Simule agora a sua nota do Enem 2021 com o nosso gabarito clicando aqui.

Assine hoje e tenha acesso completo ao Stoodi com até 70% de desconto.

Ver planos

Banco de Exercícios

Lista de exercícios

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Populismo na América Latina dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página

Conteúdo exclusivo para assinantes

Assine um de nossos planos para ter acessos exclusivos e continuar estudando em busca da sua aprovação.

Ver planos

  1. 91

    UNIMONTES 2014

    Sobre a História do Brasil, entre 1930 e 1960, é CORRETO afirmar que

  2. 92

    UFU 1999

    Para alguns autores, a emergência do populismo na política brasileira está relacionada com a situação de transição da chamada sociedade tradicional para a sociedade moderna, capitalista, urbana e industrial. Assinale a alternativa correta.

  3. 93

    PUC-RJ 2000

    Os anos sessenta demarcaram, no cenário internacional, um período de contestação social e de manifestação de variadas utopias políticas. No Brasil, houve a emergência de um intenso debate entre projetos de ação reformista e revolucionária. Com relação a esses projetos, no Brasil, é correto afirmar que:

  4. 94

    UNIMONTES

    Acerca do governo JK (1956–1961), é CORRETO afirmar que:

  5. 95

    FUVEST 2002

    Na presidência da República, em regime que atribui ampla autoridade e poder pessoal ao chefe de governo, o Sr. João Goulart constituir-se-á, sem dúvida alguma, no mais evidente incentivo a todos aqueles que desejam ver o país mergulhado no caos, na anarquia, na luta civil.  Manifesto dos ministros militares à Nação, 29 ago. 1961.   Este Manifesto revela que os militares: 

  6. 96

    UNIOESTE 2011

    A respeito do governo brasileiro de Juscelino Kubitschek é correto afirmar que

  7. 97

    UNIMONTES 2011

    Acerca da eleição e governo de Eurico Gaspar Dutra (1945-1951), escreva C (correta) ou I (incorreta) em cada uma das afirmativas. ( ) Dutra não cedeu às pressões das elites conservadoras que, no contexto da Guerra Fria, mostravam-se preocupadas com o crescimento e popularidade do Partido Comunista. ( ) O governo Dutra caracterizou-se como uma ruptura em relação ao varguismo, na medida em que extinguiu as práticas populistas herdadas do Estado Novo. ( ) O governo Dutra, pressionado pelos Estados Unidos, cassou os direitos políticos de Jorge Amado e outros comunistas, apesar do regime democrático prevalecente no País. ( ) Dutra, em virtude do contexto liberalizante, opôs-se, ao longo do seu governo, ao planejamento econômico e ao intervencionismo estatal. Você obteve:

  8. 98

    UEFS 2015

    No contexto cultural da década de 60 do século XX, a música popular brasileira

  9. 99

    FCMS-JF 2017

    Leia o discurso de Juscelino Kubitschek, denominado Mensagem de Anápolis, sobre a criação da Companhia Urbanizadora da Nova Capital. “A ideia da transferência da capital se constituiu num dos problemas mais importantes de nossa evolução histórica, remontando à própria Inconfidência Mineira. As Constituições de 1891, 1934 e 1946 acolheram, expressamente, as aspirações gerais nesse sentido, estabelecendo de forma taxativa que a transferência se faria para o planalto central do país, sendo que a constituição em vigor ainda foi mais explícita do que as anteriores, formulando, inclusive, normas para a localização da futura capital e estabelecendo o processo para a aprovação do local e início da delimitação da área correspondente, a ser incorporada ao domínio da União.” Bonavides, Paulo, Amaral, Roberto. Textos políticos da História do Brasil. 3 ed. Brasília: Senado Federal, Conselho editorial, 2002. Como citado no texto, com o advento da República os militares detentores do poder político naquele momento, incentivaram o poder constituinte a propor a construção da nova capital afastada do litoral, no Centro-Oeste, devido:

  10. 100

    UNB 2013

    A história das chamadas relações entre sociedade e natureza é, em todos os lugares habitados, a da substituição de um meio natural, dado a uma determinada sociedade, por um meio cada vez mais artificializado, isto é, sucessivamente instrumentalizado por essa mesma sociedade. Milton Santos. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: EDUSP, 2008, p. 233-4 (com adaptações).     A Era Vargas (1930-1945) promoveu a decolagem do Brasil na direção da modernidade econômica. Após a II Guerra Mundial e a queda do Estado Novo, o país avançou na industrialização e na urbanização, produzindo o que Milton Santos chamou, no texto, de “substituição de um meio natural” por um “cada vez mais artificializado”.   Relativamente ao período da história brasileira a partir de meados dos anos 1940, assinale a opção correta.

