Resumo de Reprodução e Variabilidade Genética - Biologia

Quer estudar Reprodução e Variabilidade Genética? Aqui no Stoodi você encontra resumos grátis de Biologia que podem ser salvos em PDF para ajudar na sua preparação para o Enem e principais vestibulares.

AULA 1

Introdução

Assistir aula

Reprodução: tem a função de perpetuar a espécie. O processo pode ou não envolver variabilidade genética.

Variabilidade Genética:representa a mistura de material genético.

AULA 2

Reprodução e hereditariedade

Assistir aula

Hereditariedade

  • Condição de semelhança genética e morfológica existente entre ancestrais (geração parental) e descendentes (geração filial).

 

Reprodução

  • Mecanismo ou ação que garante a hereditariedade em uma espécie biológica;

  • Tipos: assexuada e sexuada.

 

Vantagens de cada modalidade reprodutiva

  • Assexuada: rápida, não necessita de parceiros e conserva integralmente a informação genética parental nos descendentes;

  • Sexuada: viabiliza a variabilidade genética, aumenta as possibilidades genéticas para a ação dos agentes seletivos do ambiente.

 

Desvantagens de cada modalidade reprodutiva

  • Assexuada: não viabiliza a variabilidade genética da população, reduzindo as chances de sobrevivência de espécie frente aos fatores seletivos do ambiente;

  • Sexuada: lenta, exige parceria e maturação de estruturas e células reprodutivas.

AULA 3

Reprodução em procariontes

Assistir aula

Reprodução assexuada em procariontes

  • Divisão binária ou cissiparidade: divisão celular simples (amitose).

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\divisão binária.jpg

 

Reprodução sexuada em procariontes

  • Conjugação: presença de bactéria doadora de DNA (ou bactéria positiva) e de bactéria receptora de DNA (ou bactéria negativa). A bactéria receptora passa a ter uma nova composição genética, que é passada aos descendentes após a divisão binária;

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\conjugação bacteriana.png

  • Transdução bacteriana: transferência de DNA de uma bactéria para outra com a ajuda de um vírus bacteriófago. A bactéria receptora do segmento de DNA torna-se geneticamente diferente do seu estado inicial, passando essa nova comibação genética para os descendentes;

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\transdução bacteriana-01.png

  • Transformação bacteriana: absorção de fragmentos de DNA externos que são incorporados à bactéria, tornando-se geneticamente diferente do seu estado original.

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\transformação bacteriana.png

AULA 4

Reprodução em unicelulares eucariontes

Assistir aula

Assexuada

1. Cissiparidade ou divisão simples: um organismo gera outros dois, clones da célula-mãe.

2. Esquizogonia ou divisão múltipla: um organismo unicelular original gera vários indivíduos.


Disponível em: http://images.slideplayer.com.br/16/5020409/slides/slide_6.jpg

 

Sexuada

Conjugação: Troca de material genético entre dois indivíduos. Por conterem carioteca, os eucariontes trocam seus micronúcleos que depois compõem o macronúcleo, aumentando assim a variabiliadade genética.

AULA 5

Reprodução sexuada em pluricelulares I

Assistir aula

Conceitos básicos

  • Gametas: células haploides especializadas na reprodução; quanto à morfologia e mobilidade dos gametas, temos: isogamia (mesmo tamanho e amos são móveis), heterogamia (possuem tamanhos diferentes, mas ambos são móveis), e oogamia (tamanhos diferentes e apenas o masculino é móvel);

  • Fecundação: encontro dos gametas. É dividida em: fertilização (fusão das membranas plasmáticas dos dois gametas) e cariogamia ou anfimixia (fusão nuclear);

  • Zigoto: célula diploide originada após a fecundação.

 

Reprodução sexuada em algas talófitas

  • A reprodução sexuada em algas pluricelulares faz parte do ciclo de vida chamado haplodiplobionte;

  • Reprodução sexuada em algas com talos haploides. Exemplo: Ulva lactuca;

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\Algas ULVA LACTUCA.PNG

  • Reprodução sexuada em algas com talos diploides. Exemplo: Laminaria sp.

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\alga laminaria.png

 

Reprodução sexuada em fungos pluricelulares

  • A reprodução sexuada em fungos pluricelulares faz parte do ciclo de vida denominado haplobionte haplonte;

  • Exemplos: cogumelos Amanita pantherina (basidiomiceto), bolor-de-pão Rhizopus (zigomiceto) e trufas (ascomiceto).

