Quer ter acesso aos nossos resumos completos?

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com conteúdos exclusivos!

Resumo de População - Geografia

Quer estudar População? Aqui no Stoodi você encontra resumos grátis de Geografia que podem ser salvos em PDF para ajudar na sua preparação para o Enem e principais vestibulares.

AULA 1

Teorias Demográficas

Assistir aula

Demografia

A demografia é um dos ramos da geografia destinados às análises da dinâmica populacional.

  • Temas

    • Crescimento;

    • Estrutura etária;

    • Orientação;

    • Condições socioeconômicas.

 

Algumas teorias

  • Malthusiana:no século XVIII, influenciada pelas mudanças na Revolução Industrial

    • Alimentos:crescente em progressão aritmética;

    • População: crescente em progressão geométrica;

  • Neomalthusiana: desenvolvida no contexto do pós-II Guerra, em que se observava o elevado crescimento demográfico em vários países

    • Crescimento da pobreza:associado ao crescimento da população;

    • Maior número de jovens: necessidade de investimentos considerados não-produtivos (educação e saúde, por exemplo);

  • Reformista/marxista:o crescimento populacional elevado é associado à pobreza

    • Necessidade de políticas públicas;

  • Transição demográfica: relacionada às diferentes etapas do crescimento populacional

    • Fase inicial, transição demográfica e fase madura.

AULA 2

População Absoluta e População Relativa

Assistir aula

População em crescimento

O número de seres humanos ultrapassou a marca de 7 bilhões de indivíduos em 2011, segundo dados da ONU.

  • Ásia:maior concentração;

  • América:900 milhões de habitantes;

  • Evolução: levamos cerca de 200 mil anos para atingir um bilhão de pessoas (cerca de 1800), e apenas 200 anos para chegar a sete bilhões;

  • Movimento de cargas: 95% das cargas passam pelas estradas;

  • Pessoas: 60% do movimento das estradas é destinado ao trânsito de pessoas em diferentes modais.

 

População e distribuição

  • Absoluta:total de habitantes em um território;

  • Relativa:densidade demográfica de um território (média do número de habitantes por km²);

  • Brasil: 203 milhões de habitantes (população absoluta) e23,84 habitantes/km² (população relativa)

    • 203.000.000 (população absoluta) ÷ 8.515.767 km² (área)  = 23,84 hab./km² (densidade demográfica).

AULA 3

Tipos de Estrutura de População

Assistir aula

Análise de grupos

Como as pessoas possuem vários aspectos singulares que marcam a diversidade humana, as análises populacionais são feitas, especialmente, através da classificação em grupos, considerando alguns fatores.

  • Condições socioeconômicas;

  • Crescimento, evolução, distribuição;

  • Políticas públicas.

 

Alguns tipos de classificação

  • Faixa etária: idades e fases da vida;

  • Sexo: homens e mulheres;

  • Condições socioeconômicas/classes sociais:

    • Renda;

    • IDH/Coeficiente de Gini.

 

Meios de análises populacionais

  • Tabelas;

  • Gráficos.

AULA 4

Estrutura da População: Crescimento Vegetativo

Assistir aula

Como saber se a população cresce ou diminui?

  • Crescimento vegetativo natural:

Taxa de natalidade – taxa de mortalidade

  • Saldo migratório:

Taxa de imigração – taxa de emigração

 

Interferências sob o crescimento

  • Queda/aumento da natalidade;

  • Queda/aumento da mortalidade;

  • Êxodo rural/êxodo urbano;

  • Padrões socioeconômicos;

  • Distribuição de renda;

  • Conflitos.

AULA 5

Estrutura da População: Taxa de Natalidade e Taxa de Mortalidade

Assistir aula

Crescimento e redução

Ao longo do tempo, a população pode passar por modificações em sua estrutura e na quantidade de indivíduos, em função de interferências.

 

Natalidade

Mortalidade
 

Mortalidade infantil

Número de crianças que morrem na faixa etária de menos de um ano de idade completo.     
 

AULA 6

Estrutura da População: Pirâmides Etárias

Assistir aula

Gráficos

A análise de gráficos é um dos métodos mais úteis para analisar e comparar diferentes estruturas e comportamentos nos ritmos de crescimento da população. Os dados dos gráficos de pirâmides etárias possuem:

  • Sexo:masculino e feminino;

  • Idade: dividida em grupos de faixas etárias.

