Tenha acesso completo aos conteúdos do Stoodi

Plano de estudos, exercícios, videoaulas, correção de redação e mais!

Exercícios de Segundo Reinado

Voltar para Segundo Reinado

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Segundo Reinado dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 91. UERJ 2015
    A um grito de “Fora o vintém!”, os manifestantes começaram a espancar condutores, esfaquear mulas, virar bondes e arrancar trilhos ao longo da rua Uruguaiana. Dois pelotões do Exército ocuparam o Largo de São Francisco, postando-se parte da tropa em frente à Escola Politécnica, atual prédio do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ. A multidão dispersou-se e, salvo pequenos distúrbios nos três dias seguintes, estava findo o motim do vintém. A cobrança da taxa passou a ser quase aleatória. As próprias companhias de bondes pediam ao governo que a revogasse. Desmoralizado, o ministério caiu a 28 de março. O novo ministério revogou o desastrado tributo. Adaptado de CARVALHO, José Murilo de. A Guerra do Vintém. Revista de História, setembro/2007.   Ocorrida entre o final de 1879 e o início de 1880, a Revolta do Vintém representou a manifestação de segmentos populares descontentes com a decisão do governo de aumentar os preços das passagens dos bondes puxados a burro, que trafegavam na então capital do Império.    Um dos principais efeitos dessa revolta naquele momento foi:  
  2. 92. UFJF 2016
    Juiz de Fora progredia. A população subia, andava aí pelos doze a treze mil habitantes – imaginem! Treze mil! e essa densidade exigia progresso. Esse começara em 1870 com a inauguração dos telégrafos. Logo depois viriam os trilhos da Estrada de Ferro D. Pedro II. Em 1885 a cidade começa a ser dotada de encanamentos e de água a domicílio. No mesmo ano as casas passam a ser numeradas. Em 1886, grande animação com uma Exposição Industrial que reflete a pujança do município. (...) Meu avô teve certa pena de não terminar os serviços que começara, de dotar a cidade de luz e energia elétrica. A inauguração foi procedida a 5 de novembro de 1889... NAVA, Pedro. Baú de ossos – memórias 1; 5ª. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1978, pp. 200-201.   O memorialista Pedro Nava mostra na cidade de Juiz de Fora aspectos do processo de transformação que ocorria na sociedade brasileira no final do século XIX. Acerca deste contexto, assinale a afirmativa INCORRETA:
  3. 93. UEL 2010
    Sobre a questão da mão de obra no Brasil do século XIX, considere as afirmativas: I. As primeiras experiências com mão de obra imigrante foram problemáticas, pois o acesso à propriedadede terra, mesmo pequena, era muito restrito. Os imigrantes já chegavam ao Brasil endividados pelos custos da viagem, paga pelos proprietários rurais, e estes tratavam os trabalhadores estrangeiros livres como se fossem escravos. II. O fim da escravidão no Brasil foi um longo processo de acomodação das tensões entre o Governo imperial e os proprietários de escravos. Leis de liberação gradativa que foram aprovadas, somente eram cumpridas aquelas que não oneravam os senhores de escravos, como a lei dos sexagenários. III. O planejamento elaborado pelo Governo Imperial para a substituição do trabalho escravo pelo trabalho livre, com o livre acesso à propriedade da terra e à educação para os ex-escravos e seus descendentes, foi o responsável, nas décadas seguintes, pela melhoria nos níveis de vida da população de origem africana no país. IV. Diferentemente da imigração europeia em São Paulo, direcionada prioritariamente para suprir de braços a lavoura cafeeira, a imigração de alemães e italianos no sul do Brasil deu-se através da colonização, em regime de pequena propriedade. Assinale a alternativa correta.
