Quer ter acesso aos nossos resumos completos?

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com conteúdos exclusivos!

Resumo de História da África - História

Quer estudar História da África? Aqui no Stoodi você encontra resumos grátis de História que podem ser salvos em PDF para ajudar na sua preparação para o Enem e principais vestibulares.

AULA 1

África: Aspectos Geográficos

Assistir aula

Área: 30.215.303 km2

Limites geográficos:

    Oceano Índico a leste
    Oceano Atlântico a oeste e ao sul
    Mar Mediterrâneo ao norte

Regionalização:

    África do Norte (saariana)
    Sahel
    África Subsaariana
    África Ocidental (oeste) e Oriental (leste)

     

AULA 2

Pré História da África

Assistir aula

Pré-História da África
África: o “berço da humanidade”


África: lugar de origem do homem, segundo Charles Darwin (Teoria da Evolução)
   Hominídeos (entre 5 e 3 milhões de anos)

      - postura ereta
      - bipedismo

Homo sapiens primitivo no continente africano há mais de 100 mil anos.
   - cérebro complexo e volumoso
   - bipedismo permanente
   - mãos livres para a fabricação de instrumentos
   - domínio do fogo

AULA 3

África Antiga

Assistir aula

Egito antigo (3200 a.C. - 32 a.C.)

Localização: nordeste da África
Economia: agricultura de regadio (civilização hidráulica)
Sociedade: estamental
Política: teocracia
Religião: politeísmo (antropozoomorfismo)
Cultura: escrita (hieroglífica, hierática e demótica); mumificação; pirâmides e templos
Decadência: cai sob domínio romano em 32 a.C.

Reino de Kush (1730 a.C. - 350 d.C.)

Localização: parte do atual Sudão (antiga Núbia)
Monarquia eletiva
Agricultura, comércio e pastoreio
Entre os séculos VIII e VII a.C. os kushitas dominaram o Egito
Forte influência egípcia (construção de pirâmides)
Politeísmo
Cerâmica e rituais funerários (c/ sacrifícios humanos)
Conquistado pelo Reino de Axum em 350.

Reino de Axum (século I - X)

Localização: parte da atual Etiópia
Agricultura, pastoreio, artesanato (cerâmica) e comércio terrestre + comércio marítimo (c/ Egito, Síria, Índia e o mundo mediterrânico) + comércio de escravos (prisioneiros de guerra) 
Monarquia
↑ Arquitetura: palácios
Cunhagem de moedas (primeiro Estado da África a cunhar moedas)
↑ Escrita (escrita etíope)
estatuetas
Religião: 1o politeísmo, 2o judaísmo, 3o cristianismo (século IV)
Conquistado pelos muçulmanos (entre os séculos VII e X)

AULA 4

África Ocidental: Reinos e Impérios

Assistir aula

CURIOSIDADE: Conheça Mansa Musa, o homem mais rico de todos os tempos! Fortuna do imperador do Mali é inestimável, mas passa dos trilhões de dólares, de acordo com cálculos de especialista.

 
Reino de Gana (século IV - XIII)

Localização: entre o deserto do Saara e os rios Níger e Senegal (atuais Mali e Mauritânia)
Capital: Kumbi-Saleh
Economia: agricultura, comércio (introdução do dromedário) e mineração (Terra do Ouro)
Gana controlava o comércio (caravanas) tanto das mercadorias que eram trazidas do norte (como sal e tecidos), quanto das que saíam do interior da África (como ouro e escravos). 
Política: monarquia (soberano com caráter divino - falava diretamente com os deuses)
Religião: politeísmo animista (c/ sacrifícios humanos - todo ano uma virgem era oferecida) e islamismo (posteriormente)
Etnia: soninquês e bérberes
Conquistado pelo Reino de Mali em 1235)

Reino do Congo (século XIII - XIX)

 

Localização: sudoeste da África (parte dos atuais territórios de Angola, República Democrática do Congo e Gabão)
Capital: Mbanza Congo (antiga São Salvador do Congo - Angola)
Economia: agricultura (coco, banana, dendê), criação de animais (porcos, cabras e galinhas), comércio (o Reino do Congo era uma área de confluência de rotas comerciais onde se trocavam sal, tecidos e metais) e artesanato + escravidão (doméstica e ampliada) e tráfico negreiro
Política: monarquia (rei = mani pongo  ou mani congo)
Religião: politeísmo animista + culto aos ancestrais + objetos mágicos-religiosos e, a partir de 1491, cristianismo (colonização portuguesa)
Etnia: bantu
Cultura: estatuetas e máscaras feitas em madeira, cobre e marfim.
Conquistado pelos portugueses 

Império do Mali (século XI - XVI)

 

Localização: África Ocidental (atu ais Mali, Senegal, Gâmbia, Guiné, Guiné Bissau e Burkina Faso

Economia: mineração (ouro), agricultura, pecuária, artesanato, escravidão e comércio (Timbuctu ou Tombuctu era um importante centro comercial internacional e de artesanato do Sahelcongregando populações de mercadores bérberes, árabes e judeus vindos da África do Norte, do Oriente Médio e do Saara)

Etnia: mandinga

Política: monarquia (líder = mansa)

Destaque: Mansa Musa (1312-1337) = maior islamização e expansão territorial (conquista da cidade de Timbuctu)

Religião: 1o politeísmo animista; 2o islamismo

Cultura: Timbuctu

Escolas corânicas (casas de estudos islâmicos)

Universidade de Sankore

 

Parte da fachada de Sankoré, Timbuctu, Mali.

Reunia comunidade de letrados e sábios e as mais significativas obras do conhecimento desenvolvido pelo mundo árabe da época
Comércio de livros de medicina, história, astronomia e matemática

 

 

AULA 5

Tráfico Negreiro

Assistir aula

Antecedentes: desde a Antiguidade, escravos negros eram vendidos por comerciantes que atravessavam o Saara, o Mar Vermelho e o Oceano Índico
Os cativos eram oriundos da Núbia e oeste do Sudão e eram vendidos para egípcios, romanos e muçulmanos.

No contexto da Expansão Marítima (séculos XV e XVI) = pioneirismo português no início da Idade Moderna
Inicialmente para as Ilhas Atlânticas, depois para o Brasil
Posteriormente, França, Inglaterra e Holanda também vão realizar o tráfico negreiro

Tráfico negreiro para a América

Navio negreiro, Rugendas, 1830.

Introdução da plantation = ↑ demanda por mão de obra escrava
Entre os séculos XVI e XIX = aproximadamente 10 milhões de africanos foram trazidos como escravos para a América

Origens/Etnias
África Ocidental Subsaariana
Sudaneses = Golfo da Guiné (Costa da Mina)
Bantos = Reino do Congo e Angola (Luanda, Benguela e Cabinda)
Fontes
Guerras tribais 
Cobrança de dívidas
Punição por crimes

Características
Escambo = escravizados trocados por aguardente, tabaco, metais ou tecidos
Feitorias = entrepostos no litoral africano onde eram comercializados para onde eram levados e comercializados os escravizados
Lucros com o tráfico negreiro
Navios negreiros (tumbeiros)
Péssimas condições a bordo: banzo, maus tratos e escorbuto
Morte de aproximadamente 40% dos cativos durante a travessia do Atlântico

 

Diagrama de um grande navio de escravos. Thomas Clarkson: Os gritos da África para os habitantes da Europa, 1822.