  11. 101

    UNICENTRO 2016

    Leia o texto a seguir. “O que houve em 1964 não foi uma revolução. As revoluções fazem-se por uma ideia, em favor de uma doutrina. Nós simplesmente fizemos um movimento para derrubar João Goulart. Foi um movimento contra, e não por alguma coisa. Era contra a subversão, contra a corrupção. Em primeiro lugar, nem a subversão nem a corrupção acabam. Você pode reprimi-las mas não as destruirá. Era algo destinado a corrigir, não a construir algo novo, e isso não é revolução”, explicaria o general Ernesto Geisel em 1981. (GASPARI, H. A Ditadura Envergonhada. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. p.138.)   Com base na fala do ex-presidente Ernesto Geisel (1974-1979) e nos conhecimentos sobre o Golpe Militar de 1964, atribua V (verdadeiro) ou F (falso) às afirmativas a seguir.   ( ) Geisel achava o termo “revolução” inadequado, pois não definia de forma objetiva os desdobramentos do Golpe Militar de 1964. ( ) O Golpe Militar de 1964 tinha por objetivo derrubar o Presidente João Goulart com base no argumento de impedir a subversão e a corrupção. ( ) A corrupção e a subversão não puderam ser extintas devido ao caráter revolucionário do Golpe Militar de 1964. ( ) Para Geisel, a revolução deveria construir algo novo, o que não ocorreu no período de governo militar pós-1964, deficitário em obras e realizações. ( ) O objetivo do Golpe Militar de 1964 era restabelecer o regime democrático no Brasil por meio de eleições indiretas e não por meio de uma revolução.   Assinale a alternativa que contém, de cima para baixo, a sequência correta.

  12. 102

    UDESC 2015

    Analise o texto abaixo:   Las tres caravelas (…) Um navegante atrevido Saiu de Palos um dia Vinha com três caravelas A Pinta, a Nina e a Santa Maria Em terras americanas Saltou feliz certo dia Vinha com três caravelas A Pinta, a Nina e a Santa Maria Muita coisa sucedeu Daquele tempo pra cá O Brasil aconteceu É o maior, que é que há? (...) Viva Cristóvão Colombo Que para nossa alegria Veio com três caravelas A Pinta, a Nina e a Santa Maria (Algueró Jr. Moreau. Tradução: João de Barro)   Analise as proposições sobre essa canção popular, gravada por Caetano Veloso e Gilberto Gil no disco Tropicália ou Panis et Circensis (1968).   I. A letra faz referência a episódios históricos conhecidos como o “descobrimento da América” pelos europeus, por meio da viagem empreendida pelo almirante Cristóvão Colombo, partindo da costa da Espanha pelo Oceano Atlântico, e atingindo as ilhas do Caribe, no dia 12 de outubro de 1492. II. Os cantores da Tropicália utilizam a canção com ironia em relação ao discurso ufanista dos militares brasileiros durante a ditadura. Para eles, o Brasil estava submisso aos interesses econômicos dos Estados Unidos, como havia sido em relação às monarquias ibéricas no período colonial. III. O autor da letra, ao afirmar que o navegador “saltou feliz certo dia” nas terras americanas, identifica-se com os nativos, que consideram esse episódio o início de uma era de paz e prosperidade, pois Colombo veio “para nossa alegria”.   Assinale a alternativa correta.

