Fases do Capitalismo - Geografia - Resumos em pdf para download

Mercantilismo / Liberalismo

Economia de mercado

As características do capitalismo como conhecemos são resultantes de vários séculos de construção de processos associados ao lucro e à ideia de economia de mercado, especialmente através da formação de redes de comércio.

 

Formação do mercantilismo

As trocas comerciais e as necessidades crescentes de busca por matérias-primas ou novos mercados ajudaram a estimular as relações mercantilistas.

  • Rotas comerciais:redes de comércio entre a Europa, o Oriente Médio e a Ásia que já existiam antes das navegações europeias a partir do século XV;

  • Áreas urbanas:cidades que formavam entrepostos comerciais importantes e estimularam a negociação e as trocas comerciais;

  • Navegações:as incursões europeias expandiram a formação de novas áreas comerciais e as trocas mercantis;

  • Metalismo: a acumulação de metais preciosos (ouro, prata, diamante, etc.), vista como fundamental para a riqueza de nações;

  • Matérias-primas:com a necessidade de acumular riqueza, a busca por matérias-primas em diferentes partes do mundo tornou-se fundamental.

 

Características

Mercantilismo
Estado forteO surgimento de Estados nacionais associado à acumulação de riquezas e à expansão comercial.
Recursos naturais/matérias-primasFontes materiais para fortalecer o mercantilismo.
AcumulaçãoFenômeno importante para as ideias de lucro e riqueza no capitalismo.
ProtecionismoPara fortalecer o mercado interno.
Comércio exteriorApesar do protecionismo, o comércio externo é estimulado (especialmente entre metrópoles e colônias).
Balança comercialBusca por um resultado positivo (superavitário).
TransiçãoContribuições de holandeses e ingleses para a formação do liberalismo econômico e do capitalismo industrial.


Contribuições para o Liberalismo

  • Industrialização:a mudança de um sistema de manufaturas para o modelo industrial, associado à formação de complexas sociedades urbanas;

  • Iluminismo: corrente de pensamento que estimula a ciência e as inovações;

  • Revoluções:a Revolução Americana e a Revolução Francesa foram, também, necessidades de mudanças políticas e econômicas;

  • Crescimento urbano:mais pessoas começam a viver em cidades;

  • Mercado consumidor:as socidedades urbanas e industriais, com novas necessidades de consumo.

 

Liberalismo: características

Liberalismo
PropriedadeprivadaAssociada ao direito de propriedade e à prevalência do individualismo.
Livre iniciativaO comércio, os empreendimentos e as ideias partindo de outros agentes que não apenas o Estado.
Estado mínimoMínima interferência do Estado e maior liberdade para o mercado.
DemocraciasDireitos e deveres, com maiores liberdades individuais e escolha de representantes.
Livre comércioReduzir as barreiras alfandegárias e facilitar as trocas comerciais.


Consequências

  • Mudanças políticas e nas relações internacionais;

  • Expansão do capital:o capitalismo liberal expandiu sua influência sobre o comércio mundial, estimulando a formação de novos mercados consumidores e o fim do sistema colonial mercantilista.

Do Keynesianismo ao Neoliberalismo

Liberalismo

A experiência da Revolução Industrial e a expansão econômica derivada do surgimento de novos mercados consumidores e do fim do antigo sistema colonial contribuíram para a ampliação do capitalismo industrial.

  • Segunda Revolução Industrial:novos países passam a industrializar-se (Estados Unidos, França, Japão, Itália, Alemanha), principalmente na segunda metade do século XIX;

  • Novas economias: o fim do Pacto Colonial e da escravidão estimulou o surgimento de novos mercados consumidores;

  • “Partilha” da Africa:o continente passa a ser uma fonte estratégica de recursos naturais para sustentar o crescimento econômico das potências europeias;

  • Taylorismo:modelo de produção baseado na eficiência, na aplicação científica e no controle da produção;

  • Fordismo:influenciada pelo taylorismo, com a produção em massa;

  • Primeira Guerra Mundial:após o final do conflito, supremacia dos EUA na economia mundial.

    • Superprodução e crise de 1929:colapso e necessidade de novas políticas econômicas.

 

Keynesianismo

O colapso de 1929 e a necessidade de mudanças na condução de políticas socioeconômicas permitiram que o modelo de Keynes ganhasse terreno.