  4. 94. ENEM - 3 APLICACAO 2014
    TEXTO I O maior dos desenganos sofridos pelos imigrantes foi  o fato de que os sonhos criados pela imaginação fértil em sua terra natal não foram possíveis de serem realizados de pronto. Haviam se tornado grandes proprietários de terra, mas estavam escravizados a ela. Cada qual era escravo da floresta virgem, que chamavam de sua propriedade, e do duro trabalho a que estavam obrigados pela posse da mata, pois se eles não a vencessem, seriam vencidos por ela. Haviam de lutar, para que, com o tempo e à custa de muito esforço, fosse possível tomarem-se senhores de suas rendas e homens livre.  RAMBO, B. A fisionomia do Rio Grande do Sul (1942). São Leopoldo: Editora Unisinos, 2000 (adaptado)    TEXTO II A expansão das colónias transformou-se bem cedo  numa verdadeira corrida para a mata virgem. Uma série de fenómenos naturais e sociais se deve a esse fato. Antes de tudo, é o desmatamento progressivo da fralda da serra. Praticamente todos os terrenos já perderam sua capa silvática; o que resta são os trechos imprestáveis nos flancos mais íngremes e rochosos das montanhas e as cintas de mato que ladeiam os degraus da serra. Capoeiras e matos secundários sujos caracterizam a estrada trilhada pela agricultura de exploração dos cem anos passados. GRESSLER, P. Os velhos Gressler. Candelária: Tipografia Francisco Schmidt, 1949.   De acordo com os textos, a relação dos colonos com os  ecossistemas, no processo de ocupação da região Sul do país, caracterizava-se pelo (a) 
  5. 95. UFLA 2014
    No Período Imperial brasileiro, a Inglaterra esteve muito presente no Brasil, de modo especial no controle econômico do país. Além disso, exerceu grandes pressões para promover o fim do tráfico negreiro no Atlântico, o que é expresso
  6. 96. UEG 2002
    Depois que os últimos escravos houverem sido arrancados ao Poder sinistro que representa para a raça negra a maldição da cor, será ainda preciso debastar, por meio de uma educação viril e séria, a lenta estratificação de trezentos anos de cativeiro, isto é, de despotismo, superstição e ignorância. NABUCO, Joaquim. O Abolicionismo [1883]. São Paulo, 1938, p. 5. In: COSTA, Emília Viotti da. Da senzala à colônia. 4. ed. São Paulo: Unesp; 1998. p. 11.   Sobre a escravidão e a situação do negro na sociedade brasileira, marque a alternativa CORRETA:
  7. 97. UNEMAT 2012
    Em 1845, em resposta à não-renovação dos tratados de 1810, que garantiam amplas vantagens para a Inglaterra no comércio com o Brasil, foi realizada uma ação que determinava poderes à marinha inglesa para apreender qualquer navio negreiro que cruzasse o Atlântico em direção ao Brasil.   A que ação inglesa o texto se refere? 
  8. 98. UNICAMP 2011
    O primeiro recenseamento geral do Império foi realizado em 1872. Nos recenseamentos parciais anteriores, não se perguntava sobre a cor da população. O censo de 1872, ao inserir essa informação, indica uma mudança, orientada por um entendimento do conceito de raça que ancorava a cor em um suporte pretensamente mais rígido. Com a crise da escravidão e do regime monárquico, que levou ao enfraquecimento dos pilares da distinção social, a cor e a raça tornavam-se necessárias. (Adaptado de Ivana Stolze Lima, Cores, marcas e falas: sentidos da mestiçagem no Império do Brasil. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003, p. 109, 121.)   A partir do enunciado, podemos concluir que há um uso político na maneira de classificar a população, já que
  9. 99. UNIMONTES 2010
    Marque C (correta) ou I (incorreta) nas afirmativas sobre a fase imperial do Brasil. ( ) Durante o 2º Reinado, paralelamente à existência do Poder Moderador e do Conselho de Estado, coexistiu um sistema nos moldes parlamentaristas em que o gabinete era liderado pelo Presidente dos Ministros, nomeado pelo Imperador. ( ) A “Missão Francesa”, que chegou ao Brasil em 1816, trazendo artistas como Debret e Taunay, contribuiu para a introdução de importantes mudanças na arte brasileira e, por extensão, para alterações de natureza cultural no futuro país. ( ) Os primeiros anos do Império constituíram-se em um período de rápido crescimento econômico em razão do aumento nos valores das tarifas de importação e do crescimento das exportações agrícolas e minerais. ( ) A consolidação da entrada de imigrantes no Brasil, a partir da segunda metade do século XIX, está relacionada à expansão da cultura cafeeira, no Oeste Paulista, o que, no entanto, não invalidou o sistema de trabalho com mão de obra escrava. ( ) A Lei de Terras (1850) permitia a aquisição de terras devolutas através da doação com ônus, o que permitiu aos trabalhadores rurais acumular capitais e comprar propriedades, quadruplicando o número de pequenas propriedades rurais no Sudeste e Nordeste do Brasil. A sequência CORRETA é 
