Resumo de Dinâmica das Populações e Comunidades - Biologia

Quer estudar Dinâmica das Populações e Comunidades? Aqui no Stoodi você encontra resumos grátis de Biologia que podem ser salvos em PDF para ajudar na sua preparação para o Enem e principais vestibulares.

AULA 1

Visão Geral

Assistir aula

População

Conjunto de indivíduos da mesma espécie que ocupa um determinado espaço em dado um período de tempo.

 

Densidade populacional

Relação existente entre o número de indivíduos de uma população e a área ou volume ocupado por esta.

 

Fatores que influenciam a densidade populacional

  • Natalidade (N) - número de nascidos em dado período;

  • Mortalidade (M) - número de mortes em dado período;

  • Imigração (I) - número de indivíduos que chegam em uma população;

  • Emigração (E) - número de indivíduos que deixam uma população.


http://pt.slideshare.net/fabriciozw/dinamica-populacional

AULA 2

Curvas de Crescimento Populacional

Assistir aula

http://desconversa.com.br/wp-content/uploads/2015/02/Sem-t%C3%ADtulo48.jpg
http://desconversa.com.br/biologia/biologia-relacoes-ecologicas-e-dinamicas-de-populacoes/


Curva em J:

Curva de crescimento exponencial devido a ausência de fatores de resistência ambiental. Representa um crescimento hipotético cujas condições ambientais são ideais.


Curva em S:

Curva de crescimento real, resultado do potencial biótico (curva em J) menos os fatores de resistência do meio ambiente.


Fatores que regulam o crescimento populacional:

  • disponibilidade de espaço;

  • disponibilidade de alimento;

  • clima;

  • alterações na estrutura do ecossistema;

  • predatismo;

  • parasitismo;

  • competição intraespecífica;

  • competição interespecífica.

AULA 3

Curva de Crescimento Populacional Humano

Assistir aula

Evolução biológica e cultural humana:

  • homem caçador-coletor;

  • da vida nômade às primeira civilizações;

  • cultura, ciências e medicina;

  • consequências do crescimento excessivo.

 

Estratégias para o controle do crescimento excessivo:

  • planejamento familiar;

  • métodos contraceptivos;

  • movimento migratórios para regiões de baixa densidade.

AULA 4

Relações Ecológicas: Visão Geral

Assistir aula

Conceito:

Interações entre seres vivos de uma comunidade.

 

Tipos de interações ecológicas:

Quanto aos seres envolvidos:

  • Intraespecífica: ocorre entre indivíduos da mesma espécie;

  • Interespecífica: ocorre entre indivíduos de espécies diferentes.

Quanto ao resultado da interação ecológica:

  • Harmônica: ocorre benefício mútuo (+,+); benefício parcial sem prejuízo do outro (+,0); sem prejuízos mútuos (0,0);

  • Desarmônica: ocorre banafício parcial com prejuízo para o outro (+,-); prejuízo mútuo (-,-).

AULA 5

Relações Ecológicas: Intraespecíficas

Assistir aula

Relações harmônicas:

a) Colônia:

  • Benefício mútuo (+,+);

  • Dependência anatômica entre os participantes;

  • A separação pode levar à morte dos participantes;

  • Pode ser:

    • Isomorfa: associados são morfologicamente semelhantes. Ex.: corais;

    • Heteromorfa: associados são morfologicamente diferentes. Ex.: caravela-portuguesa.

b) Sociedade:

  • Benefício mútuo (+,+);

  • Independência anatômica entre os participantes;

  • Organização cooperativa;

  • Pode ser:

    • Regular - com divisão de trabalho. Ex.: cupins, abelhas e formigas;

    • Irregular - sem divisão de trabalho. Ex.: cardume de peixes.

c) Reunião:

  • Benefício mútuo (+,+);

  • Independência anatômica entre os participantes;

  • É um agrupamento temporário;

  • Ex.: crocodilos.

 

Relações desarmônicas:

a) Competição intraespecífica:

  • Prejuízo coletivo (-,-);

  • Disputa por alimento, espaço ou acasalamento;

  • Ex.: a maioria das espécies.

b) Canibalismo:

  • Prejuízo coletivo (-,-);

  • Um indivíduo ataca, mata e se alimenta de outro da mesma espécie;

  • Ex.: gafanhotos, aranha viúva-negra, ratos.

AULA 6

Relações Ecológicas: Interespecíficas Harmônicas

Assistir aula

a) Mutualismo ou simbiose:

  • Benefício mútuo (+,+);

  • Dependência anatômica entre os participantes;

  • Coexistência obrigatória;

  • Ex.: liquens (fungos + algas) / herbívoros e protozoários /  homem e microbiota intestinal.

b) Protocooperação:

  • Benefício mútuo (+,+);

  • Independência anatômica entre os participantes;

  • Coexistência não-obrigatória;

  • Ex.: jacaré e pássaro-palito / gado e pássaro anu /  caranguejo-eremita e anêmona-do-mar.

c) Comensalismo:

  • Benefício parcial (+,0);

  • Um indivíduo alimenta-se dos restos alimentares deixados por outro sem prejudicá-lo;

  • Ex.: tubarão e rêmoras / leões e hienas.

d) Inquilinismo:

  • Benefício parcial (+,0);

  • Um indivíduo utiliza outro como abrigo ou suporte sem prejudicá-lo;

  • Ex.: peixe fierasfer e pepino-do-mar.

e) Epifitismo:

  • Benefício parcial (+,0);

  • Uma planta utiliza outra como abrigo ou suporte sem prejudicá-la;

  • É muito comum em florestas fechadas onde há disputa por luz;

  • Ex.: árvores e bromélias.

f) Foresia:

  • Benefício parcial (+,0);

  • Um associado utiliza o outro como meio de transporte sem prejudicá-lo;

  • Ex.: mamíferos e carrapicho.

