0.5x 1x 1.5x 2x
Química

Teoria Atômica - Modelo Atômico de Dalton

Prof. Igor timer 12:13

Nesta primeira aula online sobre teoria atômica você irá estudar a atomística e os seus modelos atômicos. Verá uma introdução sobre o átomo, seus conceitos e onde pode ser encontrado. Aprenderá também sobre os modelos atômicos sugeridos por diferentes cientistas. Tudo explicado de forma muito didática para facilitar o seu entendimento.

Olá, tudo bem? Eu sou o professor Igor aqui de química do Stoodi e a gente começa agora a parte de química. Uhul! É, verdade. A tão esperada química aí que você provavelmente adora. É ou não, é? Pois é, a química basicamente vai estudar a matéria. A matéria provavelmente você já deve ter ouvido aí que, por definição, é tudo aquilo que tem massa e ocupa um certo lugar no espaço, que pode ser traduzido 'lugar no espaço' como sendo o que tem volume. Então, a matéria é tudo aquilo que tem massa e ocupa um certo lugar no espaço, tem volume e essa é basicamente aquilo que a química vai estudar. A gente sabe então que a química vai olhar para a matéria querendo saber a sua composição e depois evidentemente de saber a sua composição, ela vai discutir como é que ela vai ser transformada, como é que a matéria pode ser transformada através das reações químicas. Bom, a matéria hoje, a gente sabe, é muito simples se a gente fizer a pergunta aí para vocês: " olha do que é constituída a matéria? Do que é constituída todas as coisas que nós conhecemos atualmente?" É simples falar que a matéria, ela é constituída por átomos. É simples hoje, porque você já ouviu essa história faz muito tempo e várias vezes o pessoal fala que a matéria é constituída por átomo. Mas isso aí demorou um certo tempo para a gente conseguir entender do que era constituída realmente a matéria. Bom, átomo, quem cunhou esse termo 'átomo' foram dois filósofos, mais ou menos 400 anos antes de Cristo: o Demócrito e o Leucipo. Então, quando se fala aí no tal do átomo, se remete ao termo inicialmente a Demócrito (vou colocar aqui pra gente) e o seu querido Leucipo. Isso a 400 anos antes de Cristo, correto? Bom, átomo na verdade, a gente pode separar o termo para entender. Como é que esses dois filósofos chegaram a essa conclusão de que a matéria é constituída por átomos? Então nós podemos falar que no caso é que o 'a' é uma partícula de negação. Pois é, significa 'não'. Enquanto 'tomo' ou 'tomos', eu acho que você já deve ter ouvido alguma palavra com 'tomo', né? Além de átomos, você deve ter aí o pessoal que quer fazer medicina, então fala da tomografia, né? Também da medicina lembra se lá daquela cirurgia nas mamas, para quem infelizmente é acometido por um câncer de mama, a tal da mastectomia. É esse termo 'tomo' aparece não só no átomo, mas em outras palavras. 'Tomo' significa corte, ou então, divisão. A gente pode falar então do 'tomo' como sendo um corte, ou então, divisão. Perceba- se se nos juntarmos então, o termo 'átomo' significa algo não cortável ou algo não divisível. Demócrito e Leucipo, como eram filósofos, imaginavam que a matéria era constituída por partículas não divisíveis. Se nós pegarmos um pedaço da matéria, por exemplo, esse giz e formos aí dividindo e dividindo, dividindo, chegaria em um pedaço tão pequeno, tão diminuto, que a gente não mais conseguiria dividir chamado então de átomo. Então, Demócrito e Leucipo cunharam esse termo, inicialmente falando que a matéria era constituída de partículas não cortáveis e não divisíveis. Pois muito bem, essa história fica perdida no tempo e a gente sabe que é constituído por átomo, mas vai passar muito tempo até que outros - agora sim cientistas, não mais filósofos - cientistas começassem novamente a pensar na constituição da matéria e criaram então os tais modelos atômicos. É