 

Pirâmides e situação demográfica

  • Fase inicial:base larga e topo estreito

    • Grande número de crianças;

    • Baixo percentual de pessoas em idade mais avançada;

  • Transição demográfica:região intermediária mais alargada

    • Grande número de jovens adultos;

    • Aumento no número de pessoas em idade mais avançada;

  • Fase madura/avançada:base mais estreita e topo mais largo

    • Maior número de adultos em idade mais madura;

    • Maior número de pessoas em idade mais avançada.

AULA 7

População Economicamente Ativa (PEA)

Assistir aula

Habilitadas para o trabalho

A População Economicamente Ativa (PEA) é composta por pessoas que podem executar funções remuneradas.

  • Empregadas ou desempregadas;

  • A partir dos 15 anos de idade (pode haver variações, que dependem dos critérios de cada órgão ou instituição de pesquisa);

  • No Brasil: estimada em mais de 100 milhões de pessoas.

 

Onde podem trabalhar?

  • Setor primário;

  • Setor secundário;

  • Setor terciário

    • Obs: setor terciário é diferente de terceiro setor.

 

Desemprego

  • Estrutural:falta de políticas de emprego e excesso de pessoas no setor primário;

  • Tecnológico:substituição de trabalhadores e mecanização;

  • Conjuntural:cíclico (situação econômica);

  • Temporário:trabalho sazonal;

  • Friccional:mudança de emprego.

 

Fenômenos do desemprego

  • Informalidade;

  • Terceirização.

AULA 8

Indicadores Sociais (IDH)

Assistir aula

Desenvolvimento humano

Os indicadores de desenvolvimento humano têm o objetivo de medir e avaliar o bem-estar e a qualidade de vida das populações, utilizando como critérios, principalmente:

  • Educação;

  • Saúde;

  • Renda;

  • Mais próximo de zero (0,000): menos desenvolvido;

  • Mais próximo de um (1,000): mais desenvolvido.

 

Mudanças em alguns critérios

  • Educação: anos de estudo e expectativa de anos de estudo;

  • Renda:a partir da Renda Nacional Bruta (RNB);

  • Brasil:79º IDH mundial (2014), com IDH de 0,744

    • Noruega: 0,944 (1º);

    • Níger: 0,337 (187º).

AULA 9

Indicadores Sociais (Coeficiente de Gini)

Assistir aula

Inverso ao IDH

  • Mais próximo de zero (0,000): melhor distribuição de renda (distribuição igualitária de renda);

  • Mais próximo de um (1,000): pior distribuição de renda (renda muito concentrada).

 

Diferenças entre IDH e Coeficiente de Gini

  • IDH:desenvolvimento socioeconômico;

  • Gini:equidade baseada especialmente na distribuição de renda.

AULA 10

População: Exercícios

Assistir aula

.

AULA 11

População Mundial

Assistir aula

Crescimento populacional: ritmos diferentes

Estudos estimam que os primeiros seres humanos derivados de outros hominídeos apareceram há cerca de 300 mil anos. O ritmo de crescimento foi relativamente constante, intercalando momentos de aumento com decréscimos significativos.

  • Desde o início da existência humana, é possível que até cem bilhões de pessoas já tenham vivido na Terra.
  • No primeiro ano da Era Cristã, estimativas indicam que algo entre 180 e 300 milhões de pessoas vivam no mundo.
  • Por volta de 1800, atingimos a marca de um bilhão de habitantes.

    A Primeira Revolução Industrial impulsionou a formação de uma sociedade urbano-industrial, que cresceu aceleradamente a partir de 1750.

Fenômenos demográficos

  • Projeções para 2050 indicam que a população mundial poderá ter cerca de 10 bilhões de habitantes.

  • A Ásia e a África, nesse momento, serão os continentes mais populosos.
  • A mortalidade mundial tem apresentado tendência de queda, devido às mudanças na medicina, na tecnologia e nos padrões de vida.

  • A população mundial, em consequência do aumento da expectativa de vida, da redução da mortalidade e do menor crescimento vegetativo, terá uma pirâmide etária que indica o envelhecimento populacional e tendências de redução do número de habitantes em várias partes do mundo.

