Quer ter acesso aos nossos resumos completos?

Assine o Stoodi e prepare-se para o ENEM com conteúdos exclusivos!

Resumo de Romantismo - Literatura

Quer estudar Romantismo? Aqui no Stoodi você encontra resumos grátis de Literatura que podem ser salvos em PDF para ajudar na sua preparação para o Enem e principais vestibulares.

AULA 1

Contexto Histórico

Assistir aula

Teve inicio na Europa no final do século XVIII, na Europa, obtendo maior destaque na França. Desenvolveu-se em meio à Revolução Industrial e à Revolução Francesa.

Acontece que a partir da segunda metade do século XVIII começou a constituir-se na Inglaterra a sociedade industrial. Passou-se bruscamente do sistema doméstico ao sistema fabril de produção, provocando o surgimento de várias cidades industriais. Assim, a burguesia começou a crescer econômica e politicamente e o proletariado (trabalhadores) começou a crescer em número. Da antiga sociedade de senhores e servos, passou-se à sociedade de operários e empresários.

A Revolução Francesa, por sua vez, desencadeada em 1789, acabou por levar a burguesia ao poder. Assim, ambas as revoluções incentivaram a livre-iniciativa, o individualismo econômico e o liberalismo político, estimulando também o nacionalismo. Esse clima de valorização da liberdade e renovação marcou muito a literatura romântica, afinal, principalmente baseados nessa liberdade, os poetas se sentiram livres para expressar seus sentimentos na poesia, além de não se sentirem mais presos à métrica dos versos que as escolas anteriores valorizavam. Nascia uma nova forma de escrever.

Desse modo, o Romantismo é a escola da expressão dos sentimentos, da liberdade de expressão. Por isso, alguns escritores passaram a falar da natureza e do amor num tom pessoal e melancólico, fazendo da literatura uma forma de expressar seus sentimentos. Além disso, voltaram-se para os tempos medievais, época da formação de suas nações, valorizando os heróis e as tradições populares, exaltando o nacionalismo. E essa liberdade também fica evidente na forma de escrever, já que os escritores românticos abandonaram o tom solene e adotaram um estilo simples e comunicativo na escrita.

As principais obras Românticas na Europa são:

  • Contos e Inocência, de Willian Blake;
  • Os Miseráveis, de Victor Hugo;
  • Os Três Mosqueteiros, de Alexandre Dumas.

AULA 2

Romantismo em Portugal

Assistir aula

Em Portugal o Romantismo surgiu em meio a uma grande agitação política.

Em 1808 a corte de D. João VI se transfere para o Brasil, ameaçada pelas tropas de Napoleão Bonaparte. A partir daí é organizado um movimento de resistência que consegue expulsar o invasor e, em 1820, ocorre na cidade de Porto uma rebelião que se espalha por todo o país, combatendo a monarquia absolutista, forma de governo em que o rei exerce o poder absoluto, superior ao poder de outros órgãos do Estado.

Além disso, o cenário do nascimento do Romantismo em Portugal também era de disputa pelo poder.

Depois de abdicar do trono brasileiro em favor do filho, D. Pedro I volta para Portugal para disputar o trono com seu irmão D. Miguel. Essa disputa foi vista como uma luta entre o liberalismo de D. Pedro e o absolutismo de D. Miguel. Enfim, D. Pedro sai vitorioso e começam a ocorrer diversas mudanças sociais e políticas, apesar de as disputas entre conservadores e liberais ter perdurado por todo o século XIX.

Assim, é nesse ambiente de lutas políticas e reivindicações liberais que se desenvolve o Romantismo português.

Seu marco inicial foi em 1825 com a publicação do poema Camões, de Almeida Garret, em que o autor faz uma espécie de biografia sentimental do poeta.

Esse primeiro momento do Romantismo português é subdividido em três fases:

  1. Prisão ao Neoclassicismo: ainda havia traços presos ao Neoclassicismo (ou Arcadismo), como a poesia de Almeida Garret e Alexandre Herculano.
  2. Início dos Exageros: os poetas se assumem inteiramente românticos, deixando a escola anterior para trás. É o caso de Soares de Passos e Camilo Castelo Branco.
  3. Início dos Traços Realistas: os poetas já estão deixando o Romantismo para trás e inserindo traços da escola posterior em suas obras: o Realismo. Os poetas de destaque são João de Deus e Júlio Dinis.

 

Características dos autores portugueses

Almeida Garret

  • Precursor do Romantismo em Portugal, com a obra Camões;
  • Apesar disso ele não se intitulava nem clássico nem romântico e, de fato, suas criações como poeta, prosador e dramaturgo estavam longe do sentimentalismo exagerado que caracteriza o típico escritor romântico.