  13. 103

    UNIOESTE 2015

    Brasília Loucos profetas previram a tua existência [...] e nos seus mapas marcaram o centro do mundo e nele tu estás todas as lendas que cercam teu nome jamais lograrão te explicar nem a política, nem o teu preço que foi tão penoso pagar Tuas cidades satélites mostram o quanto és uma aberração vivem à margem da tua luxúria onde corre o poder da nação [...] ARANTES, Guilherme. Brasília. Álbum Coração Paulista. Velas. 1980.   Desde a campanha eleitoral de Juscelino Kubitschek, em 1955, a indicação de grandiosidade para o seu suposto governo chamava atenção. O Plano de Metas, com os "50 anos em 5", propunha um salto de crescimento para o Brasil, ao mesmo tempo em que buscava difundir o que se firmava como "nacional-desenvolvimentismo". Enquanto marcos históricos, algumas interpretações destacam esse período como os "Anos Dourados" do País. Brasília fez parte desse projeto e permite discutir alguns elementos que ampliam essa plataforma governamental. Nesse sentido, relacione o trecho da composição acima, produzida no início da década de 1980, com o tema proposto. Observe como é tratado o processo de construção da Capital Federal e identifique os aspectos da crítica indicada pelo compositor ao mencionar qual seria sua relação com o resto do País. Tendo em vista essa reflexão, é CORRETO afirmar que

  14. 104

    PUC-CAMPINAS 2016

    Com base numa ideia central de Lucien Goldmann, o crítico e historiador Alfredo Bosi propõe, para a moderna ficção brasileira, enquadramentos como estes:   I. romances de tensão mínima: as personagens não se destacam visceralmente da estrutura social e da paisagem que as condicionam. Exemplos, as histórias populistas de Jorge Amado.   II. romances de tensão crítica: o herói opõe-se e resiste agonicamente às pressões da natureza e da exploração social. Exemplos, os romances de Graciliano Ramos.   III. romances de tensão transfigurada: o herói procura ultrapassar o conflito que o constitui existencialmente pela transmutação mítica ou metafísica da realidade: Exemplos, Guimarães Rosa e Clarice Lispector. (Apud História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1970)   O termo populista é atribuído por parte da historiografia brasileira a líderes como Getúlio Vargas, uma vez que era parte de sua estratégia de governo, o

  15. 105

    ENEM 2010

    A chegada da televisão A caixa de pandora tecnológica penetra nos lares e libera suas cabeças falantes, astros, novelas, noticiários e as fabulosas, irresistíveis garotas-propaganda, versões modernizadas do tradicional homem-sanduíche. SEVCENKO, N. (Org). História da vida privada no Brasil 3. República: da Belle Époque à Era do Rádio. São Paulo: Cia. das Letras, 1998.   A TV, a partir da década de 1950, entrou nos lares brasileiros provocando mudanças consideráveis nos hábitos da população. Certos episódios da história brasileira revelaram que a TV, especialmente como espaço de ação da imprensa, tornou-se também veículo de utilidade pública, a favor da democracia, na medida em que

  16. 106

    UNICENTRO 2005

    “Sobre a cabeça os aviões Sob os meus pés os caminhões Aponta contra os chapadões Meu nariz Eu organizo o movimento Eu oriento o carnaval Eu inauguro um monumento No Planalto Central Do país Viva a bossa sa sa Viva a palhoça ça ça ça ça No pátio interno há uma piscina Com água azul de amaralina Coqueiro fala e brisa nordestina E faróis Na mão direita tem uma roseira Autenticando eterna primavera E nos jardins os urubus passeiam a tarde inteira Entre os girassóis ... O monumento é bem moderno Não disse nada do modelo do meu terno Que tudo mais vá pro inferno Meu bem Viva a banda da da Carmem Miranda da da da da.” (Caetano Veloso, Tropicália.)   A letra da canção retrata o Brasil do final dos anos 1950 e começo da década de 1960, quando os efeitos da estratégia desenvolvimentista de JK já se manifestavam. Eram os “50 anos em 5”! Com base na letra da canção e nos conhecimentos sobre o período, é correto afirmar:

  17. 107

    UEMG 2016

    Chega de Saudade   Composição: Tom Jobim e Vinícius de Moraes     Vai minha tristeza   E diz a ela que sem ela não pode ser   Diz-lhe numa prece   Que ela regresse   Porque eu não posso mais sofrer     Chega de saudade   A realidade é que sem ela   Não há paz não há beleza   É só tristeza e a melancolia   Que não sai de mim   Não sai de mim   Não sai     Mas, se ela voltar   Se ela voltar que coisa linda!   Que coisa louca!   Pois há menos peixinhos a nadar no mar   Do que os beijinhos   Que eu darei na sua boca(...) http://www.vagalume.com.br/tom-jobim/chega-de-saudade.html.Acesso em: 19/9/2015.     A Letra da música acima é normalmente apresentada como a precursora da Bossa Nova. Ela apareceu pela primeira vez em 1958 no LP, com o mesmo nome da música, do cantor João Gilberto, que, a partir desse momento, inovava a música brasileira com uma nova “batida” de violão. A chamada Bossa Nova foi produto do intuito de um grupo de jovens que desejavam renovar a música brasileira, já que o que era tocado no rádio não representava o novo estilo de vida da juventude do período.   A Bossa Nova, como movimento, tinha características que estavam em consonância com o momento político vivido pelo Brasil, pois  

  18. 108

    ENEM 2011

    A consolidação do regime democrático no Brasil contra os extremismos da esquerda e da direita exige ação enérgica e permanente no sentido do aprimoramento das instituições políticas e da realização de reformas corajosas no terreno econômico, financeiro e social. Mensagem programática da União Democrática Nacional (UDN) – 1957. Os trabalhadores deverão exigir a constituição de um governo nacionalista e democrático, com participação dos trabalhadores para a realização das seguintes medidas: a) Reforma bancária progressista; b) Reforma agrária que extinga o latifúndio; c) Regulamentação da Lei de Remessas de Lucros. Manifesto do Comando Geral dos Trabalhadores (CGT) – 1962. BONAVIDES, P; AMARAL, R. Textos políticos da história do Brasil. Brasília: Senado Federal, 2002. Nos anos 1960, eram comuns as disputas pelos significados de termos usados no debate político, como democracia e reforma. Se, para os setores aglutinados em torno da UDN, as reformas deveriam assegurar o livre mercado, para aqueles organizados no CGT, elas deveriam resultar em

  19. 109

    UEAP 2013

    [...] Hoje, com o alto testemunho da Nação e com a solidariedade do povo, reunido na praça que só ao povo pertence, o governo, que é também o povo e que também só ao povo pertence, reafirma os seus propósitos inabaláveis de lutar com todas as suas forças pela reforma da sociedade brasileira. Não apenas pela reforma agrária, mas pela reforma tributária, pela reforma eleitoral ampla, pelo voto do analfabeto, pela elegibilidade de todos os brasileiros, pela pureza da vida democrática, pela emancipação econômica, pela justiça social e pelo progresso do Brasil. (Discurso do Presidente João Goulart no Comício da Central do Brasil, Rio de Janeiro, 13 de março de 1964).   A trajetória política do ex-presidente João Goulart, a crise institucional do início da década de 1960 e o golpe político de 1964 dizem respeito à conjuntura de radicalização ideológica e ao golpe militar. Observa-se que Jango foi um dos principais líderes trabalhistas brasileiros de herança varguista, pois se alinhava às iniciativas destinadas à ampliação da cidadania social e à defesa dos interesses econômicos nacionais. Sobre essas questões, considere as afirmativas que seguem e, a seguir, marque a alternativa correta.   I. O mandato presidencial representava a tradição trabalhista de Vargas, razão pela qual as forças oposicionistas não lhe davam nenhuma trégua, pois as manifestações sociais mais autônomas, no governo de João Goulart, cresceram em número e diversidade e ganharam maior densidade e capacidade de pressão; como exemplo, destacaram-se as ligas camponesas, o movimento estudantil e as organizações sindicais. II. Com a renúncia de Jânio Quadros, a posse de João Goulart aconteceu em um contexto de crise, deflagrada pela ação dos adversários oposicionistas. A princípio, governou sob a vigência de um sistema de governo parlamentarista, o qual fortaleceu os poderes do executivo. Depois, exerceu um governo presidencialista, em um contexto, contudo, marcado por inegável polarização política, nacional e internacional. III. O Comício da Central do Brasil ou Comício das Reformas evidenciou a orientação nacionalista-reformista do governo, pois a meta de Jango era implementar as chamadas reformas de base e defender as liberdades democráticas e sindicais. IV. Após o discurso, o governador da Guanabara, Carlos Lacerda, apoiou imediatamente João Goulart, pois financiou e articulou a realização das chamadas Marchas da Família, com Deus, pela Liberdade, a fim de fortalecer o governo diante da conjuntura de radicalização ideológica e a ameaça de golpe militar. V. As repercussões do comício foram diversas. Manifestações contra o Governo ocorreram em São Paulo e Belo Horizonte, enquanto a União Democrática Nacional (UDN), setores das forças armadas, proprietários rurais e parte do empresariado nacional e investidores internacionais uniram-se em forte atuação desestabilizadora do governo. Esses segmentos reclamavam o impedimento de Goulart, que culminou com o golpe que o destituiu.

