Exercícios de Segunda Revolução Industrial

Voltar para Segunda Revolução Industrial

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Segunda Revolução Industrial dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 1. ENEM PPL 2012
    A figura representada por Charles Chaplin critica o modelo de produção do início do século XX, nos Estados Unidos da América, que se espalhou por diversos países e setores da economia e teve como resultado
  2. 2. FGV-RJ 2012
    A chamada Segunda Revolução Industrial, ocorrida nas últimas décadas do século XIX, foi caracterizada:
  3. 3. MACKENZIE 1999
    Sobre a Segunda Revolução Industrial é INCORRETO afirmar que:
  4. 4. ENEM PPL 2012
    Outro importante método de racionalização do trabalho industrial foi concebido graças aos estudos desenvolvidos pelo engenheiro norte-americano Frederick Winslow Taylor. Uma de suas preocupações fundamentais era conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e das máquinas atingisse seu patamar máximo. Para tanto, ele acreditava que estudos científicos minuciosos deveriam combater os problemas que impediam o incremento da produção. Taylorismo e Fordismo. Disponível em www.brasiIescoIa.com. Acesso em: 28 fev. 2012. O Taylorismo apresentou-se como um importante modelo produtivo ainda no inicio do século XX, produzindo transformações na organização da produção e, também, na organização da vida social. A inovação técnica trazida pelo seu método foi a
  5. 5. UEL 2008
    Com base na imagem, considere as afirmativas a seguir. I. No século XIX, com a descoberta de novas técnicas e a consequente mecanização da produção, os industriais intensificaram a exploração da mão de obra para recuperar os investimentos com as maquinarias e aumentar os lucros com a produção. Para conseguir tal intento, os assalariados tinham que cumprir em média 15 horas de trabalho por dia, sendo que mulheres e crianças - consideradas inferiores - foram comumente utilizadas como mão de obra por se constituírem em força de trabalho mais barata. II. A crise econômica que arrasou a Inglaterra na segunda metade do século XIX abriu espaço para que os Estados Unidos colocassem no mercado seus produtos industrializados. A partir de então, o capitalismo foi se consolidando numa perspectiva mais financeira e abriu espaço para o surgimento das grandes potências bancárias. III. A Iuta de classes tornou-se uma realidade a partir do momento em que a sociedade ficou dividida em duas classes antagônicas: burguesia e proletariado. As diferenças entre aqueles que eram donos dos meios de produção - e do capital - e aqueles que possuíam a força de trabalho - mão de obra - levou estes últimos a organizarem-se em sindicatos, partidos, associações para lutar contra a exploração a que eram submetidos. IV. O anarquismo como doutrina política foi primordial para a constituição da classe burguesa, no século XIX, porque defendia a importãncia do capital na consolidação desta nova ordem social. Defendia também que todos os indivíduos tinham o direito de Iutar para garantir melhores salários e qualidade de vida. Assinale a alternativa que contém todas as afirmativas corretas.
  6. 6. FGV 2014
    A nova entrada da pobreza indigente será não mais um fenômeno temporário do desemprego ou como resistência ao trabalho dos pobres não moralizados, mas como Criatura da própria sociedade industrial, como resíduo que, produzido por ela, nela não tem lugar. É em Londres que o sistema de fábrica despeja sua escória humana. Mais uma vez questiona-se o pensamento liberal em um dos seus pressupostos básicos, o laissez-faire. Uns pedem ao governo leis severas de controle da superpopulação e medidas no sentido de se exportar o residuo para as colônias. (Maria Stella Bresciani, Londres e Paris no século XIX. p. 104-7. Adaptado) Segundo o texto,
  7. 7. PUC-MG 2001
    O avanço da industrialização na segunda metade do século XIX provocou transformações profundas no âmbito da sociedade, o que pode ser verificado através, EXCETO:
  8. 8. PUC-MG 2004
    PRODUÇÃO DE CARVÃO, FERRO FUNDIDO E AÇO NA GRA-BRETANHA, ALEMANHA E ESTADOS UNIDOS NO FINAL DO SÉCULO XIX E INICIO DO SÉCULO XX. A análise e contextualização histórica das informações apresentadas pela tabela acima permitem afirmar
  9. 9. UEPB 2013
    Entre as décadas de 60 e 70 do século XIX, o mundo experimentou a chamada "Segunda Revolução Industrial". Foi o momento em que a economia capitalista foi impulsionada com um ritmo ainda mais acelerado em termos de produção e com avanços significativos no processo de industrialização. Sobre este momento histórico, que Eric Hobsbawn chama de a "Era dos Impérios", assinale a única alternativa INCORRETA.