  10. 100. UEMA 2013
    TEXTO I Valeu, Zumbi O grito forte dos Palmares Que correu terra, céus e mares Influenciando a abolição. VILA, L. C. da V., G. R. E. S. Unidos de Vila Isabel, 1988. TEXTO II Pra Isabel a heroína, Que assinou a lei divina Negro dançou, comemorou, o fim da sina. TRISTEZA, N.; JÓIA, P.; VICENTINHO; JURANDIR. G. R. E. S. Imperatriz Leopoldinense, 1989. Os versos dos textos I e II são fragmentos de letras de samba, elaborados no contexto de comemoração do centenário da abolição da escravidão, no Brasil. Esses versos abordam a questão de maneira distinta. Ao compará-los, se diferenciam quanto à
  11. 101. UNIMONTES 2014
    (...) Mesmo depois de abolida a escravidão // negra é a mão de quem faz a limpeza // lavando a roupa encardida, esfregando o chão // negra é a mão, é a mão da pureza // negra é a vida consumida ao pé do fogão // negra é a mão nos preparando a mesa // limpando as manchas do mundo com água e sabão. [...] (GIL, Gilberto. A mão da limpeza. In: www.gilbertogil.com.br/sec-disco-info. Acesso em 3/3/2014.) As ações desempenhadas pelos negros, nos versos dessa canção, tornaram-se comuns no Brasil, entre outras coisas, porque
  12. 102. ENEM PPL 2010
    Para o Paraguai, portanto, essa foi uma guerra pela sobrevivência. De todo modo, uma guerra contra dois gigantes estava fadada a ser um teste debilitante e severo para uma economia de base tão estreita. Lopez precisava de uma vitória rápida e, se não conseguisse vencer rapidamente, provavelmente não venceria nunca. LYNCH, J.  As Repúblicas do Prata: da independência à Guerra do Paraguai. BETHELL, Leslie (Org). História da América Latina: da Independência até 1870, v. III. São Paulo: EDUSP, 2004.   A Guerra do Paraguai teve consequências políticas importantes para o Brasil, pois
  13. 103. MACKENZIE 2015
    Acerca dos primeiros anos da República no Brasil, leia os versos a seguir e assinale a alternativa correta.     “(...) Queriam a abolição Tiveram E pioraram a sorte dos negros. Queriam a República Tiveram Derrubaram a Monarquia Instituíram a anarquia Mandaram embora o imperador Que morreu, coitado, no exílio (...) Foram mexer com o exército Que no tempo do Império vivia quieto no seu canto Corremos agora o perigo de uma ditadura militar E daqui por diante ninguém vai fazer mais nada Sem primeiro ouvir e cheirar os generais Érico Veríssimo. O Tempo e o Vento: o continente. São Paulo: Companhia das Letras, 2004, v.2, pp.280-281
  14. 104. ENEM PPL 2011
    Escrevendo em jornais, entrando para a política, fugindo para quilombos, montando pecúlios para comprar alforrias... Os negros brasileiros não esperaram passivamente pela libertação. Em vez disso, lutaram em diversas frentes contra a escravidão, a ponto de conseguir que, à época em que a Lei Áurea foi assinada, apenas uma pequena minoria continuasse formalmente a ser propriedade. Antes da Lei Áurea. Liberdade Conquistada. Revista Nossa História. Ano 2, nº 19. São Paulo: Vera Cruz, 2005.   No que diz respeito à Abolição, o texto apresenta uma análise historiográfica realizada nas últimas décadas por historiadores, brasileiros e brasilianistas, que se diferencia das análises mais tradicionais. Essa análise recente apresenta a extinção do regime escravista, em grande parte, como resultado
  15. 105. UFJF 2013
    Em 1850, foi promulgada a Lei Eusébio de Queirós, que determinava o fim do tráfico de escravos africanos para o Brasil. Sobre o contexto que conduziu ao fim do tráfico negreiro para o Brasil, é possível afirmar que, EXCETO:
  16. 106. UPF 2016
    “Convencidos de que a escravidão estava destinada a desaparecer, da mesma maneira que os americanos da época estavam convencidos da inevitabilidade da democracia (uma convicção nunca compartilhada pelos brasileiros), os latifundiários brasileiros decidiram preparar- se para o inevitável.” (DA COSTA, Emília Viotti. Da Monarquia à República. Momentos decisivos. São Paulo: Brasiliense, 1985, p. 245)   Assinale a alternativa que apresenta corretamente elementos relativos à conjuntura de transição do trabalho escravo para o trabalho livre.
