Resumo de Romantismo - Literatura

Quer estudar Romantismo? Aqui no Stoodi você encontra resumos grátis de Literatura que podem ser salvos em PDF para ajudar na sua preparação para o Enem e principais vestibulares.

AULA 1

Contexto Histórico

Assistir aula

Teve inicio na Europa no final do século XVIII, na Europa, obtendo maior destaque na França. Desenvolveu-se em meio à Revolução Industrial e à Revolução Francesa.

Acontece que a partir da segunda metade do século XVIII começou a constituir-se na Inglaterra a sociedade industrial. Passou-se bruscamente do sistema doméstico ao sistema fabril de produção, provocando o surgimento de várias cidades industriais. Assim, a burguesia começou a crescer econômica e politicamente e o proletariado (trabalhadores) começou a crescer em número. Da antiga sociedade de senhores e servos, passou-se à sociedade de operários e empresários.

A Revolução Francesa, por sua vez, desencadeada em 1789, acabou por levar a burguesia ao poder. Assim, ambas as revoluções incentivaram a livre-iniciativa, o individualismo econômico e o liberalismo político, estimulando também o nacionalismo. Esse clima de valorização da liberdade e renovação marcou muito a literatura romântica, afinal, principalmente baseados nessa liberdade, os poetas se sentiram livres para expressar seus sentimentos na poesia, além de não se sentirem mais presos à métrica dos versos que as escolas anteriores valorizavam. Nascia uma nova forma de escrever.

Desse modo, o Romantismo é a escola da expressão dos sentimentos, da liberdade de expressão. Por isso, alguns escritores passaram a falar da natureza e do amor num tom pessoal e melancólico, fazendo da literatura uma forma de expressar seus sentimentos. Além disso, voltaram-se para os tempos medievais, época da formação de suas nações, valorizando os heróis e as tradições populares, exaltando o nacionalismo. E essa liberdade também fica evidente na forma de escrever, já que os escritores românticos abandonaram o tom solene e adotaram um estilo simples e comunicativo na escrita.

As principais obras Românticas na Europa são:

  • Contos e Inocência, de Willian Blake;
  • Os Miseráveis, de Victor Hugo;
  • Os Três Mosqueteiros, de Alexandre Dumas.

AULA 2

Romantismo em Portugal

Assistir aula

Em Portugal o Romantismo surgiu em meio a uma grande agitação política.

Em 1808 a corte de D. João VI se transfere para o Brasil, ameaçada pelas tropas de Napoleão Bonaparte. A partir daí é organizado um movimento de resistência que consegue expulsar o invasor e, em 1820, ocorre na cidade de Porto uma rebelião que se espalha por todo o país, combatendo a monarquia absolutista, forma de governo em que o rei exerce o poder absoluto, superior ao poder de outros órgãos do Estado.

Além disso, o cenário do nascimento do Romantismo em Portugal também era de disputa pelo poder.

Depois de abdicar do trono brasileiro em favor do filho, D. Pedro I volta para Portugal para disputar o trono com seu irmão D. Miguel. Essa disputa foi vista como uma luta entre o liberalismo de D. Pedro e o absolutismo de D. Miguel. Enfim, D. Pedro sai vitorioso e começam a ocorrer diversas mudanças sociais e políticas, apesar de as disputas entre conservadores e liberais ter perdurado por todo o século XIX.

Assim, é nesse ambiente de lutas políticas e reivindicações liberais que se desenvolve o Romantismo português.

Seu marco inicial foi em 1825 com a publicação do poema Camões, de Almeida Garret, em que o autor faz uma espécie de biografia sentimental do poeta.

Esse primeiro momento do Romantismo português é subdividido em três fases:

  1. Prisão ao Neoclassicismo: ainda havia traços presos ao Neoclassicismo (ou Arcadismo), como a poesia de Almeida Garret e Alexandre Herculano.
  2. Início dos Exageros: os poetas se assumem inteiramente românticos, deixando a escola anterior para trás. É o caso de Soares de Passos e Camilo Castelo Branco.
  3. Início dos Traços Realistas: os poetas já estão deixando o Romantismo para trás e inserindo traços da escola posterior em suas obras: o Realismo. Os poetas de destaque são João de Deus e Júlio Dinis.

 

Características dos autores portugueses

Almeida Garret

  • Precursor do Romantismo em Portugal, com a obra Camões;
  • Apesar disso ele não se intitulava nem clássico nem romântico e, de fato, suas criações como poeta, prosador e dramaturgo estavam longe do sentimentalismo exagerado que caracteriza o típico escritor romântico.