importante que a gente pare nesse momento e entenda o que é o termo 'modelo' para química ou para a ciência de um modo geral. O modelo é uma tentativa de você explicar uma observação ou então alguma coisa que você fez experimento no laboratório, e então pra que a gente consiga entender o que está acontecendo ali dentro. Tá certo? O modelo não quer dizer que significa a verdade absoluta, mas é algo que quer indicar aquilo que está aí acontecendo. Ao longo da história da ciência, ao longo do tempo, evidentemente, esses modelos eles vão sendo trocados, substituídos, não necessariamente por existir erros, mas por perceber que essa situação, ela foi modificada. O aparelho então é mais sofisticado hoje. Ele consegue perceber coisas que ontem a gente não conseguia mais. Então, o modelo vai sendo trocado e vai sendo então refinado. Perceba que muitas vezes a gente fala assim: "o modelo estava errado e então trocou-se o modelo." Não é bem assim, né? As coisas foram evoluindo e os modelos foram trocados, assim como acontece com a moda. O modelo de uma época diferente da outra, mas aí os modelos vão mudando. Não sei, mas a gente pode fazer essa comparação. O primeiro modelo atômico que a gente estuda é o modelo atômico do Dalton. Dalton, o termo talvez você já deve ter ouvido naquele, naquela situação de você não conseguir ou confundir as cores, o tal do 'daltonismo'. O Dalton é o primeiro caso de daltonismo. Ele mesmo se diagnosticou. Ele falou assim "Ixi, o pessoal fala que é essa cor e eu tô vendo é outra cor, ou então bagunço todas as cores". O primeiro caso de daltonismo descrito foi o próprio Dalton. Ele era daltônico. Pois muito bem, o modelo atômico dele, ele imaginou, também aqui só baseado no campo das ideias, ele era meteorologista, estava estudando os gases na atmosfera e a sua composição e ele precisava de um modelo, algo que pelo menos ele conseguisse falar: " Olha, o meu modelo é assim, então vamos pensar que uma reação química ou uma interação acontece deste modo ou então do outro". Ele não tinha algo que era muito palpável. Ele teve que criar esse modelo para tentar explicar algumas coisas. Ele imaginava que o átomo era algo esférico, maciço, indivisível, indestrutível e imutável. Então, basicamente, a ideia do modelo atômico de Dalton é um modelo esférico. Então nós podemos falar que o modelo atômico de Dalton é o modelo conhecido por bola, bola de bilhar. E nem vem me perguntar se nessa época já existia o bilhar, né? "Não, não. Dalton primeiro inventou o bilhar para depois inventar o modelo atômico." Brincadeiras à parte aí, claro, o bilhar já tinha sido inventado. O modelo bola de bilhar. Cara, todo mundo sabe que o modelo atômico de Dalton é o modelo bola de bilhar. Saber isso é saber bastante. É verdade. Mas a gente tem que ir sempre um pouquinho a mais. A gente consegue descrever então esse modelo bola de bilhar um pouquinho melhor. Olha, se é bola, evidentemente o meu modelo tem que ser quadrado, né? 'Claro que não né, Igor.' Esse modelo bola é um modelo esférico. Uma bola de bilhar então, ótimo modelo também descrito como sendo maciço. Beleza. E mais, uma bola de bilhar dificilmente você consegue quebrar, dificilmente você consegue dividir ou então cortar. Então, essa a ideia do átomo não divisível ainda continua ali na história do modelo atômico do Dalton. É um modelo então, indivisível. A gente pode falar indivisível, indestrutível e também imutável. Bom, sabendo isso, sabemos ainda mais. Bola de bilhar então, é um modelo atômico do Dalton, um modelo esférico, maciço, indivisível. Algumas coisas mais que o Dalton propôs nesse modelo atômico: átomos que são iguais, ou seja, aqueles que possuem o mesmo tamanho (então por isso átomos iguais) e mesma massa. Eles compõem o mesmo elemento