  17. 107. ENEM CANCELADO 2009
    O Marquês de Pombal, ministro do rei Dom José I, considerava os jesuítas como inimigos, também porque, no Brasil, eles catequizavam os índios em aldeamentos autônomos, empregando a assim chamada língua geral. Em 1755, Dom José I aboliu a escravidão do índio no Brasil, o que modificou os aldeamentos e enfraqueceu os jesuítas.   Em 1863, Abraham Lincoln, o presidente dos Estados Unidos, aboliu a escravidão em todas as regiões do Sul daquele país que ainda estavam militarmente rebeladas contra a União em decorrência da Guerra de Secessão. Com esse ato, ele enfraqueceu a causa do Sul, de base agrária, favorável à manutenção da escravidão. A abolição final da escravatura ocorreu em 1865, nos Estados Unidos, e em 1888 no Brasil.   Nos dois casos de abolição de escravatura, observam-se motivações semelhantes, tais como
  18. 108. UNESP 2014
    A proclamação da República não é um ato fortuito, nem obra do acaso, como chegaram a insinuar os monarquistas; não é tampouco o fruto inesperado de uma parada militar. Os militares não foram meros instrumentos dos civis, nem foi um ato de indisciplina que os levou a liderar o movimento da manhã de 15 de novembro, como tem sido dito às vezes. Alguns deles tinham sólidas convicções republicanas e já vinham conspirando há algum tempo [...]. Imbuídos de ideias republicanas, estavam convencidos de que resolveriam os problemas brasileiros liquidando a Monarquia e instalando a República. (Emília Viotti da Costa. Da monarquia à república, 1987.)     O texto identifica a proclamação da República como resultado
  19. 109. PUC-RJ 2004
    "Nas revoltas subsequentes à abdicação, o que aparecia era o desencadeamento das paixões, dos instintos grosseiros da escória da população; era a luta da barbaridade contra os princípios regulares, as conveniências e necessidades da civilização. Em 1842 pelo contrário o que se via à frente do movimento a braços com o soldado mercenário era a flor da sociedade brasileira, tudo que as províncias contavam de mais honroso e eminente em ilustração, em moralidade e riqueza; espetáculo que se renova hoje em Pernambuco".   Timandro [Francisco de Sales Torres Homem]. O libelo do Povo. Para justificar as revoltas da boa sociedade imperial - as revoltas liberais de Minas Gerais e São Paulo, em 1842, e a Praieira, em 1848 -, o Timandro estigmatizava em seu panfleto os movimentos da "escória da população" -a plebe e os escravos negros -, desde a abdicação. Tais movimentos aparecem listados nas opções abaixo, COM EXCEÇÃO DE UMA. Assinale-a.
  20. 110. UFES 2006
    No período monárquico brasileiro, foram introduzidas inovações representativas de progresso da época, por exemplo:   1852 - primeiros serviços de bondes urbanos, movidos por tração animal; 1852 - início da utilização do telégrafo; 1853 - início da navegação de cabotagem, por navios a vapor; 1854 - iluminação urbana a gás, no Rio de Janeiro; 1854 - inauguração do transporte ferroviário, por energia a vapor; 1862 - modernização dos bondes urbanos, movidos por locomotivas a vapor; 1874 - conexão entre Brasil e Europa, por cabo telegráfico submarino; 1877 - funcionamento das primeiras linhas telefônicas urbanas; 1877 - início da industrialização do açúcar, por meio de usinas; 1879 - iluminação elétrica, na Estação Central da Estrada de Ferro D. Pedro II; 1883 - geração de energia termoelétrica, em Campos dos Goytacazes-RJ; 1883 - geração de energia hidrelétrica, em Diamantina-MG; 1885 - inauguração da Estrada de Ferro do Corcovado, para fins turísticos.   Mesmo assim, o movimento republicano caracterizava a monarquia como símbolo do atraso, apresentando-se como alternativa de progresso. Acerca da crise do Império, que culminou com a proclamação da República, é INCORRETO afirmar que:  
  21. 111. UPE 2014
    A base econômica do Segundo Reinado no Brasil foi a produção cafeeira. Sobre essa realidade, assinale a alternativa CORRETA.