  20. 110

    UNIOESTE 2009

    Com referência aos anos iniciais da década de 1960, assinale a alternativa INCORRETA.

  21. 111

    UERJ 2011

    Chiclete com banana Eu só ponho bip-bop No meu samba Quando Tio Sam pegar o tamborim Quando ele pegar no pandeiro E no zabumba Quando ele aprender Que o samba não é rumba Aí eu vou misturar Miami com Copacabana Chicletes eu misturo com banana E o meu samba vai ficar assim (...) GORDURINHA E ALMIRA CASTILHO Coleção Folha Raízes da MPB, nº 15   No final da década de 1950, a sociedade brasileira passava por transformações marcantes em diferentes áreas.   A letra da canção “Chiclete com banana” enfoca o seguinte elemento da conjuntura desse momento:

  22. 112

    UNIOESTE 2009

    Leia o texto abaixo, de autoria de Alba Zaluar: “Quando cheguei na Cidade de Deus em 1980, os habitantes do local já viviam sob a tensão dos conflitos armados entre traficantes de drogas ilegais. Primeira guerra de quadrilhas na cidade do Rio de Janeiro e amplamente noticiada pela imprensa, a luta entre grupos rivais acontecia cerca de dez anos depois da transferência para lá de moradores de 63 diferentes favelas da cidade. Em discussão já nas décadas anteriores, a política de remoção de favelas tomou corpo no começo dos anos 1960, durante o governo de Carlos Lacerda (1960-1965). No projeto original, a transferência seria acompanhada de medidas de cunho social e a construção das casas populares para os favelados não visaria o lucro. Mas quando a política foi implantada com força, durante o regime militar, houve mudança compulsória dos moradores das favelas e destruição imediata dos barracos vazios. Paralelamente, foi montada uma política habitacional para contornar a insatisfação presente na sociedade e a oposição ao governo. O sonho da casa própria, junto com os empregos gerados pela construção das habitações populares, seria o “bálsamo” para as “feridas cívicas” e o descontentamento de muitos, nas palavras da secretária de Serviços Sociais do estado da Guanabara, Sandra Cavalcanti, quando propôs a fundação do Banco Nacional de Habitação. Criado em outubro de 1964, o BNH tinha a finalidade de vender a prazo habitações construídas para todas as classes sociais. No final da década de 1960, mudanças políticas no governo federal transformaram a construção das casas populares em finalidade lucrativa, sem os fins sociais originais: os custos da edificação seriam integralmente pagos pelos beneficiados, com lucros para o sistema. Construído inicialmente com o dinheiro da Aliança para o Progresso (organização de ajuda econômica e social para a América Latina criada pelos Estados Unidos em 1961), o conjunto habitacional de Cidade de Deus foi idealizado para abrigar os favelados removidos da Zona Sul da cidade. (...) Único localizado perto da orla marítima, e, portanto, da área urbana mais rica, Cidade de Deus era o conjunto maior, tendo inicialmente 6.658 unidades habitacionais, ao passo que a Vila Kennedy reunia 5.509 unidades e a Vila Esperança, apenas 464. Além de favelados removidos, ele receberia boa parte dos flagelados da enchente de 1966, apressadamente colocados nas casas de triagem, concebidas como provisórias, mas que estão lá até hoje. Dois momentos foram especialmente dramáticos para os removidos. Primeiro, a própria remoção, que os obrigou a deixar para trás empregos, vizinhos, amigos, associações vicinais e seus precários barracos de então. A Cidade de Deus não tinha iluminação pública nem rede de transporte eficiente.(...). Segundo momento, o despejo dos que deixaram as prestações atrasadas durante meses. Os que não conseguiram chegar a um acordo com a Companhia de Habitação Popular (Cohab), construtora dos conjuntos habitacionais, tiveram que enfrentar uma segunda expulsão. Mas os moradores se vingaram dos defensores da remoção e reproduziram no plano horizontal, cheio de ruas e praças, todas as formas de associação e todos os problemas que existiam nas 63 favelas de onde vieram. Acrescidos de mais um: a guerra de quadrilhas.” In: Revista de História. Rio de Janeiro, Biblioteca Nacional, nº 22, julho de 2007.   Tomando como referência o texto acima, assinale a alternativa correta.