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\Fungos basidiomicetos.png

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\Fungos zigomicetos.png

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\Fungos ascomicetos.png

AULA 6

Reprodução sexuada em pluricelulares II

Assistir aula

Visão geral da reprodução sexuada em plantas

  • Presente no ciclo de vida haplodiplobionte;

  • Gametófito (n): produz gametas por mitose;

  • Briófitas e Pteridófitas possuem oogamia (oosfera e anterozoide).

 

Briófitas e Pteridófitas

  • Dependência da água para fecundação;

  • Zigoto e embrião formam-se no arquegônio.

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\reproducao briofitas.jpg

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\reproducao pteridofitas.jpg

 

Gimnospermas e Angiospermas

  • Independência da água para fecundação;

  • Presença de grão de pólen e tubo polínico.

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\reproducao gimnospermas.jpg

C:\Users\Professores\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCacheContent.Word\reproducao angiospermas.jpg

AULA 7

Reprodução sexuada em pluricelulares III

Assistir aula

Visão geral da reprodução sexuada em animais

  • Os animais apresentam ciclo de vida haplobionte diplonte com meiose gamética, ou seja, utilizada para a produção de gametas;

  • Nos animais há oogamia, onde o gameta masculino, chamado espermatozoide é pequeno e flagelado, enquanto o gameta feminino, chamado óvulo, é grande e imóvel;

  • Há espécies animais dioicas, como macho e fêmeas distintos, e espécies monoicas, ou seja, seres bissexuados ou hermafroditas;

  • Quanto a fecundação: pode ser do tipo autofecundação (exclusiva de espécies monoicas) ou fecundação cruzada (podendo ocorrer tanto em monoicos quanto em dioicos).

 

Quanto ao local da fecundação e desenvolvimento embrionário

  • Animais ovulíparos: liberam seus gametas na água, sendo a fecundação e o desenvolvimento externos;

  • Animais ovíparos: possuem fecundação interna e desenvolvimento externo (no interior de um ovo com casca);

  • Animais ovovivíparos: possuem fecundação e desenvolvimento internos, porém no interior de um ovo com casca;

  • Animais vivíparos: possuem fecundação e desenvolvimento internos, porém o filhote mantém-se vinculado diretamente à mãe.

 

A partenogênese e a pedogênese

A partenogênese caracteriza-se como uma modalidade reprodução em que o óvulo não fecundado dá origem a um embrião haploide. Ocorrem em algumas espécies de insetos e répteis.

AULA 8

Reprodução assexuada em pluricelulares

Assistir aula

Multiplicação Vegetativa: Diferenciação de estruturas vegetativas.Ex: cenoura, batata.

Proliferação vegetativa:desenvolvimento de rizoma em folhas e raízes. Acontece em angiospermas.

Gemulação: formação de novos organismos a partir de gemas de caules (estolhos).Ex: Boldo.

Estrobilização: formação de estróbilos a partir do desprendimento de um organismo principal. Ex: pólipos e medusas.

Brotamento:formação de um broto a partir do organismo original, com ou sem desprendimento. Ex: poríferos.

Fragmentação: formação espontânea ou acidental de novos indivíduos a partir do original. Ex: fungos.

Partenogênese:formação de novos indivíduos (haploides) a partir de mitoses diversas em núcleo gamético não fecundado. Ex: abelhas.

Apomixia:desenvolvimento de embrião no ovário a partir de célula somática do óvulo sem união de gametas. Acontece em angiospermas.

AULA 9

Ciclos de vida

Assistir aula

Ciclo diplobionte ou diplonte: Organismos diploides tem fase duradoura, e a fase haploide (haplofase) caracteriza-se por gametas formadores de organismos diploides. Comum em animais.

Ciclo haplobionte ou haplonte: Organismos haploides tem fase duradoura, e a fase diploide (diplofase)caracteriza-se por organismo que, por meiose, gera organismos diploides. Comum em alguns fungos e algas.

Ciclo haplodiplobionte ou haplodiplonte ou metagênese: Organismos diploides e haploides alternam-se durante o ciclo, por isso também é chamado dealternância de gerações. Comum de plantas.

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.