AULA 7

Relações Ecológicas: Interespecíficas Desarmônicas

Assistir aula

a) Competição interespecífica:

  • Prejuízo coletivo (-,-);

  • Ocorre sobreposição de nichos ecológicos (“Princípio de Gause”);

  • Disputa por alimento ou espaço;

  • Ex.: gafanhoto e gado.

b) Predatismo ou predação:

  • Benefício parcial com prejuízo do outro (+,-);

  • Um indivíduo ataca, mata e se alimenta de outro de espécie diferente;

  • A espécie beneficiada é denominada predadora e a prejudicada, presa;

  • Adaptações do predatismo: mimetismo, camuflagem e aposematismo;

  • Ex.: leões e zebras / gaviões e cobras.

c) Herbivorismo ou herbivoria:

  • Benefício parcial com prejuízo do outro (+,-);

  • Um animal utiliza um vegetal como   fonte de alimento;

  • Ex.: gafanhotos e plantas / gado e plantas;

  • Obs: Segundo a classificação atual, quando um herbívoro alimenta-se do vegetal por completo é herbivorismo, quando alimenta-se parcialmente denomina-se parasitismo e quando o alimento é a semente, predatismo.

d) Parasitismo:

  • Benefício parcial com prejuízo do outro (+,-);

  • Uma espécie (parasita) vive as custas de outra (hospedeiro) causando-lhe prejuízos;

  • Tipos de parasitas:

    • Endoparasitas: homem e tênia;

    • Ectoparasitas: gado e carrapatos;

    • Hemiparasitismo: parasita parcialmente dependente do hospedeiro;

    • Holoparasitismo: parasita completamente dependente do hospedeiro.

e) Esclavagismo ou sinfilia:

  • Benefício parcial com prejuízo do outro (+,-);

  • Uma espécie utiliza outra como escravo para sua necessidades;

  • Ex.: formigas e pulgões.

f) Amensalismo:

  • Benefício parcial com prejuízo do outro (+,-) ou ausência de banefício com prejuízo para o outro (0,-);

  • Uma espécie (amensal) produz e secreta substâncias que são tóxicas a outras espécies;

  • Ex.: maré-vermelha / fungo Penicillium e bactérias.

AULA 8

Relações Ecológicas: Camuflagem, Mimetismo e Mimecria

Assistir aula

Camuflagem:

Ocorre quando uma espécie se confunde com o meio físico onde vive.

Tipos:

  • Homocromia: semelhança na cor. Exemplo: gafanhoto;

  • Homomorfia: semelhança pela forma.Exemplo: bicho-pau.

 

Mimetismo:

Ocorre quando uma espécie se assemelha a outra que vive em seu meio. Exemplo: borboleta-coruja.

 

Mimecria:

Ocorre quando uma espécie se assemelha a outra pela cor ou cheiro. Exemplo: falsa-coral.

AULA 9

Sucessão Ecológica

Assistir aula

Conceito:

Sequência de mudanças pelas quais passa uma comunidade ao longo do tempo.

 

Tipos de sucessão ecológica:

  • Primária: é aquela que tem início em um ambiente virgem ou inóspito. Exemplos: rocha nua / duna de areia;

  • Secundária: é aquela que tem início em um ambiente anteriormente colonizado e que preserva condições mínimas para o reestabelecimento de uma comunidade. Exemplos: campo de cultivo abandonado / floresta após queimada.

 

Etapas de sucessão ecológica:

  • I. Ecese: invasão do meio ambiente descolonizado por organismos pioneiros. Exemplos: líquens (sucessão primária) e gramíneas (sucessão secundária);

  • II. Sere: período de alterações rápidas na comunidade, alterando consideravelmente o ambiente;

  • III. Climáx: fase de estabilidade e maturidade da comunidade, ou seja, com poucas alterações na estrututa do ambiente.

AULA 10

Sucessão Ecológica: Análise de Eventos

Assistir aula

 ECESESERECLÍMAX
PB (PRODUTIVIDADE BRUTA)pequenaaumenta gradualmenteelevada
PL (PRODUTIVIDADE LÍQUIDA)elevadadiminui gradualmentepequena
BIOMASSApequenaaumenta gradualmenteelevada
BIODIVERSIDADEpequenaaumenta gradualmenteelevada
TAXA RESPIRATÓRIApequenaaumenta gradualmenteelevada

RELAÇÃO P/R (PRODUÇÃO/RESPIRAÇÃO)

maior que 1aproxima-se a 1igual a 1
ESTABILIDADEpequenaaumenta gradualmenteelevada
NÍVEIS TÓFICOS E RELAÇÕES ECOLÓGICASpequenaaumenta gradualmenteelevada
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.