeste do Brasil para o Acre. Entretanto, até o início do século XX, essa região pertencia à Bolívia, embora a maioria da sua população fosse brasileira e não obedecesse à autoridade boliviana. Para reagir à presença de brasileiros, o governo de La Paz negociou o arrendamento da região a uma entidade internacional, o Bolivian Syndicate, iniciando violentas disputas dos dois lados da fronteira. O conflito só terminou em 1903, com a assinatura do Tratado de Petrópolis, pelo qual o Brasil comprou o território por 2 milhões de libras esterlinas. Disponível em: www.mre.gov.br. Acesso em: 03 nov. 2008 (adaptado).   Compreendendo o contexto em que ocorreram os fatos apresentados, o Acre tornou-se parte do território nacional brasileiro
  8. 38. PUC-CAMPINAS 2016
    Considere o texto e os itens abaixo.   Contraditoriamente, foi o patrocínio da fração mais europeizada da aristocracia rural de São Paulo, aberta às influências internacionais, que permitiu o florescimento das inovações estéticas. O café pesou mais do que as indústrias. Os velhos troncos paulistas, ameaçados em face da burguesia e da imigração, se juntaram aos artistas numa grande “orgia intelectual”, conforme a definição de Mário de Andrade. Segundo ele, “foi da proteção desses salões literários [promovidos pela aristocracia rural] que se alastrou pelo Brasil o espírito destruidor do movimento modernista.” (MARQUES, Ivan. Cenas de um modernismo de província. São Paulo: Editora 34, 2011, p. 11)   I. O desenvolvimento da cafeicultura exigiu o surgimento de uma série de atividades complementares, tais como ferrovias, bancos, empresas de seguro, de navegação fluvial etc. II. A imigração contribuiu para o incremento da urbanização, a ampliação do mercado interno, além de proporcionar mão de obra especializada. III. A Primeira Guerra Mundial, ao dificultar as importações, estimulou a produção interna de artigos manufaturados.   Os fenômenos a que os itens se referem
  9. 39. UFES 2007
    Entre os anos de 1890 e 1920, o café representou mais de 90% do valor total das exportações capixabas, chegando a atingir, em 1903, 95% da receita do Estado. Do ponto de vista econômico, a cafeicultura dependia principalmente da exportação e grande parte do produto capixaba era exportado pelo porto do Rio de Janeiro.   Muitos empreendimentos governamentais foram feitos a fim de garantir a exportação do café capixaba pelo porto de Vitória. Entre eles, destacam-se  
  10. 40. PUC-RS 2012
    Diante das crises de superprodução cafeeira, os governos de São Paulo e Minas Gerais intervieram no mercado com a assinatura do Convênio de Taubaté, em 1906. Dentre as medidas estabelecidas por esse Convênio, NÃO se pode citar:
  11. 41. UNESP 2013
    Os caminhões rodando, as carroças rodando, Rápidas as ruas se desenrolando, Rumor surdo e rouco, estrépitos, estalidos... E o largo coro de ouro das sacas de café!...   Na confluência o grito inglês da São Paulo Railway... Mas as ventaneiras da desilusão! a baixa do café!... (Mário de Andrade. Paisagem n° 4. Poesias completas, 1987.)     O poema de Mário de Andrade, escrito em 1922, revela características da cidade de São Paulo na época. Entre elas, podemos citar
  12. 42. UNAMA 2012
    Em viagem pela Amazônia entre os anos de 1904 e 1905, Euclides da Cunha (1886-1909), então chefe da comissão brasileira de reconhecimento do Alto Purus, ficou encantado com a cidade de Belém. Nas duas horas inesquecíveis que lá passou surpreendeu-se com as avenidas largas e arborizadas, os edifícios majestosos, as praças aprazíveis e a “gente de hábitos cosmopolitas”. (A Memória da Floresta. In Revista Nossa História, maio de 2005, Ano 2, N.19,p.84)   A Belém que deleita Euclides da Cunha é a cidade
  13. 43. UNAMA 2007
    O produto final do seringueiro, o látex defumado, deveria ser encaminhado ao “patrão” que em troca deveria lhe pagar. Como o seringueiro já vinha devendo desde o Nordeste, o saldo dessas dívidas era difícil. Mas se por um lado o “patrão” exercia seu poder sobre o seringueiro, não raro o prendendo por dívidas, o próprio patrão, nessa chamada “cadeia do aviamento” também estava sujeito aos negociantes estrangeiros a quem exportava o látex coletado. LACERDA, Franciane. A vida e o trabalho nos seringais. In FONTES, Edilza. Contando a História do Pará. V.I. Belém. E-Motion. 2002.   Há poucos anos, milhões de brasileiros assistiram, pela TV Globo, à mini-série Amazônia: de Galvez a Chico Mendes, que mostrou, em vários de seus capítulos , cenas em que se evidenciavam as relações sociais de conflito, presentes no espaço dos seringais, entre seringueiros e seringalistas, a dependência dos primeiros à casa exportadora e esta à exportação do látex para o exterior.   A partir da leitura dos textos acima e dos estudos históricos sobre essa temática, podemos afirmar que as relações de trabalho, construídas no espaço dos seringais, se caracterizavam por um (a):