  22. 112. UEG 2004
    O Segundo Reinado (1840-1889), em contraposição ao período regencial (1831-1840), foi marcado por um clima de estabilidade política. A presença do Imperador, nas décadas de 1840 e 1850, impôs uma nova ordenação do poder por meio de inúmeras iniciativas reformistas, que se caracterizaram
  23. 113. UNIMONTES 2011
    Em relação às facções e partidos políticos do período regencial e do Segundo Reinado, escreva C (correta) ou I (incorreta) nas afirmativas abaixo. ( ) Os liberais exaltados lutavam pela instalação da República e do Federalismo, através da imprensa, entre outros meios. ( ) Através, principalmente, do jornal Aurora Fluminense, os liberais moderados propunham a defesa dos interesses da aristocracia rural. ( ) Os Progressistas, como Araújo Lima, eram a favor da descentralização política do governo. ( ) Os partidos Liberal e Conservador apresentavam pequenas divergências em seus programas de governo. Assinale a alternativa com a sequência CORRETA.
  24. 114. UFLA 2014
    Sobre a Proclamação da República (1889), analise as afirmativas abaixo e coloque V (verdadeiras) ou F (falsas):   ( ) Uma série de incidentes entre os militares e o governo imperial ocorreu na década de 1880 e ficou conhecida como “questão militar”. Com ampla repercussão na imprensa, os oficiais contaram com o apoio da opinião pública. ( ) Seguindo orientações romanas, alguns bispos e padres se opuseram à presença de maçons em suas igrejas, o que desagradou o governo imperial, simpatizante da maçonaria, e que via na atitude desses membros do clero uma afronta ao poder do imperador sobre a Igreja.   ( ) Após o término da Guerra do Paraguai, Quintino Bocaiúva e alguns partidários lançaram o famoso “Manifesto dos Mineiros”, que se posicionava a favor da instalação da República no Brasil, seguindo o modelo dos outros países da América.  ( ) A abolição da escravidão, que ocorreu no ano anterior à instalação da República, não provocou grandes reações dos senhores de escravos, pois eles contavam com o trabalho dos imigrantes em suas fazendas.   Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.
  25. 115. PUC-SP
    A enorme visibilidade do poder era sem dúvida em parte devida à própria Monarquia com suas pompas, seus rituais, com o carisma da figura real. Mas era também fruto da centralização política do Estado. Havia quase unanimidade de opinião sobre o poder do Estado como sendo excessivo e opressor ou, pelo menos, inibidor da iniciativa pessoal, da liberdade individual. Mas (...) este poder era em boa parte ilusório. A burocracia do Estado era macrocefálica: tinha cabeça grande mas braços muito curtos. Agigantava-se na Corte mas não alcançava as municipalidades e mal atingia as províncias. (...) Daí a observação de que, apesar de suas limitações no que se referia à formulação e implementação de políticas, o governo passava a imagem do todo-poderoso, era visto como responsável por todo o bem e todo o mal do Império. (Carvalho, J. Murilo de. Teatro de Sombras. Rio de Janeiro, IUPERJ/ Vértice, 1988) O fragmento acima se refere ao Segundo Império brasileiro, controlado por D. Pedro II e ocorrido entre 1840 e 1889. Do ponto de vista político, o Segundo Império pode ser representado como:
  26. 116. UFU 2001
    Durante o período das Regências e início do Segundo Reinado, diversas rebeliões colocaram em risco a estabilidade política do Império e as relações de dominação existentes. A respeito dessas rebeliões podemos afirmar que I- a Guerra dos Farrapos foi um movimento que pretendia a independência do Rio Grande do Sul, organizado pelos produtores de gado e charqueadores, contando com uma pequena base popular de apoio. II- a prolongada rebelião de escravos na Bahia em 1835 (Levante Malê) que pretendia a independência da Bahia, espalhou-se por diversos estados nordestinos, recebendo a adesão dos sertanejos e exigindo auxílio de tropas de estados vizinhos para sufocá-la. III- submetidos à escravidão e/ou intensa exploração, índios, negros e mestiços se revoltaram contra os grandes proprietários no Maranhão entre 1838 e 1841 (Balaiada), implantando uma efêmera república inspirada nos ideais do socialismo utópico, difundido pelos jornalistas e padres que lideravam o movimento. IV- o Manifesto ao Mundo, programa político da Revolução Praieira, propunha, entre outros itens, voto livre e universal, plena liberdade de imprensa, trabalho como garantia de vida para o cidadão brasileiro, inteira e efetiva independência dos poderes constituídos. Assinale a alternativa correta.
