Quer ter acesso aos nossos resumos completos?

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com conteúdos exclusivos!

Resumo de Regência - Gramática

Quer estudar Regência? Aqui no Stoodi você encontra resumos grátis de Gramática que podem ser salvos em PDF para ajudar na sua preparação para o Enem e principais vestibulares.

AULA 1

Conceitos gerais de Regência

Assistir aula

A regência é a área que estuda as relações de dependência que as palavras mantêm na frase. É o modo pelo qual um termo rege o outro, que o complementa.

Ao termo que necessita de um complemento, damos o nome de TERMO REGENTE. O complemento denominamos TERMO REGIDO. 

A regência pode ser verbal, relacionada aos verbos, ou nominal, relacionada a substantivos e adjetivos.

Exemplos:

  • Tenho certeza DA sua escolha. 

Certeza  é um substantivo, é o termo regente,  e sua escolha  é o termo regido, ou seja, o complemento. Trata-se, portanto, de um caso de regência nominal. Neste caso ambos são ligados por meio da preposição DE

  • O  carro pertence  AO meu pai.

Aqui, pertence é um   verbo,é  o termo  regente,  e meu  pai  é o termo regido, ou seja, o complemento. Trata-se, portanto, de um caso de  regência verbal. Neste caso ambos são ligados por meio da preposição A

Como podemos observar, a ligação entre os termos regente e regido ocorre principalmente por meio de preposição, mas há exceções.

Exemplo:

  • O filho acompanhou  o pai. 

Nesse caso o verbo acompanhar  é o termo regente  e o  pai  é o termo regido, mas não houve ligação através de preposição; a relação de dependência entre os dois foi indicada apenas pela posição dos termos na frase. 

AULA 2

Regência Nominal e Verbal

Assistir aula

 Como vimos, a regência nominal está relacionada a substantivos e adjetivos e seus termos complementares. Alguns deles admitem mais de uma regência, e escolha de uma ou outra deve respeitar a clareza do enunciado e a linha de pensamento. Exemplos:

  • Substantivo AMOR

Tenha amor À vida.

A escola lhe despertou o amor PELOS estudos.

O amor DA namorada era sua razão de viver. 

 

  • Adjetivo CONTENTE

Fico contente COM isso.

Fico contente EM ajudar.

Fico contente POR você ter conseguido.

  • Adjetivo FELIZ

Estou feliz EM participar.

Estou feliz COM o resultado.

Estou feliz POR terminar a tempo.

Já a regência verbal está relacionada aos verbos e seus termos complementares. Alguns verbos também admitem mais de uma regência, e nesses casos podem mudar de sentido. Exemplos:

  • ASSISTIR Cleber assistiu AO jogo. (sentido de ver)

O médico assistiu o paciente. (sem preposição, no sentido de prestar assistência)

 

  • ASPIRARAspirei o aroma das rosas. (sem preposição, sentido de absorver)

Aspirei AO cargo. (no sentido de desejar, ambicionar)

 

  • PRECISAREle não precisa DO dinheiro. (sentido de necessitar)

Ele não precisou a quantia. (sem preposição, sentido de especificar)

 

Outros exemplos de verbos e suas regências:

  • IRExige a preposição A.

Vou AO cinema. 

 

  • NAMORAR Não exige preposição.

Eu namoro Antônio há dois meses.

 

  • PREFERIR Exige a preposição A. 

Eu prefiro maçã a uva.

 

  • OBEDECER / DESOBEDECER Exige a preposição A.

As crianças desobedecem aos pais.

 

Observação:COMPLEMENTOS DE TERMOS DE REGÊNCIAS DIFERENTES

Segundo a gramática normativa, não se dá um mesmo complemento a termos que na realidade possuem regências diferentes. Um exemplo muito comum:

Entrei e saí de casa.

ENTRAR exige a preposição EM; SAIR exige a preposição DE.

Dito isso, conforme as regras gramaticais o enunciado correto seria: Entrei EM casa e DELA saí.

Entretanto, a língua dá preferência às construções abreviadas que a gramática condena, mas, a língua está em constante adaptação e transformação e por isso tais construções simplificadas são aceitas.