  23. 113

    UNIMONTES 2015

    O interesse de empresas estrangeiras no Brasil cresceu ao longo do século XX, na medida em que o capitalismo aprofundava a sua internacionalização. Acerca da relação entre o capital internacional e o Estado brasileiro, é INCORRETO afirmar:

  24. 114

    PUC-RJ 2010

    “(...) Preciso de vós, trabalhadores do Brasil, meus amigos, meus companheiros de uma longa jornada (...). Preciso de vossa união; preciso que vos organizeis solidamente em sindicatos, preciso que formeis um bloco forte e coeso ao lado do governo (...). Preciso de vossa união para lutar contra os sabotadores, para que eu não fique prisioneiro dos interesses dos especuladores e dos gananciosos, em prejuízo dos interesses do povo.”   Getúlio Vargas, no Estádio Vasco da Gama, 01/05/1951.   Considere o segundo governo de Getúlio Vargas (1951-1954), o trecho acima e EXAMINE as afirmativas:   I – Vargas se dirige aos “trabalhadores do Brasil”, urbanos e rurais, beneficiários da legislação trabalhista implantada durante o seu primeiro governo. II – O tom de apelo para que os trabalhadores se unissem “ao lado do governo” evidencia a busca pelo apoio popular frente à oposição de setores militares e do empresariado brasileiro ligado ao capital internacional. III – Sobre a união dos trabalhadores para “lutar contra os sabotadores”, Vargas está fazendo alusão aos comunistas, que pretendiam assumir o poder no Brasil naquela época. IV – Ainda que se apresente como garantidor dos “interesses do povo”, defendendo a ampliação da legislação trabalhista, Vargas enfrenta reivindicações dos trabalhadores, então atingidos pela alta do custo de vida.   Assinale a alternativa correta:

  25. 115

    UNIOESTE 2012

    Açúcar   O branco açúcar que adoçará meu café nesta manhã de Ipanema não foi produzido por mim nem surgiu dento do açucareiro por milagre. Vejo-o puro e afável ao paladar como beijo de moça, água na pele, flor que se dissolve na boca. Mas este açúcar não foi feito por mim Este açúcar veio da mercearia da esquina e tampouco fez o Oliveira, dono da mercearia. Este açúcar veio de uma usina de açúcar de Pernambuco ou no Estado do Rio e tampouco o fez o dono da usina. Este açúcar era cana e veio dos canaviais extensos que não nascem por acaso no regato do vale. Em lugares distantes, onde não há hospital nem escola, homens que não sabem ler e morrem de fome aos 27 anos plantaram e colheram a cana que viraria açúcar. Em usinas escuras, Homens de vida amarga E dura Produziram este açúcar Branco e puro Com que adoço meu café esta manhã em Ipanema. GULLAR, F. Açúcar. In: LINHARES, M. Y.L. Terra Prometida: uma história da questão agrária no Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1999, p.179-180. O poema Açúcar foi escrito por Ferreira Gullar no início da década de 1960 quando o Brasil vivia um momento de intensa agitação social. Sobre este período da história brasileira, é INCORRETO afirmar que