  10. 10. UEPB 2014
    Entre os séculos XIX e XX, uma nova forma de organização do trabalho se tornou comum. O Fordismo-Taylorismo fez evoluir a taI ponto o sistema produtivo que se passou a considerar que a Revolução Industrial (do século XVIII) estava passando por uma etapa de renovação. Assinale a única alternativa INCORRETA.
  11. 11. UNEMAT 2015
    Revolução que emerge em meados do Século XVIII, tem entre suas principais características a apropriação privada dos meios de produção e a livre concorrência.   O texto acima refere-se ao sistema:
  12. 12. UNICENTRO 2011
    Com o rompimento do Sistema Colonial ibérico, após a emancipação política, redefiniu-se a dependência econômica da América Latina. [...] A independência política trouxe o livre cambismo. A Inglaterra industrializada pôde ocupar esses mercados, sem a intermediação da antiga metrópole, comprando diretamente matérias-primas e gêneros alimentícios e vendendo diretamente produtos manufaturados. Ela exportava também ideias, pois a elite das novas nações — culturalmente dependentes do exterior — aceitava os princípios do liberalismo econômico, que defendiam a especialização dos países no que produzissem melhor. (CÁCERES, F. História geral. 4. ed. rev. ampl. e atual. São Paulo: Moderna, 1996.).   A posição periférica ocupada pelos países da América Latina, no auge da expansão imperialista da Segunda Revolução Industrial, decorria
  13. 13. UNICENTRO 2004
    Durante a Revolução Industrial, a Inglaterra atravessou uma fase de grande avanço tecnológico com a introdução de máquinas e linhas de produção. As rocas de fiar desapareceram. Em 1813, havia pouco mais de 2.000 teares a vapor em funcionamento na Inglaterra. Vinte anos depois, o parque tinha se multiplicado cinqüenta vezes. Previsivelmente, surgiram as reações na forma de seguidos ataques às fábricas. Grupos armados com barras de ferro e pedaços de pau invadiam estabelecimentos e destruíam teares. (Basil. In: Veja, p. 99) O protesto de grupos de trabalhadores no episódio descrito no texto indica
  14. 14. UEL 2008
    Leia atentamente o texto: “A extensão e progresso da navegação por vapor, as estradas de ferro, o desenvolvimento e aperfeiçoamento das máquinas e todos os meios de produção, o consequente aumento dos interesses e relações comerciais; a necessidade de novos mercados, o furor das especulações e empresas; o espírito movediço, inquieto e aventureiro, dos que procuram enriquecer muito depressa, excitados por uma imoderada ambição de habilitarem-se para gozarem quanto antes de todos os cômodos, vantagens e regalos e consideração que rodeiam a riqueza no estado social moderno, têm, sobretudo nestes últimos tempos, mudado a face de certas sociedades, e modificado até as noções de direito. Não é, portanto, de admirar que escritores dos Estados Unidos da América do Norte, na qual esse movimento se manifesta mais açodado, tenham sido os primeiros a modificar aqueles princípios, acima expostos dos direitos das gentes de um modo mais conforme ao seu espírito ambicioso e invasor. ” (BRASIL. Conselho de Estado. Navegação fluvial. O Rio Amazonas, as relações brasileiro-peruanas e os interesses norte americanos. Conselho de Estado 1842-1889: consultas da Seção dos Negócios Estrangeiros. Brasília, Câmara dos Deputados/Ministério das Relações Exteriores, v. 4: 1854-1857. p. 26-27, 1978.) Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a seguir: I. O desenvolvimento do capitalismo foi possível graças à Doutrina de Monroe, enunciada em 1823, isto é, da ideia de que os Estados Unidos da América do Norte foram escolhidos por Deus para dominar todo o continente, fosse através do comércio ou da conquista militar. II. Os avanços tecnológicos estimulavam o desenvolvimento do capitalismo, isto é, novos interesses comerciais, ampliação dos mercados, incremento das indústrias, em escala avassaladora e, concomitantemente, as noções tradicionais de direito modificavam-se de modo a facilitar aquela expansão. III. A descrença no progresso ao lado da ausência de recursos naturais a serem explorados, estimulou a expansão do capitalismo, isto é, uma série de guerras de conquista, dentre elas a Guerra com o Paraguai, que visava à abertura de novos territórios a serem explorados pelos brasileiros. IV. O autor do texto considera o espírito do povo dos Estados Unidos da América do Norte ambicioso e invasor, pois se processava naquele país um movimento expansionista, no decorrer do qual uma enorme porção do território mexicano havia sido tomada na guerra de 1846- 1848. Assinale a alternativa que contém todas as afirmativas corretas.  
