Resumo de Israel x Palestina - Geografia

Quer estudar Israel x Palestina? Aqui no Stoodi você encontra resumos grátis de Geografia que podem ser salvos em PDF para ajudar na sua preparação para o Enem e principais vestibulares.

AULA 1

Formação Territorial

Assistir aula

Histórico

Por ser o berço de três das maiores religiões do mundo em número de seguidores (cristianismo, islamismo e judaísmo) e em função de questões étnicas, a região que atualmente compreende os territórios de Israel e das áreas em litígio com a Palestina teve suas fronteiras redefinidas por várias vezes.

  • Oscilações políticas:a região intercalou períodos nos quais houve controle de maioria judaica com outros nos quais houve maioria islâmica;

  • Diásporas judaicas:deslocamentos em massa em função de aspectos políticos ou culturais (por exemplo, a diáspora de Moisés do Egito até Israel);

  • Sionismo:necessidade de um Estado está associada à perda da soberania sobre os territórios e tradições judaicas.

    • Pogroms (século XIX/XX): perseguições a judeus, como os ocorridos durante o Império Russo;

    • Tentativas:para a criação de áreas com autonomia política de maioria judaica, como a de Birobidjan, na União Soviética, em 1934;

  • Império Otomano:controle da região (1517-1917).

    • Mandato Britânico da Palestina: com a derrota do Império Otomano após a I Guerra Mundial, o Reino Unido (com intermédio da Liga da Nações) assume o controle da região;

  • 1947:resolução da ONU para definir a criação do Estado de Israel e guerra de independência;

  • 1948:criação do Estado de Israel.

AULA 2

Conflitos (Parte 1)

Assistir aula

Redefinição de 1948

A constituição do Estado de Israel, o reconhecimento por parte da ONU e de várias nações não soluciona as tensões entre judeus e árabes palestinos.

EventoCaracterísticas
Guerra do Suez (1956)Entre Israel (com apoio de franceses e ingleses) e o Egito (que, durante o governo do presidente Nasser, havia nacionalizado o canal administrado pela Inglaterra desde o século XIX).
Bloqueio do porto de Eliat e acesso ao Mar Vermelho (Golfo de Ácaba): controle da Península do Sinai.
Nacionalismo árabe no Egito, com o controle da Península do Sinai (resquícios do conflito árabe-israelense).
Invasão (retaliação): tropas israelenses na Península do Sinai, com apoio do Reino Unido e da França.
União Soviética, aliada do Egito, ameaça militarmente enfrentar as tropas presentes de Israel, do Reino Unido e da França. Um acordo retirou essas tropas do Egito.
Guerra dos Seis Dias (05/06/1967 a 10/06/1967)Envolveu Israel e países árabes, com a tomada de territórios vizinhos, considerados ameaças à soberania.
Áreas de invasão: Colinas de Golã (controle das fontes de recursos hídricos), Península do Sinai (passagem marítima) e Jordânia.

AULA 3

Conflitos (Parte 2)

Assistir aula

EventoCaracterísticas
Guerra do Yom Kipur (1973Egito, Síria e Jordânia tentam retomar os territórios perdidos.
Rápida ação israelense (exército e Mossad) para manutenção dos territórios.
Oposição árabe, por conta do apoio ocidental a Israel.
Boicote árabe e da OPEP aos EUA e a Europa, por apoiarem Israel.
Aumento dos preços em mais de 400% (OPEP, levando à crise do petróleo).
Invasão do Líbano (1982)Invasão israelense no sul do Líbano, para combater grupos da Organização Para a Libertação da Palestina (OLP), que era alegada como ameaça a Israel, com a anuência inicial do Líbano.
Envolveu partes da Síria, que também possuía grupos da OLP.
Revides no norte de Israel.
Intifada (1987)Organização para a Libertação da Palestina (OLP) era contra a presença de Israel em Gaza e na Cisjordânia.
Instabilidade política e práticas terroristas levaram as partes envolvidas a iniciarem conversações para a paz.
Conferência de Madri (1991): cronograma para criação de um Estado palestino.
Acordo árabe-israelense (1994): criação da Autoridade Nacional Palestina (ANP).
Expectativa de transferência gradual de territórios considerados israelenses para a ANP.

AULA 4

Questões Atuais

Assistir aula

Impasses no pós-1994

A criação da Autoridade Nacional Palestina, as expectativas de redefinição pacífica dos territórios e de convivência pacífica entre árabes e judeus esbarraram em alguns pontos importantes.

  • Controle de Jerusalém:considerada sagrada, tanto para judeus quanto para muçulmanos;

  • Mananciais:controle das fontes de recursos hídricos, especialmente nas regiões das Colinas de Golã e da Cisjordânia;

  • Terrorismo: grupos que não aceitavam negociar nos termos dos acordos;

  • Refugiados: palestinos sem um Estado juridicamente reconhecido;

  • Colônias judaicas: compra de terras para a formação de maiorias israelenses, em territórios reivindicados pela ANP;

  • Segunda Intifada (2000): novo movimento em função dos impasses nos acordos, com atuação de grupos políticos (Fatah, Hamas);

  • Muro:construção, de 635 km na fronteira c/ Cisjordânia (2004), provocando o isolamento de territórios com ocupação palestina;

  • 2005:acordo para devolver a Faixa de Gaza para Palestinos;

  • Estado não membroreconhecido pela ONU (2012), embora sem reconhecimento por alguns países;

  • Terrorismo: com os reflexos da atuação de grupos terroristas no Afeganistão, há a influência em práticas terroristas na área.

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.