  27. 117. UFU 1999
    A respeito das história das lutas sociais no campo no Brasil, podemos afirmar que I- o movimento rural mais importante nas décadas de 1950/60, documentado no filme Cabra Marcado para Morrer, foi o das Ligas Camponesas, liderado por Francisco Julião, que procurou defender os camponeses contra a expulsão da terra e a elevação dos preços dos arrendamentos. II- a Lei de Terras de 1850 regularizou o regime da propriedade de terras, dividindo-as em particulares e públicas, proibiu sua aquisição pela compra e regulamentou as posses e as doações da Coroa, favorecendo a multiplicação de pequenas propriedades e limitando a expansão do poder dos latifundiários. III- na década de 1980, surgiu e se desenvolveu o MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais SemTerra, que promoveu passeatas, caminhadas, ocupações de fazendas improdutivas e áreas do governo, na tentativa de agilizar as desapropriações e os assentamentos para suas famílias. IV- entre as vítimas da violência no campo, que se tornaram símbolo da luta pela terra e pela defesa da natureza, figuram os 19 mortos na chacina de Eldorado dos Carajás e Chico Mendes, líder seringueiro, que lutou contra a devastação da floresta Amazônica. Assinale a opção que contém as afirmativas corretas.
  28. 118. UFMG 1998
    Leia a frase. “Precisamos de braços (...) no intuito de aumentar a concorrência de trabalhadores e, mediante a lei da oferta e procura, diminuir o salário.”  (Fala de um deputado paulista, Anais da Câmara, 1888.) A frase acima pode se referir
  29. 119. ENEM PPL 2009
    O fato é que a transição do Império para a República, proclamada em 1889, constituiu a primeira grande mudança de regime político ocorrida desde a Independência. Republicanistas “puros”, como Silva Jardim, defendiam uma mudança de regime que tivesse como resultado maior participação da população na vida política nacional. Mas, vitoriosos, os republicanos conservadores, como Campos Sales, mantiveram o modelo de exclusão política e sociocultural sob nova fachada. Ao “parlamentarismo sem povo” do Segundo Reinado sucedeu uma República praticamente “sem povo”, ou seja, sem cidadania democrática. LOPEZ, Adriana, MOTA, Carlos Guilherme. História do Brasil: uma interpretação. São Paulo: SENAC, 2008, p. 552. (adaptado)   Tendo o texto acima como referência inicial e considerando o processo histórico de implantação e de consolidação da República no Brasil, é possível inferir que 
  30. 120. UFAM 2009
    Aproveitando as comemorações do Ano Nacional Machado de Assis, leia, com atenção, o texto escritos pelo famoso escritor carioca, nascido no morro do Livramento (1839-1908). Depois, analise as proposições apresentadas utilizando seus conhecimentos sobre a história do Brasil império e assinale a alternativa correta de acordo com o código abaixo.   “Se o Império é fogo, Também é luz: abrasa, mas clara. Onde a flama da justiça, Deixa um raio de nova liberdade. Não lhe basta escrever uma vitória, Lá onde a tirania oprime um povo; Outra, tão grande, lhe desperta os brios; Vença uma vez no campo, outra nas almas; Quebra as duras algemas que roxeiam Pulsos de escravos. Faça-os homens.” A cólera do Império - Machado de Assis, Maio de 1865.   I. O texto revela que Machado era um entusiasta da ação brasileira na Guerra contra o Paraguai, publicando poemas e outros textos elogiosos ao exército e ao Imperador. II. A guerra iniciou-se em 1864 e envolveu o Brasil, a Argentina e o Uruguai que formaram a Tríplice Aliança contra o Paraguai. As hostilidades cessaram em 1870 com derrota paraguaia e um saldo de milhares de mortos. III. A guerra contra o Paraguai, a despeito do entusiasmo de homens como Machado, deixou evidente o despreparo do exército brasileiro, composto por batalhões de voluntários da pátria, tendo sido – na maioria – recrutados à força nas diversas províncias do Brasil. IV. O fim da guerra marcou o início de uma nova fase do Império brasileiro, em especial, pela progressiva redução do peso político do exército, apesar da vitória militar contra Solano Lopéz. Estão corretas:
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login