  15. 15. UFU 2000
    Do ponto de vista geoeconômico, a inauguração de uma nova divisão internacional do trabalho na economia mundial está relacionada I- à globalização financeira, estreitamente ligada à supremacia do dólar. II- à aparição do Japão como potência tecnológica, financeira e comercial, que diante das crises dos anos 90 apresentou-se como o único desafio econômico à hegemonia dos EUA. III- à integração do espaço europeu com pretensões a tornar-se um bloco econômico capaz de fazer frente à preponderância norte-americana. IV- ao fim da submissão dos países periféricos à nova ordem global, marcado pelo crescimento industrial e pelo equilíbrio financeiro, em particular da América Latina e do Leste Europeu. É correto afirmar que
  16. 16. UNCISAL 2010
    A industrialização europeia da primeira metade do século XIX desencadeou a mobilização do proletariado na defesa de seus interesses. Um exemplo foi o movimento cartista, que reivindicava ao Parlamento inglês
  17. 17. PUC-RS 2016
    Com o desenvolvimento da economia informacional e da globalização, estruturou-se, mais uma vez, a Divisão Internacional do Trabalho (DIT). Sobre essa nova DIT, é correto afirmar que I. circunscreve-se aos limites territoriais dos países envolvidos. II. se estabelece entre os agentes econômicos localizados em uma estrutura global de redes e fluxos. III. compreende agentes que podem aparecer em posições diferentes em um mesmo país. IV. envolve os produtores de matérias-primas provenientes de recursos naturais que estão nos países centrais, eliminando as desigualdades internacionais. Estão corretas as afirmativas
  18. 18. UNCISAL 2009
    No final do século XIX, nos países europeus mais industrializados, a crítica e a oposição operárias à sociedade burguesa poderiam ser detectadas na
  19. 19. UFU 1998
    Entre os diversos fatores que contribuíram para o rápido desenvolvimento industrial e agrícola dos Estados Unidos no século XIX, podemos destacar I- a construção das ferrovias transcontinentais, que aceleraram a conquista do Oeste, atraindo mais imigrantes. II- a criação de um sistema bancário de âmbito nacional, baseado no poderio econômico dos grandes bancos estatais de cada estado da União. III- a redução ou eliminação significativa das tarifas aduaneiras, como forma de estimular a concorrência da indústria local com as européias. IV- o aperfeiçoamento técnico dos transportes e das comunicações, com o desenvolvimento do telégrafo, das ferrovias e das hidrovias. V- o afluxo de capitais europeus, investidos na agricultura e nas Bolsas de Valores. Assinale
  20. 20. UNIMONTES 2014
    Entre os pontos propostos pela Encíclica Rerum Novarum de Leão XIII, em 1891, é INCORRETO elencar:
  21. 21. UNIOESTE 2010
    Depois da segunda metade do século XIX constituiu-se na Europa um processo socioeconômico gerado pelas novas tecnologias, denominado por historiadores como Segunda Revolução Industrial. Sobre esse período da Idade Contemporânea, assinale a afirmativa INCORRETA.