Alexandre Herculano

  • A característica principal de suas obras é a historiografia, o relato da história de Portugal;
  • Sua principal obra é Eurico, o Presbítero, que fala sobre a figura do Clero, destacando o amor proibido, além da retomada do poder de Portugal.

Camilo Castelo Branco

  • Foi o primeiro autor a ganhar a vida com a Literatura. Ele vivia dela, e escrevia sobre temas que seriam lucrativos para ele. É considerado o criador da novela passional portuguesa, isto é, das histórias que envolvem a paixão;
  • Sua obra mais conhecida, e de maior destaque como novela passional, é Amor de Perdição.

Soares de Passos

  • Principal obra: Noivado no Sepulcro, que trata de temas mais melancólicos, sobre a morte etc.

João de Deus

  • Sua única obra foi Campo de Flores.

Julio Dinis

  • Em sua obra não há o clima de tragédia e fatalismo que marca, por exemplo, a novela passional de Camilo Castelo Branco. Ainda que fale de amor e paixão, fala de um jeito mais simples e, no final, os mal entendidos se esclarecem e tudo se resolve. Sua obra possui um ar de otimismo e esperança;
  • Obra mais conhecida, inclusive com grande repercussão no Brasil: As Pupilas do Senhor Reitor.

AULA 3

Características Gerais

Assistir aula

  • Liberdade de criação e expressão;
  • Individualismo / subjetivismo;
  • Valorização das emoções;
  • Nacionalismo;
  • Escapismo / fuga da realidade;
  • Pessimismo;
  • Valorização da natureza;
  • Religiosidade / Cristianismo;
  • Idealismo.

AULA 4

Romantismo no Brasil: Poesia

Assistir aula

Teve início em 1808, com a chegada da família real. É a primeira escola literária do Brasil que assume maior independência em relação à literatura europeia, até pelo fato de ter inicio próximo à nossa independência de Portugal, em 1822.

O sentimento nacionalista passa a ser expresso na arte, ressaltando principalmente a figura do índio.

O marco inicial do Romantismo no Brasil é a publicação das obras “Suspiros Poéticos” e “Saudades”, ambas de Gonçalves de Magalhães.

As três gerações românticas brasileiras

1ª Geração: Nacionalista / Indianista

  • Índio como herói. Figura do “bom selvagem”;
  • Exaltação de nossas paisagens naturais e de nossa pátria;
  • Principais poetas: Gonçalves de Magalhães e Gonçalves Dias, sendo este último o autor da clamada obra Canção do Exílio.

2ª Geração: Ultrarromântica / Mal do Século

  • Individualismo / Egocentrismo;
  • Morte como refúgio;
  • Idealização do amor perfeito;
  • Pessimismo;
  • Saudade da infância;
  • Principais poetas: Álvares de Azevedo e Casimiro de Abreu, sendo este último autor da renomada obra Meus Oito Anos.

3ª Geração: Social / Libertária

  • Abordagem das questões sociais, principalmente acerca da abolição da escravatura;
  • Linguagem enfática;
  • Defesa dos escravos;
  • Erotismo;
  • Principal poeta: Castro Alves, “o poeta dos escravos”, tendo como obra de destaque O Navio Negreiro.

AULA 5

Romantismo no Brasil: Prosa

Assistir aula

Surgimento dos folhetins, a partir da implantação da imprensa no Brasil, que veio com a chegada da família real, em 1808. Esses folhetins eram o que chamamos hoje de telenovelas.

  • Herói idealizado.
  • A literatura passar a ter um público alvo, visando à lucratividade.
  • Exaltação do Brasil / nacionalismo
  • Flashbacks: recordações utilizadas para explicar acontecimentos do presente.
  • Sentimentalismo explícito.

 

Tipos de romance

Indianista

  • Exaltação da cultura e costumes indígenas;
  • Índio representado como herói;
  • Representação da paisagem brasileira;
  • Principais obras: Iracema e O Guarani, ambas de José de Alencar.

Histórico

  • Exposição dos costumes do passado;
  • Mescla de ficção e realidade;
  • Principais obras: As Minas de Prata e A Guerra dos Mascates, ambas também de José de Alencar.

Urbano

  • Exposição dos costumes no ambiente urbano, principalmente na cidade do Rio de Janeiro;
  • Principais obras: A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo, Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida, Senhora, de José de Alencar.

Sertanejo

  • Aborda temas e situações que se passam longe dos ambientes urbanos, focando no povo do interior e em seus costumes;
  • Principal obra: O Sertanejo, de José de Alencar.