químico. Vale um parêntese aqui, só um momento, tá? Falar elemento químico é falar átomo? Muitas vezes os alunos falam que é tudo igual. Na verdade não. O elemento químico é a reunião, por enquanto neste momento, de átomos que eram átomos iguais. Então perceba que o átomo forma um conjunto que, se forem eles de mesmo tamanho e mesma massa, correto, que é chamado de elemento químico. Então, se nós pensarmos nessa ideia aqui, todos os átomos que tiverem, por exemplo, este tamanho e essa massa compõem o elemento químico chamado de hidrogênio. Estou dando só um exemplo aqui, né? O nosso querido hidrogênio. Pronto. Agora, se eu tiver um outro átomo desse tamanhão e uma massa evidentemente maior do que o outro, já não pode mais ser chamado de átomo do elemento químico hidrogênio, porque não? Porque átomos de diferentes tamanhos e massa, átomos diferentes então, pertencem a elementos químicos diferentes. Aqui é a representação, por exemplo, do átomo de oxigênio. Pois é, então átomos de mesmo tamanho e mesma massa pertencem ao mesmo elemento químico, porém, átomos de tamanhos diferentes e massas diferentes formam evidentemente elementos diferentes. Bom, reações químicas do ponto de vista do modelo atômico de Dalton, já que ele tem um modelo maciço, indivisível, indestrutível e imutável, eu não consigo quebrar e transformar esse átomo num outro. Uma reação química, a transformação aqui da matéria, segundo Dalton, era dada pela reorganização, um rearranjo dos átomos que se encontravam naquilo que é chamado de reagente em relação aos seus produtos. Então perceba, é uma reorganização. Tudo que está antes precisa estar evidentemente depois. Se eu só reorganizo, eu não quebro, eu não formo. É, esse modelo atômico de Dalton é interessante que valida as leis de Proust, principalmente a Lei de Lavoisier, que se baseou bastante aí. São chamadas as leis ponderais, que a gente vai estudar mais para frente quando estivermos observando as transformações químicas nos cálculos químicos. O Lavoisier você conhece a frase dele, né? "Na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma." Se você interpretar bem essa frase, na natureza nada se cria, nada se ... me perdi. Na natureza nada se cria, nada se forma, tudo se transforma. Enfim, tudo o que entra, deve sair. No final das contas, tudo o que entrou, saiu, só porque reorganizou os átomos. Então, o modelo atômico de Dalton, o interessante é que ele valida a história do Lavoisier. Aquela frase célebre lá do Lavoisier é validada pelo modelo atômico de Dalton. Além de Proust, a gente vai ver mais para frente que é a relação das proporções definidas. Eu sempre tenho que manter uma proporção correta para a formação aí dos produtos. Então, se dois com quatro dá seis, se eu dobrar esses valores eu vou ter que ter sempre essa mesma proporção para uma mesma reação química, mas isso é um papo mais para frente. O importante é lembrar que, se reorganiza, os átomos que entram saem em mesma quantidade e válida a história do tio tio Lavoisier. Tá certo? Então ficamos aí com o nosso modelo atômico de Dalton. A figura que a gente pode observar é uma bola de bilhar, então um modelo que é esférico, bolhinhas aqui, indivisíveis, indestrutíveis e imutáveis, maciços. Átomos iguais, o mesmo elemento químico. Átomos diferentes, elementos químicos diferentes. Tudo bem? Bom, na próxima aula eu vou te mostrar o próximo modelo atômico estudado pela química que é o modelo de Thompson. Perceba que até o momento nós não falamos de cargas elétricas. É a partir do modelo atômico de Thompson e algumas observações experimentais que a gente consegue a determinação de cargas elétricas naquilo que compõe a matéria. Eu te encontro lá na próxima aula então. Tchau.

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.