Alexandre Herculano

  • A característica principal de suas obras é a historiografia, o relato da história de Portugal;
  • Sua principal obra é Eurico, o Presbítero, que fala sobre a figura do Clero, destacando o amor proibido, além da retomada do poder de Portugal.

Camilo Castelo Branco

  • Foi o primeiro autor a ganhar a vida com a Literatura. Ele vivia dela, e escrevia sobre temas que seriam lucrativos para ele. É considerado o criador da novela passional portuguesa, isto é, das histórias que envolvem a paixão;
  • Sua obra mais conhecida, e de maior destaque como novela passional, é Amor de Perdição.

Soares de Passos

  • Principal obra: Noivado no Sepulcro, que trata de temas mais melancólicos, sobre a morte etc.

João de Deus

  • Sua única obra foi Campo de Flores.

Julio Dinis

  • Em sua obra não há o clima de tragédia e fatalismo que marca, por exemplo, a novela passional de Camilo Castelo Branco. Ainda que fale de amor e paixão, fala de um jeito mais simples e, no final, os mal entendidos se esclarecem e tudo se resolve. Sua obra possui um ar de otimismo e esperança;
  • Obra mais conhecida, inclusive com grande repercussão no Brasil: As Pupilas do Senhor Reitor.

AULA 3

Características Gerais

Assistir aula

  • Liberdade de criação e expressão;
  • Individualismo / subjetivismo;
  • Valorização das emoções;
  • Nacionalismo;
  • Escapismo / fuga da realidade;
  • Pessimismo;
  • Valorização da natureza;
  • Religiosidade / Cristianismo;
  • Idealismo.

AULA 4

Romantismo no Brasil: Poesia

Assistir aula

Teve início em 1808, com a chegada da família real. É a primeira escola literária do Brasil que assume maior independência em relação à literatura europeia, até pelo fato de ter inicio próximo à nossa independência de Portugal, em 1822.

O sentimento nacionalista passa a ser expresso na arte, ressaltando principalmente a figura do índio.

O marco inicial do Romantismo no Brasil é a publicação das obras “Suspiros Poéticos” e “Saudades”, ambas de Gonçalves de Magalhães.

As três gerações românticas brasileiras

1ª Geração: Nacionalista / Indianista

  • Índio como herói. Figura do “bom selvagem”;
  • Exaltação de nossas paisagens naturais e de nossa pátria;
  • Principais poetas: Gonçalves de Magalhães e Gonçalves Dias, sendo este último o autor da clamada obra Canção do Exílio.

2ª Geração: Ultrarromântica / Mal do Século

  • Individualismo / Egocentrismo;
  • Morte como refúgio;
  • Idealização do amor perfeito;
  • Pessimismo;
  • Saudade da infância;
  • Principais poetas: Álvares de Azevedo e Casimiro de Abreu, sendo este último autor da renomada obra Meus Oito Anos.

3ª Geração: Social / Libertária

  • Abordagem das questões sociais, principalmente acerca da abolição da escravatura;
  • Linguagem enfática;
  • Defesa dos escravos;
  • Erotismo;
  • Principal poeta: Castro Alves, “o poeta dos escravos”, tendo como obra de destaque O Navio Negreiro.

AULA 5

Romantismo no Brasil: Prosa

Assistir aula

Surgimento dos folhetins, a partir da implantação da imprensa no Brasil, que veio com a chegada da família real, em 1808. Esses folhetins eram o que chamamos hoje de telenovelas.

  • Herói idealizado.
  • A literatura passar a ter um público alvo, visando à lucratividade.
  • Exaltação do Brasil / nacionalismo
  • Flashbacks: recordações utilizadas para explicar acontecimentos do presente.
  • Sentimentalismo explícito.

 

Tipos de romance

Indianista

  • Exaltação da cultura e costumes indígenas;
  • Índio representado como herói;
  • Representação da paisagem brasileira;
  • Principais obras: Iracema e O Guarani, ambas de José de Alencar.

Histórico

  • Exposição dos costumes do passado;
  • Mescla de ficção e realidade;
  • Principais obras: As Minas de Prata e A Guerra dos Mascates, ambas também de José de Alencar.

Urbano

  • Exposição dos costumes no ambiente urbano, principalmente na cidade do Rio de Janeiro;
  • Principais obras: A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo, Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida, Senhora, de José de Alencar.

Sertanejo

  • Aborda temas e situações que se passam longe dos ambientes urbanos, focando no povo do interior e em seus costumes;
  • Principal obra: O Sertanejo, de José de Alencar.
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.