Exercícios de Unificações

Voltar para Unificações

Quer colocar o estudo em prática? O Stoodi tem exercícios de Unificações dos maiores vestibulares do Brasil.

Estude História com esses e mais de 30000 que caíram no ENEM, Fuvest, Unicamp, UFRJ, UNESP e muitos outros vestibulares!

Gerar PDF da Página
  1. 1. UEL 2001
    Sobre a unificação da Itália (1870) e da Alemanha (1871), analise as afirmativas abaixo: I - Os movimentos liberais, que nesses países assumiram um aspecto fortemente nacionalista, tiveram importante participação no processo de unificação. II - A ausência de guerras ou revoltas marcou a unificação italiana e alemã. III - O processo de unificação acelerou o desenvolvimento do capitalismo na Alemanha e na Itália, o que resultou em disputas que desembocaram na Primeira Guerra Mundial. Assinale a alternativa correta.
  2. 2. UFRGS 2006
    Dentre as alternativas a seguir, assinale aquela que está correta em relação ao processo de unificação italiana, concluída na segunda metade do século XIX.
  3. 3. UFV 2010
    A expressão Risorgimento designa o conjunto de movimentos heterogêneos que desejaram a unificação da Itália no século XIX. A vertente vitoriosa que promoveu a unificação da Itália foi:
  4. 4. MACKENZIE 1996
    A unificação política da Alemanha (1870-1871) teve como consequências:
  5. 5. ESPM 2012
    As imagens mostram dois importantes personagens da história europeia do século XIX, figuras que expressaram com sua liderança o sentimento nacionalista:
  6. 6. UFRN 1999
    Sobre a unificação alemã o séc. XIX, Marionilde Magalhães afirma: Desde o final do século XVlll, a criação de inúmeras associações resultou num determinado patriotismo cultural e popular, num território dividido em estados feudais dominados por uma aristocracia retrógrada. Tais associações se dirigem à nação teuta, enfatizando o idioma, a cultura e as tradições comunitárias, elementos para a elaboração de uma identidade coletiva, independentemente do critério territorial. E, de fato, esse nacionalismo popular, romântico-ilustrado (uma vez que pautado no principio da cidadania e no direito à autodeterminação dos povos), inspirará uma boa parcela dos revolucionários de 1848. Mas não serão eles a unificar a Alemanha. Seus herdeiros precisarão aguardar até 1871, quando Bismarck realiza uma revolução de cima, momento em que, em virtude do poderio econômico e da força militar da Prússia, a Alemanha se unifica como Estado forte, consolidando-se a sua trajetória rumo à modernização. [adaptação] MAGALHÃES, Marionilde D. B. de. A REUNIFICACÃO enfim um país para a Alemanha? Revista Brasileira de História. São Paulo: ANPUH/ Marco Zero. v.14, n.28. 1994. p.102. Tendo-se como referência essas considerações, pode-se concluir que
  7. 7. FGV 2015
    A unidade italiana - o processo de constituição de um Estado único para o pais - conserva o sistema oligárquico (...) lsto não impede a formação do Estado, mas retarda a eclosão do fenômeno nacional. (Leon Pomer, O surgimento das nações, 1985, p. 40-42) Fizemos a ltália; agora, precisamos fazer os italianos. (Massimo d'Azeino apud E. J. Hobsbawm, A era do capital, 1977, p. 108) A partir dos textos, é correto afirmar que
  8. 8. UPE 2015
    Não causa admiração o fato de os historiadores falarem de uma "Europa Bismarckiana". Em todos os Estados Europeus, a questão das relações com o Império alemão está no centro das preocupações dos homens de governo: é para Bismarck que todos olham. (DUROSELLE. Jean Baptiste. A Europa de 1815 aos nossos dias. São Paulo: Pioneira, 1970, p. 37.) Dentre as principais características políticas do governo desse influente líder alemão, a que mais se destacou foi a
  9. 9. UFF 1997
    À época de Bismarck (1871 - 1890) associam-se alguns elementos que vieram a reforçar o capitalismo industrial e financeiro na Alemanha recém-unificada. Assinale a opção que contém referências vinculadas ao momento politico mencionado.