  • Espírito animal:para Keynes, a ideia de lucro a qualquer preço dotava a classe empresarial de aspectos negativos que punham o sistema econômico e o bem-estar social em risco;

  • Intervenção do Estado:é necessária para conter os aspectos negativos do capitalismo;

  • Bem-estar social: estímulos do Estado para promover equidade social e a ampliação do acesso ao mercado de consumo;

  • Pós-Segunda Guerra: a supremacia dos EUA gerou grande crescimento econômico, embora com o surgimento da URSS como uma nova força e a Guerra Fria;

  • Crise dos anos 1970: mudanças nas políticas econômicas influenciadas pelas ideias keynesianas.

 

Neoliberalismo: elementos

  • Globalização;

  • Mercados de capitais: com a venda de ações de empresas, por exemplo;

  • Virtualização:relações e fluxos econômicos cada vez menos dependentes de meios materiais;

  • Consenso de Washington:orientações para que países com problemas econômicos (como o Brasil nos anos 1980 e 1990) adotassem medidas neoliberais.

Neoliberalismo: Características e Consequências

Raízes liberais

Os choques do petróleo nos anos 1970 e a dificuldade de manutenção das políticas de bem-estar social orientaram as mudanças nas ações dos Estados nacionais.

  • Personagens

    • Escola de Chicago: corrente de pensamento que disseminou as ideias neoliberais;

    • Pinochet: em seu governo, o ditador chileno contou com economistas que pusessem em prática as ideias neoliberais;

    • Margaret Thatcher:a primeira-ministra inglesa adotou medidas neoliberais para conter os gastos públicos e reduzir o tamanho do Estado;

    • Ronald Reagan:o presidente dos EUA também adotou políticas neoliberais e orientou outras nações a fazer o mesmo;

  • Políticas neoliberais:para diminuir o tamanho das estruturas do Estado, reduzindo gastos, e aumentando o grau de liberdade econômica com a mínima intervenção estatal;

  • Consenso de Washington: orientações que reforçaram a necessidade de práticas neoliberais para o crescimento econômico.

 

Benefícios e prejuízos

  • Papel da globalização:as disparidades socioeconômicas derivadas dos diferentes níveis de integração global, ou mundialização;

  • Situação diante do fim da bipolaridade:incertezas sobre a supremacia total dos EUA diante de novos atores(a União Europeia ou os BRICS, por exemplo).

Guerra Fria

Superpotências do pós-II Guerra

O pós-Segunda Guerra trouxe à tona duas novas superpotências que saíram fortalecidas do conflito, representando, por um lado, o espaço capitalista dos EUA e, por outro, o espaço socialista representado pela URSS.

 

Fatores

  • Surgimento de dois complexos industriais-militares: a ameaça de novos confrontos sustentou o crescimento de parques industriais.

    • EUA: 60% da capacidade industrial do planeta e 50% do PIB mundial;

    • URSS:maior território do mundo;

  • Armas nucleares: tecnologia e testes nucleares constantes que punham em ameaça as relações de paz em escala internacional;

  • Centros políticos e ideológicos: as duas nações buscaram influenciar os benefícios de seus sistemas e tornaram-se os centros do mundo bipolar.

 

Por que não foi uma “Guerra Quente”

  • MDA (Mútua Destruição Assegurada):jogo de soma zero, ou seja, não haveria vencedores diante de um confronto total;

  • Cortina de Ferro:elemento de separação entre mundo capitalista e socialista, representado principalmente pelo Muro de Berlim;

  • Corrida armamentista:o complexo industrial-militar e as ameaças estimularam uma busca por armas cada vez mais sofisticadas e tecnologias capazes de superar qualquer possível inimigo;

  • Propaganda: meio de persuasão para divulgar os benefícios de cada sistema;

  • Auxílio Financeiro:estímulos para atrair política e ideologicamente aliados;

  • 1991: fim da Guerra Fria, com a queda da União Soviética e o hasteamento da bandeira da Federação Russa, na noite de 25 de dezembro.

Nova Ordem Mundial

Mundo unipolar, bipolar ou multipolar?

O colapso da União Soviética e o fim da Guerra Fria trouxeram a perspectiva de que os Estados Unidos seriam uma única superpotência. Entretanto, o surgimento de novos atores e as mudanças decorrentes da globalização mais recente colocaram incertezas sobre a unipolaridade.

 

Elementos

  • Globalização: a Divisão Internacional do Trabalho e a Divisão Territorial do Trabalho não respeitam mais de forma unilateral o centralismo entre países centrais e países periféricos;

  • Blocos econômicos:tentativas de fortalecimento através da ação em bloco e da integração regional.

    • Alguns blocos: União Europeia, NAFTA, Mercosul, ASEAN, APEC, ALCA;

    • Acordos bilaterais;

  • Conflitos regionais:encaradas como ameaças à hegemonia de alguns países;

  • Ascensão denovos polos(p. ex., os BRICS).

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.