  • O crescimento da população é mais intenso em algumas partes do mundo nas quais o crescimento vegetativo continua mais elevado.
  • Processos intensos de urbanização, como a formação de metrópoles e megalópoles, têm contribuído para esse crescimento. Nas próximas décadas, teremos mais áreas urbanas com milhões de habitantes.

AULA 12

População Brasileira

Assistir aula

Povoamento e colonização

    Muito tempo antes da colonização europeia de base portuguesa no Brasil, um contingente significativo de pessoas já vivia pelas terras que correspondem ao atual território.

  • Estudos indicam que entre um e cinco milhões de pessoas, em diferentes sociedades, nações ou povos indígenas, viviam no Brasil quando da chegada dos primeiros colonos europeus.
  • O processo de invasão, por diferentes grupos e em diferentes momentos, das terras indígenas acarretou em extermínio de sociedades inteiras e no decréscimo significativo de populações nativas. Esse processo começou a ter uma reversão apenas no final do século XX.

    A ocupação portuguesa e de outros povos, tendo como base a colonização brasileira, pode ser considerada como um processo lento, ocorrido a partir do litoral.

  • Os ciclos econômicos (da cana-de-açúcar, do ouro, do café, da borracha, por exemplo) estimularam a ocupação de certas áreas do Brasil, mas com interiorização tímida.

Fluxos migratórios

  • Fluxos de portugueses, espanhóis, holandeses, franceses, italianos e, posteriormente, outros grupos.
  • Migrações forçadas, com fluxo constante de pessoas para serem escravizadas no Brasil.
  • Até cinco milhões de pessoas de várias partes do continente africano (Guiné, Angola, Moçambique, Benin etc.) teriam vindo ao Brasil de forma forçada.

Retrato do Brasil

  • O crescimento populacional brasileiro é relativamente constante até os anos 1950. A formação da sociedade urbano-industrial brasileira dá um impulso para as taxas de incremento da população serem mais altas.

  • A urbanização brasileira é considerada como sendo recente, acompanhando a industrialização tardia do Brasil e o massivo êxodo rural, que motivou milhões de pessoas a deixarem o campo para tentar a vida nas cidades. Aglomerações urbanas, como as de São Paulo e Rio de Janeiro tornaram-se grandes metrópoles, estimuladas pela formação do parque industrial que se concentrou nessas áreas.

  • Atualmente, mais de 85% dos brasileiros vivem em áreas urbanas.
  • A pirâmide etária do Brasil está, atualmente, em uma fase de transição demográfica, com indicação de mudança para uma fase madura a partir de 2040. Estima-se que a população do país passe a não ter crescimento positivo por volta de 2047.


  • Composição étnica: a maior parte da população brasileira é formada por pretos e pardos, segundo os dados censitários do IBGE.

  • A População Economicamente Ativa do Brasil, formada por pessoas a partir de 14 anos de idade, trabalhando ou em condições para trabalhar e/ou procurando trabalho, é formada por 170 milhões de pessoas.

Na força de trabalho: 105 milhões.
Ocupada: 92 milhões.
Desocupada: 12 milhões.

  • A População Economicamente Inativa do Brasil, formada por pessoas que não estão nas condições acima (por serem, por exemplo, menores de idade, incapacitadas para o trabalho por doenças crônicas ou aposentadas que não possuem uma ocupação profissional remunerada), representam 65 milhões de pessoas.
  • A maior parte da população brasileira ainda está concentrada mais próxima à região litorânea, na qual existem muitas das maiores aglomerações urbanas.
  • O Centro-Sul ainda é a região com maiores densidades demográficas (população relativa) e também a mais populosa. O Sudeste, por exemplo, possui cerca de 80 milhões de pessoas.
  • As densidades demográficas podem variar bastante: áreas do interior do Brasil, especialmente no Centro-Oeste e no Norte, possuem valores muito inferiores aos encontrados no Sul e no Sudeste.
  • A interiorização recente do povoamento em função de novas centralidades (cidades médias, por exemplo), bem como as disparidades socioeconômicas a partir do IDH, marcam as características da população brasileira.