  14. 44. UNAMA 2014
    A riqueza gerada pelo látex na região amazônica contribuiu para uma reorganização do espaço urbano. (SARGES, Maria de Nazaré. Belém: Riquezas produzindo a Belle Époque (1870-1912). Belém: Paka-Tatu, 2000, p.55)   Essa reorganização do espaço urbano se evidencia na
  15. 45. UFMG 1998
    Leia o texto. Mestre-sala dos mares  (João Bosco e Aldir Blanc) "Há muito tempo na águas da Guanabara o dragão do mar reapareceu na figura de um bravo feiticeiro a quem a história não esqueceu conhecido como navegante negro tinha a dignidade de um mestre-sala e ao acenar pelo mar na alegria das regatas foi saudado no porto pelas mocinhas francesas jovens polacas e por batalhões de mulatas rubras cascatas jorravam das costas dos centros entre cantos e chibatas inundando coração, do pessoal do porão e a exemplo do feiticeiro gritava então Glória aos piratas, às mulatas, às sereias Glória à farofa, à cachaça, às baleias Glórias a todas as lutas inglórias que através da nossa história não esquecemos jamais Salve o navegante negro que tem por monumento as pedras pisadas do cais" A música acima se refere ao movimento dos marinheiros brasileiros conhecido como Revolta da Chibata, em reação aos castigos físicos e às condições de trabalho degradantes. Assinale a alternativa diretamente referida ao contexto em que ocorreu esse movimento.
  16. 46. UNIMONTES 2009
    É isto... Queres ser a abelha mestra... Já viram os grandes fazerem esses sacrifícios? Vê lá se fazem! Histórias... Metem-se no café que tem todas as proteçôes.    (BARRETO, Lima. Triste fim de Policarpo Quaresma. Rio de Janeiro: Ediouro. 2002, p.95.)    As ideias do autor podem ser comprovadas historicamente no seguinte fato:  
  17. 47. UFMG 1997
    Todas as alternativas abaixo apresentam afirmações corretas sobre a economia cafeeira no Brasil, EXCETO:
  18. 48. PUC-RS 2015
    Considere as afirmações abaixo sobre a economia durante a República Velha (1889-1930). I. A monocultura de produtos agrícolas destinados à exportação continuou na base da economia brasileira, sendo o café o principal produto, o qual atingiu o seu auge e, ainda nesse período, a sua decadência. II. O primeiro ministro da Fazenda do novo governo Republicano foi Rui Barbosa (1889-1891). Preocupado com o déficit público e com a alta inflação deixados pela monarquia, Barbosa levou adiante uma política de controle das emissões monetárias e do crédito bancário, que ficou conhecida como “encilhamento”. III. Para garantir um alto preço nas exportações do café, o Brasil adotou uma política de intervenção econô- mica, através do Convênio de Taubaté (1906), cuja principal medida era proibir o aumento da produção para não desvalorizar o produto. IV. O Brasil passou por um pequeno processo de industrialização durante a Primeira Guerra Mundial, denominado “industrialização por substituição de importações”, na medida em que, estando impedido de comprar produtos europeus devido à guerra, o país passou a substituir os importados por produtos nacionais.   Estão corretas apenas as afirmativas
  19. 49. UFAC 2008
    A denominada “Batalha da Borracha” foi travada, principalmente, pelos sujeitos sociais que ficaram conhecidos como “Soldados da borracha”. O termo “Soldados da borracha” surgiu no período da Segunda Guerra mundial, quando milhares de nordestinos foram “convocados” pelo governo de Getúlio Vargas a contribuírem com “esforço de guerra”, vindo produzir borracha nos seringais amazônicos para ajudar os aliados. Sobre os acontecimentos envolvendo os “Soldados da borracha” e o governo brasileiro na Segunda Guerra mundial, assinale a alternativa correta.
  20. 50. UFAC 2008
    O Sistema de Aviamento se constituiu no final do século XIX e início do XX, como uma forma complexa, mas funcional, de organização da produção e comercialização de borracha na Amazônia brasileira. Para a eficácia de seu funcionamento contribuíram as articulações realizadas entre as seguintes estruturas e sujeitos sociais: I) As chamadas Casas Aviadoras não tiveram nenhuma vinculação com as Casas Exportadoras. II) O seringueiro, como produtor direto da borracha, vendia sua produção de borracha diretamente às chamadas Casas Aviadoras. III) As chamadas Casas Exportadoras participaram do financiamento e exportação da borracha. IV) Os proprietários dos seringais da região acreana venderam a sua produção de borracha diretamente às Casas Exportadoras. V) Na produção e comercialização da borracha quem menos lucrou foi os seringalistas. Considerando o que está acima evidenciado marque a alternativa correta.
  21. 51. UFAM 2005
    A produção de borracha na Amazônia: 
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login