  26. 116

    UNIMONTES 2011

    Acerca do governo Juscelino Kubistchek (1956-1961), é CORRETO afirmar que

  27. 117

    UNICENTRO 2005

    “Além de tudo o patrão Não deixa o pobre criar Uma cabrinha leiteira Para o filho sustentar Quer criar ele não deixa Pede leite ele não dá Se o camponês discordar Dessa vida desgraçada Vê do dia para a noite Sua casa destelhada Seus troços jogados fora E a lavoura arrancada Uni-vos homens do campo Na vossa Associação Até conseguir um dia Completa libertação Ela está dependendo Da vossa organização Aqui termino o folheto Que escrevi inspirado Na fome que já passei Nos campos de meu Estado Onde vinte e cinco anos Ali vivi desprezado.” (Triste vida do campo. Folheto de cordel inspirado na vida de Francisco Julião, editado pela Associação dos Violeiros e Cantadores.)   O folheto de cordel, manifestação típica da cultura nordestina, retrata o desenvolvimento do capitalismo no campo, intensificado a partir dos anos 1950, elevando o número de trabalhadores assalariados e temporários (“volantes”) na região. Com base na letra e nos conhecimentos sobre o período, é correto afirmar:

  28. 118

    UEL 2010

    Sobre o Brasil no século XX, é correto afirmar:

  29. 119

    UFRGS 2002

     Leia o documento a seguir.   "AO RIO GRANDE E AO BRASIL O Governo do Estado do Rio Grande do Sul cumpre o dever de assumir o papel que lhe cabe nesta hora grave da vida do País.Cumpre-nos reafirmar nossa inalterável posição ao lado da legalidade constitucional. Não pactuamos com golpes ou viol ências contra a ordem constitucional e contra as liberdades públicas. Se o atual regime não satisfaz, em muitos dos seus aspectos, desejamos é o seu aprimoramento e não sua supressão, o que representaria uma regressão e o obscurantismo. A renúncia da S. Exa. o Presidente Jânio Quadros veio surpreender a todos nós. A mensagem que S. Exa. dirigiu ao povo brasileiro contém graves denúncias sobre pressões de grupos, inclusive do exterior, que indispensavelmente precisam ser esclarecidas. (...) Por motivos dos acontecimentos, como se impunha, o Governador deste Estado dirigiu-se à S. Exa. o Sr. Vice-Presidente da República, Dr. João Goulart, pedindo seu regresso urgente ao País, o que deverá ocorrer nas próximas horas. (...) O povo gaúcho tem imorredouras tradições de amor à Pátria comum e de defesa dos direitos humanos. E seu Governo, instituído pelo voto popular - confiem os rio-grandenses e os nossos irmãos de todo Brasil - não desmentirá estas tradições e saberá cumprir o seu dever. Leonel Brizola Governador do Estado" (FELIZARDO, J. "A legalidade: o último levante gaúcho." Porto Alegre: Ed. da Universidade/ UFRGS, 1988, p. 20.)   Considere as seguintes afirmações acerca do documento e do contexto histórico em que ele foi produzido.   I - O documento refere-se aos eventos relacionados com o golpe de 1964, que impôs o regime militar. II - O documento refere-se a eventos relacionados com a renúncia de Jânio Quadros. III - A Campanha da Legalidade visava garantir a permanência de Jânio Quadros na presidência do Brasil. IV - A volta do Vice-Presidente ao país ocorreu imediatamente após a renúncia de Jânio Quadros. V - A posição manifestada no documento mostra o conteúdo constitucionalista do movimento liderado pelo Governador Brizola. VI - A Campanha da Legalidade, em 1961, impediu a consumação do golpe contra João Goulart.   Quais estão corretas? 

  30. 120

    PUC-RS 2012

    O governo do presidente João Goulart (1961-1964) tentou implementar um programa de reformas, conhecido como “Reformas de Base”. Como exemplos dessas reformas, citam-se: 1. A reforma tributária, que estimularia o aumento dos impostos e dos anos de contribuição das classes trabalhadoras, visando a superar a crise fi nanceira e especulativa. 2. A reforma agrária, que pretendia estender a legislação trabalhista ao campo e implementar o Estatuto do trabalhador rural. 3. A reforma urbana, que previa o incentivo à indústria privada da construção civil, monopolizada por algumas grandes empresas, ligadas ao capital estrangeiro. 4. A reforma bancária, que visava à nacionalização e à democratização do crédito.   Estão corretos apenas os exemplos

Gerar PDF da Página

Conteúdo exclusivo para assinantes

Assine um de nossos planos para ter acessos exclusivos e continuar estudando em busca da sua aprovação.

Ver planos