  10. 10. UECE 2008
    O Movimento das Nacionalidades traz em si a concepção de Nacionalismo e reafirma os princípios liberais aplicados à ideia de Nação. Ao ressaltar elos étnicos, linguísticos e culturais, criam o arcabouço ideológico de algumas unificações europeias. Dos países unificados, no século XIX, destacam-se
  11. 11. UFPEL 2000
    "Com a crescente expansão da industrialização do continente europeu, a partir de 1830, os pequenos Estados italianos e alemães sentiram a necessidade de promover uma centralização, com o objetivo de conseguir equiparar-se às grandes potências, principalmente França e Inglaterra. Ainda politicamente fracas, nem a burguesia italiana nem a alemã tinham condições de assumir a direção do governo. Por isso, aceitavam a monarquia constitucional, desde que o Estado incentivasse o progresso econômico. Acreditavam que só assim poderiam chegar à centralização política, sem passar necessariamente por mudanças estruturais que colocassem em perigo sua posição de classe proprietária." (PAZZINATO, Alceu Luiz; et alii. "História Moderna e Contemporânea". São Paulo: Ática, 1993, p. 186.)   O texto está relacionado com
  12. 12. UEL 1999
    As Unificações Italiana e Alemã alteraram profundamente o quadro político da Europa na Século XIX, rearticulando um equilíbrio de forças que resultaria na
  13. 13. UERJ 1999
    Em 1860, um contemporâneo da unificação da Itália afirmou:   "Fizemos a Itália; agora precisamos fazer os italianos."  (D'AZEGLIO, Massimo (1792-1866). Apoud HOBSBAWM, E. "A era do capital: 1848-1875". Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.)   Essa frase traduz uma particularidade da construção da unidade italiana, que é identificada na:
  14. 14. UNIMONTES 2009
    A Comuna de Paris, órgão executivo e legislativo ao mesmo tempo, governou a mais importante cidade francesa por alguns meses, no ano de 1871. Entre as medidas tomadas pela Comuna, durante sua vigência, não se inclui(em):
  15. 15. UNIMONTES 2009
    Na Inglaterra, se o coletor de taxas viesse cobrar taxas não votadas pelo Parlamento, seria expulso da casa pelos cidadãos. Se o cidadão fosse detido e levado a julgamento, seria liberado pela Corte e mandado para casa com um elogio por ter resistido a uma força ilegal. (...) Na Prússia, era diferente. Se o cidadão prussiano expulsasse o coletor de impostos que viesse cobrar taxas não aprovadas pela Dieta, ele seria arrastado ao tribunal para receber uma sentença de prisão por “resistência à autoridade legal”. (Ferdinand Lassalle. Líder socialista alemão na segunda metade do século XIX. Citado por PEDRO, Antônio; LIMA, Lizânias de Souza; CARVALHO, Yone de. História do mundo ocidental: ensino médio. São Paulo: FTD, 2005, p. 304). Considerando o texto acima e a história, é INCORRETO afirmar que
  16. 16. UNIMONTES 2011
    Sobre o processo de unificação da Alemanha, escreva C (correta) ou I (incorreta) nas afirmativas abaixo. ( ) Concretizou-se após a vitória dos alemães sobre os franceses na guerra franco-prussiana, em 1870- 1871. ( ) Só foi possível após a aliança franco-alemã, concretizada pelo Tratado de Frankfurt, em 1871. ( ) Foi liderada pela Prússia do então chanceler Otto Von Bismark, homem que encarnou a síntese do nacionalismo alemão. ( ) Foi viabilizada pela Revolução Alemã, dirigida pela burguesia católica da Baviera em aliança com o proletariado do Ruhr. Você obteve:
  17. 17. UNICENTRO 2006
    Em 1870, enquanto os prussianos invadiam a França e sitiavam Paris, a República era proclamada e Napoleão III deposto e feito prisioneiro pelos inimigos. Logo no ano seguinte, Paris foi palco de uma insurreição popular que tomou a cidade e que acabaria por transformar a pobreza em questão política. Trata-se da Comuna de Paris. Sobre este evento é correto afirmar:
  18. 18. UFU 1998
    "Dois dias depois das eleições, proclama-se a Comuna. (...) Na praça, lá na frente, não cabe mais ninguém. Batalhões da Guarda, mulheres, crianças, tambores e baionetas, entre a Marselhesa e a bandeira vermelha - que se agita em grande quantidade junto a umas poucas tricolores." GONZÁLES, Horácio. A Comuna de Paris: os assaltantes do céu. 2a ed.São Paulo: Brasiliense, 1982. p. 64. A respeito da Comuna de Paris (1871), podemos afirmar que I- a Comuna, apesar de sua curta experiência de dois meses, instituiu o ensino laico, substituiu o exército permanente por milícias cidadãs, separou a Igreja do Estado, prorrogou o pagamento de aluguéis, eliminou a máquina burocrática e as indústrias passaram a ser dirigidas pelos operários. II- a Comuna foi um movimento impulsionado pelo descontentamento do povo parisiense com a rendição francesa aos prussianos, quando as classes populares assumiram o controle da cidade e procuraram eliminar privilégios e distinções de classe. III- a Comuna foi um movimento revolucionário de tendência socialista, sufocado por Luís Napoleão Bonaparte no chamado golpe do 18 Brumário, a partir do qual esse passou a ter o direito de reeleição a fim de instituir a Segunda República. IV- a experiência da Comuna, de tomar ou destruir prédios e monumentos públicos, redesenhando o espaço urbano, defrontou-se com as reformas efetuadas por governos anteriores, cuja preocupação consistia em procurar controlar aglomerações e isolar bairros populares. Assinale
  19. 19. PUC-CAMPINAS 2005
    Estrangeiro é quem mudou de país mudou de paisagem e fez da viagem um modo de estar. Quem deixou para trás o que tinha pela frente. Quem era igual e se tornou diferente. Estrangeiro é quem mudou por inteiro: de ares, de amigos e até de dinheiro. Alberto Martins. A Floresta e o estrangeiro. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2000. p. 6 No final do século XIX, a imigração europeia para o Brasil estava relacionada ao processo de unificação da Itália e Alemanha. O movimento pela unificação desses dois países foi conduzido, sobretudo, por grupos políticos que defendiam, a um só tempo, o
  20. 20. UPE 2016
    Os descobrimentos arqueológicos nas terras banhadas pelo rio Nilo, no final do século XIX, desencadearam uma espécie de egiptomia na Europa. Esse fascínio pelo país dos faraós encontrou sua apoteose musical na ópera Aída. Nessa época, crescia também a influência europeia no Egito, marcada pela construção do canal de Suez. Em 1869, Ismael Pascha, vice rei egípcio, encarregou o egiptólogo Auguste Mariette de encomendar a Giuseppe Verdi a composição de uma ópera para a inauguração do Teatro Real do Cairo durante as festividades de abertura do canal. 1871: “Aída” estreia na Ópera do Cairo. In: http://www.dw.com/pt/1871-a%C3%ADda-estreia-na-ópera-do-cairo/a-1067300   O texto demonstra uma grande relação entre arte, sociedade e política no século XIX. Sobre música e política no referido século, assinale a alternativa CORRETA.
