Quer ter acesso aos nossos resumos completos?

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com conteúdos exclusivos!

Resumo de Formação de Palavras e Análise Morfológica - Gramática

Quer estudar Formação de Palavras e Análise Morfológica? Aqui no Stoodi você encontra resumos grátis de Gramática que podem ser salvos em PDF para ajudar na sua preparação para o Enem e principais vestibulares.

AULA 1

Estrutura das Palavras

Assistir aula

As palavras são formadas de elementos mórficos, chamados morfemas, que as estruturam. São eles:

Raiz, radicaletema, que são elementos básicos que carregam o significado dessa palavra;

Afixos, desinênciae vogal temática, que são elementos modificadores da significação do radical.

Além disso possuem vogal ou consoante de ligação, que como o próprio nome diz são elementos que fazem conexões.

Vejamos cada um detalhadamente a seguir.

AULA 2

Raiz e radical

Assistir aula

  • RAIZ

Elemento originário  e irredutível das palavras, em que se concentra sua significação vista do ângulo histórico. Caracteriza as palavras da mesma família etimológica e é obtida a partir da eliminação de  afixos, vogal temática e desinências. A raiz de uma palavra coincide com seu radical primário:

Exemplo: terra, terreiro, terreno, terráqueo,  aterro, terrestre.

Todas as palavras citadas acima possuem TERR como raiz/radical primário.

 

  • RADICAL

Elemento básico  e significativo das palavras. O radical pode ser primário (raiz), secundário, terciário, quaternário, quinário dependendo do número de afixos que acoplamos a ele. Se acrescentarmos 1 afixo ele já passa a ser secundário; se 2, ele passa a ser terciário e assim por diante. 

Exemplo: raiz / radical primário: terr (terra, terreiro, terreno...)

radical secundário: enterr (enterrar, enterro, enterrado...)

radical terciário: desenterr (desenterrar, desenterro, desenterrado...)

Assim, o radical é obtido a partir da eliminação de apenas a vogal temática e desinências, já que a partir da inclusão de afixos vamos formando radicais secundários, terciários etc.

AULA 3

Tema e Vogal Temática

Assistir aula

  • TEMA E VOGAL TEMÁTICA

O tema é o radical acrescido de uma vogal, denominada vogal temática.

Exemplo: terra.

No caso dos verbos, obtém-se o tema retirando o R do infinitivo:

Exemplos: cantar, bater, sair (CANTA, BATE, SAI)

A vogal temática dos verbos caracteriza se eles são de 1ª, 2ª ou 3ª conjugação: 

A – 1ª conjugação

E – 2ª conjugação

I – 3ª conjugação

AULA 4

Desinências

Assistir aula

  • DESINÊNCIAS

As desinências são elementos terminais que indicam as flexões das palavras. Podem ser nominais ou verbais.

Desinências nominais indicam as flexões de gênero e número dos nomes.

Exemplo: meninOS: - O indica gênero e -S indica número.

Desinências verbais indicam as flexões de número e pessoa e de modo e tempo dos verbos.

Exemplos: 

amO: -O é uma desinência número-pessoal que indica que o verbo está na primeira pessoa do singular. Também é modo-temporal, pois indica que o verbo está no presente do indicativo.

amaVAM: -VAM é uma desinência número-pessoal que indica que o verbo está na terceira pessoa do plural. Também é modo-temporal, pois indica que o verbo está no pretérito imperfeito do indicativo.

AULA 5

Afixos e Elementos de Ligação

Assistir aula

  • AFIXOS

Afixos são elementos secundários que são agregados a um radical ou tema para formar novas palavras. 

São chamados de prefixos, quando antepostos ao radical ou tema, e sufixos  quando pospostos.

Exemplos:

ENTERRADOEMPOBRECER


 

  • VOGAIS E CONSOANTES DE LIGAÇÃO

São fonemas que em certas palavras se inserem entre os elementos mórficos para facilitar a pronúncia de tais palavras.

Exemplos:PÉ, PEZINHO: -INHO indica diminutivo; -Z consoante de ligação

CHÁ, CHALEIRA: -EIRA indica agente, ou seja, quem faz algo; -L consolante de ligação.

AULA 6

Formação por Derivação

Assistir aula

Em nossa língua há dois processos gerais para formação de novas palavras: a derivação e a composição. 

A derivação consiste em, a partir de uma palavra já existente (primitiva), formar uma nova (derivada) com o acréscimo de afixos.

Exemplo: PEDRA (primitiva) – PEDREIRA, PEDREGULHO, PEDREIRO (derivadas)

A derivação pode ocorrer por:

  • SUFIXAÇÃO

Quando acrescentamos um sufixo ao radical.

Exemplos: dente –dentista, boiboiada, sapato –sapateiro 

 

  • PREFIXAÇÃO

Quando acrescentamos um prefixo ao radical.

Exemplos: capaz– incapaz, ligar– desligar, saiaminissaia 


 

  • PARASSÍNTESE

Quando acrescentamos, ao mesmo tempo, um prefixo e um sufixo ao radical, sendo que nem um nem outro podem ser retirados da palavra sem que haja prejuízo de sentido.

Exemplos: entristecer, entardecer

Obs:os vocábulos parassintéticos são geralmente verbos e têm como base um nome. Nos exemplos acima as bases são o adjetivo triste e o substantivo tarde.

 

  • DERIVAÇÃO REGRESSIVA

Quando formamos um substantivo a partir de um verbo. Os substantivos que derivam de verbos são chamados de deverbais.

Exemplos: ajudar – ajuda, chorar – choro, pescar – pesca

 

  • DERIVAÇÃO IMPRÓPRIA

Consiste em mudar a classe gramatical de uma palavra estendendo sua significação. É, portanto, uma análise semântica, não morfológica.

Exemplos:

    • Adjetivo passa a ser substantivo: os bons, os maus.

    • Verbo no infinitivo passa a ser substantivo: o caminhar, o cantar.

    • Substantivo passa a ser adjetivo: tremfantasma, meninoprodígio.

    • Adjetivo passa a ser advérbio: falaralto, falarbaixo.

AULA 7

Formação por Composição

Assistir aula

Outro processo é o de composição, em que se associam duas ou mais palavras para formar uma nova. A composição pode ocorrer por:

  • JUSTAPOSIÇÃO

Quando se une duas ou mais palavras sem alterar sua estrutura.

Exemplos: passatempo, vaivém, girassol, pé-de-moleque

 

  • AGLUTINAÇÃO

Quando se une duas ou mais palavras com supressão de elementos fonéticos.

Exemplos: aguardente, embora, planalto, boquiaberto

 

AULA 8

Redução, Hibridismo e Onomatopeia

Assistir aula

  • REDUÇÃO

Algumas palavras apresentam, ao lado de sua forma plena, uma forma reduzida:

Exemplos: auto – automóvel, foto – fotografia, zoo – zoológico, moto - motocicleta
 

  • HIBRIDISMO

Ocorre hibridismo na palavra cuja formação entram elementos de línguas diferentes:

Exemplos: auto (grego) + móvel (latim)

tele (grego) + visão (latim)

 

  • ONOMATOPEIA

Palavras usadas para imitar vozes e ruídos, que se originaram a partir da tendência constante da fala humana em fazer essas imitações.

Exemplos:

Miau, miar – gato

Uivar – cão, lobo

Relinchar – cavalo

Rufar – tambor

Tique-taque – relógio