  22. 22. UNIMONTES 2015
    Acerca da classe operária, marque C (Correta) ou I (Incorreta), nas afirmativas abaixo. ( ) As multidões da sociedade industrial do século XIX eram motivo de preocupações em vista da sua crescente expansão e concentração nas sociedades industrializadas. ( ) As tensões sociais do século XIX derivaram principalmente dos propósitos burgueses de imporem concepções capitalistas de trabalho apesar da degradação gerada. ( ) Os trabalhadores ingleses, reagindo contra os ideais capitalistas e sua miséria pessoal, evoluíram da quebra de máquinas ao movimento cartista. ( ) Por caminhos diferentes, os socialistas utópicos e os socialistas científicos combateram a exploração dos assalariados e a concentração de renda. A sequência CORRETA é
  23. 23. UNESP 1995
    "A superioridade da indústria inglesa, em 1840, não era desafiada por qualquer futuro imaginável.  E esta superioridade só teria a ganhar, se as matérias-primas e os gêneros alimentícios fossem baratos.  Isto não era ilusão: a nação estava tão satisfeita com o que considerava um resultado de sua política que as críticas foram quase silenciadas até a depressão da década de 80." (Joseph A. Schumpeter, "HISTÓRIA DA ANÁLISE ECONÔMICA")   Desta exposição conclui-se por que razão a Inglaterra adotou decididamente, a partir de 1840, o:
  24. 24. UNISC 2015
    O processo de industrialização pode ser considerado um dos principais propulsores da modernização das sociedades. Sobre isso, é importante ressaltar que as dinâmicas industriais passaram por diferentes etapas até se configurarem da maneira como as conhecemos atualmente. Leia as afirmativas que se seguem acerca dessas etapas. I – Primeira Revolução Industrial: foi a primeira etapa do processo de industrialização, ocorrida entre meados do século XVIII e final do século XIX. O Reino Unido era considerado a grande potência industrial e as técnicas industriais, quando comparadas ao que conhecemos hoje, eram simples. Predominavam questões acerca da máquina a vapor, da indústria têxtil e do carvão mineral como fonte de energia. As empresas da época, em sua maioria, eram de pequeno ou médio porte e davam forma ao contexto do capitalismo concorrencial ou liberal. II – Segunda Revolução Industrial: teve início a partir das últimas décadas do século XIX. Aos poucos, o Reino Unido foi cedendo seu lugar de liderança a países como Estados Unidos que apresentavam economias mais dinâmicas. Foi uma fase marcada pelas mudanças técnicas e tecnológicas relacionadas ao surgimento da eletricidade e à utilização do petróleo como fontes de energia. Muitas empresas passaram por processos de expansão enquanto o capitalismo monopolista passou a se fortalecer. Neste contexto, emergiu o Fordismo. I II – Terceira Revolução Industrial: também conhecida como Revolução Técnico-Científica-Informacional, iniciou-se em meados do século XX. É uma fase marcada pelo avanço dos conhecimentos e das tecnologias que envolvem as dinâmicas industriais. Destacam-se, nesta fase, a informática, a robótica, a biotecnologia, entre outros. Assinale a alternativa correta
  25. 25. UESC 2011
    Os ingredientes básicos para fazer um pãozinho são o trigo, a água, o sal e o fermento. Para que haja trigo, é necessário que alguém o plante e o colha; é preciso que haja moinhos para moê-lo e comercialização para que chegue até a padaria. Esse mesmo processo serve para o sal, que deve ser retirado do mar, processado e embalado. O fermento é produzido em outras empresas por outros trabalhadores, com outras matérias-primas. A água precisa ser captada, tratada e distribuída, o que exige uma complexa infraestrutura com grande número de trabalhadores. São necessários equipamentos, [...] para preparar a massa e o forno para assar o pão, [...] que, por sua vez, empregam outras matérias-primas e trabalhadores.   É necessário algum tipo de energia proporcionada pelo fogo (e isso exige madeira ou carvão) ou energia elétrica (que é gerada em hidroelétricas ou termoelétricas). As usinas de energia, por sua vez, precisam de equipamentos, linhas de transmissão e trabalhadores para fazer tudo isso acontecer.   Na ponta de todo esse trabalho, estão as padarias, mercadinhos e supermercados, onde o pãozinho finalmente chega às mãos do consumidor. (TOMAZI, 2007, p. 36).     “É necessário algum tipo de energia proporcionada pelo fogo (e isso exige madeira ou carvão) ou energia elétrica (que é gerada em hidroelétricas ou termoelétricas). As usinas de energia, por sua vez, precisam de equipamentos, linhas de transmissão e trabalhadores para fazer tudo isso acontecer.”   O fragmento do texto e os conhecimentos sobre o processo produtivo, ao longo da história, permitem afirmar:  
  26. 26. UNEMAT 2010
    Para muitos historiadores, o período compreendido entre1850 e 1914, do ponto de vista econômico, é conhecido como “Segunda Revolução Industrial”.    Sobre o tema assinale a alternativa correta.