  21. 21. UFAM 2009
    Século 20: o século que trouxe a globalização e fez as nações do mundo se aproximarem; que, com o acelerado desenvolvimento da tecnologia, impulsionou o progresso; e que, com as descobertas da Ciência, encheu de esperança a humanidade. Seus cem anos, poderiam ter sido simplesmente gloriosos, mas não foram porque o ser humano tingiu de sangue este legado. Triste contradição.   O texto de Fabiana Toledo de Oliveira, editora-chefe da Revista BBC História constata essa triste contradição ao destacar os conflitos ocorridos ao longo do século XX. Das alternativas abaixo somente uma não se refere a um conflito ocorrido no século 20, embora tenha provocado grande impacto nas relações internacionais. Assinale-a:
  22. 22. FUVEST 1991
    "Desde a 0h de hoje (20h de ontem em Brasília), existe uma só Alemanha. O hasteamento da bandeira alemã de 75 metros no mastro de 45 metros de altura em frente ao Reichstag, prédio do Parlamento, em Berlim, no primeiro minuto deste dia 03, selou a anexação da Alemanha Oriental pela Ocidental. A praça da República, onde fica o Reichstag, estava totalmente tomada. Centenas de milhares de alemães cantaram em coro a canção da Alemanha, hino nacional, para celebrar o fim da divisão do país". (FOLHA DE S. PAULO, Quarta-feira, 03 de outubro de 1990). A notícia anterior refere-se à recente reunificação da Alemanha, que "simboliza a conclusão de uma etapa marcada pela divisão do mundo em blocos geopolíticos desenhados por duas superpotências". No passado, a unificação alemã também foi o principal objetivo da ação política de Bismarck, que, para concretizá-la em 1871, combateu:
  23. 23. UNESP
    Nas últimas décadas do século XIX, na Europa, dois países ainda lutavam pela unidade e pela consolidação de um Estado Nacional. Esses países são:
  24. 24. UNESP 2004
    As unificações políticas da Alemanha e da Itália, ocorridas na segunda metade do século XIX, alteraram o equilíbrio político e social europeu. Entre os acontecimentos históricos desencadeados pelos processos de unificações, encontram-se
  25. 25. UNESP 1991
    O desmonte do muro que dividia a cidade de Berlim e o acordo sobre a reunificação alemã são fatores relevantes para a construção de uma nova Europa. No entanto, a fundação do Estado moderno alemão remonta ao século XIX e se relaciona com a:
  26. 26. UNAMA 2008
    Itália Bela mostre-se gentil e os filhos seus não a abandonarão, senão vão todos para o Brasil, e não se lembrarão de retornar. Aqui mesmo ter-se-ia no que trabalhar sem ser preciso para a América emigrar.   O século presente já nos deixa, o mil e novecentos se aproxima. A fome está estampada em nossa cara e para curá-la remédio não há. A todo momento se ouve dizer: eu vou lá, onde existe a colheita do café. Da canção Itália belle, mostrati gentile, de 1899. (FERREIRA, José Roberto Martins). História: 7ª série. Ed. Reform. São Paulo: FTD, 1997, p. 47)   O documento acima nos remete à:
  27. 27. UFJF 2010
    Nos anos que se seguiram a 1848, o panorama político europeu foi caracterizado pela política das nacionalidades. Foi nesse cenário que ocorreu a formação do Reino da Itália e surgiu o Império Alemão. Sobre os processos de unificação desses países marque V para as alternativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) A busca de unidade política e econômica, como base do desenvolvimento capitalista, favoreceu o fortalecimento do Estado e a integração dos mercados. ( ) Ambos os países tiveram o nacionalismo fortalecido com guerras externas. ( ) A unificação desses estados levou ao desenvolvimento de democracias participativas. ( ) Um passo importante no processo de unificação foi a adoção da Zollverein, que acabou com as barreiras alfandegárias entre os estados germânicos. Marque a sequência CORRETA.
  28. 28. UFPR 2016
    A unificação alemã foi articulada pelo reino da:
  29. 29. UFG 2006
    A unificação italiana, no final do século XIX, ameaçou a integridade territorial da Igreja. Esse impasse resultou
  30. 30. PUC-CAMPINAS 2015
    Teoricamente, o nacionalismo independe do Romantismo, embora tenha encontrado nele o aliado decisivo. Há na literatura do período uma aspiração nacional, definida claramente a partir da Independência e precedendo o movimento romântico. (...) Nem é de espantar que assim fosse, pois além da busca das tradições nacionais e o culto da história, o que se chamou em toda a Europa “despertar das nacionalidades”, em seguida ao empuxe napoleônico, encontrou expressão no Romantismo. Sobretudo nos países novos como o nosso o nacionalismo foi manifestação de vida, exaltação afetiva, tomada de consciência, afirmação do próprio contra o imposto. (Adaptado de: CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira. São Paulo: Martins, 1971. 2 v. pp. 14-15)     O sentimento a que o texto se refere esteve presente nas unificações da Itália e da Alemanha. É correto afirmar que a unificação tardia destes dois Estados provocou profundas transformações no cenário europeu, pois, a partir da unificação,
Gerar PDF da Página
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login