  27. 27. PUC-CAMPINAS 1993
    "...o produto da atividade humana é separado de seu produtor e açambarcado por uma minoria: a substância humana é absorvida pelas coisas produzidas, em lugar de pertencer ao homem..." A partir do texto, pode-se afirmar que a Revolução Industrial:
  28. 28. UFJF 2012
    Ao se referir à chamada Segunda Revolução Industrial, Hobsbawn (1978) afirma que: (...) a primeira fase da industrialização britânica, baseada nos têxteis, chegara a seus limites ou parecia estar prestes a fazê-lo. (...) Estava iminente o advento de uma nova fase do industrialismo, que proporcionaria alicerces muito mais firmes para o crescimento econômico (...). HOBSBAWN, Eric. Da Revolução Industrial inglesa ao imperialismo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1978. Apud: FERNANDES, Luiz Estevam de O., FERREIRA, João Paulo Hidalgo. Nova História Integrada. Campinas-SP. Companhia da Escola, 2005. p.348.   Leia as afirmativas abaixo e, em seguida, assinale a alternativa INCORRETA.
  29. 29. UNB 2014
    Em meados do século XIX, o alcaloide quinina era de importância vital para o domínio britânico na Índia, onde a malária debilitava e matava pessoal civil e militar. A quinina não curava a doença, mas aliviava-lhe os sintomas. Nessa época, a quinina era obtida da casca de uma planta arbórea, a cinchona, nativa do Peru. Em 1853, o britânico William Henry Perkin, então com 15 anos, ingressou no recém-fundado Colégio Real de Química e logo se tornou assistente do diretor, o cientista alemão August Hofmann. O desafio proposto para Perkin foi o de encontrar uma forma de sintetizar a quinina, mas, em seu lugar, ele acabou obtendo um precipitado de nafta, o negro-de-anilina, do qual derivou a anilina de cor azul ou malva. Esse primeiro corante artificial foi a substância dos sonhos ― o início da imensamente importante indústria de corantes com base no alcatrão de hulha. Químicos da Inglaterra, França, Alemanha e Suíça aperfeiçoaram os estudos de Perkin e criaram um arco-íris de cores artificiais. Essas cores, por sua vez, estimularam a procura por elegantes tecidos coloridos e livraram as mulheres dos países ricos da Europa dos seus tradicionais, econômicos e lúgubres vestidos pretos. David Landes. A riqueza e a pobreza das nações – porque umas são tão ricas e outras são tão pobres. Rio de Janeiro: Campus, 1998, p. 323-4 (com adaptações).     A respeito da história da segunda metade do século XIX, assinale a opção correta.
  30. 30. PUC-CAMPINAS 2016
    Durante o século XVIII, a Revolução Industrial constituiu um fenômeno predominantemente inglês. Mas a partir do século seguinte, começou a se expandir para vários países, provocando grandes transformações na vida das pessoas, uma vez que, com
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login